História Maninho - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Personagens Originais, Sehun
Tags Chanbaek, Incesto, Irmão, Lemon, Shotacon, Yaoi
Exibições 2.076
Palavras 1.593
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii amores!

Voltei com mais um cap dessa fic e NEM SEI COMO AGRADECER AOS MAIS DE 100 FAVS COM UM CAP!

Mas então... Esse cap tem um lemon muuuuto ruim, eu vou explicar ele nas notas finais e ELE É MUITO IMPORTANTE PARA O DECORRER DA FIC!!

 
Boa leitura!! ❤

Capítulo 2 - Um amigo para esquecer um amor


Fanfic / Fanfiction Maninho - Capítulo 2 - Um amigo para esquecer um amor

 

Não sei como ele pode passar a semana cansado se sempre dorme comigo e nem como dormir no sábado ia ajudar na aula de segunda, mas apenar abracei meu pequeno, sentindo o cheirinho de seu corpo recém banhado.

— Obrigado. — sussurrou.

— Tá dorme... Maninho.

    

               °°°°°

Capítulo Dois - Um amigo para esquecer um amor

                        XXXXXX

— Acorda Yeollie... — eu podia ouvir um sussurro repetidas vezes como uma voz no fim do túnel — Acorda!

— Porra Baekhyun! Me deixa dormir, cassete! — virei para o outro lado me enrolando mais nas cobertas.

— Já passa do meio dia e mamãe saiu, disse que precisava fazar algo urgente, cuida de mim. — pediu manhoso.

— Não, te vira pirralho.  — me agarrei as cobertas e voltei a dormir.

Não deu muito tempo e Baekhyun começou a se mexer demais na cama, de início não estranhei, até sentir uma boquinha tocar meu pau duro com uma ereção causada pela bunda dele se esfregar em mim a noite inteira.

Baekkie chupava só a pontinha pra me acordar, ele chegou a gemer um pouco colocando mais e mais na boca, fazendo movimentos rápidos. 

— Por que tá fazendo isso? — perguntei entre gemidos.

Ele levantou a cabeça com a coberta o cobrindo como um manto.

— Pelo que você se fez comigo ontem... maninho. — ele sorria e sua boca estava suja com a minha porra que escorria por ela.

#####

Acordei ofegante como se tivesse corrido a maratona, estava um pouco suado e desorientado.

— Yeol, você está bem? — olhei pro lado e a peste estava ali, sentado na cama com as costas escoradas na cabeceira da mesma enquanto comia Sucrilhos.

— Tô, foi só um pesadelo. — falei ainda ofegante.

— Pesadelos não causam ereções. Bom, normalmente não né... — apontou para o meio das minhas pernas onde a fina coberta estava um pouco levantada e voltou a comer.

— É, foi um pesadelo porque estava bom demais. — suspirei e olhei de novo para Baekhyun que estava chupando os próprios lábios tentando pegar o pouquinho de leite que escorria por seu queixo — Você não sabe comer ainda bebezinho? — falei um pouco irritado e ele fez bico.

— Não tenho culpa! Mamãe saiu e você estava dormindo, eu fiz o que eu sabia para comer! — gritou e ficou emburrado, largando o a tigela ao lado da cama — idiota!

— Desculpa bebê, desculpa! Vem aqui dá um abraço no seu maninho. Uhu?

Ele olhou pra mim e desviou o olhar algumas vezes, mas não resistiu por muito tempo, entrando embaixo da coberta e me abraçando, colocando sua perna direita sobre meu quadril.

— Te amo, Yeol. — disse baixinho beijando meu pescoço, eu ignorei o fato de seu pênis estar tocando o meu — que estava muito duro — e acariciei suas costas.

— Onde mamãe foi?

— Não sei, ela tem saído muito ultimamente, ela diz que sou crescido e que posso fazer as coisas sozinho. Ainda bem que tenho você aqui, perto de mim, porque eu não gosto de me sentir sozinho.

