História Maldita Heartfilia - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Lulu_uzumaki

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Erza Scarlet, Eve Tearm, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Hibiki Lates, Igneel, Jellal Fernandes, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Ren Akatsuki, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Rufus Lore, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Exibições 71
Palavras 1.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


oiiiiiiiii pessoaaasssss.

Capítulo 4 - Um tanto ousado.


Fanfic / Fanfiction Maldita Heartfilia - Capítulo 4 - Um tanto ousado.

 

Inglaterra – Londres

13h30min PM.

 

Eu estava na sala da casa da Heartfilia me lembrando de como fui um idiota, tá legal que ela é gostosa e tudo, mas eu tenho uma noiva, não posso estar me passando por um tarado com uma mulher que não seja ela. Fui tirado dos meus devaneios por uma menina de mais ou menos sete anos puxando a barra da minha camisa, ela era bem baixinha, tinha longos cabelos loiros claros que batiam perto de seus pés, tinhas grandes olhos verdes, ela usava um vestido rodado cor de rosa bem clarinho. Ela me fez a seguinte pergunta:

-Moço porque seu cabelo é rosa? Você é gay? – Me perguntou sorrindo.

-Mavis que coisa feia, me desculpe à má educação dela, meu nome é Layla sou a mãe de Lucy – Falou uma senhora idêntica a Lucy.

-Tudo bem, eu me chamo Natsu Dragneel, sou o colega da Lucy – Falei tentado parecer simpático.

-Você é o cara que odeia a mana? – Mavis falou irritada.

-Mavis, não acredite nos dramas da sua irmã, é claro que ele não a odeia... certo? – Falou Layla me olhando esperando minha resposta.

-E-eu... – Fui interrompido.

-A comida já ta pronta, vamos pra mesa – Lucy chamou da porta da cozinha.

-A comida da Lucy é a melhor você vai adorar – Falou Mavis me puxando pela mão.

Lucy deu uma risadinha enquanto me observava sendo puxado pela sua irmã mais nova. Mavis se sentou do lado da Senhora Layla me fazendo sentar ao lado da Lucy, existia mais uma cadeira naquela mesa, eu acredito ser para o pai delas. Lucy percebeu minha atenção em descobrir onde está o pai delas então se pronunciou:

-Se está procurando meu pai não irá encontra-lo – Falou seria.

-Lucy, não seja rude, me desculpe, mas esse é um assunto um tanto delicado – Falou a senhora Layla.

-Há claro desc- Fui interrompido.

-Meu pai morreu há seis anos foi um ano depois de Mavis nascer – Ela falou ainda mais seria.

-Eu sinto muito – Falei pesaroso.

-Não, você não sente, não o conhecia – Ela falou – Com licença, perdi o apetite – Finalizou se levantando.

O resto do almoço foi um silêncio desconfortável, alguma coisa tinha acontecido de muito grave para a Heaterfilia ter ficado assim, não apenas a morte do pai, em seu tom de voz pude perceber que existia raiva, angustia e medo.

Depois de um tempo, voltamos pra delegacia, o caminho todo fomos em silêncio, me senti mal por ter tocado num assunto tão delicado quanto esse. Chegamos à delegacia e estava a maior bagunça, tinha gente andando pra lá e pra cá cheios de papéis em mãos, estava maior loucura. Fomos à procura de Gildarts para ter alguma explicação pra isso, o encontramos no seu escritório remexendo as gavetas.

-Gildarts, o que merda tá acontecendo aqui? – Falei e recebi um murro no ombro, e dei um passo para trás – Qual o seu problema?

-Não fale palavrões seu idiota – Lucy me repreendeu, ela realmente era forte.

-Hey sem brigas no meu escritório – Gildarts falou.

-Bom, repetindo a minha pergunta, o que tá acontecendo aqui?

-É sobre o caso de vocês, parece que o assassino misterioso atacou de novo.

Assim que ele falou o local saímos correndo de lá em disparada pra tentar encontrar alguma pista dos assassinatos anteriores, e desse também. O Local era um tanto inapropriado, como posso dizer, a vitima estava num quarto de uma casa de prostituição, estava totalmente nu, mas seu órgão genital foi arrancado fora e estava entalado em sua boca, um tanto pornográfico.

-P-procure pistas q-que possa indicar qual é o próximo passo do culpado – Falou Lucy de costas pra o corpo.

-O que foi? Nunca viu um homem pelado na vida? – Falei sarcástico.

-N-não é isso, eu só não gosto de ver pessoas mortas – Falou se abraçando.

-Ninguém gosta, mas é um esforço que temos que cumprir – Respondi.

-S-sim.

-Bom, vamos procurar pistas, você pode perguntar a recepcionista quem entrou com ele? – Perguntei com e vi que ela tremia levemente.

-Claro.

Comecei a examinar o quarto, não era tão grande, tinha só uma cama de casal, um guarda-roupa pequeno e uma mesinha de apoio ao lado da cama. Vi se encontrava algum entorpecente em cima da mesa, mas a única coisa que encontrei foi um copo de tequila pela metade, então me virei para o guarda-roupa, o abri e tinha algumas lageries um tanto provocantes, um chicote, algemas, vibradores e claro preservativos tanto abertos quanto fechados, fechei assim que vi que não tinha nada de interessante, a não serem as lageries. Parti em direção ao corpo e vi o mesmo símbolo que outros corpos tinham, novamente marcado a fogo¹, Eu lembro-me de ter visto esse símbolo em algum outro lugar, não nos outros corpos, em algum outro lugar, tirei uma foto do símbolo, e sai do quarto. Lucy até agora não tinha voltado, então fui direto pra recepção onde a encontrei quase pulando no pescoço da atendente.

