História Malandramente. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo
Tags Amizade, Amor, Canalcanalha, Christian Figueiredo, Julio Cocielo, Lucy Hale
Exibições 136
Palavras 2.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu volteiiiiiii!!! Haaaaaaaaaaaqaaaaa

🐼🍃 Estou muiiiiito animada, porque eu voltei cheia de surpresas! Tanto no capítulo quanto não. Irei explicar nas notas finais, então... lêem!

🐼🍃 Eu amei esse capítulo espero que vcs também gostem.

Chega de blablabla

BOA LEITURAAAAAAAA

Capítulo 13 - Eu, você o mar e ela...


Lêem as notas do autor!

 

Acordo ao lado de Myla, vendo- a em um sono profundo, nossa! como eu a amo... Fui bem trouxa de desperdiçar a chance que eu tinha com ela. Ouço meu celular tocar... Olho a hora é são 15:29. Atendo o meu celular indo pra varanda do quarto, não quero acordar a Myla. 

 

— Alô – Digo com uma Puta voz de sono. Estava muito cansado.

 

— Fala mano! – Christian. – como estão as coisas? Ja encontrarão a família dela? Ela deve estar mó felizona.

 

— Pow cara... Chegamos aqui 6 e pouca. Nem deu tempo ainda. Só pra dormir

 

— Ces tão aonde? Em um hotel? – Acabei soltando um bocejo.

 

— Aham... 

 

— Tabom, cara vai lá. Tenho que resolver umas paradas aqui... E  você está com sono. – acabamos soltando um riso. — Ei! Você vai gravar o bate ou Regaça, amanhã? – Porra! Tinha me esquecido!  

 

— Vou sim. Talvez eu vá e volto no mesmo dia. Nao quero deixar a Myla aqui sozinha. – Me viro a olhando dormir.

 

— Pó! Da uma passada aqui em casa pra da uma gravada comigo? Geralmente a gravação do bate ou Regaça acaba às 17:00 ai você sai daqui umas 19. Pode ser?

 

— Fechou então! Valeu mano... Vou desligar.

 

— Valeu, Vai lá – Desliguei o celular e caminhei até a cama. Pelo visto nao ia conseguir mas dormir. Então fiquei a observando. Seu rosto é tao delicado e meigo, a cor dos seus cabelos me fascina, como tudo que possui nela. Fiquei a observando e fazendo carinho no seu cabelo até ela começar a se mexer. Tirei a mão de seu cabelo e ela fez uma careta.

 

— Continua! – Ela diz em um sussurro e muito baixo. Acho que se nao fosse pela nossa a proximidade nunca teria escutado. Voltei a fazer carinho nela. Ela chegou para mais perto de mim deitando no meu peito, cheirei o seu cabelo, que tinham cheiro de uva. Ela ainda possuía os olhos fechados.

 

— Que horas iremos? – Ela disse fazendo carinho no meu peito com a ponta do dedo indicador. Igual a maioria depois de uma noite de amor. Mas nao foi bem assim...

 

— Nao sei... A hora que você decidir...

 

— Tabom... Podemos ir agora? – Assenti com a cabeça e ela levantou pegando uma roupa na mala e caminhando até o banheiro indo tomar banho. Enquanto ela não saia do banheiro recebi uma ligação da Rebeca e fingir todo aquele amor que eu tinha. Depois de uma tempo Myla sai do banheiro com, Uma calça branca, uma Blusa rosa clara, e um sapato nude. Ela está linda e gostosa. Levantei da cama e fui até o banheiro. Tomei um banho Rápido. Coloquei uma Blusa branca escrito "Vans" minha calça jeans e um Vans vermelho e o boné preto escrito "Canalha".

 

— Uau! – ela disse enquanto fazia um coque no seu cabelo, a deixando, bem sexy. – Está lindo! – Dei um sorriso convencido e dei uma volta com os braços abertos a fazendo a rir. Ha! como eu amo essa risada!.

 

— Vamos? – Ela assentiu e engoliu seco. Sabia o quanto ela estava nervosa.

 

— Vamos... – fomos pro elevador, apertando o botao e esperando. Ela nao parava de bater o pé. Oque estava começando a me deixar nervoso também. Passamos pelo Hall do hotel e fomos pro carro. Fui até o endereço no papel, com a ajuda do GPS... Claro! Parei em frente à casa. A casa é bem bonita, em frente ao mar. Uau!

 

— Nossa! Myla! A Casa de seus pais é linda – disse e a vi abrir um sorriso.