— Não precisava se sentir antes também, bebê, podia me ligar.

— Você mal tinha tempo e... — ouvimos a campainha tocar e Baekhyun se afastou — Sehun chegou.

— Você não vai...

— Eu não resisto, desculpa.

Ele levantou da cama e saiu correndo do quarto.

Fiquei alguns minutos na cama, pensando no que fazer da minha vida, a essas alturas meu pau já até tinha baixado. 

Quando comecei a ouvir gemidos foi demais pra mim, vesti a primeira roupa que vi pela frente e saí de casa, fui tomar um ar.

As ruas do bairro onde morávamos eram tranquilas, cheia de parques, sorveterias e mercadinhos, eu tive que andar mais de cinco quadras até achar um pequeno boteco e poder pedir uma cerveja, sendo olhado estranho pelo atendente.

— Não tem cara dos alcoólatras que estão sempre aqui. O que te faz beber tão cedo?

— Eu nem sei que horas são. — falei suspirando e continuei bebendo.

— Pouco antes do meio dia. Mas então, quer me contar o que aconteceu? Sou bom ouvinte.

— Nem sei seu nome...

— Do Kyungsoo.

— Park Chanyeol.

— Satisfação Chanyeol. Então? — perguntou enquanto limpava algumas mesas.

— Meu pai morreu quando eu tinha vinte um

anos e meu irmão caçula apenas oito, só que eu não sou filho da mãe dele, então eu me senti mal de ainda viver naquela casa, não sentia que era minha e fui para o serviço militar, fiquei lá uns anos e voltei faz dois anos. Mas o meu bebezinho não é mais um bebê, ele vive fodendo com um cara que só quer ele pra isso, só usa ele. Isso me faz mal, eu queria proteger ele de uma desilusão. Fora isso a minha vida é uma merda, eu trabalho numa loja de segunda a sexta, dez horas por dia e chego morto em casa, eu não tenho tempo nem de bater punheta, quanto mais procurar alguém pra transar, isso me deixa um tanto deprimido, porque meu irmão ri quando eu acordo de pau duro.

— E você acorda com frequência de pau duro? — ele perguntou sorrindo.

— Muita. — ri também e bebi maia um pouco.

Depois disso um pequeno silêncio se formou no local, que havia apenas eu de cliente ali, Kyungsoo começou a descer as portas de ferro e fechar o bar. 

— Está na hora do meu intervalo, o chefe foi viajar e me deixou tomando conta...

— Hm... — não consegui dizer mais nada e ele suspirou olhando pra baixo.

— Ahn, eu não sei como dizer é... 

— Quer transar comigo? — falei brincando.

— Quero. — ele respondeu sério, me deixando feliz e muito surpreso.

Sorri e ele chegou mais perto, puxando minha blusa pela gola e grudando nossos lábios.

— Posso te levar pra minha casa? Meio ruim transar aqui.

— Pode. — respondeu um tanto ofegante pelo beijo e me puxou para outro.

Quando finalmente consegui fazer ele desgrudar nossas bocas, saímos do bar e pegamos sua moto para ir mais rápido, Kyungsoo me desconcentrava na direção, ainda bem que era apenas alguns metros, porque sua mão me tocando já estava me deixando louco.

Chegamos a minha casa e o peguei no colo, levando quase que correndo até meu quarto, onde bati a porta com força e o joguei na cama.

— Eu não tenho muito tempo, então seja rapido.

Assenti e logo nossas roupas estavam no chão e Kyungsoo de bruços com a bunda bem empinada pra mim.

— Eu não tenho lubrificante, então vai com saliva mesmo.

Comecei a lamber sua entrada o vendo suspirar e empinar mais a bunda, logo já estava molhada o bastante para que dois dedos entrassem.

