História Maktub - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Hilda de Polaris, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Kanon de Dragão Marinho, Marim de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Saga de Gêmeos, Seiya de Pégaso, Shaina de Ofiúco, Shaka de Virgem, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda
Tags Ação, Camus X Milo, Cavaleiros, Deuses, Hyoga X Isaac, Ikki X Shina, Romance, Shun X June, Traição
Exibições 57
Palavras 4.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Galera, em breve eu irei falar a respeito de uma personagem que se tornará OCC, explicarei com mais calma nos próximos capítulos Ok? Boa leitura e beijos!

Capítulo 13 - A grande noite


Fanfic / Fanfiction Maktub - Capítulo 13 - A grande noite

   Finalmente a tão esperada noite havia chegado e todo o santuário estava em ritmo de festa e o evento seria realizado no grande salão que se encontrava próximo as doze casas, ao lado dos jardins.

  Aquele certamente era um evento grande, um evento jamais visto em toda a história do santuário: Diversos guerreiros de todos os deuses vieram celebrar a paz como representantes dos mesmos: Generais marinas, guerreiros deuses, satélites de Artêmis e até mesmo espectros de Hades que no momento eram regidos por Perséfone, esposa do imperador das trevas, que governava em seu lugar.

  Ao contrário das vezes em que se encontraram, nenhum trajava armadura, apenas roupas sociais , os homens com smoking e as mulheres exibiam belos vestidos das mais variadas cores. A decoração melhor impossível: Estilo grego com belas flores  ao redor e estátuas de gelo com representações de diversas divindades e batalhas gregas dos tempos da mitologia, com o destaque a uma estátua de Athena , mas diferente da vista no topo do santuário na sala do grande mestre, a imagem era da própria Saori segurando a sua nick o seu escudo representando uma postura vitoriosa e doce ao mesmo tempo.

  Os convidados iam chegando aos poucos e a música tocava alto agitando o local. Muitos guerreiros já se encontravam ali e dentre eles os cavaleiros de ouro e de bronze que conversavam animadamente assim como outros guerreiros.

  Na mesa de frios, Hyoga, Isaac, Milo e Camus conversavam animadamente:

- E vocês já sabem quando vão se casar? - Milo indagou animado.

- Já estamos juntos e não ligamos com festividades, estamos juntos e nada mais importa.- Isaac abraçou Hyoga por trás.

- Ora e como não meu amor? Eu quero que o mundo inteiro saiba do nosso amor!- Hyoga dá um selinho em seu amado.

- Fico feliz que você esteja bem meu discípulo, nunca imaginei vê-lo tão feliz assim. Engraçado é que eu sempre o ensinei a ser frio e ultrapassar os seus sentimentos, mas você e Milo me ensinaram o contrário. - Camus deixou uma lágrima escapar.

- Mestre Camus…

  Milo sorriu e o mesmo deu uma risada irônica:

- Agora só faltam se abraçarem e chorar um no ombro do outro!

  Isaac acabou dando uma gargalhada junto com Milo e Camus logo se afastou bem corado:

- Você às vezes é tão idiota Milo!

- E é por isso que você me ama!- O escorpião o surpreendeu com um beijo apaixonante.

- Uhhhhh hoje vai ter!- Isaac ironizou.

- Pare com isso Milo, estamos em um local público! - Repreendeu Camus dando um belo de um cascudo na cabeça do escorpião.

  Uma sessão de risadas foi dada ao ver a expressão desconcertada do cavaleiro de aquário e os quatro conversavam com vontade.

 

……………………………………………………………………………………………………….

 

  Do outro lado da festa, na pista de dança, Aiolia, Marin, Saga e Aiolos dançavam com vontade. O geminiano era o mais desengonçado, mas por vezes arriscava alguns passos mais ousados e até que dava certo. Quando terminaram estavam bem dispostos e se dirigiram a ao bar em que eram servidas as bebidas:

- Quem diria Saga, você até que dança bem para um vovô!- Provocou Aiolia.

