História Malec mais uma vez. - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters, Tokyo Ghoul
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Catarina Loss, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jonathan Christopher Morgenstern, Lady Camille Belcourt, Luke Graymark, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Max Lightwood, Personagens Originais, Ragnor Fell, Raphael Santiago, Robert Lightwood, Sebastian Verlac, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Camille X Sebastian, Clary X Jace, Demonios, Ghouls, Lobisomens, Malec, Simon X Raphael, Vampires
Visualizações 170
Palavras 1.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Crossover, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Magia, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi, Yuri
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Eu não quero!


Fanfic / Fanfiction Malec mais uma vez. - Capítulo 15 - Eu não quero!

Manhattan - Nova York - Alguns dias depois - Pov. Alec on

Entrei no meu apartamento e fechei a porta escorrendo o meu corpo contra ela, só cheguei a casa depois de um longo percurso que se estendeu ainda mais por causa do congestionamento do trânsito e da minha pequena parada no mercado. Estava mais do que exausto pelo manhã corrido que finalmente tinha chegado ao fim, Simon teve sorte em poder sair cedo ele já deveria estar dormindo mesmo que ainda seja de dia, olhei o relógio do celular e já se passava das três da tarde, bocejei sentindo o sono dando ar de sua graça enquanto algo macio e quente passou por minhas pernas. 

- Oi Darcy! - disse ouvindo um ronronar da minha loba branca que fechou os olhos ainda se esfregando em minhas pernas, depois veio para mais perto e comecei a fazer carinho em sua testa. - Como você está, docinho? Nem lhe vi direito esta semana, não é? Mas prometo compensar, amanhã finalmente é sábado. 

Darcy era manhosa e muito apegada à mim, apesar de ser uma loba de raça guiador, ela havia sido negligenciada por ter nascido com o tamanho menor que os outros e com o pelo menos brilhante. Mas assim que á vi sozinha há quase 9930 anos atrás, decide que aquela coisinha ainda recém-nascida seria o meu guiador. Com tempo e com cuidado ela cresceu forte assim com o seu pelo , mesmo que nunca tenha sido brilhante e vistoso, nunca me importe com isso, ela também é imortal.

Me levantei com as compras em mãos, ela saiu disparada em direção ao sofá e se acomodou preguiçosamente entre as almofadas. Levei as compras para a cozinha deixando tudo em cima do balcão, precisava de um bom banho para relaxar.

Foi para o meu quarto tirando o sobretudo e chutando os sapatos para depois retirar as meias, comecei a desabotoar a camisa branca enquanto bocejava, quando joguei a camisa na cama ouvi o som de metal batendo no chão e olhei para baixo assustado. Me abaixei e recolhei o objeto que havia se soltando do meu pescoço, olhei para o pingente antigo analisando se tinha quebrado, mas graças ao céus ele estava intacto.

Eu tinha um apego gigantesco por aquilo, nunca me separei dele desde que me lembrei da minha primeira vida passada. Quanto à quem havia me dado, foi o homem que me estava acompanhado quanto foi o enquanto com os meus ex-amigos e ex-namorado. Seu nome é Grabriel Belmont, o primeiro líder do nosso Clã e o mais poderoso de todos os Ghouls, mais velho, como 9999 anos, eu sou o segundo mais poderoso do Clã e isso faz com que todos me queiram proteger.

Coloquei o cordão no meu pescoço novamente e foi tomar o meu banho: resolvi usar a banheira e liguei a água em uma temperatura de morna para quente, também coloquei alguns sais de banho e quando já estava cheia, retirei as minhas calças e a minha cueca boxer azul escuro antes de entrar na água e me perder em pensamentos.

Relembrava o meu passado. Minha vida antes de me tornar um Ghoul, o meu relacionamento com Magnus, o acordo de Camille, a morte do meu irmãozinho Max, o que Valentim e seu fiel conselheiro me fizeram. A parte pior de tudo era como eu iria explicar para todo o Instituto que tinha virando um demônio/feiticeiro imortal que se alimenta de carne humana.

Só sai da água quando minha pele começou a enrugar, vesti um pijama de cor vermelha, fiquei descalço mesmo, afinal estava em casa e não pretendia sair, pois iria ocupar a tarde toda para ter um bom descanso.

Pov. Alec off

Pov. Jace on

Caminhava com passos firmes até chegar a sala onde Robert fica quando vem aqui no Instituto, ele havia pedido para eu ir lá, o que era estranho. Ele sempre falava comigo na presença dos meus amigos, entrei na sala e caminhei até estar em frente a secretaria dele.

