História Marcas - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Cordelia, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori
Visualizações 39
Palavras 2.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


TRETA, TRETINHA TRETONA É O QUE TEREMOS NESSE CAPÍTULO AUSHAUSHAUSHAUSH

O NOSSO CASAL VAI VOLTAAAAAAR TUTS TUTS TUTS
Gente Mds vocês não sabem a minha felicidade ao escrever esse cap, sério. Q ÓDIO DA CORDÉLIA SCR
Desculpem, eu n tô bem msm

Aproveitem bastante, e riam das caras dessas duas marginais :)

Bj e desculpa a demora pra postar :)

Capítulo 16 - Fim do Pesadelo: parte 2


Fanfic / Fanfiction Marcas - Capítulo 16 - Fim do Pesadelo: parte 2

— Ótimo. Eu, e a Vick já estamos arrumando um jeito de ir pra aí. Agora eu só quero saber, como vamos colocar a gravação na caixa de som.

— Não se preocupe, Sakura. Você me entrega o pen-drive e eu coloco rápido lá. E por favor, arrumem um jeito de trazer a Hannah com vocês. Eu preciso dela mais do que ninguém. — disse passando a mão na coxa

— Ok. Eu vou entrar escondido e deixá-lo dentro daquele arbusto esquisito em formato de "S". Depois eu volto.

— Haha, ok. Preciso ir.

E desligaram o celular.

Laito respirou fundo uma última vez antes da cerimônia, e desceu com um enorme frio na barriga.

Todos os convidados conversavam alto, no grande jardim onde se realizaria a grande e tão esperada cerimônia de casamento, por aqueles que estavam ali. Muito bem vestidos e elegantes, analisavam cada detalhe imposto, cada arranjo de flor dourado e branco que dera tanto trabalho para ser fabricado.

Laito sabia muito bem que os “ilustres” convidados, esperavam uma festa de luxo, e bem feita, que no final acabaria tudo bem. Mas seria uma grande decepção saberem que a mesma não terminaria assim. O ruivo andava com muito cuidado e pressa, para que as pessoas que ainda estavam na mansão, não percebessem que o noivo planejava fazer outra coisa. Foi até as escadas e chegou no canto esquerdo da mansão, onde ficava o famoso arbusto em formato de “S”, e no mesmo, estava o pen-drive com a gravação, que Sakura havia prometido deixar lá. Laito abriu um sorriso de orelha a orelha quando percebeu que seu plano estava dando certo, que logo teria sua Hannah de volta. O rapaz só fez colocá-lo na caixa de som, para que fosse tocado por Ayato, quando ele desse o sinal.

Feito isso, respirou fundo e pensou:

“Ufa! Não tenho mais nada para fazer aqui. Seja o que Deus quiser. — concluiu”

Ao chegar no altar, abrir sorriso largos e falar com todos os convidados, a apreensão tomou conta de si. Ao passear o olhar pela entrada extrema da mansão, e não ver Sakura nem Vick, passou por sua cabeça, do plano dar errado. Mas ele não precisava pensar assim. Teria que pensar que acabaria tudo bem. Tudo bem...

— Está quase na hora. — Cordélia comentou com o filho — Se comporte, Laito. Ou verá do que sou capaz. — disse ela, tentando amedrontá-lo.

Laito revirou os olhos, e segui o olhar entre as pessoas. Na primeira fileira, estavam os cinco irmãos. Todos de terno, e com os cabelos ligeiramente escovados. Ao lado, estavam os Mukami's e os Tsukinami's, que só hoje, também haviam dado às caras. Estavam esperando que, segundo eles, seria o momento mais feliz da vida de Laito. Só que não

Dava-se para escutar de longe, as batidas aceleradas de seu coração, ao perceber que a marcha cerimonial, começara a ser tocada. Pétalas de rosas vermelhas sendo jogadas no tapete da mesma cor, que levava a noiva, ao seu companheiro. A seguir, entra Yui. Acompanhada de Karlheinz. Isso mesmo, o chefe da família Sakamaki havia dado as caras pelo menos hoje, no dia do casamento de seu filho. Irônico, não? Sim, para todos. Yui olhava para os lados e sorria, mas um sorriso fingido, que não precisavam estar muito perto para perceber isso. Duas crianças estavam à frente deles, carregando num travesseiro pequeno, duas alianças de ouro.

Mas apesar das grandes surpresas, Laito continuava procurando algum sinal das garotas, que até ali, não haviam aparecido.

Enquanto isso, na casa de Hannah:

Hannah:

Eu continuava perdurada na janela, observando o que se passava do outro lado da rua. Era um momento muito feliz para você, não é Laito? Quem diria que iria acabar assim, não é? Eu não esperava isso tudo de você, sinceramente. Quem nos via juntos, à anos atrás, nunca imagimaria que eu, Hannah Jensen, seria apenas mais uma espectadora do seu casamento com Yui Komori. Suponho que não se lembre mais das promessas que fazíamos nem dos momentos que passamos juntos. Suponho de que agora, você esteja realmente feliz.

