História Make a Wish - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Kim Heechul, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk"
Tags Donghae, Eunhae, Eunhyuk, Super Junior
Exibições 96
Palavras 3.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, tem alguém ai?!
Me sinto muitíssimo envergonhada pela demora! Mas eu realmente não tive tempo para escrever e, quando tinha, ficava meia hora parada olhando pro word e nada. Nenhuma palavra.
Vestibular chegando, e tomei vergonha na cara pra estudar também. Finalmente consegui concluir esse capítulo.
Hoje aniversário do nosso menininho!!! Eu queria tanto concluir a fic hoje, mas infelizmente eu não consegui. Ainda faltam dois capítulos(Isso se eu não juntar os dois, asdjsaod)
Parabéns para o nosso Haezinho, meu bolinho de morango!!!
Boa leitura!

PS: Não revisei, deve ter alguns erros e buracos, logo mais eu arrumo eles </3

Capítulo 5 - V


Aos poucos o sono me abandonava e eu já era capaz de perceber algumas coisas. Tal como um braço agarrado em minha cintura e o corpo quente ao qual eu estava agarrado. Estava tudo tão gostoso que a única coisa que eu queria fazer era voltar a dormir e, se possível, permanecer naquela posição para sempre, mas infelizmente a respiração de HyukJae começou a acelerar conforme ele despertava aos poucos abaixo de mim. Abri os olhos e consegui ter a visão de seus olhinhos negros abrindo calmamente e de seus lábios extremamente vermelhos. Como ele conseguia acordar tão lindo?

Não demorou muito e logo seu sorriso apareceu assim que me encontrou acordado, e eu não resisti em lhe sorrir de volta.

— Bom dia, Hae.

— Bom dia, Hyukkie - Ele bocejou e me apertou contra seu corpo. — Dormiu bem?

— Muitíssimo bem, só estou com um pouco de enxaqueca, mas logo passa.

Tentei me afastar de seu corpo para levantar, mas HyukJae me prendeu contra si.

— Ei, onde você pensa que vai? — Perguntou, pelo que parecia, ofendido.

— Vou pegar um remédio pra você, já volto. — Falhei novamente ao tentar levantar. - Hyuk! — O repreendi.

— Não vai pegar nada, fica aqui comigo!

Depois de muita insistência, acabei por continuar na cama e somente quando estávamos a ponto de morrer de fome que nos levantamos para comer algo.

HyukJae passou o resto de tarde comigo, de inicio para assisti filmes, mas passamos mais tempo nos beijando do que prestando atenção realmente.

Os beijos dele ficavam cada vez melhores e já estava sendo bem difícil ficar por mais de três minutos sem ter seus lábios macios e vermelhos sobre os meus. Aos poucos seu gosto se tornava meu pequeno vício.

Durante toda a semana almoçamos juntos e na terça jantamos com Heechul, ChangMin e KyuHyun. Todos eram muito divertidos e faziam de tudo para que eu me sentisse confortável em meio a eles, o que eu agradecia imensamente. Na quarta-feira HyukJae e eu jantamos sozinhos em minha casa, e ele já chegou em minha casa me prensando na parede e dizendo que estava morrendo de saudades, mesmo que tivéssemos nos visto de manhã. De um segundo a outro, nós já estávamos nos beijando ardentemente no sofá, minha coxa direita estava no meio de suas pernas enquanto eu arranhava todos os gominhos de seu abdômen e meu pescoço era todo marcado por seus lábios famintos. Aquela era a primeira vez que simples beijos e toques não me satisfaziam.

Eu queria mais.

Mais de seu corpo junto ao meu, mais do contato de seu membro semi-rígido provocando o meu e mais de suas mãos firmes em minha pele nua.

Decidido, retirei sua camiseta em um puxão só, revelando-me aquela pele tentadora a meus toques. HyukJae estava receoso, mas apenas lhe assegurei que não precisávamos fazer tudo naquele instante, já que não me sentia totalmente pronto. Com meu consentimento, minha blusa tomou o mesmo caminho que a sua própria enquanto, pela primeira vez, eu revelava meu tronco desnudo. Minha pele queimada com seu olhar fixo desbravando todo meu torso pouco definido, mas me senti extremamente confiante assim que percebi fascínio e desejo em seus olhos negros. Isso fez com que eu tivesse coragem de sentar em seu colo e começar a rebolar sutilmente em cima de seu membro que estava duro, assim como o meu.