- Mandaram me chamar? Estou aqui. - disse ironizando com um gesto.

- Poupa as suas ironias, Jace. Sabes muito bem o motivo de tê-lo chamado...

- Pelo bem do Instituto. Acertei? - perguntei levantando uma sobrancelha.

Robert suspirou ficando irritado, não posso fazer nada por ele, mas eu não queria assumir o cargo de diretor de Instituto nenhum, meu irmão Alec é que é o diretor, mesmo tendo renunciado ao cargo e me recusado a casar com Lady Britney, por que amo Clary. Britney é uma mulherzinha enjoada até o último cabelo loiro que tinha.

- Diga-me, o que mais posso fazer para que você me deixar em paz. - provoquei vendo o quanto meu pai estava contrariado com minhas atitudes recentes.

- Não faça! Não o criei para ser desse jeito! - disse Robert que se levantou. - Tenho tentado não força-lo a nada, mas minha paciência chegou ao fim. Você será diretor deste Instituto e irá se casar com a Lady Britney.

- Eu não farei coisa nenhuma! Já disse que não quero! Eu amo a Clary...

- Você não tem que querer nada! É o seu dever! 

- Por que?! Se Alec, ainda está vivo, já prova desde de pequeno que tem valor! Ainda prova o quanto quer cuidar deste Instituto!

- Por que ele já não é um de nós!

- Então é isso?! O grande Inquisidor Robert Lightwood não pode deixar que seus dois filhos sejam felizes por causa de um erro que outro filho cometeu? Pelo Anjo...

- Agora, já chega! Já disse tudo o que precisava! Você se casará em 4 meses.

- Como queira... vossa majestade. - disse eu fazendo uma reverência exagerada, sai batendo a porta com força e querendo destruir alguma coisa.

Tracei os corredores do Instituto com rapidez e fúria, minha cabeça estava a mil e a minha indignação latente me fazia ficar vermelho. Subi os degraus para ir em direção ao meu quarto e tombei com um corpo forte e pequeno que o meu. Olhei para a frente e Isabelle me encarava confusa e preocupada.

- O que houve, Jace? Ouvi gritos - disse Izzy com os seus olhos castanhos escuros  me olhando com perícia.

- Nada, só o poderoso Inquisidor fazendo valer sua fama. - disse bufando e cruzando os braços. - As vezes acho que ele perdeu o juízo de vez.

- Não seja cruel, nosso pai é difícil de se entender, mas ele nos ama... só acredita que está fazendo o melhor por nós. - disse Izzy puxado o meu braço o meu braço e passamos a andar em direção a biblioteca.

- Mas me irrita essa mania de tentar controlar cada passo que damos.

- Também me irrito com isso, Jace, mas entendo que ele tem os seus medos.

- Mas desta vez ele exagerou. Quer me obrigar a casar com Lady Britney, sabendo que eu estou apaixonado por Clary. - disse com certa raiva, nesse momento Izzy parou de andar e me olhou confusa.

- Com Britney? 

Britney queria apenas o título e as regalias de ser a diretora do Instituto, para ela pouco importava os sentimentos, mas o que se poderia esperar da filha de um dos conselheiros de Robert. Aquele mulher vivia no mais alto luxo é cercada de mimos, era bela como um anjo de fato, mas seu coração já havia apodrecido há muitos anos atrás.

- Sinto muito, Jace. - disse Izzy se aproximando de mim e colocou a mão no meu ombro para me confortar. - Ela não merece um pingo de seu amor ou até amizade. Você merece Clary que te ama loucamente além de tudo isso.

- Tudo bem Izzy. Mas também mereces alguém que a ame além da sua posição.

- O papai não pode fazer isso, não pode obrigá-lo a se casar sem vontade. É errado até mesmo perante à lei...

- Eu sei. Mas só consigo pensar em um jeito de fazer tudo entrar nos eixos. - disse deixando meu olhar se deslocar no plano que já bolava desde que sobre que me ia casar.

- E o que pretende fazer? - disse Izzy sem deixar a curiosidade de lado.

Olhei para os lados e depois de verificar que estávamos sozinhos fitei novamente a Isabelle.

- Vamos trazer Alec ao Instituto.

 


Notas Finais


Odiaram?
Gostaram?
Alguma dúvida?
Por favor comentem muito.😘🤗😄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...