~Flackback~

Março de 2010:

— Eu adorei passar a noite com você... — a morena fala sorrindo

— Eu também, meu amor. — toca em sua mecha negra de cabelo — Queria que todas as minhas noites fossem assim.

— Eu também. Você não sabe o quanto fico feliz ao seu lado.

Laito abriu uma imenso sorriso, ao contemplar o rosto sereno e inocente de sua amada.

— Laito, posso te prometer uma coisa?

— Claro! O que quiser!

— Eu prometo que vou amar você para sempre, ok? Que nunca vou te esquecer! — entrelaça as mãos na dele — Prometo que vai ser o primeiro, e único homem na minha vida. Nunca se esqueça disso.

— Posso dizer algo também? É simples.

Hannah assentiu

— Ninguém jamais amou alguém, como eu amo você. — dizendo isso, Laito beija Hannah ferozmente, tornando aquela noite inesquecível.

Tão inesquecível, que nenhum dos dois havia esquecido. Até os dias de hoje.

~flackback off~

Deixei minhas lágrimas caírem, procurando consolo nelas. E tentando lidar com o fato de que você nunca mais vai voltar pra mim. É a única coisas que nós dois sabemos neste exato momento.

Sou interrompida dos meus distantes pensamentos, quando escuto forte pisadas no chão.

— HANNAH! HANNAH! — Vick abre a porta com toda força, respirando ofegante, acompanhada de Sakura

— O QUE TÁ ACONTECENDO? — perguntei gritanto assutada

— Você precisa vir conosco! — Sakura me puxa pelo braço

— O quê? Estão loucas? — puxei o braço de volta

— Hannah... É meio difícil explicar... — Sakura passou a mão na testa — É sobre o casamento daí da frente. Vamos pra lá. — disse Sakura, me deixando perplexa

— QUÊ? — berrei — Vocês só podem estar de brincadeira comigo, né? — falei — Vão procurar alguma coisa pra fazer, cara!

— Hannah... — Vick tomou um passo à frente — Pior que é verdade. Você precisa vir conosco.

Dito isso, as duas não esperaram nem eu dizer alguma coisa. Me puxaram pelo braço, abrindo a porta com precisão, e me levando até o outro lado da rua. A decoração chama a atenção de qualquer um que passasse por ali; era branca e dourada, as cadeiras lindamente enfeitadas com pérolas, ouro e outros tecidos finos. Eu sinceramente não sei o que estou fazendo aqui. Só sei que quero matar a Sakura e a Vick.

— Pronto! Vamos ficar aqui! — Vick nos puxou para o canto — Silêncio vocês duas!

— Cala essa boca! — disse Sakura se dirigindo à ela — E Hannah, logo logo você entenderá.

Eu queria sair correndo dalí. Não queria presenciar o casamento com outra mulher, do homem que eu ainda amo. Já não basta ter de olhar para a cara dele todo santo dia, e jogar na minha própria cara que minha vida é um fracasso total, tenho que ver cara a cara o principal motivo do meu “sofrimento”. Já é demais pra mim.

Quando chegamos lá, Yui já estava no altar com Laito. Os dois estavam virados para o padre, que começara a falar naquele exato instante. Percebi que todos os outros cinco irmãos Sakamakis estavam de olhos fixos nos noivo, menos Ayato. Que se virava de instante em instante, para o lados em que nós três estávamos escondidas.

Merda, ele nos percebeu.

— E agora? — sussurrei para elas — Já posso ir? O Ayato nos viu!

— Não! — Sakura agarra de novo no meu braço, quado tento sair — Você fica! É a personagem principal da história! — diz ela, me deixando toda confusa

Minutos depois...

Apesar de não estar entendendo absolutamente nada, fiquei ali, escondida atrás do portão, com duas retardadas ao meu lado, escutando o padre realizar o casamento do casal mais “badalado” de Kanto.

Até que ele chegou naquela parte mais apreensiva do casamento: “fale agora, ou se cale para sempre”, foi o que ele disse. Todos se entreolharam, esperando algum atrevimento de alguém. Por sorte, ninguém comentou nada.

Até um certo momento. 

— Eu quero dizer algo, padre. — quando o padre ia prosseguir com o casamento, Laito o interrompeu.

QUÊ?

— O que está fazendo? — Yui virou-se para ele, perplexa

— Eu preciso dizer algumas coisas à vocês, esta manhã. Preciso fazer algumas revelações. — largou a mão de Yui

Como isso poderia estar acontecendo? Teria algo a ver com o escândalo que as meninas fizeram para me trazerem até aqui? Que porcaria, desde que vim para cá, não tive mais paz.

— Todos que estão aqui, esperam uma festa de casamento perfeita, certo? E se eu disser, que ninguém desta família é perfeita como vocês acham que são? — desce do altar — Estão vendo essas duas mulheres? — aponta para Cordélia e para Yui — Essas duas são responsáveis pelo fracasso e pela decadência da minha vida, nesses últimos sete anos. Eu já amei alguém mais do que minha própria vida, e não é essa mulher vestida de noiva, na frente de vocês. Era uma mulher doce, gentil, linda e espetacular. Mas infelizmente eu a tive que a deixar para trás. Tive que acabar tudo com ela.

