História Manic Polaroid - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Cellps, Jvtista, Mitw
Exibições 38
Palavras 2.603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Festa Parte 1


Pov Mikhael Linnynker

Meus olhos estavam vidrados no corpo desacordado a minha frente, um bisturi se encontrava em minha mão e a outra estava passando as pontas dos dedos no rosto a minha frente, meu lábio inferior se encontrava entre meus dentes e eu o mordia tão forte que o mesmo saía um pouco de sangue.

Havia se passado um mês, vinte dias, três horas e dois minutos desde que eu matei meu irmão e desde então não consigo matar mais ninguém, e era isto que estava acontecendo, não estava tendo coragem suficiente para matar este cara que estava a minha frente, eu tentava, mas não saía nada, minha mão sempre travava quando eu ia fazer um simples corte no mesmo...Talvez eu tenha virado um covarde, mas matar pessoas era minha maior diversão, logo que depois do sexo, e eu não estava conseguindo fazer uma das coisas que eu era “profissional”...A cena do meu irmão perdendo vários e vários litros de sangue em uma maca me vinha na cabeça e eu simplesmente perdia a coragem que sempre tive quando ia matar alguém e eu acabava deixando esta pessoa partir ou eu somente ia embora sem olhar pra trás....E era isso que estava acontecendo neste exato momento...

Minha mão acaba ficando tão fraca que o bisturi acaba caindo da mesma e o som do metal batendo no chão me fez despertar do pequeno transe, direciono meu olhar para o homem preso na maca e vejo seus dedos mexendo lentamente, em sinal que o mesmo estava acordando, fecho os olhos fortemente e sinto um pequeno toque em meu ombro direito, continuo com os olhos fechados e escuto um pequeno sussurro:

-Você consegue matar ele, Mike, orgulhe seu irmão –Aquela voz...eu conhecia aquela voz, mas eu não podia me levar por um pensamento, eu sei que ele esta morto e isto era somente uma miragem.

Abro os olhos novamente e vejo o homem olhando para todos os cantos, tiro o capacete de minha cabeça e o coloco em cima de uma pequena mesa ao meu lado, coloco cada uma das minhas mãos em seu rosto e faço o mesmo me olhar, seus olhos transmitiam um medo tão grande, transmitiam desespero também e este desespero em seus olhos pareciam tanto com os que eu via nos olhos de Harry quando o mesmo percebeu que eu iria o mata-lo.

Respiro fundo e fecho os olhos rapidamente para logo olhar nos castanhos do homem embaixo de mim, solto o ar rapidamente e começo a falar:

-Vou te deixar sair desta vez, se eu te pegar novamente saiba que não vai sair daqui vivo como desta vez –Falo tudo muito baixo e com a minha voz mais rouca que o normal, ele acena com a cabeça rapidamente e eu sorrio de lado- como sempre um sorriso falso- estico meu braço direito e pego a minha querida faca e começo a cortar todas as fitas que prendiam seu corpo na maca, vejo o mesmo se levantar da maca rapidamente começo a andar até a maca e me sento na mesma –Vá logo antes que eu desista do que acabai de fazer e te mate do jeito mais doloroso possível...E a chave do seu carro esta bem ali, e eu espero que não conte o que aconteceu aqui...Porque se contar saiba que vou atrás de você –Termino de falar olhando para o homem que estava estático perto do portão de ferro do armazém, ele acena com a cabeça e sai correndo de dentro do lugar.

Abro a mão lentamente e deixo a faca cair no chão, me arrasto para o meio da maca e me viro na mesma, para logo me deitar naquele metal frio e com um pouco de sangue seco na mesma, olho para cima e fico encarando a forte luz que havia naquele lugar por longos segundos, solto um suspiro alto e tampo meu rosto com minha mão.

