História Manobras Radicais - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Esportes, Grind (2004), Naruhina, Naruto, Sasusaku, Skateboard
Visualizações 17
Palavras 3.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Escolar, Esporte, Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Self Inserction
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OI, VOLTEI.
Galerinha, é o seguinte: a autora aqui vai sumir por um bom tempo, PORQUE VOLTOU PRA FACULDADE \O/
mas nunca deixando de verificar os comentários de vocês todos e sempre se alegrando com cada favorito que M.R ganha a cada novo cap.!
Esse capítulo foi um dos que mais gostei de escrever, pois, coloquei todas as músicas que invadiram minha mente durante esses dias todos e definiram bastante os acontecimentos, embora a história não seja song-fic.
Obrigada por gostarem tanto. Já estava ficando meio desanimada :(
Lembrando que, dessa vez, a música não será traduzida porque eles estão cantando, okay?
Ah, e aproveitem a dobradinha SasuNaru na narração em primeira pessoa.
EXCEPCIONALMENTE NESTE CAPÍTULO. ♥
MAS, ENFIM.
Enjoy it!

Capítulo 16 - Chapter XIV - Férias de Verão: O Gran' Finalle


Fanfic / Fanfiction Manobras Radicais - Capítulo 16 - Chapter XIV - Férias de Verão: O Gran' Finalle

Naruto

Não me arrependo de nada por ter decidido passar cinco dias descansando em um lugar que não fosse minha casa, por mais que seja uma grande e espaçosa mansão com direito à piscina e afins, embora o propósito fosse de esfriar a cabeça depois de tantos acontecimentos indesejáveis que andou ocorrendo, ao meu redor.  

É claro que sempre tem o nome de Sakura nesse meio, e tenho certeza que tanto eu, como ela, estamos cheio disso tudo. Caralho... somos de uma família de pessoas renomadas e com uma reputação a zelar! Pra quê tanto auê? Mediante a isso tudo minha querida irmã mesmo me prometeu mudar o seu jeito de ser e estou quase certo de seus progressos.  

Pude ver hoje, na praia, quando Sasuke finalmente tomou coragem e ambos conversavam o que tanto adiavam, sem saberem exatamente o motivo. Estou aliviado que tudo dera certo, principalmente quando tive o prazer de presenciar os sorrisos raros da skatista serem descobertos para tudo e todos que o contemplavam. Ela não sorria desse jeito há alguns dias e, devo acrescentar, além do pedido inusitado que me fizera naquela água.  

Leia o capítulo anterior, caso o(a) leitor(a) não esteja familiarizado com o ocorrido.  

A última vez que fiz isso, foi aos 15 anos, e me recordo o bastante pra dizer que ela era leve como uma pena. Então, percebi que sua massa corporal não mudara totalmente, pois foi uma tarefa fácil quanto lavar a casinha de Dexter.  

E lá fomos nós, brincar de cavalinho, como era antigamente. 

... 

Fora da praia, já anoitecendo, adentramos a casa mais felizes do que pinto no lixo. Claro, principalmente por causa do casal vinte - leia-se: Sasuke e minha irmã, e não Hina e eu - e a novidade que tanto nos aguardava. Quero dizer, exceto minha morena e eu, que já sabíamos e desconfiávamos desde o princípio.  

Sasuke havia saído da água de repente, alegando que iria comprar algo importante e suspeitei que minha maninha não deveria saber, pois se tratava de uma espécie de segredo. E agora estávamos todos ali, reunidos, ao redor da enorme mesa repleta de quitutes e variados tipos de bebida que nos esperava. Lembrando que, somos jovens, mas temos total ciência de nossos atos e as consequências que poderiam surgir a todos nós. 

Sem mais delongas, o Uchiha pegou um dos copos, já cheio com alguma das bebidas, e o bateu com o garfo, em sinal de atenção.  

O alinhamento de seu relacionamento com minha irmã seria finalmente oficializado e estou orgulhoso disso. 

