História Marcas do Passado - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 4
Palavras 1.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bryan na foto de capa ❤

Capítulo 9 - Um Atentado em Quendelly


Fanfic / Fanfiction Marcas do Passado - Capítulo 9 - Um Atentado em Quendelly

__ Prontinho _ Bryan entregou uma casquinha com sorvete de chocolate a Angelique__ Seu favorito Senhorita.


Bryan sentou na parte de cima do encosto do banco colocando os pés sobre o assento assim com Angelique já fazia se sentindo uma adolescente. À noite em Quendelly estava quente e a conversa entre os dois animada. Era bom poder ficar perto de alguém que não a deixasse tão... Nem sabia definir os sentimentos contraditórios que sentia com a presença de Christopher. A praça estava como de costume com seus casais e a noite estava maravilhosa.


__ Sabe, eu tinha esquecido como aqui é bonito a noite_ ela disse olhando o céu estrelado.


__ Muito bonito mesmo_ ele disse, mas sem tirar os olhos do rosto dela.


Angelique corou com o elogio discreto. O sorriso de Bryan era encantador e ele estava se revelando ótima companhia.


__ Então... Conte-me um pouco sobre seu trabalho em Nova York_ ela pediu mudando de assunto.


__ É um bom lugar, mas às vezes me dá nos nervos!


__ Eu sei como é_ ela disse saboreando seu sorvete.


_____________________


Christopher estava verdadeiramente furioso. Foi ate a casa dos MacKullen disposto a implorar de joelhos o perdão de Angelique se fosse preciso, pois agora que sabia que a família iria apoiá-lo não tinha motivos para se negar a estar com a mulher que amava, mas qual não foi a sua surpresa ao saber que ela havia realmente ido para um encontro com o maldito do Andriques. 


Naquela tarde ele e ela haviam se agarrado no banheiro e agora ela tinha a coragem de sair com um estranho. Na verdade não um estranho, mas o babaca em quem deu seu primeiro beijo anos antes.


Ao chegar à praça avistou os dois sentados sobre o encosto de um banco como dois adolescentes. Um casal adolescente! Angelique ria de algo que Bryan lhe contava e aquilo só ajudou a aumentar seu ódio. Ele ia matar aquele garoto.



__ Não Bryan_ Angelique ria com gosto__ Eu me lembro bem que você me puxou para debaixo daquela mesa.


__ E você não reclamou_ Ele disse rindo enquanto colocava uma mecha de cabelo dela para trás__ Você era a única menina que me tratava como uma pessoa normal.


__ Eu gostava da sua Companhia_ ela disse percebendo que ele estava bem próximo__ Ainda gosto.


__ Bem que podia ter outra mesa aqui_ ele murmurou aproximando ainda mais o rosto.


Angelique prendeu a respiração quando Bryan deslizou a mão para sua nuca puxando o rosto dela para colar os lábios nos dele. Não que não tivesse beijado outra pessoas, mas sabia no que resultaria fazer aquilo ali, mas quer saber por que não? Pensou decidida a se deixar levar.


__ Boa Noite!_ Christopher apareceu antes que eles completassem o ato.


O susto foi tão grande que Angelique se desequilibrou e acabou por cair para trás levando Bryan consigo agradeceu aos céus que a parte de trás do banco era todo gramado o que diminui o impacto da queda. Olhou para Bryan soltando uma gargalhada e acabou sendo acompanhada por ele. Ouviram um pigarro impaciente e Bryan acabou levantando e a ajudando a levantar.


__ Boa noite Xerife_ Bryan cumprimentou sem simpatia.


__ Eu não estou a serviço_ Christopher cortou__ Boa noite Angelique.


__ Estava boa ate você aparecer_ ela disse limpando a calça__ O que quer Christopher?


__ Quero muitas coisas Angelique, mas por hora falar com você basta.


__ Estou ocupada_ ela disse como se fosse óbvio.


__ Xerife eu..._ viu que ele ia retrucar e emendou__ Christopher, não sei qual é o problema, mas pode resolver com ela amanha.


___ Olha aqui Andriques..._ ele deu um passo na direção do rapaz__ Acho bom se por no seu lugar.


__ Se não o que?_ Bryan o enfrentou os dois a frente de Angelique e bem próximos__ Vai me prender por estar em um encontro com a Angel? Ou por querer beija - lá?


Christopher já fechava a mão para o primeiro soco quando um barulho que ele conhecia muito bem cortou a praça. Christopher sabia que o tiro havia passado bem próximo de si e de Angelique que vinha para segurá-lo exatamente no momento do estalo. Puxou a arma enquanto empurrava Bryan e Angelique para trás de um carro. Outro tiro percorreu a praça naquele momento com pessoas já correndo apavoradas. Viu Bryan e Angelique se agacharem junto com ele atrás do carro e no terceiro tiro descobriu a direção e atirou de volta. Viu uma sombra do lado oposto a praça e levantou pronto para acertar foi nesse momento que o carro do outro lado da rua explodiu.


O estrondo foi alto fazendo o chão abaixo deles tremer, mas em minutos o silencio tomou conta do lugar. