História Make me yours - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Jikook, Jimin!ômega, Jungkook!alfa, Ômega
Exibições 1.358
Palavras 3.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vim postar antes que um certo David me mate x.x

Boa leitura.

Capítulo 16 - Meu príncipe


Fanfic / Fanfiction Make me yours - Capítulo 16 - Meu príncipe


Jimin

Já havia se passado um mês depois que contei a Jungkook sobre a gravidez, e acho que não é preciso mencionar que o meu alfa está insuportavelmente protetor. Onte mesmo, eu escorreguei na cozinha e cai de bunda no chão, Jeon Jungkook quase teve um infarto e disse que eu nunca mais andaria sozinho... exagerado.

Bom, as boas notícias eram que a província de Lua Nova aceitou a nova aliança e por enquanto não houve nenhum sinal daquela "cuspidora de bolas de pelo"... dizer que isso não me preocupa, seria mentira. Temia que ela estivesse bolando o plano do século, e tinha ainda mais medo de ela já saber sobre a minha gravidez.

- O que tanto pensa, meu amor? - Jungkook me abraça por trás.

- Pensando se poderíamos construir um parquinho aqui no jardim. - não era de todo uma mentira, eu realmente queria lhe perguntar isso. - O que acha, Kookie?

- Eu acho uma ótima ideia. - ele realmente parecia animado. - Mas me conte como você imaginou. - sinto seu queixo se apoiar no topo da minha cabeça.

- Bom... eu pensei numa gangorra ali e um gira-gira aqui no centro. - apontava os possíveis locais. - AHHH... e um balanço ali!

Então ele riu, fazendo as minhas bochechas esquentarem... será que era tão estúpida assim a minha ideia?

- Você é um fofo, pequeno. - ganho um beijo estalado na bochecha. - Nós podemos ir amanhã atrás disso.

- É sério? - bato palmas todo animado. 

- Claro que sim. - afirma e me aperta mais contra si. - Aliás, o que você acha de uma mini piscina e um mini castelinho?

- Que ideia brilhante! - já até podia imaginar como ficaria.

- E como está o nosso filhote? - pergunta e suas mãos vão de encontro a minha barriga, como se já tivesse algum volume ali.

E lá estava Jeon Jungkook sendo papai coruja, sorrio meio envergonhado e viro-me de frente para si.

- Está bem. - dou-lhe um beijo e enlaço o seu pescoço, mas não deixo o beijo ser muito prolongado. - Que horas os meninos vem? 

Jungkook faz um bico indicando a sua decepção de termos nos separado para falar do seu primo e seu esposo. Sinto um carinho em meu quadril e já sabendo aonde isso iria dar, afasto-me e o puxo para a sala. 

- Meu amor. - diz meio manhoso, algo que vinha se tornando comum, mas que sempre me surpreendia. 

Era fofo o seu jeito dengoso de falar comigo e com o bebê, e admito que ficava todo feliz ao ver como ele mudava de um alfa todo pomposo e confiante para um alfa carinhoso e infantil.

- Diga, meu príncipe. - uso do apelido que consegue lhe fazer ficar sem jeito, sorrio ao ver as suas bochechas levemente vermelhas.

- Eu não quero dividir você e o bebê hoje. - realmente estava parecendo uma criança mimada.

- Jungkook. - respiro fundo, pois não sabia ao certo como deveria lidar com esse novo Jungkook. - Faz um bom tempo que não os vemos... você não sente saudades do seu primo?

- Não. - cruza os braços, mas era óbvio a mentira. - Aish... tá, eu senti um pouco de saudades do meu primo idiota... mas eles vão roubar toda a sua atenção!

Reviro os olhos e o empurro até o sofá, ele se senta e sem que me peça, sento em seu colo com os joelhos ao lado de seu corpo. Colodo o indicador em seus lábios, impedindo-o de continuar a reclamar, dou um pequeno sorriso e beijo a ponta do seu nariz.

- Meu príncipe, eles vão estar animados por causa da novidade. - faço um afago em sua bochecha. - Você não precisa se sentir excluído e você sabe que eu te amo.

- Eu sei, mas... aish! - ele me abraça, fazendo minha cabeça deitar em seu ombro, sinto suas mãos afagarem as minhas costas e isso era tão bom que acabei fechando os olhos. - Eu não vou te soltar nem por um segundo se quer... espero que saiba disso. - podia sentir o seu tom emburrado, algo que me fez rir.