─ Estamos todos reunidos aqui, nesta noite e neste último e incrível dia de descanso das nossas amadas pistas de concreto que deixamos para trás, a fim de desfrutarmos um pouco de sossego. ─ ah, como eu adoro esse garoto. Sasuke e suas cerimônias, tradição dos Uchihas, tsc. Ele é quieto por demais, porém... quando resolve abrir a linda boca a fim de discursar, senta que lá vem história. Leve isso com ironia, leitor(a). ─ E bem, aproveitei a oportunidade que a vida nos concedeu e resolvi fazer algo que me incomodava há tempos. 

─ Pára de enrolar e diz logo, seu emo! ─ Neji o provocou, com escárnio. Definitivamente, eu iria concordar com ele, mas logo me lembro que ele estava se referindo ao meu futuro cunhado e meu melhor amigo. 

Dessa vez, eu deixaria passar em branco, afinal, não quero estragar a noite deles com alguns dizeres desagradáveis à ocasião. 

─ Tch. Como estava dizendo... ─ era perceptível a irritação do moreno à minha frente enquanto dissertava, como se estivesse em uma importante entrevista de emprego. Era hilário. ─ Me encorajei a falar com a dona desses meus anseios e infortúnios, no bom sentido, preciso acrescentar - e cá estamos.  

Sa, diz logo alguma coisa!, logo pensei. Queria vê-la feliz, mesmo sendo eu o responsável por essa criatura de aparência tão exótica. 

─ O que o nosso querido Uchiha quer dizer, galerinha, é que... ─ a rosada levantou o pescoço, a fim de exibir o acessório magnífico que vestia. Um colar prateado, acompanhado de um pingente que simbolizava uma coisa que os dois tinham em comum: uma palheta rosa pink com as iniciais do meu melhor amigo, personalizada, representando o Rock. Eu esperava algo mais romântico do que isso. Um colar com esmeraldas, por exemplo, mas lembro que é de SasuSaku que estamos falando. ─ estamos oficialmente juntos! 

─ Minha nossa, Sa! ─ Tenten foi a primeira a se manifestar, indo até a garota, notavelmente feliz pela melhor amiga. Vou deixando claro que eu ainda não estou indo com a cara dela, depois daquele dia do vídeo. ─ Meus parabéns, futura sra. Uchiha! 

Pigarreei com a garganta, desconfiado. 

─ Menos, Tenten, bem menos. ─ percebendo a minha cara nada agradável por saber que, mesmo tendo sido algo muito recente, ela respondeu. Eu não poderia sequer deixar de pensar que esses dois poderiam passar a vida inteira lado a lado. ─ Acho que é muito cedo para falarmos tão abertamente disso. ─ e deu um daqueles sorrisos, como que dizia "estou sem graça."  ─ Maninho, poderia ao menos ter disfarçado, caramba! 

─ Desculpe, Sakura, mas você sabe como eu me sinto ao te ver conversando com sua amiga. ─ joguei mesmo na cara, porque em algum momento ela precisava saber logo de uma vez. Odeio ter que esconder coisas das pessoas. ─ Não será de uma hora pra outra que ela terá minha digna confiança de volta. 

Ela suspirou, cansada e decidida.  

─ Okay, não vou insistir que você dê alguma trégua, porque vejo que isso não vá acontecer tão cedo. ─ e saiu, voltando ao lado do - agora, oficial - namorado. Apenas a observei, enquanto eu ia me sentar, a fim de espairecer um pouco. 

Era muito para a minha cabeça num só mesmo dia. 

Resumindo o que aconteceu nesse último dia de hospedagem, a noite se seguiu como apresentado anteriormente, com direito à declarações do casal e minha cabeça começando a doer, devido à tanta informação. 

Afinal, eu era o responsável por aqueles dois, de agora em diante, mesmo ciente que Sasuke também o fosse. 

─ Naru... ─ logo escutei minha doce Hina ao me chamar, vendo minha tez carrancuda e se aproximando ainda mais de minha pessoa. ─ Não se preocupe tanto com a Sakura. Ela já é bem grandinha e sabe exatamente o que está fazendo. ─ ah, como eu amo essa mulher. Já até sei como vou terminar minha noite. Logo percebendo os beijos calorosos que vinham dela. 

Com a sua licença, leitor(a). 

