História Male Muse - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Lee Seokmin "DK"
Tags Jisoo, Joshua, Seokmin, Seoksoo
Exibições 21
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


olá~
essa é a minha primeira fanfic, gostaria de deixar isso bem claro.
eu gostaria, também, de agradecer à certas pessoas: beka, obrigado por me incentivar e a postar isso. ao resto das jeongcheolas também, obrigado por demonstrarem interesse.
espero que vocês gostem. <3

Capítulo 1 - Capítulo I


 

                Jisoo soltou o pincel de cabo fino, deixando o objeto ao lado do papel agora estampado. Seus olhos fitaram o desenho, encarando os olhos que lhe devolviam a vista de forma sintética.

 

                O rapaz pegou, gentilmente, o papel e colocou-o numa estante que ficava ao lado de sua mesa de trabalho. Voltou a correr os olhos pelo desenho novo: definitivamente havia gostado do resultado. As cores quentes que possuíam o efeito de desbotadas sobre o papel eram harmônicas e combinavam perfeitamente com os traços leves e nem tão definidos do desenho. Jisoo gostava de seu traço, e gostava também do jeito que pintava.

 

                Ele só não entendia uma coisa: Por que pintava e desenhava a mesma pessoa toda vez que seus dígitos tocavam um pincel, lápis ou caneta. Era completamente comum ter uma musa, alguém que lhe inspirasse, mas ele não achava normal que pintasse apenas a mesma pessoa. Ainda mais quando a pessoa ilustrada não passava de um desconhecido, quase um figurante no cenário comum da cafeteria que trabalhava.

 

                Joshua trabalhara por dois anos para juntar dinheiro suficiente para pagar sua faculdade e o apartamento qual morava – que não passava de três cômodos que ficavam sobre a cafeteria onde trabalhava. O Sr. Lee fora gentil o bastante para abrigar um jovem e lhe dar um emprego, e o americano seria eternamente agradecido por isso. Justamente por este motivo – por ter que trabalhar por dois anos apenas para obter dinheiro – Jisoo começou a faculdade que tanto sonhava cursar com seus vinte e um anos.

 

                Piscou algumas vezes, olhando para o relógio que ficava pendurado aleatoriamente na parede cercado por pinturas que ele mesmo tinha feito. Os ponteiros indicavam que já havia gastado boa parte do seu horário de almoço, e que teria de voltar à cafeteria dali a cinco minutos. Apressou-se para lavar as mãos e guardar os materiais que havia utilizado, trocando de camiseta após isso. Jisoo sempre usava a mesma camiseta para pintar, já que era desastrado e disperso o suficiente para esfregar a mão suja de tinta na própria roupa como se fosse uma toalha velha.

 

                Olhou-se no espelho que possuía no seu quarto – que não era nada menos que o antigo escritório do Sr. Lee – uma ultima vez, ajeitando o seu cabelo ao que o fazia, e pôs-se a ir em direção às escadas. Após descê-las, avistou o companheiro de trabalho prendendo seu cabelo. Jeonghan possuía cabelos longos, no que se trata de cabelos masculinos, e descoloridos ao ponto de tornarem-se um amarelo-castanho pálido. Tão pálido quanto sua própria pele.

 

                “Boa tarde, Jisoo.” O Yoon disse, olhando em direção ao citado com um sorriso fraco. “Eu cheguei primeiro que você hoje. Você estava fazendo algo?” Perguntou, esticando a mão com o avental para o amigo, que prontamente colocou-se atrás do mesmo para amarrar a tira de tecido da veste.

 

                “Eu estava sim.” Respondeu, terminando de dar um nó no laço que fazia. “Eu estava desenhando. Fiquei pensando em um desenho durante o turno da manhã de hoje, e estava ansioso para transferi-lo para o papel.” Afastou-se do amigo, pegando o próprio avental do cabide e colocando em si mesmo. Ao contrario de Jeonghan, Jisoo tinha disposição o suficiente para dar o nó no próprio avental.

 

                “Você acha que ele vem hoje?” O loiro voltou a questionar, passando pelo arco que dividia o armazém do balcão principal e sendo acompanhado pelo Hong.