HyukJae mordeu minha orelha e gemeu ali, me incentivando a aumentar os movimentos com o auxílio de suas mãos que estavam em meu quadril, apertando o lugar.

O prazer que eu sentia com aquele simples ato era indescritível e nada chegava perto daquela sensação maravilhosa de ter seu pênis atiçando o meu, fazendo meu corpo todo tremer e o líquido pré-seminal começar a aparecer.

Para me enlouquecer ainda mais, Hyukjae abriu o zíper de minha calça e enfiou sua mão ali, pegando firmemente em meu pênis e começou a acariciá-lo conforme meus gemidos e movimentos aumentavam cada vez mais. O corpo abaixo do meu começou a se impulsionar para cima e eu sabia que ele estava chegando perto, e eu não me encontrava tão diferente. Uma corrente elétrica e prazerosa percorria todo meu corpo e aumentava na região pélvica, onde a mão daquele homem maravilhoso estava me acariciando tão gostosamente que eu só conseguia imaginar como seria sem todos aqueles empecilhos de roupas entre nós.

Quando gozamos juntos, permaneci com a cabeça apoiada sobre seu peito, esperando nossas respirações voltarem ao normal para que pudéssemos nos mover dali. Mas o que Hyukjae disse fez com que minha mente nublasse de felicidade e amor.

— Donghae... Eu já não consigo mais ficar sem você um minuto que seja...

 

Quase um mês se passou, e meu "relacionamento" com HyukJae só ficava melhor. Nos encontrávamos sempre que dava, almoçando juntos quase todo dia. Quando ele ficava atolado de provas pra corrigir, eu o ajudava a corrigi-las para que pudéssemos ficar na companhia um do outro. Ainda era um pouco estranho imaginar aquele homem divertido e que tinha os cabelos descoloridos dentro de uma sala de aula lecionando para adolescentes, mas ele realmente amava o que fazia e ele ficava lindo demais concentrado e com seus óculos de leitura. A essa altura, eu já tinha convicção suficiente para falar que eu o amava. Eu amava HyukJae. Ele me tratava de um jeito tão especial e único que eu tinha a certeza que ele realmente era o homem da minha vida, e que eu nunca seria tão feliz ao lado de alguém como eu era ao seu lado. Com ele sempre me elogiando e dizendo o quanto eu era perfeito, minha confiança só aumentava e eu sorria o tempo todo. Mesmo com meu chefe me atolando de trabalho e os olhares estranhos de meus "colegas", eu sorria e demonstrava minha felicidade a todos. Eu não ligava para ninguém mais, só HyukJae. Todo final de semana eu acabava por sair com seus amigos e até comecei a me soltar mais, mesmo se precisasse de um pouco de incentivo alcoólico para isso. De madrugada quando vínhamos embora, ou eu dormia em sua casa, ou ele na minha. Estava começando a ficar natural sentir seus toques em meu corpo quando simples beijos não eram suficientes para suprir toda nossa euforia e desejo. Meu corpo cada vez mais aclamava por sentir seus beijos e carícias ludibriosas, e HyukJae me incendiava os poucos, estimulando nossos dois membros juntos enquanto eu me entregava totalmente a seus toques. Eu me sentia, finalmente, pronto para me entregar a ele, do jeito que eu mais almejava.

No dia em que conheci Sora, quando fui buscar HyukJae em sua casa para assistirmos filmes em minha casa, ela me disse que nunca viu seu irmão mais feliz, e que estava agraciada em finalmente me conhecer. Ela quase me fez chorar ao contar sobre como era a vida de seu irmão, dizendo que o mesmo vivia perdido, e até chegava a pegar o carro de madrugada e só aparecer no dia seguinte, deixando a todos aflitos. Mas, desde que eu o tinha conhecido, era como se ele tivesse voltado a querer viver e se divertir.

