História Make Me Wanna Die - Interativa - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias American Horror Story
Personagens Personagens Originais
Exibições 17
Palavras 880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


> Nossa, esse título foi profundo... Não? Ok ;-;
> Espero que gostem do capítulo :v

Capítulo 18 - A morte tem um novo nome


 

Eu acordei com Christine me chamando, estava totalmente indisposta para andar até o outro lado da cidade por causa de Lola. Eu só levantei, vesti uma roupa e fui até o corredor. 

*sussurrando*

— Estão todas aqui? — Jennie.

— Não vão chamar Thomas e Alex? — Elizabeth 

— Ouvi um barulho vindo do quarto deles, acho melhor não interromper. — Miranda 

— Estão prontas? — Lola diz com um tom de voz sério. 

Todas estavam hesitando a não ir. Primeiro porque poderia ser perigoso, segundo que ainda fossemos por conta própria, poderiam nos punir.

Todas concordaram com a cabeça e fomos em direção as escadas.

— Cuidado Heather. — Jennie

— Cala a boca e anda. — Heather 

— Silêncio. — Lola 

Continuamos a descer a escada com maior cuidado para não fazer barulho. 

[...] 

A rua era deserta e fria, não tinha ninguém essa hora na noite vagando pelas ruas a não ser nós. O suspense nos dava calafrios, o silêncio também, ninguém dizia nada em decorrer dos grandes e rápidos passos que davamos na rua. 

A lua iluminava a noite, os postes das ruas tinha sua luz fraca e passava quase despercebida, deviriamos estar um pouco mais longe de casa. A certeza que não deviriamos ter saído de lá ficava cada vez mais forte, o medo não deixava nós ficar sossegadas, não em nossas mentes. 

— Fique calma. — Selene diz para Elizabeth.

— Está lendo nossas mentes? — Heather 

— Não faça isso. — Jennie 

— C-Claro. — Selene volta a olhar para o chão. 

Percebemos a presença de terceiros nos seguindo. 

— Parem. — Lola 

Ela olha para trás e todas seguimos seus olhares. Havíamos homens com pedaços de paus e até mesmo tacos de beisebol nas mãos.

— Estão cheio de pensamentos impuros. — Selene. 

Um deles ri, mal tinha dentes, era mais um velho tarada procurando moças indefesas. 

— Vão embora. — Miranda 

— Acho que as moças estão perdidas, nós só queremos ajudar. — Um mais jovem comenta. 

— Se precisassemos de ajuda, pediriamos. — Amina. 

— Miau. — Um deles dá um passo para se aproximar de nós. 

Lola explode o velho sem dentes. Todos arregalaram os olhos e seguraram firme as armas que seguravam na mão, aquilo também nos assustou. A rua estava com pedaços de corpos espalhado, fora o chão que estava todo melecado de sangue. 

— Não temos tempo pra isso, quem vai ser o próximo? — Lola 

Todos soltaram as armas e correram sem olhar para trás, quando demos conta, Lola também tinha seguido adiante o seu caminho.

[...]

Aqueles homens não foram os últimos a nos assediar quando passavamos, mas Lola se aguentou para não matá-los, e cá entre nós, eles não poderiam nem triscar em nós. A minha vontade mesmo era de arrancar o pinto deles fora, mas também me segurei. 

Estavamos bem longe de casa agora e quase chegando ao local que o pai de Lola estava escondido.

— Minhas pernas estão me matando. — Amina 

— Se fosse só as suas. — Heather 

Continuamos a caminhar. 

— Já estamos chegando? — Christine

— Sim. — Lola 

— Que fria. — Digo 

— Quem era Kath? Parece que se importaram mais com ela do que com o tal de Nicolau. — Amina 

— Eles dois eram importantes. — Lola 

— Era namorada do Thomas? Ele surtou. — Miranda

— Era nossa irmã mais velha. — Lola 

O tom do ar mudou, Lola fez todas ficarem sem reação. 

— Chegamos. — Lola 

Avistamos a não tão chamativa casa que ali havia, me pergunto como conseguiram achar essa pequena casa no meio do nada. Será que os caçadores tem informantes?

[...] 

Quando entramos na casa, tudo estava destruído. Primeiro subimos as escadas. 

Algum quartos estavam intactos, mas o último que entramos tinha um corpo e estava todos destruído. 

— Gente, vem ver isso aqui. — Digo 

A reação de Lola quando vê o corpo é muda. Ela correu e ajoelhou perto da cabeça, ela chorava tanto que soluçava. 

Selene olhou o quadro que estava no chão. No mesmo instante, a mesma cai no chão e põem a mão na boca, poderia ver a mesma chorando. 

— Lola, vamos sair daqui, não é bom pra você. — Miranda pega na mesma para levantá-la 

Todas iam saindo do quarto. 

— Vem Selene. — Digo estendendo minha mão. 

Ela nem se movia e continuava olhando para o quadro quebrado. Logo tirei minhas luvas e toquei no quadro, Selene sentiu a mesma sensação que eu, a energia daquele rapaz. Torno a colocar as luvas. 

— Ele fez isso. — Selene diz e me olha. 

— Venha Selene. — Digo a levantando. 

Encontramos com as outras lá embaixo, não tinha mais nada na casa e Lola viu o corpo de Nicolau. 

— Sinto algo aqui. — Selene seguiu em frente e nós fomos atrás. 

Havia mais um corpo na casa. 

— Eu não o conheço. — Lola 

— Talvez seja um caçador? — Amina 

Selene abaixou e segurou seu pulso. O corpo se mexeu e a mesma tomou um susto, recuando dali.

— M-M-Me ajudem. — Disse sem dar mais um movimento. 

— Eu vou te matar. — Lola 

Selene pula na frente do mesmo impedindo qualquer ataque de Lola. 

— Saia da minha frente. — Lola

— Você não tem certeza do que ele é, não se aproxime dele. — Selene afronta Lola 

— Elizabeth, é com vc. — Digo 

Ela engole seco e se aproxima do mesmo para curá-lo

[...] 

Elizabeth desmaia logo que termina. O moreno logo se senta assustado com o que aconteceu. 

— Q-Quem são vocês? — Pergunta. 

— As pessoas que te salvaram, mas é melhor você começar a responder algumas coisas, se não eu serei a sua morte. — Lola 
 


Notas Finais


> NOSSA SENHORA
> Foi mal gente, auto estima que nem existe ta dando uma de louca hoje
> Beijos >3<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...