 

                “Ele quem?” Joshua olhou em volta, podendo ver todas as mesas vazias.

 

                “O garoto que você fica olhando todo dia, que pede coisas diferentes toda vez que vem aqui.” Jeonghan riu de modo soprado. “Não que as pessoas tenham sempre que pedir a mesma coisa. É legal experimentar coisas diferentes às vezes. Mas ele simplesmente pede as opções em ordem, como se nem tivesse escolhido, só pedido!”

 

                O moreno resolveu ignorar a primeira parte da fala do amigo por hora.

 

                “E é mais estranho ainda que ele nem chegue a terminar a bebida. Acho que ele percebe que não vai gostar e desiste de tomar.” Foi a vez de Jisoo rir. “É engraçado.”

 

                “Será que é mesmo engraçado, Jisoo?” Jeonghan se aproximou do mais novo, estreitando os olhos e fitando-lhe com um sorriso malicioso e brincalhão. “Ou você está rindo porque vai vê-lo hoje, e está animado?”

 

                “Jeonghan, isso nem faz sentido.”

 

                “A vontade de dar uns beijos em um estranho também não faz sentido, mas não vejo você reclamando disso agora.” Jeonghan deu uma risada que parecia forçada, mas era apenas a sua risada normal. “Você fica encarando ele toda vez, Jisoo, não pense que eu não reparo nisso.”

 

                “Fica quieto, Jeonghan.” Joshua quase rosnara, mas continuou com o seu tom de voz calmo, enquanto secava uma xícara que acabara de lavar. “Reparo nele porque ele é estranho. Quer dizer, não é o rosto dele que é estranho. Ele é bonitinho. Bem bonitinho. Mas o fato de ele nunca terminar a bebida dele é estranho. Fico olhando pra ele pra ver se ele está bebendo o que pediu ou não, só isso.” O moreno espiou o outro pelo canto dos olhos. “Por falar nisso, ele já está aqui?”

 

                “Para a sua infelicidade, não.” Yoon apoiou os cotovelos no balcão, repetindo o ato e apoiando sua cabeça sobre as mãos. “Quanto você quer apostar que ele vai pedir algo diferente hoje?”

 

                “Aposto cinquenta que ele vai pedir um doce dessa vez. Eu o vi observando atentamente o pedido de outro cliente, que tinha pedido um pedaço de bolo de chocolate com caramelo, chegar. Acho que vai pedir o mesmo hoje.”

 

                “Aposto o meu cabelo curto e tingido de preto que ele vai pedir café com leite e canela.” Jeonghan enrolou uma mecha do cabelo no dedo. Jisoo arregalou os olhos.

 

                “Você não acha que é uma aposta muito alta?”

 

                “Não, porque eu não vou perder.” Sorriu convencidamente. “E a sua aposta é muito fraca. Você deveria fazer uma coisa pra valorizar.”

 

“O que eu poderia fazer?”

 

“Apostar vinte e cinco e que vai falar com ele quando entregar o pedido.”

 

Jisoo comprimiu os lábios, hesitando em aceitar por alguns segundos.

“Esta bem. Se ele pedir bolo, você corta e tinge o cabelo, se ele pedir café com leite e canela, eu falo com ele.”

 

Alguns minutos se passaram até que ele chegasse. Como usualmente, ele sentou-se ao balcão e pegou o cardápio, dando uma olhada na primeira pagina do mesmo e fechando-o em seguida.

 

“O senhor já foi atendido?” Jeonghan perguntou, fazendo o possível para não sorrir enquanto dizia. Estava a poucos passos de ver o amigo falar com o garoto qual tanto olhava.

 

O loiro anotou o pedido num papel, incrédulo. Levou o bilhete do pedido até Jisoo, que atendia outro cliente na hora. Ao entregar o pedaço de papel ao mais novo, os dois se entreolharam de modo preocupado.

 

“Uma fatia de bolo e uma xícara pequena de café com leite e canela” Estava escrito no papel com a caligrafia ruim de Jeonghan. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...