Só que antes que tivesse a chance de responder, ouço uns gritos chegando até nós, abro os olhos, mas não me desespero, pois logo a voz do casal mais louco que eu já conheci chega até nós. Jungkook rosna, mas para assim que vê meu olhar mortal para si, resmunga algo que não consigo entender e tão logo alguém me chama.

- PARK JIMIN! - o cheiro forte de maracujá do alfa junto a sua voz desesperada me faz rir alto. - Aí está você!

- Olá. - arrumo-me no colo de Jungkook, ficando de frente aos nossos convidados. - Como foram de viagem?

- Foi ótima. - Hobi é quem me responde, pois o seu marido se joga de joelhos a minha frente e sem avisos, levanta a minha blusa e toca a minha barriga. - Kim Taehyung! - o ômega tenta repreendê-lo, mas o alfa parece nem escutar.

- Quando a barriga vai começar a aparecer? - Tae pergunta ainda com as mãos em mim, admito que era um pouco desconfortável ter outra pessoa sem ser Jungkook me tocando desse jeito.

- Uns quatro ou cincos meses. - dou um fraco sorriso e vejo Hobi revirar os olhos, ainda bravo com a atitude do marido. - Bom... Tae, você poderia...

- Tiras as mãos do meu ômega! - o meu alfa rosna e só assim o alfa ruivo volta a si.

- Ohh... perdão. - Tae se afasta levemente envergonhado. - É que eu... eu fiquei tão feliz que...

- Está tudo bem, Tae. - ofereço-lhe o meu eye smile para tranquiliza-lo. - É só que ainda não me acostumei com toda essa atenção e com todo mundo querendo tocar...

- No nosso bebê! - mais um rosnado.

- Jungkook, meu príncipe, acalme-se. - jogo o braço direito para trás e lhe faço um cafuné na nuca ajudando-o a se acalmar. - Ninguém irá nos tirar de você.

Sinto um beijo em meu pescoço e decido continuar com o cafuné por mais algum tempo, algo me dizia que Jungkook estava carente... situação muito rara, devo dizer.

- Mas então... como é estar grávido? - Tae pergunta levando logo em seguida um tapa do esposo. - Aigo!

Agora o casal estava sentado no sofá em frente a nós, e Jungkook não parecia nem um pouco estimulado a me deixar sentar educadamente no sofá. Claro que não me incomodo, porém os convidados poderiam, ainda bem que eles eram da família, portanto já conheciam o temperamento de Jeon Jungkook.

- É um sensação gostosa. - respondo. - Mas eu acho que eu só me toquei que era real mesmo quando fomos fazer a consulta com a médica.

- Hobi... eu quero um bebê também. - ele diz do nada, fazendo até mesmo Jungkook se mostrar mais interessado na conversa. - Ahh... desculpe.

- Tudo bem, TaeTae. - o ômega dá um sorriso e ganha um rápido beijo do alfa, que assim como Jungkook está parecendo uma criança.

Seria isso um defeito no DNA? Algo de família? Rio com o próprio pensamento, mas acabo gemendo baixo quando o meu alfa beija a marca em meu pescoço. dou-lhe uma cotovelada e ouço sua risada antes de sentir uma mordiscada no lóbulo da orelha.

- ChimChim, vocês já decidiram quando irão casar? - Hobi indaga com um grande sorriso. 

- Então, o Kookie quer casar daqui um mês, mas eu acho melhor depois que o bebê nascer. - comento e sinto o aperto em minha cintura ficar mais forte. 

Jungkook queria casar o mais rápido possível, e a partir da quarto mês seria meio desconfortável para mim o casamento e a festa depois. Só que para mim, nós aproveitaríamos muito mais depois que o bebê nascer além de que eu estava com medo de algum "atentado" durante a minha gravidez.

- Bom... eu entendo os dois lados. - Hobi parecia estar analisando o que dizer a seguir. - Vou apontar algumas coisas que eu acho que devem ser levadas em conta.

Era a primeira vez que eu via o Hobi tão sério, parecia que estava num reunião muito importante, e detalhe que nenhum dos alfas estava se metendo no assunto.

- Se vocês se casarem daqui um mês, eu não acho que vocês vão aproveitar tanto da lua de mel e querendo ou não, estamos a espera de ataques dos felinos. - queria dar um beijo no Hobi por me entender tão bem. - Se vocês casarem depois da gravidez, a lua de mel provavelmente seria mais produtiva, mas...

- Talvez até façam mais um bebê! - mais um tapa no coitado do alfa ruivo. - Ai!