- Cale-se seu leãozinho mimado ou te mostrarei quem é o vovô aqui!- Desafiou Saga em um tom mais sério.

- Eu não tenho culpa se você dança parecendo uma barata, aliás esse inseto é bem tipico em comparação a sua alma- Aiolia o olhou provocativo.

- Você não tem coisa melhor para fazer não seu…

- Chega vocês dois! - Aiolos repreendeu os dois, bem zangado.

  Os dois se olhavam com uma fúria não vista antes e Marin parecia não entender muito bem a situação:

- Existe alguma coisa da qual eu não estou sabendo?

  Aiolos estava bem corado e chamou a cunhada para junto de si, enquanto os outros dois se encaravam,  e sussurrou ao seu ouvido:

- É que Aiolia e Saga são muito ciumentos e querem ficar disputando a minha atenção, dá pra acreditar?

- Eu não acredito que seja só isso não, existe algo mais sombrio.

- E o que seria?

- Não sei, mas precisamos descobrir, suspeita de algo?

- Sim. Saga  fica falando que Aiolia é um moleque imaturo e que tem de aprender a crescer, sabe como ele é, orgulhoso que só, mas na verdade é igualzinho ao meu irmão.

- Aiolia nem sequer toca o nome de Saga e sempre que falamos de vocês dois, ele muda de assunto, talvez seja ciúmes mesmo.

- Acredito que sim. Ah Marin, como eles são difíceis! - Suspirou o sagitariano.

  Marin deu uma risada com o comentário do rapaz e respondeu:

- Ah Aiolos, onde nós fomos nos meter com esses homens tão complicados?

- Nem me fala cunhada, mas vamos apaziguar aqueles dois!

  Saga se aproximou e os olhou desconfiado:

- O que vocês tanto cochicham?

- Curioso que só não é meu amor? Típico de um geminiano!

- Vocês dois estão muito estranhos, eu vou pegar uma bebida, o que querem?

- Qualquer coisa serve- completou a ruiva.

  Aiolia ainda olhava emburrado para todos, quando Saga se afastou, Marin se aproximou do leonino:

- Meu amor, acho que você deve conversar com Saga.

- Não tenho nada a falar com ele.

- Querido eu sei que vocês tem as suas desavenças, mas precisam se entender, se não faz por você ou por mim, faça por seu irmão, olha só como ele está chateado?!- A dama olhou para o sagitariano que esboçava uma expressão levemente triste.

- Está bem eu faço, mas só por causa de Aiolos - Aiolia ficou levemente corado e seguiu em direção a Saga.

  O geminiano se surpreendeu com a chegada do loiro:

- Aiolia?

- Saga?

- O que foi dessa vez ? - Gêmeos olhou-o levemente irritado.

- Acho que precisamos conversar.

- E o que quer conversar?

- Não precisamos ser ríspidos um com o outro sempre. Eu já aceitei você e o meu irmão juntos e se ele é feliz ao seu lado, eu desejo toda a sorte do mundo a vocês.  - Forçou um sorriso.

  O geminiano arqueou com a sobrancelha:

- O que houve Aiolia? Por acaso bebeu ou sofreu lavagem cerebral?

- Ah que isso Saga, eu reconheço que tenho sido um pouco imaturo em relutar em aceitar a vida de vocês dois e olha que não é fácil admitir isso, mas você precisa ser só um pouquinho menos intragável.

- Intragável? Eu? Você é que é um moleque mimado!- Saga virou o rosto em tom de desprezo.

  Aiolia não havia gostado nada daquilo e ia responder, quando Marin chegou repentinamente:

- Poxa se eu fosse esperar as bebidas eu estaria seca agora.

- Vamos sair daqui Marin! - Aiolia irritou-se e se retirou.