Meu Deus... Eu não posso acreditar que isso esteja acontecendo... Eu podia esperar de tudo do Laito, menos isso. Eu realmente havia acreditado que ele era um cretino, sem-coração e interesseiro. Mas aqui, agora, eu já não posso mais acreditar nisso. Estou olhando para o Laito de antes, para o MEU Laito. O homem que eu nunca vou parar de amar. 

As meninas logo sorriram uma para a outra, quando perceberam a minha reação. Eu estava com as mãos tapando a boca, e chorando. Não conseguia parar de chorar; minha vontade era de ir até lá, abraçá-lo e beijá-lo. E reviver os momentos que a tanto tempo eu sentia falta. Muita falta. 

— O que... Esse... Moleque... Está... Fazendo... — os olhos de Cordélia estavam vermelhos de ódio, e seus punhos cerrados

— PARE COM ISSO, SEU IMBECIL! — ordenou Yui com um grito, que assustou a todos

— EU NÃO VOU PARAR ATÉ TODOS AQUI SABEREM A VERDADE! — gritou, virando-se para a loira — Eu tenho um enorme prazer em mostrar à vocês, o que esses dois demônios fizeram. — olhou para Ayato, com um olhar confiante 

Ayato estava com um pequeno controle nas mãos, o apertou, e logo pude ouvir a enorme caixa de som emitir uma voz grossa. Era a voz de Cordélia. Dizendo algumas coisas que não começo, eu não consegui ouvir bem. 

[...]

Mas depois comecei a entender. Não foi culpa do Laito, de nos afastarmos. Eu passei todo esse tempo, precipitada e achando que ele era um canalha. Agora percebo que era tudo um engano. E-eu... Eu realmente não sei o que pensar... Não sei o que fazer... Me sinto envergonhada e morrendo de ódio da vadia da Cordélia. E da Yui também. Aquela gravação me deixou boquiaberta e assutada, a ponto de não acreditar no que estava acontecendo. Comecei a ficar nervosa, e decidi sair do esconderijo, e ficar frente a frente de novo com o ruivo.

— Agora você entende? Agora você sabe que eu não tive nada a ver com aquilo. — ele caminha até mim — Hannah... Eu amo você. E nunca vou parar de te amar. — nos beijamos intensamente

— Laito... Me perdoa... — falei chorando — Eu não sabia... E-eu não fazia ideia... — segurei seu rosto e o pus junto ao meu — Eu também amo você, mais do que a minha própria vida. 

— Calma, meu amor. — encostou sua testa na minha — Agora já está tudo esclarecido. Agora estamos juntos novamente. E nada nem ninguém, irá nos separar. 

— CHEGA! — Yui berrou — CHEGA DE TANTA PALHAÇADA! PARA DE FAZER SEU SHOWZINHO, LAITO SAKAMAKI! PARA DE FAZER TANTA MERDA! PARAAAA!!! — de repente, a Yui surtou. Derrubando tudo, a mesa com salgadinhos, rasgando metade do vestido e até o bolo. Jogou o mesmo de cinco andares, próximo à primeira fila de convidados

— O que está acontecendo? — Ruki pergunta assustado

— E-eu não sei... — responde Yuma — Só sei que quero logo dar o fora daqui...

Quando menos esperei, Sakura foi até Cordélia, pisando forte, e olhando para ela com cólera.

— Agora sua vaca, pensa duas vezes antes de estragar a vida de alguém! — apontou o dedo na direção dos olhos — E se principalmente essa pessoa for minha melhor amiga! Você tem ideia do que causou? Tem ideia do realmente causou aos dois? — eu não estava achando uma boa ideia da Sakura dizer aquilo, pois a qualquer momento a Cordélia poderia surtar também — VOCÊ TEM IDEIA? 

Os gritos da Sakura foram seguidos por um murro que a mesma recebeu de Cordélia. Foi um murro tão forte, que a fez cair do chão. 

ELA É A PESSOA QUE EU MAIS ODEIO NA VIDA.

— SAKURA! — Ayato gritou desesperado, indo imediatamente socorrer a rosada que estava caída no chão — Sakura! Você está bem? Fala comigo! — disse, pegando seu rosto

— Aaaaiii... — Sakura passou a mão na boca suja de sangue — Que merda! Olha o que essa mulherzinha fez! Ai... Isso dói... 

— Calma... Vamos cuidar disso! — a ajudou a levantar — Vamos entrar... 

— NÃO, AYATO! EU NÃO POSSO DEIXAR MINHA AMIGA SOZINHA! 

— Pode cuidar do seu ferimento, Sakura... — Vick segura o pulso de Cordélia com força — Deixa que eu me resolvo com essa vagabunda! 

— QUEM É VOCÊ PRA ME CHAMAR ASSIM?

— Sou a pessoa que está a menos tempo aqui, que entende melhor a situação como ninguém. 

— COF COF — Sakura debocha

Eu não acredito nisso... E nem quero estar aqui para ver o circo pegar fogo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...