- Não me interrompa. - o ômega queria rir, mas se segurou, Taehyung era mesmo engraçado. - Continuando... mas demoraria mais tempo para vocês oficializarem a relação de vocês, e não sei se você sabe Jimin, mas o rei Jeon não pode ficar muito mais tempo no poder.

- Não? - franzo o cenho, Jungkook anda me escondendo alguma coisa?

- Com tudo o que aconteceu, o rei precisa de uma nova rainha ou perderá o trono, mas ele pode escolher para quem passar o trono... só que o alfa escolhido tem de ter um ômega "oficial". - dessa vez foi o Tae quem me explicou.

- Mas não é por isso que quero me casar logo com você, pequeno. - então ele me coloca ao seu lado e segura as minhas mãos. - Eu amo você e quero muito que todo mundo saiba que pertencemos um ao outro.

Naquele instante foi como se nada mais existisse a nossa volta, ele me sorriu do seu jeito fofo e meu coração se aqueceu com as suas palavras. Era incrível pensar o quanto a nossa história de amor evoluiu, e não poderia estar mais feliz, passamos por momentos difíceis, mas graças a eles estamos aqui hoje... fortemente unidos.

- Parece que teremos que correr contra o tempo então. - brinco e lhe dou um beijo, que começa sutil, mas logo se tornando intenso. - Mas é sério... temos de correr com as coisas. - começamos a rir até que ouço palmas.

O casal estava em pé e batia palmas com força, ouço Jungkook resmungar alguma coisa devido a interrupção, mas eu só consigo sorrir e segurar as lágrimas de felicidade. Eu havia finalmente encontrado uma família... a melhor família que eu poderia pedir.

#

Já estava escuro quando voltamos da cidade, fizemos um bom progresso para o casamento hoje, conseguimos fazer as encomendas das flores, dos doces, do bolo e dos smokings. Também vimos algumas coisas sobre o parquinho que iríamos construir futuramente, e o dia foi muito bem, tirando alguns momentos que me senti enjoado.

- Você está melhor, meu amor? - Jungkook perguntou assim que me achou no banheiro. - Posso tomar banho com você? - sorriu maliciosamente.

Normalmente, o alfa não perguntava, não que fosse fazer alguma diferença, eu sempre permitia que o mesmo se banhasse comigo.

- Estou sim. - sorrio. - E pode, mas é só banho, Jeon Jungkook! 

Damos risada, sem demora nos despimos e entramos de baixo do chuveiro, solto um arfar quando a água quente relaxa os meus músculos. Jungkook me puxa para perto de si e me beija enquanto a água escorre por nossos corpos, deposito as mãos em seu peito, arranhando-o um pouco. Sinto uma pegada mais bruta em meu quadril e decido nos afastar antes que seja tarde demais, não estava muito disposto para isso... sentia-me um pouco fraco depois do dia de hoje.

- Kookie. - faço um bico. - Só banho, por favor.

- Está bem, meu amor. - sorri todo fofo e me dá um beijo na testa. - Vamos terminar esse banho e comer alguma coisa. - acaricia as minhas bochechas. - Você parece não caidinho... devo me preocupar?

- Só estou cansado, Kookie. - continuo com o bico e ganho um beijo no mesmo. - E com fome. - brinco e novamente damos risada.

Depois disso, nós nos banhamos e nos trocamos para enfim podermos comer, mas nós estávamos quase chegando a mesa do jantar quando me senti tonto e quase cai, porém Jungkook me segurou.

- Pequeno, quer que eu chame um médico? - senti o seu desespero e tentei me recompor o mais rápido possível. - Ou comer no quarto?

- Não precisa, Kookie. - respiro fundo e afasto-me um pouco. - Eu só estou cansado... só isso.

- Tem certeza, ChimChim? - a voz de Hobi chega até mim.

- Sim. Sim. - assinto. - É que passamos o dia andando e escolhendo coisas... e acabamos nem almoçando.

- VOCÊ NÃO ALMOÇOU, PARK JIMIN? - eu e Jungkook nos entreolhamos enquanto Bin parecia uma fera. - Explique-se, Jeon Jungkook. - apontou uma espátula na cara dele.

- Nós comemos alguns coisinhas durante a tarde e... - mas fomos impedidos pelo grito enfurecido da noona.

- Eu vou matar vocês dois! - rosna e dá uma "espatulada" na cabeça do meu alfa. - Eu só não bato em você, porque está grávido, seu bolinho irresponsável. - ela me abraça. - Você precisa se cuidar, Jimin-ssi.

