História Manual de Sobrevivência a Min Yoongi - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Colegial, Romance, Yaoi, Yoonmin
Exibições 159
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meus agradecimentos hoje vão para a Aninha, que cuidou da nova capa da fanfic e divulgação na hora vaga rsrs Também para a Manu, que está cuidando da betagem e sempre faz tudo muito rápido sz
Quero agradecer a Juju, Lore, Clarinha e Laurinha por sempre comentarem e estarem me dando apoio. Vocês são incríveis. Também quero agradecer aos quase 200 favoritos em apenas 5 capítulos, gente isso é muita coisa para mim e nunca pensei que essa fanfic receberia tanto amor szsz
Sobre esse capítulo, ele está grandinho porque me empolguei. Eu queria saber se vocês querem capítulos maiores em torno de 1.700 palavras ou pequenos com 1.200? Espero que aproveitem bastante, pois talvez esse seja o último do ano. Boa leitura!

Capítulo 6 - Eu Não Sou Seu Amigo


 

Jeon Jungkook era meu novo vizinho, o que ainda era algo estranho e quase alarmante no nível de bizarrice. Durante aquelas últimas horas, eu só conseguia pensar em minhas ações que poderiam ter desencadeado aquela série de fatos incomuns em minha vida. Contudo, a única coisa consideravelmente ruim que fiz por todo aquele ano era ter mentido para meu pai sobre dormir na casa de Taehyung quando, na verdade, estávamos aproveitando a noite em uma festa mais entediante que as aulas de Inglês.

Como qualquer um poderia prever, meu pai descobriu sobre minha mentira depois de alguns dias, mas nenhuma consequência grave foi dada a mim porque de certa forma, ele queria que eu saísse mais de casa.

Mesmo assim, ainda não justificava aqueles acontecimentos incomuns como:

Primeiro: Minha entrada repentina no time de basquete da escola.

Segundo: Yoongi resolver perseguir-me por eu saber sua sexualidade.

Terceiro: Jungkook ser meu vizinho.

A única coisa boa naquele momento era a viagem escolar, com certeza.

Mas, por enquanto, eu teria de aguentar Yoongi e suas ameaças. Eu ainda não estava preparado psicologicamente, e também não tinha nenhum plano para conseguir sobreviver, mas eu poderia continuar com a minha ideia inicial: fugir para as montanhas.

Quando cheguei à escola depois da ameaça de Yoongi sobre fazer de minha vida um inferno, me senti aliviado por não encontrá-lo pelos corredores vazios da escola, nem mesmo quando organizei as cadeiras da sala de aula. Claro, ainda estava cedo para qualquer aluno chegar, menos eu e Jungkook. Ele provavelmente estaria na biblioteca, desarrumando os livros, ação que ainda não tinha explicação para mim.

Lembrar-se de sua provável presença na escola fez meus pés quase automaticamente caminharem até a biblioteca, mesmo que a probabilidade de Yoongi saber fosse alta, ainda assim ficar com Jungkook não seria pior do que ficar por aquele tempo sozinho pelos corredores.

Além do mais, Jungkook era meu novo vizinho e eu não poderia evitá-lo de agora em diante mesmo se eu quisesse.

Quando cheguei à biblioteca, encontrei-o lendo um livro, sentado em uma das mesas redondas. Quando a porta atrás de mim fechou e um pequeno som tomou conta do lugar silencioso, Jungkook retornou seu olhar para mim e um grande sorriso simpático quase contagiante apoderou do seu rosto.

— Jimin. — disse animado. — Veio me ajudar a desarrumar os livros hoje?

— Talvez. Deixou algo para mim?

— Não. Mas a gente pode conversar se quiser, é claro. — concluiu dando os ombros.

— Tudo bem.

Acomodei-me na cadeira vazia ao lado dele.

— Então, aconteceu algo bom nesse tempo? — ele perguntou olhando-me.

— Nada de interessante.

— Você é jogador do time de basquete, — seus olhos brilhavam de animação ao dizer tais palavras — como isso não é interessante?

— Só não é meu estilo.

— Por quê?

— Ah, eu não sei. — respondi sincero e pensativo. — Talvez porque não entendo nada, sem contar que sou péssimo no esporte.

— Se quiser, ensino você. — sugeriu calmo. — Posso ter saído do time, mas ainda sei muita coisa.

— Sério?

— Claro que sim, a gente pode se encontrar, é só marcar o...

— Estou magoado. — uma voz grossa trovejou com sarcasmo por toda a biblioteca. Meu olhar automaticamente foi em direção à porta e lá estava Yoongi com seu cabelo esverdeado que combinava perfeitamente com o uniforme da escola, parado, com as mãos escondidas no bolso da calça. — Muito magoado. — caminhou em nossa direção. — Então é aqui que você se esconde de mim?

— O que você quer, Yoongi? — indagou Jungkook mais exausto do que bravo. Eu o entendia. Ser perseguido e ameaçado por alguém não era nada fácil, principalmente se essa pessoa fosse Min Yoongi.

— Só quero conversar com meu amigo. — Ele apoiou a palma de suas duas mãos na mesa, inclinando seu corpo na direção dele.