Sora era adorável, extremamente parecida com o irmão em tudo, desde a fisionomia até mesmo em sua personalidade. Antes de irmos embora, os irmãos trocaram um olhar cúmplice que me deixou desconfiado, mas logo eu e HyukJae estávamos em meu carro rumando em direção ao mercado.

— O que você vai querer, Hae? – Perguntou assim que entramos no mercado e pegamos um carrinho.

— Sorvete!

Igual uma criança que vai fazer compras com os pais, segui Hyukjae pelos corredores do mercado enquanto pegávamos várias besteiras para passarmos o fim da noite. O carrinho só enchia conforme eu passava pelo corredor de guloseimas, e eu escutava sua risada assim que eu voltava ao seu lado com meus braços cheios.

Pagamos tudo e saímos de lá cheios de sacolas, guardando-as no porta-malas do carro e voltando até minha casa, onde guardei metade daquilo nos armários e deixava o que provavelmente ingeríamos logo em cima da mesinha enquanto Hyukjae se trocava em meu banheiro.

Senti suas duas mãos em meu quadril, puxando-me em sua direção e atacando meu pescoço com sua boca gordinha. Suspirei e dei mais espaço para suas caricias, enquanto acariciava seu cabelo com minha mão esquerda.

— Adoro esse seu cheiro de colônia infantil.

Me permiti enrubescer com aquele comentário, e Hyukjae riu ao ver meu embaraço. E antes que eu pudesse lhe dar um tapa, o loiro correu em direção ao móvel, mexendo entre meus DVDs em busca de algum que o agradasse.

— Qual filme você tá procurando, Hyuk? – Perguntei.

— Algum da Disney. – Respondeu simplório.

— Hyuk, pode escolher o que você quiser, não precisa escolher um por minha causa.

— Eu quero assistir, Hae! A convivência com você está me deixando com vontade de assistir desenhos infantis. – Assim que abri a boca para retrucar, Hyukjae continuou: — Sem mais, pode ir se trocar enquanto eu pego um DVD aqui.

Mesmo fazendo birra fui em direção a meu quarto e logo em seguida ao banheiro, tomando um banho rápido e trocando as roupas pesadas por uma calça de algodão e uma blusa fina. Quando voltei a sala, ainda com os cabelos úmidos, encontrei Hyuk largado no meio de várias almofadas e cobertores, que estavam espalhados pela espaçosa sala.

— Demorei muito? – Eu pergunto.

— Um pouquinho, então decidi deixar tudo pronto para nós.

E de fato arrumou. O DVD estava pausado, nossas besteiras em cima da mesa e todas as almofadas fazendo uma cama improvisada ali.

Me joguei ao seu lado e arranhei seu abdômen definido enquanto me deliciava com seu cheiro e temperatura. Hyukjae era extasiante em todos os sentidos.

— Hyukkie, que filme você escolheu?  — Perguntei  enquanto recebia seus beijos por todo meu rosto.

— Aladdin. Lembro de assistir junto de Sora quando era pequeno, sempre foi um dos meus filmes infantis favoritos.

Apenas sorri e me aconcheguei a seu corpo enquanto Hyukjae dava play no filme. Hyuk ria quando comecei a cantar baixinho algumas partes das músicas do filme, o que resultou alguns tapas fracos em seu peito.

Em algum momento onde eu me empanturrava de sorvete e a parte mais emocionante e linda do filme rolava, Hyukjae transferiu sua atenção para mim, e eu senti um leve traço de nervosismo antes que ele abrisse aqueles lindos lábios e me agraciasse com sua voz.

Eu pensei em várias maneiras de dizer isso a você, algumas românticas, outras fofas e outras especiais, mas, conhecendo você como já conheço, sei que você gostaria de todas. Desde algumas palavras jogadas em sua direção, ou algo realmente planejado. O que realmente te importa e o que mais me fascina em você, é que são os pequenos detalhes que tornam tudo especial. – Meu coração batia forte contra meu peito a cada palavra sua. — Eu confesso que nosso envolvimento começou de maneira rápida, mas eu não resisti quando percebi o quão maravilhoso você era. Hae, você me conquistou tão, mas tão rápido que a única coisa que se passou pela minha mente fora que eu precisava conquistá-lo o mais rápido possível. Fiquei com medo, confesso, de você gostar de mulheres ou não se interessar em mim, mas mesmo assim, resolvi ousar um pouco. E foi a melhor coisa que eu fiz na minha vida. Mesmo com um mês e meio nos conhecendo, eu já sei que quero ficar com você em todos os momentos. Você é tão perfeito e sincero, diferente de qualquer pessoa que já encontrei antes, e eu estou gostando de você cada dia mais. Hae, você aceita namorar comigo?