- Eu sei, noona, mas é que estávamos tão animados e não queríamos parar... sinto muito. - faço a minha melhor cara de "cachorro sem dono" e ela logo cede.

- Eu desculpo dessa vez. - diz sorrindo. - Agora vamos alimentar você e esse bebê. - puxa-me com cuidado até a cadeira e obrigando-me com o olhar a sentar.

Agora eu entendia como a Bin noona consegue controlar o Yoongi. Ela então começa a colocar um monte de comida no meu prato e antes de sair me diz uma frase bem ameaçadora "o prato tem que estar limpo para você poder sair dessa mesa". Engulo em seco e assim que ela vai até a cozinha, Jungkook senta ao meu lado com uma cara meio triste, pude sentir que o mesmo se culpava.

- Meu príncipe, a culpa não foi sua. - era sempre bom ser direto com ele. - Nós dois erramos hoje e não vai se repetir.

- Eu não deveria ter te arrastado para tantos lugares. - murmura. - Eu sinto muito, pequeno. - seu olhar cai em mim e me dói ver o mesmo se remoendo.

- Não pense assim, Kookie. - beijo a sua testa. - E não aconteceu nada demais. - comento e ele sorri me dando um breve beijo.

- POR QUE A COMIDA CONTINUA INTACTA, PARK JIMIN? - e lá vinha outro grito, dessa vez ela até arremesou a espátulo a centímetros do meu rosto.

- Tô comendo! - grito de volta e começo a comer, ou a comida estava muito boa ou eu estava realmente morrendo de fome. - Sua comida está maravilhosa, Bin noona!

- Elogios não irão lhe ajudar, Park! - dessa vez foi a voz do Yoongi que ouvi.

Sinto a mão de Jungkook acariciar a minha coxa e o fito, vendo seu olhar todo apaixonado fazendo-me corar, recebo um beijo quente em minha bochecha e escuto o mesmo sussurrar em meu ouvido.

- Eu te amo, pequeno. - para depois começar a se servir, afinal todo mundo devia estar com fome depois da tarde animada de hoje.

Vejo o casal engraçado comer e brincar entre si, mas logo minha atenção volta ao meu noivo que me dá mais um beijo na bochecha.

- Isso tudo é carência? - brinco e ele assente com as bochechas levemente vermelhas. - Eu te amo tanto, meu príncipe. - dou-lhe um beijo no nariz e ele ri.

- Agora coma, meu amor. - pede com carinho e não me foi nenhum esforço atender esse pedido.

#


- Eu também amo você, pequeno. - afirma, surpreendendo-me.

- Kookie. - queria chorar de tanta felicidade... Jungkook me amava!

Então os seus lábios tocaram os meus, aquecendo todo o meu corpo e fazendo o meu coração bombear como um louco. Naquele momento, seus toques eram tudo o que eu mais ansiava, seu beijo era a minha perdição, eu pude sentir ali todo o amor que ele havia acabado de me confessar. Bem devagar, ele me puxou para si e nos deitou no chão, deixando-me por cima de si.

Parecia um sonho... um sonho que eu jamais queria ter o desprazer de acordar, sorrimos entre os beijos, aproveitando para recuperar o ar que gastamos. Ele é tão lindo e me ama, começo a chorar por não conseguir lidar com a tempestade de sentimentos que me assolam no momento. 

- Não chore, pequeno. - pede enquanto deposita um beijo em minha testa.

- Me desculpe. - digo choroso e seus braços me envolvem num abraço protetor, fazendo a minha cabeça descansar em seu peito.

- Não se desculpe. - sinto um beijo no topo da minha cabeça e a cada momento isso parece mais um sonho, desde quando Jungkook é tão carinhoso? - Eu que devo me desculpar... venho te tratando muito mal.

- Não. - ergo o rosto e o encaro. - Você nunca me tratou mal... é só o seu jeito de ser. - refiro-me às vezes que Jungkook é rude demais. - E eu entendo que eu não me encaixe no seu futuro.

Mesmo que eu saiba que sempre seria apenas um ômega submisso para ele, não doía menos estar ciente de que no futuro eu seria descartado.

- Esse é o problema, pequeno. - faz um carinho com o indicador em minha bochecha. - Eu estava confuso sobre o que sentia por você e se isso seria correto, então acabei descontando em você... a única pessoa que não tinha culpa de nada. - sentou-se e acabo ficando em seu colo. - Por isso eu sinto muito por te tratar tão mal quando na verdade eu só precisava entender que estava apaixonado por você e que desejo passar o resto da minha vida ao seu lado.