Eu estava virando um fracote que não sabia nem se defender do inimigo, aqueles fracotes que passava o dia em seu quarto jogando algum tipo de jogo idiota o dia inteiro, eu estava perdendo minhas forças e até a policia parecia desistir do seu terrível Manic Polaroid, bom, eu não desisti de ser este “Terrível”....Só que eu não coseguia matar alguém, eu precisava de ajuda neste momento...Ou de um pouco de sexo...É, isso deve ser falta de sexo e bebidas....Somente isso, ainda toco o terror em Miami, todos ainda tem medo de se esbarrar com o Manic Polaroid e morrer nesta maca fria em que estou deitado...

Pov Tarik Pacanhan

-Noticias do meu assassino preferido? –Pergunto colocando as mãos em cima da mesa de Felipe, sim o mesmo havia voltado a trabalhar, mas ainda acho que o mesmo deveria ficar mais um tempo em casa, ninguém se recupera rápido de um sequestro como este.

-Nenhuma...como sempre –Ele diz soltando um suspiro um pouco alto demais –Será que ele desistiu de matar pessoas? –Ele pergunta serio e eu solto um riso baixo e reprimo os lábios logo em seguida.

-Felipe, assassinos como ele não desistem assim rapidamente, acredite, nenhum deles desistem de matar pessoas, matar pessoas é a maior diversão deles, o Manic Polaroid só deve estar preparando um plano para nos surpreender –Digo me sentando na cadeira a frente da sua mesa.

Como eu sabia disso? Bom, todos os assassinos em serie em que eu trabalhei no caso nunca chegaram a desistir de matar pessoas, como eu disse, isso era a sua maior diversão, eles viviam para matar pessoas e fazer a policia de retardada, bom, até a gente achar o mesmo e prende-lo, mas ultimamente o povo de Miami não estava muito confiante em nós, Manic Polaroid estava andando por estas ruas e matando pessoas a quase cinco meses e nós nem temos um suspeito de quem pode ser, ou na onde ele faz suas vitimas.

-Alo, alo, tenho boas noticias –Malena diz se sentando na cadeira ao lado da minha, a loira tinha um sorriso aberto grande e seus olhos brilhavam, sabem quando criança ganha chocolate? Então, pensem no olhar desta criança que vocês vão saber como era o de Malena naquele exato momento.

-Ganhou um caso novo? –Felipe pergunta desviando seu olhar do meu e olhando a loira que nos olhava alegremente.

-Não

-Prendeu alguém? –Pergunto também a olhando.

-Não...serio que não lembram? –Ela pergunta fechando seu sorriso lentamente, olho para o loiro a minha frente que neste exato momento também me encarava, reprimimos os lábios lentamente e fazemos uma careta confusa –Meu aniversario é amanha seus idiotas –A loira solta e como eu a conhecia super bem sabia que a mesma tinha revirando os olhos.

-Ah sim –Digo e abro um sorriso fraco para a loira que somente revirou os olhos...acho que irritamos a ferra.

-Vocês vão né? –Ela pergunta cruzando os dedos e abrindo aquele sorriso grande novamente –Falem que vão, vocês são meus melhores amigos –Ela diz olhando nos meus olhos e depois nos de Batista.

-Eu não tenho nada para fazer amanhã à noite mesmo –Felipe diz dando de ombros e agora os dois começam a me encarar, engulo a saliva que tinha se formado em minha boca e começo abrir a mesma rapidamente.

-Tenho um jantar com o Diego –Murmuro e Malena solta um suspiro frustrado

-Vai trocar sua melhor amiga por um namorado? Serio isso –Ela arqueia uma sobrancelha para mim, encolho meus ombros e começo a olhar para baixo, se eu defender Diego neste momento eu e Malena teríamos aquela briga que tivemos no estacionamento novamente, e eu não queria isto de jeito nenhum

-Vou ver o que posso fazer, talvez eu leve ele para sua festa, tudo bem? –Pergunto baixo e tomando coragem parar olhar nos olhos castanhos da loira que mordia seu lábio inferior.