 

— Sim é! Digamos que eles tem um pouco de condições. – disse olhando a casa. Segui o seu olhar é ficamos assim por um tempo. Sabia que ela estava tomando coragem. Ela saiu do carro e eu a segui, caminha -mos em direção a porta. Myla respirou fundo, tocou a campainha e me abraçou. Parecendo uma criança quando aperta a campainha e sai correndo, no caso ela me abraçou. Eu retribui ao seu abraço apertando bem forte. Não demorou muito e uma mulher abriu a porta com um bebê no colo.

 

— Oi? – Vi a Myla franzir o cenho confusão. Myla ia abrir a boca pra falar alguma coisa. Quando outra voz a interrompe.

 

— Tuane, quem é? Minha mãe... – Ele se auto interrompeu quando olhou pra mim e logo em seguida pra Myla. E assim ficou por um tempo, eu encaro a Myla e logo depois eu encaro o cara. A menina na porta não entende nada, nem eu! Olho pro cara novamente e o reconheço da foto que a Myla me mostrou é o...

 

— Daniel! – Ela sussurra 

 

— Myla! Ele diz do mesmo modo.

 

— Daniel! – Ela diz agora animada e pulando encima do Daniel que a abraçou com a mesma intensidade. Ficaram assim por um tempo e ele a afastou um pouco pra olhar em seu rosto.

 

— Nossa! Você está linda. Por onde você estava? Em São Paulo, eu sei. Mas que lugar exatamente? Te procuramos e não te achamos. – Ele disse em disparada. 

 

— Esquece! O que importa agora é que eu voltei! – Que? Como assim? Como assim "Eu voltei?" Ela nao irá voltar comigo?. Vi o garoto dar um enorme sorriso. 

 

— Vem! Entrem! – Entro e fico olhando a situação. – Fala aí cara! – Ele me cumprimentou.

 

— Fala aí! – O respondo e olho pra Myla e vejo o quanto ela esta feliz. Ela já falou várias vezes que queria que eu fosse amigo do Daniel. Nao acho algo difícil... ele parece ser bem legal...

 

— Essa aqui é a Myla, Tuane! Olho pra mulher que nos atendeu. Ela da um sorriso e cumprimenta a Myla com um sorriso no rosto que foi muito bem retribuído. – Ela é a minha irmãzinha! – passa os braços pelos ombros de Myla. – E essa é a minha esposa e minha filha, a segunda na verdade – Myla arregala os olhos mas logo da um sorriso. – E esse é o Júlio, Júlio Cocielo. Melhor amigo da Myla pelo menos é oque eu vi nos vídeos. – Myla sorri confirmando oque ele disse. Oque me fez dar um grande sorriso. – Vem. Minha mãe não vai acreditar! Estava os seguindo sem prestar atenção quando ouso um grito agudo e uns pratos caindo no chão.

 

— MYLA! – uma mulher gritou. Oque eu deduzi ser a mãe dela. Ja que ela correu e começou a falar coisas como "minha, filha" "eu te amo!"

 

(...)

 

Já fazia 3 horas que estavamos alí, ja tínhamos jantado. Agora estávamos conversando na sala de estar. Daniel teve que ir embora pois tinha que por as crianças na cama. O Pai de Myla era super maneiro e pediu desculpas várias vezes, igualmente a sua mãe.

 

— Aonde vocês estão dormindo? – Sua mãe perguntou.

 

— No hotel – Digo passando os braços em volta do pescoço da Myla para poder estica los. 

 

— Passem a noite aqui! – Agora foi a vez do seu pai. – a noite não! A semana! O tempo que vocês forem ficar. 

 

— Nao queremos incomodar – Ela diz meio sem graça e aperta a minha mão. Ela faz isso quando está nervosa. 

 

— Não vai minha filha! Você ficou tanto tempo fora. Por favor! 

 

— Seu pai tem razão – Sua mãe diz com um sorriso no rosto — Ficam!

 

— Oque você acha, Júlio? – Ela me encarou vi seus olhos brilharem e vi o quanto ela queria aquilo. Dei de ombros. E assenti.

 

— Por mim tudo bem! – Digo e lhe dou um sorriso.

 

— Ótimo! – Sua mãe diz muito empolgada. – Vou arrumar os quartos de hóspedes.

 

(...) 