  Marin foi atrás de seu amado que bufava de raiva. a ruiva olhou-o preocupada:

- O que houve meu amor?

- Esse Saga é um idiota mesmo!

- Não conversaram? Achei que fossem se entender!

- Eu fui lá para conversar com ele a fim de tentar entendê-lo e fui chamado de moleque mimado de novo, eu não aguento mais isso!- cerrou os punhos.

   A amazona de águia olhou desconfiada para o seu amado:

- Você tem certeza que não disse nada que poderia ofendê-lo? Olha eu sei como Saga é e não creio que ele lhe ofenderia a toa, pelo menos sem um bom motivo.

  Aiolia seguiu alguns segundos pensativos :

- Bem talvez…

.........................................................................................................................................................................................................

     Próximo ao bar, Saga e Aiolos discutiam o mesmo assunto:

- Me chamou de intragável, intragável! Como posso escutar isso sem nada dizer?

- Saga é que o Aiolia…

  Saga apontou o dedo para o sagitariano:

- Nem vem defendê-lo Aiolos ou eu...

  O Sagitariano segurou a mão carinhosamente de seu amado:

- Não vou defendê-lo Saga, mas você precisa reconhecer que as vezes é um tanto azedo.

- Azedo eu?

- Saga você sabe o que eu estou falando: Tem horas que você é simplesmente magnífico e muito social, mas por horas você se fecha demais e destrata aos demais. Talvez deva ser essa dupla personalidade que ainda há resquícios.

  Saga não era muito de escutar ninguém, mas Aiolos era uma exceção, um dos poucos se não o único:

- Acha mesmo? Ainda existe o mal em mim, é isso?!- O geminiano colocou as mãos em sua cabeça preocupado.

- Não digo que você se tornará mal, mas é que é uma característica de gêmeos mesmo, nada que um pouco de controle interno não resolva.

  Saga pôs sua mão sobre o seu queixo pensativo e irônico:

- Então devo sorrir e fingir que está tudo bem com Aiolia ?

- Não disse isso, mas pense bem: Você e Aiolia ainda vão se ver muito, somos uma família e reconhecer que um errou com o outro não é nada demais. Saga somos humanos e todos erramos, vamos lá, faz um esforço e aposto que vai conseguir!

  Saga seguiu pensativo e reconheceu que Aiolos tinha um certo tom de razão. Pensou nos motivos de Aiolia desconfiar de si e percebeu talvez que o leonino agisse por medo ou desconfiança. Então o geminiano sorriu para seu amado e disse:

- Talvez você esteja certo, eu vou lá falar com ele, acho que já sei o que nos afasta.

     Saga se aproximou na direção de Aiolia e Marin. O leonino o olhou furioso:

- Marin se esse homem se aproximar eu…

- Você não vai fazer nada: Vai conversar com ele e vão se acertar! Ele é seu cunhado e bem ou mal são uma família. Vamos amor, faça isso por seu irmão Aiolos, ele merece não acha?

  Aiolia assentiu com a cabeça e Saga logo se aproximou do leonino:

- Precisamos conversar!

- Tudo bem, o que quer?

  Marin se afastou e foi em direção a Aiolos que se encontrava próximo. Saga e Aiolia se encararam e o geminiano foi direto:

- Aiolia vou ser sincero: Sei que não gosta de mim e não me aprova com seu irmão, só gostaria de saber o por quê disso?

  O leonino encostou-se a uma pilastra :

- Saga eu realmente não sei te explicar. Eu sei que você se redimiu de seus pecados, mas as lembranças do passado ainda me perseguem.  - desviou o olhar, amargo.

  Era como Saga suspeitava: Aiolia sempre foi tratado e perseguido como o irmão do traidor e tudo isso aconteceu por sua causa. O geminiano apenas olhou para o céu:

- Ainda tem mágoas de mim não é?

- O que você acha?