  Sasuke

Bom, gritar feito uma garotinha e pular feito uma fangirl não é do meu feitio, todavia isso não me impede de demonstrar minha felicidade interna, mesmo que... não sendo verbalizada, é claro. Eu amo Uzumaki Sakura desde o dia em que nos conhecemos... melhor. Não, leitor(a), mas que porra de mente perversa é a sua, hein! Não era nesse sentido que quis dizer, embora isso não fosse algo tão ruim. Um dia, quem sabe, pois não tenho a menor pressa para... vocês entenderam. O fato de simplesmente me declarar a ela não era tão fácil assim; precisei de muitos e preciosos minutos a fim de encontrar as melhores palavras existentes e proferi-las com exatidão, afinal, sou um gentleman.  

Pelo menos, quando eu bem quero. 

E agora cá estou, feito um bobo alegre fitando minha namorada ao conversar com sua melhor amiga e aquela Rapunzel versão masculina. Ciúmes? Longe disso, só... estou cuidando do que me pertence. E não querendo me gabar, claro, mas eu me garanto. 

Como o bom homem que me tornei. 

─ Ah, Sakura, você e o Sasuke fazem um par perfeito. ─ a moça dos coques dizia com ar de romance, o que me custou a soltar um riso anasalado. Aquilo era, deveras, cômico demais. ─ Não sei o motivo por demorarem tanto pra se assumirem, mas... mesmo assim, estou feliz por você, amiga. 

Já mencionei aos leitores que Sakura fica adoravelmente vermelha em assuntos como esse? Então, tenham a honra de saberem por antemão. 

─  Não sei quem é que me deixa mais do que constrangida apenas falando. ─ a rosadinha bufou, por constatar da verdade que saía de seus lábios, virando o rosto logo em seguida, direcionando-se a mim. 

Era impressão minha ou aquilo era um convite silencioso para que eu a acompanhasse naquele papo? 

─ Com certeza sou eu. ─ respondi com a cara mais lavada que a louça que ficaria ali, momentos depois. ─ Se não se importarem, quero uns minutos a sós com a minha namorada

E assim, a levei do casalzinho sem-vergonha que estávamos conversando minutos antes, para algum lugar daquela casa. 

Eu realmente queria aproveitar aquela noite, porém, não com o mesmo pensamento de Naruto. 

... 

A manhã nascera preguiçosa e cansativa para todos nós. Ambos estávamos nos preparando para a despedida daquele incrível e aconchegante casarão que ficamos por esse pequeno espaço de tempo. Não estou reclamando de nada, apenas constatando que deveríamos ter ido há mais tempo do que só naqueles cinco dias. 

Cujos, aliás, se passaram bem rápido. 

Fui um dos primeiros a se levantar, sem a bendita fome matinal que geralmente me atinge em cheio, contudo acredito que fora a social que incrementei na noite anterior, deixando-os completamente cansados, que não deixou meu estômago se manifestar a qualquer momento. Afinal, tinha muitos quitutes.  

Me arrumei rapidamente, sabendo que teria muito trabalho pela frente, como arrumar as malas de volta, por exemplo. Pensando nesse sentido, decidi ir até Sakura e verificar se ela estava, deveras, bem disposta  e afim de me ajudar. Não que eu não saiba como me virar, querido(a) leitor(a), no entanto, nunca dispenso uma ajuda feminina em meu encalço. E lá vou eu, acordar a dona dos meus sentimentos.  

Argh, quando foi que fiquei tão sentimental assim? 

─ Sakura... ─ sussurrei roucamente em seu ouvido, à fim de provocá-la, pois sabia que a qualquer minuto ela abriria aqueles maravilhosos orbes esmeraldinos que tanto me viciam.  

Minutos depois, obtenho minhas expectativas concluídas com sucesso. 

Uahhhhhrgh, bom dia, Sasuke. ─ ainda tímida com apelidos. Essa é a minha garota: ela é adorável quando fica sem graça; é uma virtude que poucas garotas possuem.  

E sim, Ino é um exemplo dessas

─ Meu dia vai melhorar se você levantar dessa cama e ir, à vontade, me ajudar com as coisas. ─ fui direto e reto; odeio rodeios. Não do tipo que possuem vários cowboys esperando por aqueles espetáculos de montar em um touro e sair rodopiando e galopando em cima dele, pelo contrário.  