 

Estava deitado na cama. Ja estavam todos dormindo, menos eu! Que estou sem sono. Eu dormi quando cheguei de viagem. Fui até a varanda, olhando o mar. E olho pra de baixo da minha sacada e vejo uma mulher sentada olhando o mar enquanto seus cabelos pretos voavam, esse que eu conhecia muito bem!. Desci as escadas decidido a lhe fazer companhia. Passei pela cozinha e vi a porta aberta. Cheguei na areia e a procurei. Ela estava sentada mais a frente, chego em seu lado sentando. 

 

— Também está sem sono? – Diz sem me olhar.

 

— Uhum! – Digo a olhando e encontrando seus olhos em mim. Desci meus olhos pra sua boca, nao consegui me segurar... puxei sua nunca e lhe dando um beijo. Um beijo cheio de amor e desejo. Estava fora de mim, totalmente! Fui a deitando na areia e subi em cima dela controlando o meu peso. Desci meus beijos para o seu pescoço, depositando ali chupoes e mordidas de leve, a fazendo gemer bem baixinho, fazendo somente eu ouvir. Oque me deixou mais louco ainda! 

 

Apertei a sua cintura tentando controlar o meu desejo. Oque foi em vão já que a cada gemido dela eu ficava com mais desejo. Subi a sua blusa vendo seu sutiã da mesma cor da blusa. Dei um beijo aonde nao estava tampado pelo sutiã, ela subiu um pouco as costas me dando acesso para soltar seu sutiã e foi o que eu fiz. Ela tentou tampar os seus seios, mas eu segurei em suas mãos chegando perto de seu ouvido.

 

— Não faça isso! Eles sao lindos... – Sussuro em seu ouvido a fazendo arrepiar. Sorrio com o poder que eu tenho sobre seu corpo. 

 

Volto a beijar seu pescoço e vou descendo pro seu seio direito e ali eu chupo, mordo e brinco enquanto faço massagem no outro com a mão. Mas logo troco fazendo com o esquerdo oque eu fiz com o direito. E ouvindo seus gemidos. Seus gemidos são a melhor coisa!. Vou descendo meus beijos seguindo o "caminho" que tinha em sua barriga. E encostando minhas mãos no botao do short para desabotoar e ela as segura.

 

— Júlio... Eu sou... – Ela fica bem sem graça de falar. E eu prossigo.

 

— Eu sei... Você quer? – Ela assente e eu dou um sorriso lhe dando um selinho. Refazendo o caminho e abrindo seu short o descendo junto com a calcinha e tirando de seu corpo. Dei um beijinho na parte lisa, e abri suas pernas dando de cara com sua vagina rosa e depilada. Molhei meus lábios, ja sentindo o gosto daquela vagina virgem. Desci meu rosto até la e soltei minha respiração na mesma, a ouvindo gemer ela estava molhada mas nao o suficiente. Senti um calor e tirei minha blusa, olhando novamente aquela vagina gostosa. Desci até lá e lambi toda aquela região, abri seus lábios maiores e lambi, suguei. Ela puxou meu cabelo precisando meu rosto contra sua vagina. Nossa! Ela é muito gostosa! Fiz isso até ela gozar em minha boca sentindo seu mel. Subi até ela. 

 

— Prova do seu próprio gosto. – Disse e a beijei. Ela me beijou como se quisesse saber mais daquilo. Tirei minha calça jeans e a minha cueca fazendo meu pau pular pra fora. Seus olhos se arregaçaram ao ver meu pau, me fazendo dar um risinho. Esfreguei minha intimidade na sua com pressão fando os dois gemerem. Peguei meu pau, passando em sua entrada, fazendo ela me olhar. — Você quer isso? – ela assente e eu dou um sorriso. – Se doer você me avisa que eu paro, Tabom? 

 

— Tabom – Ela diz bem baixinho. Lhe dou um beijo de tirar o fôlego enquanto vou encaixado de vagar, senti seu hímen romper, senti a sua respiração parar quando botei todo meu pau dentro dela. Me afastei e olhei em seu rosto. Como essa mulher é tão perfeita. Fiquei parado dentro dela por um tempo até ela se acostumar. Ela me puxou pra um beijo e eu comecei a me movimentar. Começou a gemer de prazer cada vez um pouco mais alto. Acelerei um pouco mais e gozamos juntos. Cai na areia sentindo minha respiração ofegante, a puxei pro meu peito e fiquei fazendo carinho em seu cabelo.

