História Mammy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 743
Palavras 1.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria dizer que estou IMENSAMENTE agradecida pelos favoritos que consegui até agora, sério, vocês são fodas. Tanto aqueles que estão aqui pela primeira vez, quanto aos que estão aqui de novo. Amo vocês!

Boa leitura amores.

Capítulo 2 - Crazy


Quente.

Suspiros.

Minha respiração estava acelerada, meu coração estava a mil. Eu forço meus olhos, pois sinto um calor terrível se alastrando em mim, especificamente, abaixo do meu abdômen.

Sinto algo arranhar desde meus seios até meu abdômen e se alojar no meu quadril e então sinto um vento no meu ventre. Algo quente bater de encontro à cabeça do meu...

– Caralho... Oh! – sinto algo devorar meu pau, algo gelado o engolir por inteiro.

Abro meus olhos bem devagar e enxergo tudo escuro. Mas eu me desperto completamente quando sinto um aperto nas minhas bolas.

Fico apoiada nos meus cotovelos e...

– Mas o que...? – minha visão ainda esta meio turva, mas reconheço aquele corpo acima de mim, seria uma loucura não reconhecer aquele corpo – Ma-mãe? – eu gaguejo em desespero, mas logo começo a grunhir quando sinto sua língua aveluda lamber toda extensão do meu pênis – Porra!

Vejo seu olhar bater de encontro ao meu e ela sorrir. Mas era um sorriso maléfico, jamais visto por mim.

– Lauren!! Que porra é essa? – a afasto com um empurrão, porém, ela senta bem em cima do meu pau e eu mordo meus lábios para não gemer – O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTA FAZENDO? – berro e ela segura meus pulsos e me joga na cama novamente e os prende.

– Shiii, fica caladinha Camz e aproveita... – ela se abaixou e sentir um arrepio no meu corpo quando senti sua respiração bater forte no meu ouvido – Que eu vou te chupar bem gostoso!

É agora que eu morro.

Ela mordeu de leve o lóbulo da minha orelha e foi lambendo desde meu maxilar até clavícula e mordeu forte ali, com certeza ficaria a marca. Forço meus braços e ela os solta.

– NÃO! PARA! Que merda Lauren, para! – fico sentada com ela no meu colo e seguro seu rosto e ela de súbito segura minha mão esquerda e chupa meu dedo indicador.

– Imagina eu fazendo isso lá em baixo – ela rebola de leve no meu colo e só então percebo que estou sem cueca e bem, ela esta sem calcinha. Vestida apenas com um blusão enorme.

Ela morde de leve meu indicar e passa a língua sobre ele.

– Eu não aguento mais Camz! Não aguento mais transar com meu marido e imaginar você me fodendo no lugar dele – ela começa a rebolar novamente e eu cravo minhas unhas na sua cintura em uma tentativa, falha, de fazer ela parar.

– Eu não entendo Lauren, você é minha mãe... O que há de errado com você?! Pelo amor de Deus!! PARA! – novamente tiro a mão que ela segurava meu membro e a jogo na cama e saio dela cambaleando e me encosto-me à parede do meu quarto – O que deu em você? Você nunca... Isso...

Eu não conseguia nem raciocinar direito, ela só fazia rir da minha cara. E balançar a cabeça.

– Não banca a tímida Camila, acha que eu não vi você mais cedo? – arregalei os olhos. Ela me viu? Como? Não era possível – Ah, agora fica caladinha é?

Ela joga a cabeça para trás rindo e quando volta a olhar para mim, sua mão escorrega para entre suas pernas e... E ela começa a se masturbar na minha frente. Eu olho para o lado e fecho meus olhos.

Isso é um sonho, tem que ser!

– Olha para mim! Eu sei que você quer olhar... Sei que esta dura por mim – mesmo com a respiração falha eu balanço a cabeça e passo minhas mãos pelo meu cabelo e o puxo, isso é loucura – Faz como você fez hoje mais cedo! Eu sei que você gostou de me ver nua, sei que gozou como nunca!

Sinto uma respiração bater de encontro a minha bochecha, ela era. Mas eu não queria abrir meus olhos. Eu sei que é um sonho, um maldito e excitante sonho.

– Pode negar o quanto quiser. Mas... – senti algo molhar meu abdômen – Eu sei que você amou me ouvir gemendo seu nome – mordi meus lábios, senti um sopro bater de encontro as minhas bolas.

Joguei minha cabeça para trás e soltei minha respiração quando senti ela engolir uma das minhas bolas e subir com a língua até a cabeça do meu pau.