Eu soluçava e não achava minha voz para respondê-lo, ele era tão maravilhoso, como não amá-lo ainda mais depois dessa declaração maravilhosa? HyukJae me tirou da solidão e me fez conhecer o amor, eu o amava tanto... E saber que ele estava tão entretido comigo quando eu estava com ele me deixava no céu. Eu guardaria cada uma de suas palavras para sempre em minha mente e não esqueceria nem mesmo de uma vírgula.

Ainda entorpecido, consegui apenas assentir freneticamente com a cabeça enquanto via ele sorrir lindamente para mim e tirar do bolso duas alianças de prata.

— Hyukkie... Eu...

Eu não conseguia pronunciar nada coerente, ainda mais quando Hyukjae colocava a aliança em meu anelar e me dava o outro par para que eu fizesse o mesmo consigo. Minha mão tremia e ele achava graça de minha afobação toda, e eu mal podia acreditar que aquilo realmente estava acontecendo. Não comigo.

Me joguei em seus braços, beijando-o carinhosamente enquanto apertava seu corpo contra o meu. Todo momento em que ele estava ao meu lado, se tornava o melhor de minha vida. HyukJae era sinônimo de felicidade.

Escondi meu rosto em seu pescoço, fungando baixinho enquanto ele acariciava meu torso. Quando olhei para sua face, ele sorria para mim e estava com um olhar tão sereno que eu tive vontade de chorar novamente.

Quando percebi, Hyuk tirava minha calça e eu já me encontrava deitado em minha cama, sem blusa, com ele no meio de minhas pernas e com o tronco desnudo enquanto deixava vários chupões em meu pescoço e peito. Levantei minhas pernas para ajuda-lo a tirar aquele pedaço de pano infernal que atrapalhava nosso roçar de corpos e sua boca voltou a roçar na minha, em um beijo desesperado e luxurioso.

— Hmm, Hae... Você tem certeza disso? — Hyuk perguntou quando nos separamos para respirar, olhando em meus olhos. — Não precisamos ter pressa, você sabe, né?

— Shh! — O calei com meus lábios. — Faz amor comigo, Hyukkie...

Os olhos dele transpassavam tudo aquilo que eu queria ver. Carinho, desejo, luxuria e amor. E sentir os lábios dele percorrendo todo meu corpo com beijos e mordidas fazia eu me sentir amado e desejado.

HyukJae marcava todo meu peito enquanto eu sentia sua mão direita descendo e apertando todo meu corpo até chegar em minha boxer escura, apertando o volume mais que evidente de meu pênis teso. Gemi baixinho, aproveitando aquela maravilhosa sensação de ter sua mão quente e firme movimentando-se em meu membro coberto.

Encarei aquele homem perfeito acima de mim e o puxei pelo pescoço para poder beijá-lo novamente. Eu gemia e me contorcia enquanto o beijava, e quando nos separamos para respirar, não resisti em pedir que Hyukjae tirasse sua roupa.

Eu queria pele.

Com um olhar luxurioso, o auxiliei a remover sua calça e, em seguida, sua boxer. Seu membro rígido tocava levemente o meu, que estava do mesmo modo que o dele. Quente, duro e pulsante. Nunca achei que sentiria tantas coisas como estou com HyukJae, e só posso agradecê-lo por aparecer em minha vida.

Seus beijos iam descendo pelo meu corpo, deixando cada canto dele pegando fogo diante de todo o desejo que eu sentia por Hyukjae. Assim que chegou perto de minha cintura, olhei fundo dentro de seus olhos, tentando transpassar tudo aquilo que eu sentia a ele.

Eu não precisava de palavras para entender o que ele queria me passar. Tudo o que eu precisava saber estava ali, totalmente claro em seus olhos, que brilhavam intensamente para mim.