Então eu chorei... chorei pelo medo de ser abandonado ter sumido, chorei por não amar mais sozinho, chorei por finalmente poder ter esperanças.

- Obrigado, Kookie. - agradeço ainda chorando.

- De agora em diante, pequeno, você apenas irá chorar de alegria. - ganho um beijo na testa e foi como um convite para me aconchegar em seu peito, acalmando-me com o seu cheiro. - Pronto... está seguro comigo, meu ômega.



- Amor... acorde, meu amor. - sinto beijos por todo o meu rosto. 

Resmungo algo que deveria ser "me deixe dormir, Jeon", mas tenho quase certeza de que não é isso que parece. Ouço a risada do meu alfa e abro bem lentamente os olhos, ele sorri e me dá um beijo na ponta do nariz, fazendo-me sorrir meio dormindo.

- Vamos, pequeno, nós temos que ir no médico. - então era por isso que essa criatura estava me acordando. - Amor. - ele prolonga o "r".

- Tá bom. - murmuro ao me espreguiçar. - Pegue uma roupa decente para mim, Kookie. - peço manhoso e novamente ele ri.

#

Havíamos acabado de ouvir o coração do nosso bebê batendo, a emoção naquele momento foi indescritível, e claro que eu chorei, mas Jungkook foi muito compreensível e ficou me acalmando enquanto a médica lhe dizia alguns cuidados necessários nessa fase da gestação. E mesmo que não tivesse conseguido prestar atenção nas dicas da médica, tenho certeza que Jeon Jungkook está exagerando.

- A médica disse que você tem que se alimentar bem. - afirma ao tentar colocar mais uma colher de comida em minha boca.

- Aigo! Eu não aguento mais, Jungkook. - reclamo ao me levantar da cadeira. - Chega de comer! Estou cheio!

- Park Jimin, volte aqui! - ele rosna, mas eu apenas bufo e corro até o jardim. 

Assim que chego a jardim, sento no primeiro banco que vejo, Amaterasu do céu, eu sentia que havia comido um boi inteiro. Tento controlar a respiração, mas começo a suar e sinto ânsia, foi nesse momento que Jungkook me achou, mas a sua face irritada mudou para preocupada em segundos.

- Amor, o que foi? - ele pergunta e o sangue me sobe.

- O que foi? Você me obrigou a comer até... - não consigo completar, pois começo a vomitar na grama. - Preciso de água. - digo assim que parece que o vômito acabou.

- E-Eu vou pegar. - ele parecia assustado e de certo modo isso parecia algo bom, vai que assim ele percebe como está sendo exagerado. - Aqui está. - Jungkook é o flash por acaso?

- Obrigado. - murmuro e tomo a água, bebendo goles pequenos e devagar. - Eu me sinto péssimo.

- E-Eu sinto muito, meu amor. - suspiro ao ver como estava arrependido. 

- Promete ser menos exagerado e me deixar viver um pouco? - indago sério, nossos olhares se encontram e fico a espera da sua resposta.

- Prometo, pequeno. - beija uma das minhas mãos. - Está melhor agora?

- Estou melhorando. - digo sinceramente. - Acho que preciso descansar um pouco.

- Tudo bem... você quer deitar no meu colo ou quer que eu te leve para o quarto? - posso notar todo o cuidado em suas palavras com medo de que possa fazer algo para piorar o meu estado.

- Você se importaria se deitássemos de baixo daquela árvore... para eu tirar uma soneca? - minhas bochechas esquentam.

- Claro que não. - ele sorri e me ajuda a levantar e sem demora deitamos no lugar onde mencionei. - Está confortável?

Eu deveria rir, porque como poderia estar mais confortável do que deitado com a cabeça no peito do meu alfa e sendo envolvido por seus braços, com o seu cheiro fazendo-me acreditar que estava seguro e recebendo carinho do mesmo.

- Está perfeito, meu príncipe. - é o que responde para depois sentir o cansaço tomar conta de mim, permitindo-me assim dormir por algumas horas.


Notas Finais


Eu avisei que a glicose só ía aumentar hehe
Esse Jungkook todo corujão :3
E VHope muito amor *O*
Bin Noona melhor pessoa o/
Mas não se acostumem MUHAHAHAH a treta logo chega MUHAHAHA

PS: novamente as memórias são de antes do Jimin perder a memória, ou seja, ele vai lembrando de algumas coisas ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...