-Ótimo –Ela diz entortando seus lábios –E você tem o numero do Mike? Quero o mesmo na festa –Ela diz sorrindo, serio que ela havia virado amiga do Mikhael e eu não estava sabendo? Desde quando isso?

-Tenho o cartão dele, esta na minha sala e na gaveta de sempre –Digo e vejo Malena acenar com a cabeça e se levantar da cadeira, a mesma se agacha ao meu lado e sussurra em meu ouvido:

-Saiba que não quero seu namoradinho na minha festa, nela só tem quem eu gosto e ele é um lixo humano –Ela termina de sussurrar e deposita um beijo em minha bochecha, olho para a loira que agora andava até minha sala e a mesma pisca um dos olhos para mim

Volto a olhar o loiro a minha frente e observo o mesmo sorrindo brincalhão, suas mãos estavam em cima da mesa e seu lábio inferior entre seus dentes.

-O que? –Pergunto e o mesmo somente deu de ombros e voltou a olhar para a tela do seu celular, pendo minha cabeça para trás e começo a olhar o teto branco daquele ambiente.

O que eu fiz pra merecer uma melhor amiga que não gosta do meu namorado? Tem dia que eu acho que a mesma não quer que eu fique com Diego e sim com outras pessoas, bom, se fosse por certo moreno quem...Não, Tarik, pare de pensar nisto, você é do Diego, você vai se casar é com o Diego e não com nenhum moreno e barman...

X.X

-Serio que tem que trabalhar até mais tarde hoje? –Digo no telefone enquanto arrumava meu cabelo em frente ao espelho que tinha no meu quarto.

-Serio, amor –Diego diz do outro lado da linha –Tenho tantas coisas para fazer na empresa hoje e pelo menos você vai poder ir no aniversario da sua amiga –Ele diz a ultima frase desapontado, eu sabia o porque, ele sempre tentou ter a amizade de Malena e de Felipe, mas os dois sempre diziam a mesma frase...meu santo não bate com o dele

-Yep...Prometo não demorar lá, só vou passar um tempo com a Malena e estarei em casa antes das 3 da manhã e totalmente sóbrio –Digo pegando meu casaco de couro de cima do sofá de casa, começo a olhar em volta a procura das minhas chaves e logo vejo as mesmas em cima do balcão.

-Promete de dedinho? –Ele pergunta brincalhão e eu somente reviro os olhos enquanto saia de dentro de casa e andava até meu carro, entro dentro do mesmo e jogo meu casaco no outro banco do carro.

-Prometo de dedinho –Falo enquanto colocava a chave na ignição e logo pegando meu cinto de segurança e colocando o mesmo –Mas eu vou desligar aqui, já estou indo para a festa –Digo e escuto meu namorado soltar um suspiro.

-Okay, se divirta lá e eu te amo –Ele diz e o mesmo nem me deu tempo de responder, já que o mesmo havia desligado a ligação.

Coloco o celular no banco de trás e ligo o carro...eu não queria me preocupar com celular hoje a noite, eu queria me preocupar em me divertir junto com meus amigos naquela noite, e era isso que eu iria fazer neste exato momento.

Pov Diego

Estava sentado na minha cadeira de couro que tinha na minha querida sala que eu trabalhava na empresa dos Linnynker’s, eu mexia meus dedos rapidamente olho para minha mão esquerda para encontrar um anel de ouro ali, reviro os olhos e tiro o mesmo do meu dedo, guardo o mesmo dentro da minha gaveta e escuto a porta sendo aberta, levo meu olhar para a mesma e vejo Alexa entrando na minha sala com um sorriso malicioso nos lábios, bato em meu colo e abro meus braços logo em seguida.