Do tipo mais comum: onde as pessoas enrolam tanto em uma conversa, que chega até irritar quem está ouvindo. Tipo eu, no caso. 

Sakura se mexeu em seu ninho, preguiçosamente. Ainda estava com sono, mas isso não a impediu de se animar, de um segundo para outro, definitivamente, e me seguir, depois disso. Isso acendeu algo dentro de mim que eu não consigo simplesmente explicar. Pareciam borboletas voando envoltas de uma cascata de chamas de fogo. Como se realmente houvesse essa possibilidade, segundo a ciência. 

Não que isso fosse importante, neste momento. 

... 

Algumas horas depois, todos já estavam devidamente prontos e empolgados para partirem. Sakura resolveu ir comigo, enquanto o casal sem-vergonha decidiu ir no carro de Naruto. Que aliás, coitado dele. Enfim, só quero chegar em casa e contar as novidades, além de rever Félix.  

Era incrível que, só com a presença daquela fuinha era capaz de sentir saudades de meu irmão; fazem tempos que não o vejo, somente em sonhos como aquele, em meu aniversário.  

─ No que tanto pensa, dear? ─ Sakura me desperta dos devaneios, com um sorriso curioso brotando em seus lábios. Isso me deu uma vontade louca de beijá-la, mas me contive, pois não queria deixá-la num hospital depois do quase-coma que a deixaria somente com o susto que levaria de minha vontade repentina. 

Pigarreei, afastando pensamentos maliciosos. 

─ Em como sinto falta de meu irmão. ─ simplesmente a respondi com meias verdades, e isso, caro(a) leitor(a), não deixava de ser uma. Ela só não precisava saber do que acabei de pensar em seus lábios daquela forma. ─ Vamos, se acomode aí e ligue o rádio a vontade. 

Deu de ombros, fazendo exatamente o que lhe pedi, carinhosamente. 

Tudo o que eu pediria para que ela fizesse, seria suficientemente bom para evitar certos constrangimentos.  

Em seguida, a vejo clicar no botão on/off do radio de meu Jeep, a fim de colocar alguma música que acabasse com aquele silêncio sufocante. Depois, percebo que Bad Habit começava a ecoar pelos altos falantes do veículo em que estávamos, seguindo viagem de volta. 

Ooh, ooh, ooh, ooh. Ooh, ooh, ooh, ooh ─ cantarolava o começo da música, a fim de relaxar e sentir a vibe, se mexendo no ritmo da melodia empolgante que ainda estava apenas no início. Sinto que não vou aguentar muito tempo. Socorre-me, Kami! ─ Baby got our hear down, baby got our head down the ground. Looking for a stranger, looking for a stranger to love.  

Eu sei. Eu sei que não deveria estar fazendo isso, pois só me prejudicaria, mas... resolvi cantar junto com ela, porque estou dirigindo e ela... bem, ela está maravilhosamente deusa com os olhos fechados e de repente, me peguei analisando suas vestimentas: estava à cara da garota do clipe da canção, só que de shorts e com um bustien por baixo da enorme regata que usava. 

Estava sexy por demais. 

Sem pensar duas vezes, me deixei empolgado tanto pela presença dela quanto pela música em si. 

... 

No meio do caminho Sakura dormia, profundamente, enquanto eu continuava dirigindo. Subitamente, o rádio ainda estava ligado e logo notei que Run For Cover estava começando a tocar. Acordei a rosada, ao meu lado, com o intuito de me fazer companhia ao ouvir àquele novo single

─ Escuta, Uzumaki! ─ exclamei ao vê-la ainda sonolenta. Será uma das cenas que minha brilhante memória guardará com louvor, afinal são de pequenos detalhes que a vida nos presenteia. 

Enfim, a vi se recompondo no banco totalmente desperta; deve ter percebido que o tom de voz que eu usara, momentos antes, era justamente para fazê-la acordar de vez. Ela não era a única victim dentro daquele carro; eu também era, e devo dizer isso com orgulho, pois foi por meio dela que virei um. 

Logo, estávamos os dois acompanhando o início da música. 

What have you gathered to report to your progenitors? 

Are your excuses any better than your senator's? 