— Eu não sou seu amigo. — o rosto de Jungkook tinha mudado em frações de segundos, de radiante para raivoso.

Eu observava a troca de olhares intensa e quase mortal de ambos.

— Que bom. — Yoongi sorriu sarcástico. — Porque eu não estou falando com você. — O olhar frio que antes estava em Jungkook, agora estava em mim. — Sentiu minha falta, Jimin? — suas palavras eram cruéis.

— Só diga o que você quer, por favor.

— Eu já disse o que eu quero. Você já esqueceu?

Yoongi suspirou visivelmente entediado com meu estado confuso.

— Você é entediante. — afirmou ele deixando o ar escapar de sua boca. — Apenas se levante daí e vá ao vestuário trocar de roupa. O treino começará daqui a poucos minutos.

— Do que está falando?

— Eu não contei a você? — perguntou quase teatral. — Ah, é verdade, não contei. Os treinos agora serão sempre na primeira aula. Pode me agradecer depois já que a ideia foi minha. — sorriu satisfeito. — Vejo você no ginásio.

Naquele momento, se eu tinha uma certeza na minha vida era que eu odiava Min Yoongi.

♡♡♡

— Vamos. Vamos, Yoongi! Vamos! — o treinador gritava no meio da quadra, incentivando-o a correr com a bola enquanto driblava alguns colegas.

Quando Yoongi conseguiu marcar mais um ponto, deixando todos para trás, o treinador gritou batendo palmas em vitória daquele garoto que considerava um prodígio no basquete.

Eu continuava sentado no banco de reserva com alguns outros jogadores. Diferente dos que comemoravam, eu observava tudo com tédio visível em meus olhos, mesmo que eu precisasse prestar atenção, já que o treinador pediu uma análise de sessenta linhas sobre o treino graças a minha ausência de uma semana.

Suspirei profundo apenas em pensar quantas noites perderia fazendo aquele trabalho desnecessário na minha concepção, mas ao ver Taehyung entrando discretamente no ginásio, sorri imediatamente. Ele acenou para mim e assim percebeu que eu não estava entre os jogadores que treinavam no meio da quadra. No entanto, antes de me levantar e ir até a ele, Hoseok sentou no espaço vazio ao meu lado enquanto passava o pano em sua testa suada.

— Tudo bem com você? — perguntou ele, ofegante.

— Acho que sim.

— Legal. — esforçou para sorrir, mas estava cansado demais. — Você sumiu.

— Eu estava… Sabe, muito doente.

— Ah sim. — disse lentamente. — Espero que tenha melhorado. — Ele parecia ser sincero, mas ainda havia algo que deixava a conversa aberta. Hoseok continuou a fitar os outros jogadores na quadra. — Posso pedir uma coisa a você?

— Claro.

— Por favor, não conte sobre o que viu no vestuário.

— Eu não vou contar. — afirmei no mesmo instante. — Isso não é sobre mim.

— Eu sei, é só que… Se as pessoas souberem — Hoseok olhou a primeira vez para meu rosto. — Eu estou acabado.

— Fique tranquilo, eu não vou falar nada a ninguém.

Hoseok sorriu e o seu semblante esperançoso me passou uma paz inexplicável.

♡♡♡

O treino já havia acabado, logo todas as aulas do dia rapidamente passaram sob meus olhos. Eu estava animado em poder ir para casa e ter um final de semana longe de todas as loucuras de Yoongi.

Eu e Taehyung já estávamos saindo do prédio da escola quando lembrei que havia esquecido meu fone de ouvido no armário do vestuário. Todos sabiam como meus fones eram uma parte de mim. Para ser sincero, não passaria meu final de semana sem ouvir músicas em alto e bom som. Mesmo sendo xingado por Taehyung, corri em direção ao vestuário para pegá-lo.

Assim que cheguei à sala vazia, fui diretamente ao meu armário e depois de vasculhar entre o uniforme de basquete, achei os fones de ouvido. Já estava dirigindo-me à saída do vestuário quando ouvi um pequeno resmungo de dor.

Eu sabia muito bem o que tinha acontecido da última vez que vi algo que não deveria, e aquele resmungo poderia ser um aviso para apenas sair. Contudo, uma parte de mim, aquela parte que ainda não tinha medo, só conseguia pensar se fosse alguém que precisava de ajuda.

Suspirei fundo, maldizendo a mim mesmo quando voltei e procurei o dono do resmungo de dor pelos corredores formados pelos armários altos. Quando cheguei ao último corredor quase sem esperança de encontrar alguém, vi Yoongi em pé com a cabeça encostada na parede. Seus cabelos úmidos pelo recente banho pingavam água que se misturavam com as lágrimas que caiam solitariamente de seus olhos.

Mas o que me assustou não era o semblante fraco e jamais visto por mim, nem sua posição, mas sim, suas costas brancas e nuas que mostravam vários hematomas desconhecidos pelos meus olhos.

— O que aconteceu com você? — perguntei receoso, porém igualmente assustado.

Yoongi virou seu rosto em minha direção lentamente e sorriu enfraquecido e logo seu corpo debilitado foi de encontro ao chão.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...