História Mangá Weapons - Capítulo 38


Escrita por: ~

Exibições 3
Palavras 1.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


– " Avisem o pessoal que nas notas finais vão ser faladas 2 animes que irei tirar da historia...."
– Rumi? O que eh isso?
– Parece que o senhor Seikie deixou uma carta.
– OK...... Mas o que eh desse horário....
– " Tambem avisem o pessoal que o horário de postagem ira mudar."
– Ok.....
– " Então espero que gostem!"
– Ate aqui?

Capítulo 38 - Dois grupos



– Aquele era o Taku?
 Levantando poeira, novamente os dois que estavam em batalha começaram a subir o pilar.
 A cada impulso que davam nas escadas, já sobrado apenas em partes, faziam cair cada vez mais destroços no último andar.
 – Ei, ei, eiei!! O que eles estão fazendo aqui?
 – Aquele é o seu irmão? Tem certeza?
 – Ai, como nós vamos sair daqui agora?!
 Os quatro que foram deixados para trás ficaram paralisados, sem saberem o que fazer.
 – Aquele era realmente o moleque ruivo? Ele era mais quieto do que cigarra após 8 dias!
 – Mas a cigarra morre no 7 dia.
 – Exatamente!
 Deixando a piada de lado, realmente. Yuu sempre foi um garoto quieto, não se destacava, fechado, falava pouco.
 Tendo vindo de outro país para o Japão quando era pequeno. Tendo como a única amiga Rumi, a única que não se irritava de ele não poder falar japonês na época.
 – Yuu-chan.... – " Preciso fazer algo."
 – Ei algo está caindo!
 E nesse momento novamente a poeira se levantou, muito mais intensa e forte que a última rajada.
 " Preciso fazer algo."
 – Aiaiaiai, de novo foi isso?
 – Aquele cara deve estar chamando o..... " Yuu"... Era isso? .... Aquele cara deve estar chamando o Yuu para o topo do pilar para que no fim dê um golpe para a queda livre.
 " Preciso ajudá-los."
 – Se ele continuar assim.... Vai acontecer o que? Hein?
 " O que vai acontecer com Yuu-chan?"
 Passou-se alguns segundos.
 Segundos esses que pareciam levar uma eternidade para certas pessoas.
 – ... Quem é aquele?
 Foi então que finalmente a poeira se dispersou, mostrando nitidamente os dois personagens que estavam no meio dela.
 Porém com uma diferença.
 – Era o irmão mesmo....
 Taku tinha voltado a sua forma original. Magro, fraco e de cabelos negros, além de por algum motivo estava com uma garota entre os braços no lugar da espada.
 O garoto levou um golpe, logo após de ter deixado a garota nos chãos.
 O ataque conseguiu se mostrar extremamente doloroso, espalhado e poeira mais ainda aos arredores.
 " Taku!!"
 Mas o movimento não parou. O garoto ruivo continuava a se aproximar, balançando seus chicotes enquanto mostrava a insanidade em sua cara.
 " Yuu-chan!!"
 As coisas que se pareciam com tentáculos pararam em uma pequena posição, aonde apontavam todos eles em direção a Taku.
 " Yuu-chan!!"
 – Yuu-chan....
 Por algum motivo algumas imagens começavam a aparecer em sua mente.
 Infância, ensino médio, época em que ele saiu para viajar, dificuldade que ele sofreu na vida pela loja de conveniência de seu pai, que expulsaram o próprio chefe de trabalho.
 Tudo que a Rumi sabia.
 – Yuu-chan.
 Porém aquele lado dele, ela não conhecia, o lado aonde sempre quis chegar. Ela queria ser a pessoa que clareasse o escuro que o garoto possuía.
 – Yuu......
 Agora era a chance.
 – .... Matsuo Yuusuke...
 E por algum motivo ela disse o nome completo de seu amigo.
 Colocando se a frente de seu irmão mais velho.
 – Yuu-chan.... O que você está fazendo?


 .....


