História Mammy Swan. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swanqueen
Exibições 292
Palavras 1.789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus leitores, aqui estou Eu novamente. Muito obrigada por tudo, sou imensamente grata nem sei como agradecer a cada leitor.

Capítulo 3 - Desobediência


Fanfic / Fanfiction Mammy Swan. - Capítulo 3 - Desobediência

- Acordo com uma vontade de ir ao banheiro, minha barriga está doendo. Sinto o corpo de Emma, me abraçando. Tento me levantar, sem acordar Ela. Quando ouço sua voz autoritária falando meu nome.

- REGINA ! - onde Você vai ?

- Preciso ir ao banheiro, minha barriga está doendo. Fala com a mão, em meu abdomém.

- Você não precisa ir ao banheiro Babby, está com a fralda ! - Se esqueceu ? - Agora deite, e volte a dormir são 3:00 horas da manhã.

- SWAN !

- Emma se levanta da cama. -  Se esqueceu da nº1 regra,  deve sempre me chamar de Mammy. - É difícil para Você obedecer regras Regina Mills ? - Quantas vezes tenho que falar para me chamar de "Mammy" Regina. - Estou perdendo a paciência, a pouca que me resta. Da próxima vez não serei  tão boazinha quando lhe aplicar outro castigo. Agora deita e durma, e nada de ir ao banheiro está de fralda Babby. - Suas necessidades básicas é para ser feita na fralda, foi para isso que coloquei.

- Emma, está  descontrolada ao ouvir Regina lhe chamando de Swan. Seu sangue ferve, fica com raiva, sua vontade é de aplicar outro castigo em sua Babby malcriada. Se ficar perto de Regina, vai acabar fazendo uma loucura. - Olha para sua Babby, que está deitada. - Regina, quero que durma é uma ordem nada de ir ao banheiro. Vou para o escritório e ao voltar quero que esteja dormindo. - Fala Emma, que vai para o escritório precisa beber, aliviar a cabeça. Pega uma garrafa de Whisky com três pedra de gelo, se senta na cadeira olhando para a foto de sua Babby Girl em cima da mesa. - Precisa ser mas calma com Regina, mas não consegue. Bebe varias doses, deixando a garrafa pela metade. Seus pensamentos estão em sua babby, que está deitada na cama sozinha dormindo.

- Regina, continua deitada na cama, por que Emma Swan é assim ? - Amorosa, e bruta ao mesmo tempo ? - Minha barriga dói, preciso ir ao banheiro ! - O que vou fazer ? - Lágrimas cai de meus olhos, me encolho na cama. Sinto o pulg me machucando, abraço ao ursinho ao meu lado e durmo.  Com dor na barriga, preciso ir ao banheiro.

- Me sinto tonta, acho que bebi muito. Olho para a garrafa está na metade, me levanto com dificuldade. Minha visão está embasada, subo as escadas e vou para a ultima  porta do corredor. É o quarto de minha Babby Girl a Gina, abro a porta  e vejo dormindo. Entro lentamente e acabo esbarrando no abajur que cai no chão, fazendo o maior barulho. Olho imediatamente para Gina, que dorme. Graças a Deus, que tem o sono pesado. - Vou até o banheiro e tomo um banho na água gelada, e volta para a cama deitando ao lado minha Babby mas parece um anjo. Passo a mão em sua bunda, e sinto o volume do xixi. Com certeza acabou de fazer, pois a fralda está morna. - Boa menina ! - Assim que gosto obediente, e dormo abraça  a Regina. - Acordo 8:00 horas da manhã, com a luz do sol batendo em meu rosto. Sinto uma forte dor de cabeça, passo a mão na cama e não sinto Regina. Abro os olhos lentamente, e sinto uma raiva, meu sangue ferve como um vulcão. - Onde está Regina ? - Vou até o banheiro, e vejo a fralda que usava na noite passada no lixo. - Ela vai me pagar ! - Dessa vez não serei tão complacente, desço as escadas e não encontro Regina na sala, nem no escritório. Vou até a cozinha e encontro sentada, tomando um copo de suco de maça. - REGINA MILLS ! - Como ousa me desobedecer, vou até Ela e puxo seu braço deixando a marca de minha mão. Levo para o quarto do castigo, Ela vai me pagar por sua desobediência ! - Entro no quarto com Regina, vejo lágrimas em seus olhos. Fecho a porta, retira suas roupas, é uma ordem tem um minuto. E marco no relógio, vejo medo em seus olhos, é isso que quero que sinta medo. - Está linda apenas com uma camisola cinza de seda, e uma calcinha fio dental preta. Vejo as marcas de minha mão em sua bunda branquinha, da noite anterior. Até o pulg anal a cadela da Regina retirou. Ela precisa saber quem manda, e sou EU EMMA SWAN ! - Está nua, seu corpo é lindo cheio de curvas, sua bunda grande, seios pequenos. Preciso ser forte, respira Emma primeiro o castigo sua Babby está merecendo. - Deita na cama de bruços, e levanta os dois braços para cima.  Rapidamente Regina me obedece, pego um par de corrente preta de couro e amarro seus pulsos prendendo na cabeira na cama e os tornozeleiros. Faço o mesmo com um par de tornozeleiras, amarrando nos pés da cama. Minha Babby está vulnerável, amarrada, indefesa, pedo um chicote de couro com três pontas. E acerto a primeira chicotada em sua bunda, que fica vermelha, ouço seu grito que sai e se espalha por  todo o quarto. Quero que conte, cada chicotada em voz alta. E acerto mas uma chicotada, e não ouço a voz de Regina. - Está me ouvindo ! - Quero que conte, comece a contar  ou seu castigo será pior Babby. Acerto outa chicotada com toda a minha força, que bate em suas costas soltando um grito cheio de dor. Vejo seu corpo tremendo, ouço seu choro e soluços. E logo em seguida ouço sua voz rouca e falha. 

