História Manual de Sobrevivência a Min Yoongi - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Colegial, Romance, Yaoi, Yoonmin
Exibições 208
Palavras 1.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vim aqui postar outro capítulo para vocês. Dessa vez, acredito não ter mais nenhum aviso. Então, espero que gostem e aproveitem!

Capítulo 5 - Lista do que não fazer


 

1. Se você, por acaso, está sendo ameaçado por um psicopata colegial, finja que está morrendo e, se ele for Min Yoongi, talvez ele deixará você em paz por alguns dias.

2. Se você não quer que seu melhor amigo fique cuidando de você à toa, não finja está morrendo.

Desde minha atuação movida pelo total medo de Min Yoongi, Taehyung dava o seu melhor para cuidar de mim como uma mãe cuida de seu filho. Toda manhã, ele passava na minha casa para irmos a escola e quando a noite chegava ele sempre ligava para saber se eu estava bem, embora que esquecesse do que estava falando segundos depois.

Deixava-me mal fazer Taehyung perder seu tempo cuidando de alguém que não está doente. Mas no meio da minha consciência pesada, o benefício existia. Eu tinha conseguido ser dispensado por uma semana dos treinos de basquete, e eu não poderia estar mais feliz. Por pouco que minha atuação não foi descoberta quando recebi o atestado de cinco dias, que me dava a liberdade para não ir aos treinos.

Com a descoberta do aprimoramento da minha atuação, não consegui deixar de pensar se meu Inglês também tinha melhorado desde a última vergonha na sala de aula quando o professor me chamou para resolver um exercício na lousa.

No decorrer de uma semana, fingi que não existia Yoongi e Hoseok ou time de basquete, mesmo que meu pai perguntasse frequentemente sobre quando eu voltaria a treinar.

Eu estava concentrado em estudar para dar as monitórias de História – que começariam logo –, principalmente porque a viagem com minha turma estava se aproximando e eu precisaria dar aulas sobre o lugar que iríamos. Eu tinha muitas coisas em mente, mas eu só conseguia relaxar quando concentrava nos assuntos que não me remetiam a escola.

Taehyung sabia que eu estava agitado, na cabeça dele a razão talvez fosse pelo recente mal-estar que eu havia atuado na escola. Para ele, tudo se resolveria se fôssemos a lojinha de conveniência antes da aula para comprar algum lanche rápido.

— Você conseguiu achar seu estojo? — questionou Taehyung bebendo o seu cappuccino pelo canudo.

— Ainda não. Acho que perdi.

— Ou alguém roubou. — sugeriu.

Ele deixou o copo de cappuccino em cima da mesa e cruzou os dedos abaixo do queixo, o rosto pensativo.

— Ninguém roubaria aquele estojo, só tem caneta.

— Eu roubaria, principalmente se tivesse uma caneta roxa.

Apenas ri porque sabia que as palavras dele eram totalmente verdadeiras. Taehyung adorava canetas, principalmente as roxas.

Ainda estávamos sentados nas cadeiras do lado de fora da lojinha a pedido de Taehyung, que precisava suprimir sua dependência por cafeína antes de enfrentar sete aulas durante o dia. Eu também precisaria de muito café para me manter acordado, mas eu não queria acabar com meu sono na aula da professora Kang, então adiei o café para o intervalo.

♡♡♡

Namjoon ultimamente só conseguia falar sobre a viagem da nossa turma. Ele estava tão animado com a ideia de acampar, que havia esquecido completamente de suas aulas extras de violão depois da escola. Taehyung parecia de mal humor sempre que citávamos a tal viagem, provavelmente porque a lista de participantes não era aberta para todas as turmas. E, para ele, ainda era uma afronta termos ficado em turmas diferentes naquele ano.

Caminhávamos pelos corredores do segundo andar da escola, sem rumo, apenas desperdiçando tempo antes do sinal tocar. Namjoon empurrava levemente Taehyung pelo ombro, um modo de fazê-lo parar de andar em linha reta. Taehyung tentava revidar, mesmo que com medo, mas sempre dava tapas no ar porque não conseguia acertar Namjoon.

Eu apenas ria comigo mesmo da cena de ambos se implicando, me sentia finalmente tranquilo como se encontrasse a paz infinita, porém a sensação acabou quando Yoongi parou bem a nossa frente. Suas mãos escondidas no bolso da calça e um sorriso sereno quase irreconhecível.

— Oi, Jimin. — seu belo sorriso me cumprimentou. Namjoon e Taehyung congelaram do meu lado ao verem Yoongi.

— O que você quer? — perguntei ligeiramente tenso.

— Assim você me magoa. — sua entonação tinha uma falsa tristeza. — Eu só queria conversar com você.