He held a conference and his wife was standing by his side 

He did her dirty but no-one died 

 

I saw Sonny Liston on the street last night 

Black-fisted and strong singing Redemption Song 

He motioned me to the sky 

I heard heaven and thunder cry 

 

Run for cover 

Run while you can, baby, don't look back 

You gotta run for cover 

Don't be afraid of the fear, that's a played out trap, man 

You know you're not the only one 

And don't look back, just run for cover 

Enquanto isso, eu continuava com os olhos na pista cantando junto a ela, sentindo que essa música vai definir exatamente os acontecimentos de hoje, pois, não estou convicto de minhas emoções e, se vale à pena correr riscos, então vou corrê-los até onde eu conseguir aguentar. 

E correr riscos, caro(a) leitor(a), vale muito à pena quando você realmente percebe que vale, à ponto de não se arrepender. 

What are you waiting for, a kiss or an apology? 

You think by now you'd have an A in toxicology 

It's hard to pack the car when all you do is shame us 

It's even harder when the dirtbag's famous 

 

I saw my mother on the street last night 

All pretty and strong, singing 'the road is long' 

I said 'Momma I know you've tried' 

But she fell on her knees and cried 

 

Run for cover 

Run while you can, baby, don't look back 

You gotta run for cover 

Don't be afraid of the fear, that's a played out trap, man 

I know you're not the only one 

And don't look back, just run for cover 

Aquela música parecia um conselho de quem-quer-que-fosse afim de me ajudar, caso eu estivesse em apuros ao ser visto com Sakura. Em contrapartida, prefiro mil vezes correr esse risco do que ficar parado, sem atitudes, e perceber que a Uzumaki mais nova é tão atraente quanto o restante da família. Cuja, aliás, preciso conhecer melhor, além de Minato, Kushina e Naruto.  

Sinto que há pessoas que necessitam ser notadas de suas existências. 

And there was nothing she wouldn't give 

Just to trust him with her nightmares, with her dreams 

She's running, she's running 

Just to trust him 

 

He got a big smile, he's fake news 

Just run for cover, you've got nothing left to lose 

 

Run for cover 
Run while you can, baby, don't look back 
You gotta run for cover 
Don't be afraid of the fear, that's a played out trap, man 
You know you're not the only one 
And don't look back, just run for cover 
Run 
Run 
Run for cover 

─ Essa foi uma das melhores músicas que já ouvi, deles. ─ comentei, ao notar que um sorriso surgia em seus lábios. Se era de felicidade? Aí é que eu não sei, mesmo. ─ Concorda, rosadinha? 

Deu de ombros, ainda sorrindo. Estou começando a desconfiar de seus pensamentos.  

Droga, queria ser uma artéria pra saber o que tanto se passa nos neurônios dessa garota. 

... 

Chegamos próximo à mansão Uzumaki e pude perceber a movimentação no carro de Naruto, ao ver os acompanhantes saindo do mesmo um a um. Depois, olhei para o lado oposto, presenciando algo inusitado. 

Carros de polícia ao redor da mansão do Juiz da Califórnia. O que será que houve? 

Cutuquei a skatista ao meu lado, pedindo que não olhasse naquele momento e naquela direção, pois poderia se encolher e se assustar com os movimentos atípicos envolta de sua casa. Ela simplesmente assentiu, dando de ombros outra vez, assim, me obedecendo. 

Não demorou nem dez minutos e ouvimos uma batidinha na janela fechada, do meu lado. Rapidamente abri-a, me deparando com alguém que eu não esperava

Pelo menos, não exatamente naquele instante. 

─ Você tem cinco minutos para sair desse carro ─ a voz máscula, grave e conhecida do homem, ali presente, ordenava fazendo com que Sakura e eu tremêssemos na base, literalmente. ─ e me explicar que porra de vídeo é esse que expõe a minha filha ao ridículo.  

Ainda bem que não fomos pego nos beijando ou algo assim, até porque, eu não pretendia beijá-la até a data do nosso possível casamento.  

E bem, não restava mais dúvidas. 

Mas, mesmo assim, fodeu a porra toda, pois aquele homem, na minha janela, era o meu futuro sogro. 

Help! I need somebody 
Help! Not just anybody 
Help! You know I need someone 
Help!

________________________________________________________________________________________________


Notas Finais


Até a próxima vez.
Bye!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...