 " Finalmente você percebeu agora, no momento, lerdo?"
 " .... Que?"
 " Hahaha.... Lerdo, demorado, chamado..... Precisei até matar o inimigo principal desse castelo para chamar, convidar, atender sua atenção."
 " .... Que merda você está falando? Quem é você?"
 " Morte atendida, mortífera, chamada.... Olá, meu nome é ...."
 " Seu nome?"
 " .... Meu nome?..... Pode me chamar, falar, convidar?..... De....... E....... Character..."
 " Character?"
 " Kakaka.... Estou a te convidar, chamar..... Sasasa...... Ok......"
 " Caracter.... O que você quer?"
 " Querer? Exatamente nada, nenhum, nunca."
 " Então o qu-...."
 " Nunca, possível, sempre.... Pode vir..... Estarei a sua espera...... Sempre."
 " Ei, como assim?! Ei!! Ei!!"
 – Taku!!
 Ele acordou.
 Não que estava dormindo ou desmaiado, porém o garoto se mostrava sem reação e sem movimentos.
 Estava no ponto em que ele não tenha se assustado com o aparecimento de sua irmã nesse mundo.
 – Algo estava falando comigo.
 – Irmão!!
 – ..... Hã?! Rumi?! – A primeira reação dele foi de surpresa. A primeira reação dele após ter encontrado sua irmã, após 7 dias, em um universo paralelo que parecia ter saído de um mangá. – Você aqui?!
 – ..... Até que foi uma reação mais fraca do que imaginei........
 Fraca? Realmente foi fraca.
 Não que ele realmente não se importava ou coisa parecida, mas apenas estava sem tempo de raciocinar.
 Eles estavam no meio de uma luta.
 O seu poder sumiu de repente.
 Apareceu uma voz falando com sua mente.
 A voz se diz o responsável disso.
 E por fim o aparecimento de sua irmã.
 " O que porra........ O-........ Ma-s........ O que?!....... O que eu preciso fazer?!....... Preciso fazer uma reação?!"
 Taku ficou confuso. Chegou no ponto aonde ele se levanta, mas de resto ficava parado.
 " Não, pera..... Perdi os poderes, o cara da minha mente que falou comigo, apareceu a Rumi, e......... Apareceu a Rumi e......"
 A irmã começou a se aproximar.
 – Por quanto tempo fiquei fora de casa irmão?
 " Verdade..... Não preciso pensar em outra coisa."
 – Alô irmão? Como foi? Vai dizer que o tempo daqui comparado com o mundo real é muito mais lerdo e nem faz tanto tempo após eu ter sumi-........ Irmão?!
 Abraçada.
 Ignorando a existência do inimigo à sua frente, ambos ficaram em silêncio.
 Uma semana? Um pouco mais que isso? A única família reunida, a única pessoa da família que realmente Taku se importava.
 – Ah..... Ok irmão.... Chegando a esse ponto fica estranho.... Principalmente vindo de você.
 – ..... Ah.... Foi mal.....
 Soltaram-se.
 Olharam para o garoto-tentáculo, olharam para a faca de borracha verde na mão de Rumi, viram os três outros youkais em um canto da sala, e por algum motivo ambos já entenderam a situação.
 – Rumi.... Posso te pedir um favor?
 – Ué.... Faz tempo que você não diz isso..... Só vou dizendo que não pretendo sair de aqui até parar o Yuu-chan.
 – ........ Ok...... Ainda bem.... Eu não pretendo lutar contra esse cara sem ter alguma habilidade em luta.
 – Fugir do inimigo para colocar sua irmã contra ele.... Você é um irmão mais velho bem lixo ein?
 – Obrigado..... Me sinto melhor quando sou xingado.....
 – Masoquista?
 – Não, é que estou mais acostumado com isso..... Você sabe..
 Em resposta ao sorriso mal construído de Taku, a irmã também sorriu.
 Após isso, em alguns segundos eles conseguiram conversar com os outros 3 que estavam no local. Fato feito por causa do inimigo paralisado por algum motivo.
 Grupo Rumi, Rakimi, Ren, Shiki e Kuna. Ficaram responsáveis em parar o Yuu, que estava fora de controle.
 Enquanto Taku.
 – Algo lá de cima?
 – É.... Ouvi uma voz que pode ter vindo de lá.
 O garoto ficou responsável em descobrir quem foi a provável pessoa que matou a Hagoromo Kitsune, Rapoza das vestes celestiais, dona desse castelo.
 – Ok. – E esse foi o mesmo momento em que o cabelo ruivo começava a se movimentar em cima de uma cabeça. – Isso parece ser fácil para uma história de mangá, mas não se esqueceu que alguém pode morrer?
 – Err...... Dica para não morrer?
 – ...... Já leu Ansatsu Kyoushitsu?
 – ..... Já.....
 – Então é de boa.
 Taku começou a correr em direção à parte mais baixa da escada quebrada e Rumi caminhou em direção de Yuu.
 Apontou a faca verde em direção ao garoto e viu que os ataques iam começar.
 – Corra para o lado direito!
 Então com a ajuda de uma voz, a garota se desviou do primeiro golpe.
 – Você ajudar alguém é bem raro.
 Outra voz dizia enquanto chegava ao lado de Rumi para ajudá-la.
 – Ai, não tem outra forma de sair daqui sem ser derrotando ele não é?
 – É, acho que não.
 Mais duas vozes se alinharam a garota.
 Completando uma fileira de 4 pessoas.
 – Hyakki do Kuna ao seu dispor, não é, é, éé?
 – Ai, cala boca! Hyakki da Shiki! Vamos logo sair daqui!
 – Acho que não dá para acabar tão cedo, mas, o Hyakki do Ren vai utilizar de todo seu arsenal, provavelmente.
 – Err, o Ren e a Zasshikiwarashi vão ser os mais úteis provavelmente.
 – QUE?!
 O bater de chicotes ecoou dentro do pilar.
 – Você está de sacanagem né? Oi, oi, oioioi?!


Notas Finais


– " Vou direto ao ponto. Vou tirar One Piece e Tokyo Ghou. Ja que quando fui criar a fic eu fui colocando os animes que eu 'achava' que conseguiria encaixar. E no final de contas acho que não vou conseguir."
– Que cara irresponsavel.
– " Mas quem quer que realmente eles continuem, eh apenas comentar que pensarei em um jeito."
– Que idiota......
– " PS: Nao gosto desse horário já que não sei se tem muita gente lendo agora.... Sera que o numero de pessoas que leem aumentam pelas ferias?"
– Que desnecessário....
– " PSPS: Espero que tenham gostado!!"
– Que idiota ao quadrado.....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...