História Marble Kingdom - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasia, Guerra, Medieval, Originais
Exibições 10
Palavras 1.497
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii pessoal! Desculpem não ter publicado o capítulo ontem. Neste capítulo os narradores são Theon Dayne, Lorde Geffen Piper, Shella Lancaster e Lancel Lancaster.

Capítulo 29 - Batalha do Fogo


Fanfic / Fanfiction Marble Kingdom - Capítulo 29 - Batalha do Fogo

P.O.V. Theon

   Theon estava nas masmorras de Vesthora, à espera que o levassem para as minas. O Lorde Tuwin andara a dar-lhe conselhos acerca das minas. Mas não ia ser nada fácil, mesmo com os seus conselhos.
   De repente, um guarda apareceu à sua frente.
   -Tu! Vem comigo! - ordenou ele, apontando para Theon.
   O guarda levou-o pelos corredores do castelo, até à sala do trono. Eles entraram pela porta lateral e Theon reparou que o portão principal estava fechado. Ao lado dele, estavam oito jovens, três raparigas e cinco rapazes. São eles, pensou Theon, as pessoas que tenho que matar.
   -Vai para o lado deles! - ordenou o guarda.
   Theon obedeceu e colocou-se ao lado dos outros. Tinham todos aparência de simples plebeus. Quem ia para ali, era porque tinha cometido algum crime horrível. Por isso, eles não eram pessoas fáceis de derrotar.
   Theon apenas ouvia o Lorde Lewis a gritar para o povo de Vesthora, provavelmente anunciando os jogos.
   De repente, o portão abriu. O guarda ordenou que eles avançassem. Os prisioneiros obedeceram e foram dar ao pátio do Castelo Ventoso.
   Theon ouviu o povo a gritar e a assobiar. Pareciam querer vê-los mortos, mesmo sem os conhecer.
   -Estes são os concorrentes que irão participar nos Jogos das Minas! Desta vez, temos um participante especial! Theon Dayne, lorde de St. Victorian, que traiu o verdadeiro rei de Marble, Lancel Lancaster! - gritou Lorde Lewis, fazendo com que os gritos do povo aumentassem.
   -Guardas! Levem-nos para os Jardins Proibidos! - ordenou Melara.
   Os Jardins Proibidos. Lorde Tuwin falara-lhe disso. Eles colocam cada um dos nove numa posição, todos uns ao lado dos outros. Os guardas colocam armas escondidas pelos jardins e os prisioneiros têm cinco minutos para encontrarem o maior número de armas, que irão usar durante o desafio.
   Os guardas levaram-nos para os jardins, que ficavam no meio da cidade de Vesthora. Estavam mal tratados e cheios de lixo e de sujidade.
   -Coloquem-se todos aqui! - ordenou o guarda.
   Theon colocou-se lado a lado com os restantes concorrentes.
   -Terão cinco minutos para apanharem as vossas armas! Agora, vão! - gritou ele.
   Theon e todos os outros correram pelos jardins. Rapidamente, Theon separou-se dos outros prisioneiros, ficando sozinho.
   Andou pelos caminhos dos jardins, à procura de alguma arma. Subiu às árvores e viu atrás de arbustos. Mas não encontrou nada.
   Cortou caminho pelo meio das árvores e encontrou um buraco, no meio da terra. Colocou a mão lá dentro e sentiu algo afiado. Uma espada, pensou Theon.
   Agarrou no objeto e puxou-o para fora. Era mesmo uma espada. Tinha a base toda ornamentada e era longa e afiada.
   Pouco tempo depois, os guardas foram buscá-lo. Levaram-no pelas ruas da cidade, até chegar a uma entrada para a caverna. Ao lado dela, tinha uma placa a dizer "Saída da Esmeralda". A entrada estava um pouco escondida, tapada pelas ervas e arbustos da floresta. Havia uma pequena escadaria que ia dar lá.
   O guarda ordenou que ele entrasse e Theon obedeceu, descendo as escadas e entrando na mina.
   À medida que se ia afastando, a luz ia diminuindo, até Theon não ver absolutamente nada.
   Andou pela caverna, sempre agarrado às paredes. Felizmente, acabou por encontrar uma tocha.
   Seguiu caminho, com a tocha na mão e a espada noutra, até que encontrou outra passagem. Decidiu seguir em frente e continuou pelas grutas.
   Pouco tempo depois, ouviu passos atrás de si. Parou rapidamente. Olhou para trás e viu algo a aparecer.
   -Desculpa... - murmurou Theon, avançando para a pessoa.
   Theon deu-lhe com a espada no peito e ele caiu, morto.
   Era um rapaz. Tinha cabelos negros e olhos verdes e não possuia arma.
   Theon sentiu um peso na consciência mas continuou. A vida dele e de Lorde Tuwin dependia disso.
   Andou por mais algum tempo, encontrando vários cruzamentos, até que ouviu de novo passos. Pessoas, pensou Theon.
   Caminhou com a espada na mão, na direção. Quando viu a pessoa, reparou que era uma rapariga. Tinha cabelos negros e olhos castanhos. Tinha a pele negra. Tinha um punhal apontada na sua direção.
   -Afasta-te! Não te quero magoar! - gritou ela.
   -Tem calma! Estás segura... Podemos ir juntos... - disse Theon.
   -Não... Não podemos... Eles matar-nos-ão se o fizermos... - disse ela, chorando.
   -Eles não sabem o que fazemos dentro das grutas. - disse Theon.
   A rapariga aproximou-se dele, sempre com o punhal na mão. Quando ficaram juntos, ambos guardaram as armas.
   -O meu nome é Theon Dayne. - disse ele.
   -O meu é Maggie Castle. - respondeu ela.
   Outra bastarda, pensou Theon.