– Nã-não faz isso, po-por favor, não... OHH – seu nariz gelado bateu no meu ventre e o barulho de sucção ecoou pelo meu quarto.

Eu não podia negar, não agora em que eu senti os músculos da sua garganta massagear toda a minha extensão... Ela sabia fazer aquilo muito bem, porra, sabia demais! Ela me engolia inteira, nenhuma outra jamais conseguiu fazer aquela proeza, modéstia parte eu não era nada pequena. Não era atoa que me chamavam de Milão ou Karlão. Eu nunca medi meu pênis, mas sempre fazia estragos nas garotas em que eu dormia.

Mas para Lauren aquilo não era problema, pois ela parecia gostar, o chupava com devoção. Como se ela fizesse aquilo há muito tempo, sua boca parecia me conhecer. Cada centímetro, parecia saber do jeito que eu gostava. Lento e forte.

Sempre que ela subia e descia com sua cabeça, ela fazia questão de cravas suas unhas na minha coxa. Já estava começando a arder. Senti ela morder com um pouco de força a minha glande.

– Isso dói, quer me deixar sem pau? – falei com a respiração falha e a olhando pela primeira vez desde que começou a me chupar.

– Só olhe para mim, entendeu? – mesmo odiando aquilo tudo porque era errado, eu apenas assenti.

E ela voltou a me devorar.

Eu nunca tinha olhado para Lauren com outros olhos. Quer dizer, às vezes eu me pegava olhando descaradamente seu corpo, mas não com malicia. Apenas a observava. O jeito carismático dela, os sorrisos, seu jeito único de ser. Bruto e fofo ao mesmo tempo. Era uma mulher em tanto, inclusive, achava que meu padrasto era um puta sortudo. Mesmo ele sendo um babaca às vezes, ele fazia jus a ela.

Mas ela estava ali, de joelhos para mim, me chupando com gosto e com malicia. Olhando nos meus olhos enquanto sorria da maneira mais descarada que eu já vi.

– Fode minha boca Camz, fode – ela balbuciou parando de me chupar – Vamos, eu sei que você esta louca para fazer isso – soltou uma piscadela.

Louca? É, estou mesmo. Por estar transando com você! Mas que se foda...

Agarrei seus cabelos negros e fiz um falso rabo de cavalo e fiz ela me engolir e comecei a estocar com raiva.

– Hum! Hum... – ela gemia enquanto eu forçava meu quadril e sentia seu nariz bater no meu ventre.

Sua boca aquecia meu pau e eu ficava louca ao ver filetes de salivas brilhando no canto de sua boca.

Já era perceptível pelos meus gemidos altos, que eu estava a ponto de gozar. Minhas bolas estavam para explodir.

– Oh, isso! – o calor estava possesso do meu corpo, o suor impregnado no meu coro cabeludo, escorrendo pela minha clavícula. Os grunhidos delas misturados com os meus gritos, tudo era uma bola de excitação em chamas.

TOC TOC*

Que barulho é esse?

TOC TOC*

– AHHHHH – gritei e sentir vários jatos saindo e molharem... minha cueca?

Acordei em um pulo e vi vários raios de sol invadindo meu quarto, a porra da curtinha esta aberta.

Eu esta literalmente molhada, o suor era tão grande que meu travesseiro e o lençol da cama estava encharcados.

– Não acredito... – murmurei em decepção – Eu sabia que era sonho, caralho! – xinguei ainda ofegante.

Olhei para baixo e vi minha ereção não tão alta, afinal, eu havia acabado de gozar. E muito por sinal.

TOC TOC*

– Que merda – levantei e arranquei todos os panos da cama e agarrei meu travesseiro – Um momento!!

Corri para o banheiro e os joguei no sexto de roupa suja e arranquei com raiva minhas roupas ensopadas. Prendi meu cabelo e entrei debaixo do chuveiro para tirar todo aquele cheiro nojento. O sonho foi ótimo, porém, o calor estava em alta pelo visto.

– Pronto – não demorei mais que 3 minutos, obviamente eu voltaria para tomar um banho descente depois que abrisse a porta.

Peguei uma cueca e peguei uma camiseta qualquer no meu guarda roupa e abrir a porta às pressas.

– Pelo amor de deus Camila, achei que estivesse morta aí dentro – senhor me acuda!

– Lauren?!


Notas Finais


Novamente peço a aqueles que estão aqui pela primeira vez, dá uma ajudinha aqui e favorita a fanfic. Vejo vocês amanhã. Beijo.
@SrtWilliams5H


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...