História Man! I fell like a woman! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 5
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Goog night a todos os leitores!
Me digam, estão gostando ? Tenho mais ideias para a continuação dessa fic....
Bom, deixem seus comentários ;)
Enjoy ;**

Capítulo 3 - Ele


Fanfic / Fanfiction Man! I fell like a woman! - Capítulo 3 - Ele

Itachi

Olhei para o relógio novamente: 16h51. Estava na sala de reuniões ouvindo pela centésima vez uma apresentação de um dos meus advogados sobre um problema com uma obra que ele apresentaria no dia seguinte. Meus olhos forçavam a fechar, a luz mantinha-se baixa por conta do computador ligado e da apresentação em vídeo. Pousei meu rosto em uma das mãos, sentindo meus dedos formigarem. Só pensava em ir pra casa tirar um bom cochilo, tomar um gole de vinho, comer alguns petiscos e assistir alguma coisa aleatória na tv. Vi Konah entrar na sala, trazendo uma bandeja com mais cafés para os ouvintes. Antes de sair, deixou um bilhete na minha frente, com sua bela letra cursiva:

''Não esqueça a entrevista com a estudante, ela aguarda na sua sala.'' 

Suspirei. Mais essa pra atrasar meus planos. Tentaria armar um modo de escapar, já que era a segunda só naquela semana. A maioria dos estudantes, principalmente de administração e direito, iam em busca de entrevistas e matérias, querendo saber o grande segredo do meu sucesso e da empresa. Me sentia animado com a perspectiva de ser um exemplo para muitos, mas naquele dia estava excepcionalmente cansado. Pensava também na reunião que teria com meu irmão mais novo, mais tarde em meu apartamento, sobre os problemas familiares. Seu pai, já muito velho, teimava em continuar fazendo trabalhos em casa e a mãe dos garotos estava preocupada com a saúde do marido, então reuniria os filhos para conversarem sobre a possibilidade de férias prolongadas. 

- Então é isso, obrigado a todos! - ouviu o advogado, animado. Acompanhei as palmas dos participantes e me levantei, apertando a mão do companheiro de trabalho. Desvencilhei-me rapidamente dos homens e apanhei meu terno na cadeira. Passaria longe da minha sala. Acenei para todos e caminhei com pressa até o elevador, deixando Konan sem resposta atrás de sua mesa, no hall dos escritórios. Apertei o botão térreo e suspirei, aliviado.

- Fugindo ? - ouviu uma voz feminina em minhas costas.

Olhei para trás e encarei uma garota magra, de cabelos lisos e cor de rosa. Entrara tão rapidamente que nem reparara na presença da estranha.

- É...muitas coisas ainda pra fazer, sabe. - pigarreei, arrumando a gravata e voltando a olhar para frente.

- Eu também, mas um imbecil marcou horário pra entrevista e não apareceu, só me fez perder tempo. - a voz da rosada demonstrava profunda irritação. Então era dela que tinha se safado. Sorte ou azar ?

- É...isso acontece... - tentei parecer sério, não queria que ela desconfiasse que o canalha estava na sua frente. - Temos qu...

Parei bruscamente a frase, assustando com o tranco do elevador. A garota segurou meu braço com as duas mãos, rapidamente. O elevador parara e apagara completamente. Apertei o botão do térreo várias vezes, sem sucesso. Peguei o telefone do gancho e disquei para o hall de entrada principal, estava mudo. Apanhei meu celular do bolso, porém estava sem sinal algum. 

- Que isso ? - ouvi uma voz esganiçada choramingar, agarrada no meu terno liso e limpo.

- Não sei, deve ter acabado a energia. - respirei fundo. Era só o que faltava.

Tateei as paredes do elevador em busca de algo que pudesse iluminar, mas estava sem opções. Deixei meu celular com a lanterna ligada, iluminando nossas faces assustadas. Outro tranco. Comecei a me sentir preocupado.

- A gente vai morrer! A gente vai morrer, céus, odeio elevadores!

- Calma! - pedi, nervoso. - Precisamos esperar os bombeiros.

- Precisamos sair daqui!

- Eu sei! - já estava começando a me irritar com o chilique da rosada.

Mais um tranco, esse mais forte que o anterior. Parecia que o elevador descia aos poucos. Peguei no braço da garota e fiz ela se sentar ao meu lado no piso frio. Precisávamos manter a calma. Um barulho alto, forte e então senti um vento frio percorrer minha espinha, o barulho parecia de corda arrebentando. A corda do elevador. 

- Céus, a gente vai morrer! 

Segurei firme as mãos da garota. Senti minhas mãos suadas e as dela tremerem. E então, um tranco ainda mais forte e uma sensação de queda. Senti meu pescoço ser apertado por dois braços finos e gelados e bati a cabeça com força na parede envidraçada do elevador. Desmaiei segundos depois. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...