P.O.V. Geffen

   Lorde Geffen e Shella estavam em Marendell, à espera que o barco de Shella estivesse pronto, para partir para Lothaven Port.
   -Lorde Geffen, tenhais a certeza que ficas seguro? - perguntou ela.
   -Absoluta. Parte para Lothaven Port, Shella. A armada de Lancel deve estar quase a chegar. - disse ele.
   Shella subiu para o seu barco. Rapidamente ele começou a andar. Shella deixou Marendell para trás.
   -Guardas! Preparem os navios! Levem-nos para alto-mar! - ordenou ele, voltando para o seu castelo.
   Ficou no seu trono, sentado, a pensar na guerra que se tinha instalado em Marble e no ataque que Marendell iria sofrer.
   Algumas horas depois, ouviu um grito de guerra. Saiu para o pátio do castelo e viu que milhares de barcos tinham apatecido à frente da cidade. A batalha havia começado.
   Geffen correu em direção ao porto.
   O caos tinha-se instalado nas ruas de Marendell. Pessoas fugiam e gritavam pelas suas vidas.
   Quando ele chegou ao porto, viu que os barcos do inimigo já estavam ancorados. Eles haviam chegado.
   Geffen foi empurrado pela multidão que estava a fugir e acabou por correr pelas ruas da cidade, a fugir dos guardas.
   De repente, uma grande explosão aconteceu, vinda do Vulcão Katakema.
   O vulcão nunca tinha dado sinais de estar ativo, pelo que Geffen achou estranho.
   Quando olhou para trás, viu que a montanha estava a atirar milhares de pedras e de poeiras para o ar. O vulcão entrou em erupção, pensou ele.
   Os guardas deixaram de atacar e fugiram todos, para os seus navios.
Rochas fumegantes caiam em Marendell, que incendiavam a cidade. A lava descia pela encosta do vulcão, queimando tudo por onde passava. Os fumos que o vulcão expelia era imensos, o que destruia a cidade, por completo.
   Geffen correu pelas ruas mas não valia de nada. Toda a população de Marendell ia morrer.
   Milhares de pessoas empurravam-se umas às outras, à procura de uma saída para tudo aquilo.
   Geffen atirou-se para o chão, de joelhos, até que o fumo o atingiu e ele caiu no chão, intoxicado pelas poeiras.

P.O.V. Shella

   Shella estava no seu barco, que ia em direção a Lothaven Port. Ela estava a olhar para Bay Island, até que viu uma luz vermelha, vinda da ilha e milhares de rochas a voar.
   -Capitão! Capitão! - gritou ela.
   Um homem alto e musculado apareceu à sua frente.
   -Sua alteza, o que se passa?! - perguntou ele.
   -Olhai... - disse ela, apontando para a ilha.
   -O vulcão... A ira dos Deuses foi libertada. Marendell será dizimada... - disse ele, tirando o seu chapéu e olhando para baixo, em forma de luto.
   Acabaram de perder um aliado. Marendell havia sido destruída e o Lorde Geffen morrera, provavelmente. Shella teria que convencer o lorde de Lothaven Port a juntar-se a eles, rapidamente.
   Demoraram mais cerca de uma hora até chegar a Lothaven Port. Tal como Lordsport, era uma cidade muito comercial. Haviam centenas de barcos ancorados no porto. Era uma cidade bastante movimentada, mesmo de noite.
   Shella desembarcou do barco, sempre acompanhada por Sor Gendry. Caminhou pelas ruas da cidade, até ver milhares de guardas de Hatley Castle.

P.O.V. Darlessa

   Darlessa e Lancel estavam quase a chegar a Lothaven Port, para proclamar uma aliança.
   -Sua alteza! - gritou um guarda, do lado de fora.
   -Entrai. - disse Darlessa.
   -O vulcão de Bay Island explodiu! Toda a armada de Hatley Castle e de Marendell foi destruída! - disse ele.
   -O quê?! Isso é fantástico! - disse Lancel.
   -Como assim, fantástico?! - perguntou Darlessa.
   -Podemos ter perdido guerreiros mas eles perderam um forte aliado. O Lorde Geffen e Shella morreram. - disse Lancel.
   Entraram na cidade, acompanhado pelos guardas, até ao Palácio da Espuma, a fortaleza do Lorde Karyl  Mullendore.
   O Palácio da Espuma ficava na costa da cidade, de frente para o mar. Darlessa conseguia ver o brilho da explosão do vulcão, no horizonte do mar.
   O Lorde Karyl era um homem gordo. Tinha cabelos e barba negra e olhos verdes.
   -Sua alteza, em que posso ajudá-la? - perguntou ele.
   -Aliando-se a nós. - disse Lancel.
   -Porquê aliar-me a vocês? - perguntou Lorde Karyl.
   -Pense bem, Marendell, que era aliada de Genna, foi completamente destruída, tal como o seu lorde e Shella Lancaster. Eles estão a perder. Não queira ficar do lado de um perdedor. - disse Darlessa.
   -Está bem. Têm Lothaven Port do vosso lado. - disse o Lorde Karyl, com um sorriso matreiro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...