Passei a gemer relativamente alto quando sua língua quente lambeu desde a base até a ponta de meu pênis teso, o que o incentivou a envolver toda minha glande dentro de sua cavidade úmida, fazendo com que minhas costas arqueassem e eu mordesse meus lábios na tentativa de abafar os gemidos.

Mas quando Hyukjae percebeu o que eu estava fazendo, tirou imediatamente meu pênis de sua boca, e não tardei em reclamar.

— Eu quero ouvir você, Donghae! Não ouse prender seus gemidos! – Completamente hipnotizado pela beleza daquele homem, apenas assenti com um manear de cabeça e impulsionei minha cintura para cima, fazendo meu membro bater em seu queixo. Ri baixo e escondi meu rosto em minhas mãos. Hyukjae riu e puxou minhas mãos, me mostrando seu sorriso. – Eu vou dar o que você quer, Hae...

Nem meio segundo depois e eu já sentia sua boca me envolver novamente, mas dessa vez não somente minha glande e sim todo meu comprimento, e não resisti em soltar um gemido tão alto que faria com que eu me envergonhasse mais tarde. Mas não era como se eu ligasse para aquilo naquele momento. A única coisa que se passava pela minha cabeça era que eu estava ali com Hyukjae, e nós, finalmente, estávamos fazendo amor e eu poderia me entregar a ele da forma que sempre quis.

Meu corpo se encontrava em chamas, e a cada sugada forte em meu pênis uma sensação inebriante se apossava de todo meu corpo, e eu sabia exatamente o que era aquilo. Hyukjae estava, mais uma vez, me levando ao paraíso em questão de segundos. Mas essa noite eu iria até o fim.

— Hyukkie... Eu.. Quero sentir você... – Gemi sôfrego e puxei seus cabelos, ouvindo um barulho característico assim que sua boca abandonou meu membro e eu respirava descompassadamente.

— Você o quê, Hae?  — Perguntou, me olhando sacana.

— Quero sentir você... Dentro de mim, Hyukkie!

Assim que as palavras saíram de minha boca, Hyukjae avançou sobre mim, tomando meus lábios em um beijo tão sedento que minha cabeça rodou e eu mal tive tempo de pegar fôlego. Com a respiração totalmente falha, senti suas orbes escuras analisando meu corpo desnudo por completo, e gemi baixo assim que o vi lamber dois de seus dedos e aproximá-los de meu quadril.

Retesei levemente o corpo, afinal eu sabia que aquilo iria doer de um jeito de outro, mas, ao mesmo tempo, eu estava relaxado, já que era Hyukjae quem estava ali e eu confiava plenamente nele e sabia que ele faria de tudo para aquilo doer o menos possível.

Antes que ele pudesse falar algo, me adiantei e coloquei meu indicador em seus lábios e sorri, incentivando-o a continuar. Seu dedo indicador me invadiu aos poucos, arrancando um suspiro de mim e me causando um leve desconforto logo quando o segundo se juntou ao primeiro.

HyukJae deixou seus dedos parados e passou a beijar todo meu abdômen para me distrair, ainda mais quando passou a fazer movimentos de tesoura com seus dedos. Comecei a gemer fraco quando aquilo começou a ficar indescritivelmente gostoso e tudo só melhorou quando passei a mover meus quadris na intenção de mostra-lo que eu estava gostando e queria mais. Eu sentia meu pênis pulsar e o suor escorrer de meu corpo, e já não aguentava mais esperar.

Eu queria HyukJae o mais rápido possível.

— Vai logo, Hyukkie... Por favor! – Praticamente implorei a ele.

Senti um vazio assim que ele acatou o meu pedido e pegou o pacote de camisinha no bolso de sua calça que estava jogada ao lado da cama e vestiu seu membro, lambendo a palma de sua mão e masturbando seu pênis rapidamente. Abri mais as pernas para encaixá-lo melhor e fechei os olhos, querendo sentir todas aquelas sensações.

— Ei, Hae, olhe para mim! Quero ver você... – Senti a ponta de seu membro cutucar minha entrada e abri os olhos devagar, sustentando seu olhar.

Gemi choroso assim que Hyukjae empurrou todo seu pênis para dentro de mim. Doía como o inferno, mas uma pequena parte de mim estava totalmente satisfeita em finalmente se entregar e conectar com aquele homem maravilhoso.