-Olha moça eu não sei se você me entendeu, mas eu preciso dessa informação, eu sou da policia e estou responsável por esse caso – Ela falou pausadamente tentando se controlar pra não gritar com a recepcionista.

-Olha docinho, se você é da policia então eu sou a mulher do presidente – A recepcionista falou sarcástica.

Nessa hora Lucy já estava vermelha de raiva, parecia que ia explodir, e explodiu, literalmente.

-OLHA AQUI CACETE, SE VOCÊ NÃO ME DER A PORRA DA INFORMAÇÃO EU JURO QUE TE DOU UM SOCO QUE VAI ACABAR COM ESSA SUA CARA DE VADIA, E NÃO SEI SE VOCÊ SABE, MAS TEM UM HOMEM MORTO LÁ DENTRO ENTÃO ME DÁ LOGO A MERDA DA INFORMAÇÃO – Lucy berrava pros quatro cantos do mundo ouvir, foi uma cena bem engraçada de se ver.

-Ele entrou com um homem mascarado, não consegui ver seu rosto e o cabelo estava escondido em um boné – Falou a recepcionista em choque.

-Obrigada pela informação – Respondeu Lucy com um sorriso – Vamos embora Natsu.

-Bipolar.

-Eu? Bipolar? Que nada, a Mavis é pior.

-Pra quem disse que não pode falar palavrão, você tem um vocabulário bem podre – Alfinetei.

-Calado idiota, eu consegui a informação não consegui? E acabou que acabamos de encontrar uma pista – Falou com um sorrisinho no final e indo em direção à saída.

-Aquilo não foi bem uma PIS... Esquece como conseguiu a fita de gravação das câmeras? – Perguntei desacreditado – Você nem precisava ter gritado com a Moça.

-Eu não gostei dela e, bom, como eu já disse: tendo um corpo bonito e homens tarados por perto, você consegue tudo – Falou com a cabeça virada pra mim.

-Isso deveria ser um crime.

-O que? Eu só prometi um boquete pra o cara e depois o desacordei, e ainda fiz com que ele acreditasse que eu realmente fiz um boquete nele, nada demais – Ela falou irônica.

Fiquei olhando ela sair com aboca aberta, essa mulher era louca, e eu mais louco ainda por ser parceiro dela. Ela falou mesmo na cara dura que prometeu um boquete pra o cara e depois desmaiou o coitado, pelo menos ele vai acordar feliz achando que ganhou um boquete de uma loira gostosa.

-Você vai ficar ai ou vai vir? – Ela perguntou.

-Já to indo.

Nós voltamos pra delegacia, eu fui pra o meu escritório e ela foi pra o dela assistir a fita de segurança. Fiquei um tempo fitando o teto ainda tentando acreditar no que minha parceira de time havia me falado, até que sinto meu celular vibrar, pego e vejo que recebi uma mensagem de Gray, meu amigo.

Mens lig.

Gelinho (Gray)- Hey foguinho vai fazer alguma coisa hoje à noite?

Acho que não por quê?-Foguinho (Natsu)

  Gelinho- Agente vai encontrar com o povo do colegial, e parece que a Levy quer apresentar o namorado misterioso e uma amiga dela.

Eu posso levar a Lissana? – Foguinho.

Gelinho- Não só vai o povo do colegial, a Levy só vai levar os dois porque ela tava querendo apresentar pra gente a mó tempão.

Okay então – Foguinho

Mens desl.

Só o Gray mesmo pra me fazer sair de casa á noite, e sem a minha noiva, ela vai ficar um fera comigo, mas vale a pena já faz tempo que eu não vejo o pessoal, todo mundo anda muito ocupado, nem minha irmã eu consigo ver direito, já que ela é advogada, nem sei como ela tá, a minha sobrinha deve estar enorme. É até que vai ser bom rever o pessoal. Eles devem ter mudado muito, devem ter amadurecido, até crescido um pouco, quer dize menos a Levy, ela vai ser eternamente baixinha, oque me leva a pensar que o namorado dela também vai ser baixinho. Mas nunca se sabe, ela sempre teve um gosto meio estranho, oque me faz me lembrar-se da Juvia e do Gray, a Juvia era maluca por ele, mas Gray nunca dava bola pra ela, mas depois que ela desistiu dele, ele finalmente percebeu que ela era a garota pra ele, tanto que hoje são casados, e eu sou o padrinho, tem o Laxus e a Mira também eles nunca se assumiram no colegial, mas depois que todo mundo foi pra faculdade eles finalmente se assumira, foram os primeiros da turma a se casar, ai depois foi minha irmã e Jellal, eles já tem até uma filha, quer dizer eles são o único casal do grupo que já tem uma filha, nem a Mira e o Laxus tem, agora serei eu e Lissana a se casar, Mira é irmã mais velha de Lissana, elas ainda têm um irmão que mora no exterior, eu namoro a Lissana desde o colegial. A Erza e a Mira eram as únicas a tocar mais de três palavras com a Heartfilia, elas e os professores, mas elas nunca tentaram trazer ela para o grupo, ou melhor, ela nunca quis vir para o grupo, oque foi melhor pra mim, nunca suportei aquela pirralha, só estou em parceria com ela agora por causa do caso se não eu não olhava nem na cara dela, não a suporto. Ela pode ser bonita, e engraçada às vezes, mas eu ainda não consigo gostar dela, mas da pra suportar. Esqueci esses pensamentos e comecei a organizar os papéis em minha mesa, se continuasse assim ficaria louco igual à Lucy.


Notas Finais


¹É referência ao livro Anjos e Demônio do autor Dam Brown, fica a dica pra quem quiser ler é um livro muito bom.

Então é isso


feito por Princess jujuba


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...