— Pode falar.

— Acho que… — ele sorriu soprado ao dar um passo em minha direção. — você não iria querer que seus amigos ouvissem nossa conversa. — sua expressão era cínica assim como sua voz.

Me sentia incrivelmente protegido com Namjoon e Taehyung ao meu lado, mas assim que eles se olharam, eu já sabia que minha proteção estava indo embora. Depois de ambos aparentemente terem tido uma rápida conversa mental, eles saíram. Taehyung apenas apertou meu ombro antes de seguir o corredor, era como um recado dizendo “Seja o que for, tudo ficará bem”.

Ação que provavelmente foi movida por pensamentos que acreditavam que a conversa que eu teria com Yoongi envolvia o time de basquete, se ele soubesse o quanto estava enganado...

Yoongi ao ver Namjoon e Taehyung distantes, sorriu voltando seu rosto para mim. Ele parecia satisfeito.

— Então, podemos conversar agora? — perguntou suave.

— Eu tenho escolha? — murmurei.

— Sim, mas não é como se você ficasse impune ao negar meu pedido.

— Eu já disse que não vou contar a ninguém, por que está sendo assim?

— Simples. — ele deu outro passo em minha direção. Agora, não existia mais espaço. — Porque eu não confio em ninguém.

— Você deveria assumir quem é, não se esconder.

— E quem eu sou? — seus olhos eram afiados e rígidos, tão intimidantes que me deixaram incapaz de responder sua pergunta. — Você deveria cuidar da sua vida, mas como não consegue acredito que tenho que fazer isso por você.

— O que quer dizer?

— A partir de hoje, Jimin, você ganhou um novo amigo. — revelou com um sorriso aterrorizador. — Céus! Vou ter o prazer de fazer sua vida um grande inferno.

Engoli seco.

Eu só tinha duas opções: correr ou gritar. Correr poderia causar minha morte, mas eu ainda teria alguns minutos de vida até Yoongi contatar seu assassino de aluguel. Eu também poderia gritar pedindo ajuda, no entanto também essa ação poderia causar minha morte. Então, decidi apenas me manter em pé na frente dele.

— Por quê? — minha voz falhou — Por que eu?

— Estava entediado de brincar com o Jungkook. — deu de ombros, despreocupado. — Depois da conversa de vocês na biblioteca aposto que vocês serão uma boa equipe.

Meu coração acelerou ao ouvir aquela revelação. Yoongi estava nos observando naquele momento? A ausência dele pela semana tinha me feito esquecer sua personalidade psicopata.

— O que… você estava…

— Uma coisa que precisa saber: sempre sei de tudo. — interrompeu-me. — Não tente se esconder de mim. — disse sorridente com aquele ar cínico. — Vejo você amanhã no treino. — Ele tocou meus ombros simpaticamente e deu as costas.

♡♡♡

— Eu tenho quase certeza que meu primo passará um tempo aqui. Ouvi uma conversa do meu pai com meu tio sobre Jongin, aposto que ele foi suspenso de novo da escola. Ele sempre vai para minha casa quando acontece algo ruim. Não o entendo, quero dizer, Jongin é inteligente e bonito, não sei porque vive brigando com as pessoas, mas não, ele insiste em ser o badboy clichê. — tagarelava Taehyung. — Aquele idiota insuportável.

Ao máximo me esforçava em me concentrar nas palavras dele, mas mal conseguia caminhar até minha casa apenas pensando em Yoongi e no seu novo objetivo de vida: infernizar meus dias até encontrar outra pessoa para me substituir, lógico, depois dele me matar.

— Está tudo bem, Jimin? — perguntou preocupado. — Você está com o rosto péssimo.

— Só estou pensando sobre o treino amanhã. — menti.

— Ah sim! Yoongi falou algo por sua falta nos treinos?

— Sim, mas ele só estava preocupado.

— Ele não parece ser alguém que se preocupa com as outras pessoas.

Taehyung mantinha aquele tom desconfiado, provavelmente já sabia que eu estava mentindo, mas não resolveu questionar. Sua atenção estava desviada para outro lugar, acompanhei seu olhar perdido e percebi um caminhão de mudanças em frente da casa ao lado da minha.

Eu e Taehyung trocamos olhares confidentes e sem dizer nada se aproximamos em silêncio. Eu não poderia estar mais confuso com aquela situação. Aquela casa estava desocupada a muito tempo e até recentemente ninguém tinha notícias sobre novos moradores, então era impossível alguém ter se mudado tão rápido.

— Ah meu deus! — falou Taehyung ao ver um rosto masculino familiar saindo da casa. — Não acredito que é quem estou pensando.

— Sim. — respondi lentamente. — Jungkook é meu novo vizinho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...