— Tudo bem por ai, Hae?  — Perguntou assim que algumas pequenas lágrimas escapavam de meus olhos. – Quer que eu pare?  — Antes que ele fizesse menção de retirar seu comprimento de mim, impulsionei meu quadril e pernas para cima e as enrosquei em sua cintura, impossibilitando-o de sair.

— Eu estou bem. Continue! – Sorri para si e suspirei leve quando Hyukjae enterrou mais seu membro dentro de mim.

Conforme aquela dor chata ia se dissipando, mais prazer eu sentia, e logo eu já gemia e arranhava forte suas costas alvas, e Hyukjae investia cada vez mais fundo e rápido contra meu corpo, fazendo nossos corpos ferverem e quererem sempre mais.

Hyukjae gemia baixinho em meu ouvido, ora lambendo meu pescoço, pra mordendo minha orelha assim que alguns gemidinhos queriam sair em um tom mais alto. Já eu, não me importava muito com isso, seu nome era proferido a cada onda de prazer que ele me proporcionava.

Quando senti que eu estava quase lá, mesmo sem tocar em meu pênis um minuto se quer, empurrei-o suavemente e tentei mostra-lo o que eu queria. Hyukjae me ajudou a sentar em seu colo, e joguei a cabeça para trás quando seu membro quente invadiu-me mais uma vez.

Meus movimentos eram tímidos e desajeitados, já que eu não tinha nenhuma experiência naquilo, mas as mãos firmes de Hyukjae em minha cintura me auxiliavam com os movimentos de meus quadris. Minhas mãos puxavam seus cabelos úmidos de suor, e meus mamilos eram estimulados por seus lábios.

Em um movimento mais profundo, senti um prazer indescritível arrebatar todo meu corpo em descargas elétricas quando o pênis de Hyukjae tocou minha próstata seguidamente, fazendo um grito escapar de minha garganta.

— Ahhh, Hyukkiee! – Eu gemia seu nome cada vez mais alto, e sentia seu corpo suado abaixo do meu tremer.

Um último aperto forte foi deixado em minha bunda antes de Hyukjae gemer e gozar, levando-me junto com ele. Meu fluído escorria em filetes em sua barriga, e, mesmo depois de tudo aquilo que havíamos feito, não consegui não sentir as maças de meu rosto esquentarem.

Nós dois nos encontrávamos ofegantes e tentávamos regularizar nossa respiração, e não deixei de ficar receoso ao pensar que Hyukjae poderia não ter gostado de nossa primeira vez. Mas esse pensamento voou de minha mente assim que um sorriso completamente satisfeito e safado brotou em seu rosto. Antes que ele pudesse dizer algo, eu puxei seus cabelos e o beijei com todas as minhas forças, acariciando sua língua com a minha e querendo sair por ai pulando e gritando para toda a população mundial o quanto eu estava apaixonado por aquele homem.

Quando Hyukjae abaixou sua coluna e deitou-se, comigo ainda em cima de si, afastei nosso beijo para gemer baixo de dor. Meu quadril e minhas pernas encontravam-se doloridos e, meu agora namorado, lançou-me um olhar preocupado.

— Está doendo muito?

— Só um pouco, logo passa. – Percebi que ele iria dizer algo a mais, então me adiantei. – Hyukkie, foi maravilhoso. Essa dorzinha não é nada, relaxa.

E assim passamos o fim daquela madrugada, com beijos e carinhos trocados, algumas piadas falhas de Hyukjae e eu o observando enquanto ele dormia. A última visão que tive antes de meus olhos fecharem-se completamente, fora nossas mãos entrelaçadas e o anel de prata em meu dedo anelar.


Notas Finais


Eu juro que um dia eu escrevo um capítulo que não termine com o personagem indo dormir, juro! Até tento escrever mais, mas fica mais pombo que esse capítulo todo, que tá uma caca. Odiei esse pedido de namoro, sinceramente. Na minha cabeça estava mil vezes mais fofo e legal, but... :c
O próximo, e talvez último, só começará a ser escrito depois do ENEM, então ;-;
See you guys soon :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...