- Aiolia eu realmente não sei o que te dizer ou o que fazer para me redimir com você- Encarou o leonino- No entanto só posso dizer que tudo aquilo ficou no passado e que me arrependo amargamente de tudo o que fiz naqueles tempos.

  Aiolia então o encarou de uma forma inesperada:

- E você acha que tudo é muito fácil não é? Basta você vir aqui e me pedir desculpas e achar que tudo bem não é? Mas sabia que não é assim! - Apontou para gêmeos, furioso.

- Mas Aiolia eu realmente…

- Ah cale-se Saga, você sabe muito bem o que eu penso de você não é?! Athena, os demais companheiros, todo o santuário podem ter perdoado, mas ninguém passou o que eu passei e ninguém sentiu o que eu senti, então não me venha falar de palavras bonitas e desculpas porque não será assim que vai resolver tudo. Prove dia a dia que você realmente mudou e seja feliz ao lado de Aiolos, mas não me peça para sermos amigos, isso não vai acontecer!

  Saga nem pode rebater pois o leonino saiu em disparada para longe dos jardins. Quando Marin e Aiolos viram Aiolia fugir, ficaram preocupados e a ruiva fez menção em ir atrás de seu amado, mas Aiolos a impediu:

- Deixe Marin, eu irei falar com meu irmão!

- Mas Aiolos…

- Vai ficar tudo bem, tudo passa, vai por mim!

  Aiolos seguiu Aiolia e Marin se dirigiu a Saga que tentava se segurar, mas era difícil:

- Eu sempre vou carregar o peso de meu passado. - lamentou-se amargurado, sorvendo rapidamente uma bebida.

- Saga, dê tempo ao tempo e tudo se ajeitará!

  Saga não respondeu, pois se surpreendeu com a chegada de seu irmão Kanon. A ruiva percebeu que era hora de se retirar e que precisava localizar seu namorado e seu cunhado, então se despediu:

- Preciso ir, nos falamos depois!

  A ruiva partiu, deixando os gêmeos a sós. Kanon então sentou-se ao lado de Saga no bar da festa e pediu uma bebida e ao perceber o que acontecia o indagou curioso:

- O que lhe aflinge Saga?

  O primogênito explicou tudo o que estava acontecendo e Kanon ouviu tudo atentamente e depois de dar um gole de sua bebida, respondeu:

- Eu entendo Aiolia e toda a sua dor, mas não se martirize tanto Saga. Eu e você cometemos atos terríveis, mas não nos redimirmos perantes a Athena? Por acaso não lutamos e morremos e revivemos por ela?

- Disso eu sei Kanon, mas parece que o passado insiste em me perseguir- suspirou.

- E eu não sei disso? Saga a nossa relação é o melhor exemplo: Eu fiquei preso naquele cabo suinon maldito por anos graças a você. Eu lhe amaldiçoava diariamente e só muito depois eu pude enxergar a verdade e no dia em que fui perdoado por você, foi o dia mais feliz da minha vida!- Confessou.

  Saga se surpreendeu com aquela afirmação: Kanon era um homem mais frio do que ele próprio e nunca demonstrou nenhum sentimento de afetividade tão explícito quanto aquele:

- É sério?

- Sim. Athena já havia me perdoado , mas fiquei receoso de você, uma vez que eu sempre coloquei coisas ruins em sua cabeça, mas você me perdoou depois de tudo e se isso não for um gesto de bondade, eu nem sei mais o que pode ser. Pare de se culpar e se Aiolia tem mágoas de você ainda, deixe ele em paz e um dia isso passa. Viva a sua vida ao lado de Aiolos e seja feliz sem se preocupar.

  Saga olhou seu irmão admirado e sorriu de leve:

- Obrigado Kanon e prometo pensar bem, mas deixe-me sozinho, preciso pensar  a respeito de tudo.