- U-U-U.... um.

- E assim continuo, até completar 10 chicotadas. Regina chora e implora para mim parar, suas costas, bunda e pernas estão cheias das marcas das chicotadas. Estão vermelhas, em alguns lugares um tom de roxo. - Seu castigo apenas começou Babby Girl, abro sua bunda e vejo seu anus. Sou louca naquele buraquinho pequenino apertadinho, dou um tapa em sua bunda  com a mão. E vejo seu corpo se encolhendo de dor, cuspo liberando minha saliva em sua mão e passo a mão lubrificando Coloco meu dedo médio dentro de anus, e sinto como é aperta. O movimento, como minha Babby é apertadinha e quente. Estou dentro da minha bonequinha.

- EMMA !

- Ouço a voz de Regina me chamando, pelo meu nome. - Quando vai aprender, a me chamar por "Mammy"  ? - E acerto outro tapa em sua bunda, que grita de dor.

- D-D-Descul ... desculpas .

- Finjo que não ouço, e pego o pulg anal em formato de pênis e coloco no anus de minha Babby. - Ouço o seu choro, e seu corpo que se mexe. - Ainda não acabei Regina Mills ! - Vai aprender a me obedecer, por bem ou por mal. - E principalmente me chamar de Mammy, retiro as tornozeleiras, e as correntes de seu pulso que estão vermelhos e com a marca. - Agora se sente na cama, com os braços para trás. Pego uma corda e amarrado, ficará de castigo no cavalete que está no canto do quarto é de madeira. Seu castigo tem duração de 1 hora,  vai depender de como se comportar ou poderei aumentar para 2, 3 horas. A escolha é sua Regina ? - Pego em meu colo, e levo até o cavalete. Está nua, sem calcinha, seu corpo treme.  - Me sento em uma cadeira do lado do cavalete, e observo Regina. Marco a hora, vejo que está se mexendo, está com dor, desconforto, vejo lágrimas em seus olhos. - Depois de 20 minutos, Regina pede para sair está chorando, soluçando e tosse. - Não respondo, e continuo ali olhando para minha Babbby, quando o relógio apita 1 hora se passou. E continuo sentada, até completar duas horas. - Observo Regina seus olhos estão cheio de lágrimas, seu corpo treme, pego em meu colo e a levo para o banheiro. Coloco na banheira na água morna, e retiro as cordas de seu braço. Dou lhe um banho, lavo seus cabelos não falo nem uma palavra com minha Babby. Regina mantêm a cabeça baixa, termino o banho e levo para o quarto. Coloco na cama, enxugo todo o seu corpo. Coloco uma fralda plástico, passo pomada na pequena assadura que se forma em sua virilha e aplico talco. - Regra n º2 : Usar  sempre fralda,  espero que tenha aprendido a lição. - Nunca mas retire a fralda sem minha permissão, está me ouvindo Regina Mills !

- S- Simm M-M-Ma ... mmy.

- Boa menina, agora descanse. - Vou preparar a sua mamadeira, me espere deitadinha Babby.

- Não estou com fome !

- Mesmo assim Regina, vai mamar toda a sua dedeira. - Quero que fale como uma menininha de 3 aninhos. - Se esquece da regra nº6 : Falar como uma criança.

- D-D-Desculpa !

- Dessa vez te perdoa Gina, agora vou preparar sua mamadeira. - Desço para a cozinha e preparo uma mamadeira com leite, musilon e umas gotinhas de analgésico pois sei que Regina ficará com dor. Tomo um remédio para dor de cabeça, e subo as escadas de volta para a suíte Mills. Encontro Regina chorando, me parte o coração. - O que aconteu Babby ? - Está com dor ?

- Minhas costas dodói !  - Fala Regina manhosa.

- Shishishi calma Babby, vem deita nas pernas da Mammy. - Sinto Regina manhosa, chamo Ela que deita com a cabeça em minhas pernas. Dou lhe a mamadeira está morninha, que toma todo o leite, feichando os olhinhos vermelhos, inchados varias vezes. - Fico horas admirando a beleza de minha pequena Babby Girl, que dorme. Coloco a chupeta rosa em seus lábios, Regina é linda, uma Babby fofa. Mas precisa saber quem manda, e principalmente  me respeitar, obedecer ordens e as regras. - Está sendo difícil para Regina aceitar as regras, quem sabe depois desse castigo não aprenda a ser mas educada, compreensiva.  - Observo minha babby dormindo, sugando a chupeta rosa e segurando o ursinho.  - Quando ouço meu celular tocar ! - Quem será  ? -  Alô, Você ! - Já não falei para não me ligar, não quero saber de Você ! - Será a última vez que  me liga. Me espere no mesmo lugar, daqui 10 minutos estarei aí ! - Agora respire, calma, estou chegando. - Me parte o coração ter que deixar Regina sozinha, mas será rápido menos de 1 horas estou de volta. Está dormindo, nem vai sentir minha falta. Cubro seu corpo, beijo sua testa e vou para o meu encontro. - Estarei de volta para minha Babby.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...