-Venha cá, gostosa –Digo sorrindo e a mesma passa canta uma das suas pernas de um lado da minha cintura, coloco minhas mãos em cima da sua bunda e dou um pequeno aperto na mesma, fazendo a morena arfar, sinto seus lábios quentes em meu pescoço e mordo o lábio inferior –Sem marcas

-Quando vamos poder ir embora daqui? –Ela pergunta enquanto dava pequenos beijos em meu pescoço, reviro os olhos e vejo um porta-retratos meu abraçando Tarik por trás, tiro minha mão esquerda da sua bunda e abaixo o porta-retratos com a mesma.

-Quando eu me casar com Tarik e poder mexer na sua conta bancaria, docinho –Digo e tiro seu rosto do meu pescoço –Agora vamos aproveitar nossa noite –Digo e começo a abrir os botões de sua blusa social.

Pov Tarik Pacanhan

Se eu dizer que eu sou a pessoa mais azarada deste mundo vocês acreditam? Acho que não, mas a partir do que vou falar aqui vocês vão.

Quando eu pisei dentro da casa de Malena vejo que tinha varias pessoas dançando na pequena pista de dança que a mesma havia feito na sua sala, a maioria tinha copos ou garrafas de bebidas em meus, em alguns cantos podia se ver algumas pessoas no maior amasso e em alguns sofás que tinha por ali tinha pessoas que estavam quase se comendo em cima do mesmo, aquilo parecia aquelas festas de colégios, mas como era Malena que estava fazendo esta festa eu não poderia duvidar que teria varias pessoas bêbadas pela casa a fora.

Mas o pior estava começando a partir do momento em que eu decidi procurar por Malena pela casa, por que era o pior? Porque quando eu achei a loira vi que a mesma estava junta com Felipe, um homem ruivo e com uma barba para fazer e um certo moreno que eu poderia conhecer de longe, sim, eu estava perto de Mikhael e eu não poderia fugir dele agora.

Respiro fundo e ando até a minha loira, coloco a mão em cima de seu ombro e a mesma se vira para trás, logo, abrindo um sorriso assim que seus olhos castanhos encontram com os meus.

-Meu pequeno chegou –Ela diz jogando os braços para cima e me prendendo em um abraço caloroso, eu sabia que a mesma estava bêbada, mas eu amava este abraço de urso da mesma, eu me sentia protegido de todo mau nele.

-Não trouxe presente, desculpe –Digo assim que saímos do abraço e meus olhos batem no moreno que me olhava de cima a baixo, me mexo desconfortável e vejo o mesmo abrir um sorriso fraco, parecendo que tinha percebido meu desconforto

-Naum tem poblema –Ela diz sorrindo abertamente, mas agora meus olhos estavam no ruivo parado ao lado de Mikhael e o mesmo tinha uma mão na cintura do moreno, mordo o lábio inferior e vejo Felipe perceber que eu encarava o ruivo.

-Pac, este é Keaton, Keaton este é o nosso melhor amigo –O loiro, que por incrível que pareça estar sóbrio, dizia enquanto apontava para o ruivo e logo para mim

-Prazer te conhecer –Murmuro olhando de cima a baixo e logo olhando para a sua mão na cintura de Mikhael, eles eram namorados ou coisa do tipo? Não que eu esteja com ciúmes ou sei lá o que, eu só quero saber

-Prazer é todo meu –Ele diz abrindo um sorriso maravilhoso.

Olho para Mikhael e o olho de cima a baixo, o mesmo usava coturnos, calça preta apertada e com um rasgado no joelho, uma blusa de frio preta e nos cabelos o mesmo também tinha uma touca preta...seu estilo de sempre, não que eu soubesse como o mesmo se vestia...Só que…Só que sempre que eu encontrei o mesmo ele sempre estava se vestindo assim.

Acho que esta festa não vai me fazer bem e sinto que algo vai acontecer nela...não era uma sensação de que uma coisa de ruim iria acontecer, era uma sensação que uma coisa muito boa iria acontecer.

 


Notas Finais


All The Love x
#LoveOnly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...