  Kanon se despediu de Saga e seguiu para direção de alguns de seus companheiros de luta

 

.……………………………………………………………………………………………………

 

  A festa seguiu animada e marinas, guerreiros deuses e cavaleiros de Athena conversavam em diversos grupos como se  fossem amigos, longe das mágoas e erros do passado.

  Próximo a pista perto do deejay, se encontravam Máscara da morte, Helena, Afrodite, Shura, Bian, Baldr e Sorento. Todos falavam trivialidades, quando Máscara da morte viu Shaka seguindo Saori e Dohko e como um moleque travesso, o mesmo sorriu:

- Eu vou dar o troco nessa bárbie metida a besta!

  Afrodite estranhou o comentário do amigo:

- O que quer dizer?

- Eu ainda não me esqueci daquele desentendimento na sala do grande mestre  e vou me vingar!

  - Helena se assustou ao ver o seu amado reagir daquela forma:

- Você vai querer lutar com ele?

- Claro que não amor - Deu uma risadinha - Eu só vou pregar uma peça nele!

     Baldr então colocou suas mãos nos ombros do rapaz:

- É melhor não fazermos nada, estamos em uma celebração de paz! - Alertou.

- Relaxa aí cara, somos todos amiguinhos, agora se me der licença…

   Máscara da morte subiu até o local onde o Deejay tocava todas as músicas e falou algo em seu ouvido e logo depois o som da festa diminuiu e o canceriano começou a falar:

- Já que estamos falando de amizade e festividades, eu vim aqui dedicar uma música a um grande amigo meu, Shaka de virgem, reconheço o erro de nossos passados e o tema dessa música tem tudo a ver com ele! Solta o som Deejay!

  Nesse momento todos seguiram a atenção para Shaka que olhou a todos bem corado, quando a música começou a tocar:

I'm a Barbie Girl in a Barbie World

( Eu sou uma Barbie Girl em um Mundo Barbie)

Life in plastic, it's fantastic

( A vida de plástico, é fantástica)

You can brush my hair, undress me everywhere

( Você pode escovar meus cabelos, me despir em qualquer lugar)

Imagination, life is your creation

( Imaginação, a vida é sua criação)

Come on Barbie, let's go party !

( Vamos, Barbie! Vamos para a festa!)

  Shaka ficou extremamente corado e a vergonha apossou-se de si a medida em que muitos riam e caçoavam do virginiano. Sua vontade era de desaparecer e nunca mais voltar. De repente um súbito sentimento de fúria apossou-se de si e fez menção a ir ao mesmo local em que se encontrava Máscara da morte, mas Dohko o impediu:

- Calma aí amigo, deixa isso pra lá!

- Deixar para lá? Esse cretino manchou a minha honra!

  Athena então pediu a Dohko que se retirasse pois queria falar em particular com o virginiano e logo o libriano se despediu. Quando ficaram a sós, Saori segurou suas mãos:

- Shaka não ligue para essas brincadeiras do Máscara da Morte, ele é assim mesmo!

- Como não ligar deusa Athena? Ele feriu a reputação e a minha honra! Nunca fui tão ofendido em minha vida e a única forma de me redimir é lavando a minha honra com sangue desse desgraçado!

   Saori deu uma risada doce e o loiro a encarou sem entender muito bem:

- Eu não entendo sua atitude: Parece gostar de me ver ridicularizado.

- Não é isso , mas é que você é sério demais o tempo todo e isso não deixa de ser engraçado.

- Mas o que há de errado com meu jeito? Eu sou assim e pronto!

  Saori apertou as mãos do loiro e o encarou com doçura:

- Não há nada de errado com o seu jeito de ser, mas você viver preso, precisa se soltar de vez em quando, viver um pouco sabe?! A vida passa muito rápido e se você não aproveita, pode acabar se arrependendo!

  Shaka a olhou corado e seguiu pensativo com que a deusa disse. Sabia que ela estava certa, mas não sabia como proceder perante aquela situação em que era ridicularizado na frente de todos:

- Mas eu… bem como eu posso…

- Reagir?