 

Ser romântico às vezes ajuda Mas se fecho os olhos te imagino nua talvez pareça uma cena de Hollywood Se tá pensando isso, por favor não se ilude

 

— Você sabe que não podemos, sair namorando, não é? Até por que estou com a Rebeca. E você com o Teddy. – A vi passar as mãos pelos olhos. Sabia que estava chorando. A final ela me deu a sua virgindade. mas eu não a obriguei – Nao chora, Myla muitas pessoas podem sair machucada.

 

— Muitas pessoas vão sair machucadas e você nao liga se EU vou sair?. E quer saber? Não estou chorando por isso! – Franzi o cenho. E porque seria? – Nao é justo o que eu fiz com o Teddy. Eu o amo! E o que eu fiz é errado! – Senti meu coração apertar. Ela o ama? 

 

 

Eu só quero uma noite de amor Como as outras, só mais uma que passou.

 

— O ama? – Perguntei triste me levantando e botando a roupa como ela. Ela assentiu.

 

— Ele me deu algo que o garoto que eu amava nao pode me dar... – Assenti sentindo a indireta. 

 

— Sinto muito. – Digo baixo a olhando.

 

— Você quem sabe! – dis e da as costas pra mim e dou um longo suspiro.

 

Mas foi só a porta fechar Pra mudar minha cabeça A sua boca vale o preço Pra perder o sossego que eu tinha A lua até beijou o mar Pra não ficar de vela Os quatro perdidos de amor Eu, você, o mar e ela

 

Myla Mozart P.O.V

 

Tudo bem... Que eu nao amava o Teddy como eu amo o Júlio. Ou que eu parei de amar o Júlio mas ele nao precisa saber disso...

 

— E espero que saiba que isso nunca mais vai acontecer! – Ele deu uma risada digamos que se eu nao estivesse com raiva eu teria achado bem engraçada. Mas estou com raiva.

 

— Nós dois sabemos que terá várias e várias vezes. Foi gostoso... Não foi?.

 

— Não interessa! Nao vai acontecer de novo! – Digo com mais raiva ainda.

 

— É o que veremos! – Ele disse dando um sorriso sarcástico.

 

— É o que veremos! – Disse imitando sua fala o desafiando. E saindo dali.

 

Narradora P.O.V

 

No fundo ela sabia que iria voltar acontecer. Ela deitou sua cabeça na cama depois de tomar banho. Ela tentou mas nao conseguiu deixar de pensar na sua noite hoje. Mas as palavras de Júlio a magoou muito! 

 

Enquanto o Júlio ainda estava na praia olhando as estrelas, mesmo nao estando focado nelas ja que estava pensando na Myla, e que mesmo sendo a sua primeira vez ela tinha sido maravilhosa. " Vou parar de Cú doce e assumir de vez oque eu sinto por  ela terminar com Rebeca, resolver minha vida e principalmente... Conquistar Myla novamente" Ele pensou. Mal sabe ele que ela está muito magoada e que vai ser bem difícil!.. 

 

Ela olhou pra fora da Janela, apaixonada pela lua... Lua cheia. "Lua bem que você poderia me ajudar né? A esquecer esse Babaca? E o amar somente como amigo? É um pedido... " ela ficou pensando nisso e logo caiu no sono.

 

"Lua será que você pode me dar mais uma chance com aquela, princesa? Na verdade é um pedido... Prometo que dessa vez nao irei desperdiçar" Ele disse olhando a Lua da praia. Ele cansou de ficar na praia e foi pro seu quarto. Tomou um banho e foi dormir.  

 

Os quatro perdidos de amor Eu, você, o mar e ela...


Notas Finais


TEVE HOT!!!!! OQUE?
NAO SOU MUOTO BOA EM ESCREVER CENAS QUENTES MAS TENTEI!!! Kkkkkk

Como eu disse nas notas do autor estou bem animada!!!! Malandramente ganhou um trailer. E é o primeiro trailer do canal dela! Vão lá dêem like se inscrevam vou deixar o link aqui.

Link do trailer: https://m.youtube.com/watch?v=jkurDulWZGo



😍🍃 NAO ESQUEÇAM DE COMENTAR... CADÊ AS LEITORAS ATIVAS?

😍🍃 COMENTEM SE TIVEREM GOSTADO

😍🍃 ESPERO QUE TENHAM GOSTADO.

😍🍃 FAVORITEM!!! ISSO ME AJUDA BASTANTE NA DIVULGAÇÃO E OS COMENTÁRIOS TAMBÉM.

BJUS DE OUTRO MUNDO 😘🌏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...