— Eu não quero ser preparado, mete logo... — e foi o que eu fiz, penetrando vagarosamente — Ahn caramba, é tão grande... 

Depois de esperar tempo suficiente para Kyungsoo se acostumar, comecei a meter rápido e forte vendo ele suspirar e gemer mais e mais.

— Ah, porra, é bem assim que eu gosto. Hmm 

Eu metia cada vez mais rápido, deixando nossos gemidos altos e entrecortados até que não aguentassemos mais e gozassemos, eu sobre sua bunda e ele no meu colchão.

Deitei ao seu lado ofegante e olhando para o teto.

— Isso foi...

— Só uma foda, nada mais. Mas pode me ligar as vezes pra transar assim de novo.  — ele disse sério.

— Quer almoçar aqui?

— Uhum.

°°°°°°

Depois de tomar um banho rápido e nos vestir, descemos para cozinha onde comecei a fazer macarrão ao molho branco e algumas batatas cozinhas e doradas com tempero verde.

— Sua comida tem um cheiro ótimo.

— Obrigado, vou chamar meu irmão pra comer, já está pronto. — saí da cozinha e fui até o quarto dele, vendo que estava tudo em silêncio — Baekkie, vem comer.

— Não to com fome. — respondeu fungando e eu abri a porta do quarto, vendo meu pequeno encolhidinho no meio da cama com lágrimas nos olhos — O que foi bebê?

— Não é da sua conta. — respondeu emburrado e fazendo bico.

— Tá bom, mas a sua alimentação é da minha conta, então você vem comer. — o puxei e peguei no colo, levando para cozinha e assim que ele viu Kyungsoo ali se grudou mais, não querendo soltar de jeito nenhum — Kyungsoo esse é o Baek, meu maninho. E Baek esse é o Kyungsoo, meu amigo.

— Amigos não fodem. — respondeu bravo.

— Baekhyun! Não fala assim e me solta pra que a gente possa almoçar.

— Não.

Suspirei e sentei na cadeira o desgrudando de mim e colocando na cadeira do lado.

Levantei e fui até o fogão, servindo a nós três e colocando os pratos na mesa.

Assim que sentei Baekhyun voltou para meu colo, dessa vez setado de frente para a mesa, e começou a comer.

— Eu não vou devorar seu irmão, Baek, a gente só estava conversando. — Kyungsoo falou rindo.

— Conversando sobre como o pau dele é bom dentro de você? 

— Baekhyun! — Repreendi dando um tapa forte em sua coxa.

O pequeno fez e bico e voltou a comer, fazendo um silêncio parar sobre o ambiente.

Kyungsoo terminou de comer deixou seu telefone escrito em um papel sobre a mesa.

— Me liga, mas se algo acontecer com esse papel, você sabe onde me encontrar. — beijou minha testa e saiu, deixando Baekhyun furioso.

— Por que ele? O que ele tem demais?

— Por que o sehun? O que ele tem demais?

— Sehun terminou comigo.

   


Notas Finais


Então, devidos a motivos pessoais eu havia dito que nunca mais faria ChanSoo, mas na hora de fazer essa fic eu precisei pôr o Kyungsoo kkk e eu não consigo mais "conviver" com ChanSoo, então não consegui desenvolver um lemon deles, mas enfim, o fato deles terem transando é o importante e não os detalhes, mas espero que vocês não larguem a fic por ter sido ruim e nem.poe ter sido ChanSoo.

Até a próxima meus amores!



Leiam a hybrid ChanBaek: https://spiritfanfics.com/historia/i-hate-love-cats-6707964

Minha OS Sekai: 

https://spiritfanfics.com/historia/run-away-6716784


A fic muito linda da Inaah: https://spiritfanfics.com/historia/my-pet-monster-6730915


falem comigo:


http://ask.fm/AvallonJae


https://twitter.com/_Avallon ;


https://www.wattpad.com/user/_Avallon


kakao e Line: mybabybyunnie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...