- Isso.  - Desviou o olhar, tímido.

- Eu ajudo a resolver isso, vem comigo!

   Saori segurou-o pelo braço e ambos foram para a pista de dança  que no momento estava menos cheia do que anteriormente. Temeroso ele perguntou:

- O que vamos fazer?

- Nós vamos dançar essa música!

- O que? - Shaka arregalou os olhos instantaneamente.

- E o que tem demais? Shaka é só uma música boba, ela não vai te fazer nada.

- Mas se foi esse o recurso baixo que aquele miserável usou para me ofender…

  Saori então segurou Shaka pelos braços e o encarou:

- Está certo, vejo que você não está me entendendo muito bem, então vamos lá e me responda essas perguntas: Você é uma boneca feita de plástico chamada Bárbie?

- Não, claro que não!

- Gosta de se vestir com vestidos rosas e se comporta como uma boneca?

- Menos ainda, que despropósito!

- Então por que você se importa com o que dizem o pensam de você?

  Shaka finalmente pode perceber o que Saori queria dizer com ele e ela não o deixou que pensasse muito, pois continuou:

- Shaka você não Barbie, ken ou nada que falem de você. Você fala muito de honra disso e daquilo, mas no fundo só se importa com que os demais pensem de você. Seja menos orgulhoso e inseguro e brinque um pouco com a vida. Vocês receberam uma nova chance de viver, portanto não desperdicem isso preocupados em manterem as aparências e seja mais feliz!

- Athena…

  Os olhos de Shaka brilhavam quando ele a admirava. Seu coração se encheu de alegria quando ele a ouviu e sentiu o mesmo ficar mais acelerado. A deusa se aproximou ainda mais e segurando em suas mãos ela pediu:

- Dança comigo?

  Mais confiante depois daquela lição de moral passada pela deusa, o casal seguiu para a pista de dança, onde começaram a dançar a música em passos lentos e desengonçados, fugindo totalmente ao ritmo da mesma. O loiro agradeceu:

- Obrigado Athena por me ajudar!

- Não há de quê e pare de chamar pelo nome de deusa, me chame de Saori!  - A mesma o abraçou com firmeza enquanto dançavam.

- S...sim Saori. - Respondeu tímido.

 

…………………………………………………………………………………………………..

 

  Marin parecia mais preocupada e ansiosa do que nunca, sabia que não poderia interferir na relação entre irmãos, mas seu coração apertava cada vez que imaginava seu amado triste, foi quando de repente ela sentiu uma cosmo energia comunicar-se com si:

" -  Marin?

- Aiolos?

- Sim sou eu, me escute: Não se preocupe, eu já encontrei Aiolia e estamos conversando, fique tranquila e tente aproveitar a festa.

- Acho difícil, mas tentarei, obrigada Aiolos”

  Menos preocupada, a ruiva tratou de procurar por sua amiga, afinal, havia prometido em ajudá-la e se prometeu, teria de cumprir.

  A festa estava animada e a música tocando alta quando finalmente Shina chegou ao local: Vestida com um belo vestido azul tubo e decotado, que realçava bem as curvas de seu corpo, deixando-a sensual, porém não vulgar, a mesma entrou no grande salão e olhou para todos a sua volta. Procurava por Ikki, mas ele ainda não havia chegado.

  A amazona se perguntava internamente se de fato valeria a pena estar naquele local, afinal, sabia muito bem que Ikki não era o tipo de homem que curtia muito festas e só apareceu por depois de Marin muito insistir, no entanto convencia-se cada vez mais de que ela não o veria , porém se surpreendeu quando ele chegou, mas para a sua surpresa ele não estava sozinho, estava acompanhado de Shun, June e de… não poderia ser… ela?

   A amazona não pode acreditar quando viu Esmeralda ao lado de Ikki cheia de sorrisos e afetividades com o rapaz, claro que nada muito vulgar ou que despertasse suspeitas, mesmo assim, a amazona sabia de todo o passado dos dois e que… será que eles poderiam ter voltado?

  Envergonhada, a amazona tratou-se de se esconder da presença dos dois, mas sabia que não poderia fazer por muito tempo, afinal o salão era grande, mas bem aberto e o cavaleiro poderia rastreá-la pelo seu cosmo e a última coisa que ela queria era sofrer com uma possível volta dos dois: “ Foi péssimo ter vindo aqui, acho melhor ir embora”, pensou.

  A amazona começou a acelerar os seus passos quando finalmente é surpreendida por Marin que aparece em seu lado:

- Você está muito bonita amiga, vejo que as dicas que te dei funcionaram!

- Marin eu preciso ir!

  Shina fez menção em ir embora quando a amazona de águia puxou o seu braço:

- O que houve?

- Nada…

  A ruiva olhou ao seu redor e viu o motivo daquela insegurança de Shina quando viu que Ikki não estava sozinho. Marin então a tranquilizou:

- Shina não se preocupe, eles não tem mais nada um com o outro.

- Eu não teria tanta certeza assim. Eles estão juntos e…

- Só há um meio de descobrir! - Marin arrastou Shina pelos braços em direção ao grupo.

  Shina se desesperou com aquele ato:

- Marin o que pensa que está fazendo? Não podemos…

  Mas já era tarde demais, pois June já havia reconhecido as amigas e acenando, agora era só esperar o que iria acontecer.

  Ao sentir a sua presença, Ikki, que se encontrava distraído com algo que observava longe, olhou fixamente na direção de Shina que vinha linda, como um belo anjo que povoava os seus mais belos sonhos.

  As amazonas se aproximaram de Ikki e Shun e quando fênix e ofiúco cruzaram os seus olhares, faíscas pareciam sair de ambos, cegando quem cruzasse seus caminhos.

  Após as formalidades, Esmeralda sorriu encarando Shina com um ar de doçura:

- É um prazer em revê-las!

- O prazer é nosso ! - Marin antecipou-se ao perceber que Shina mantinha uma expressão nada amigável perante a loira.

- Eu vou pegar uma bebida! - Shina saiu apressadamente do local.

   A amazona sentiu que Ikki a seguiu e percebeu que não adiantava evitar o inevitável e a mesma o encarou:

- Ikki?

- Tá fugindo de mim Shina?- Sorriu irônico.

- Impressão sua, só fui pegar as bebidas, mas me diga o que quer?- Desviou o olhar, visivelmente nervosa.

- - Você sabe o que eu quero! - Ele a encarou profundamente.

 

…………………………………………………………………………………………….

 

  Longe dali, um homem encapuzado se dirigia a uma espécie de catacumba bem escura e entrando nela chegou a uma espécie de prisão, que tinha alguém que se encontrava acorrentado em uma cela.

  A figura se aproximou e abriu a cela se aproximando do prisioneiro que se encontrava desmaiado e segurando o rosto com uma de suas mãos, a voz distorcida apenas disse:

- Em pouco tempo você estará preparado para tudo, meu querido Seiya de pégasus!

  Nefertari espionava escondido assustada, enquanto a figura gargalhava convulsivamente. Seus pensamentos eram pouco otimistas: “ Se eu conheço bem os planos de Imhotep…”, no entanto a dama não pode concluir os seus pensamentos pois foi surpreendida por uma figura igualmente grotesca: Uma espécie de “homem escaravelho” gigante:

- Nefertari, o que está fazendo aí?

 

...CONTINUA...

  


Notas Finais


O que acharam do capítulo?
Aiolia e Saga vçao se acertar?
E Saori e Shaka?
Seiya em uma prisão? OMG! E agora?
Ikki x Shina, vai rolar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...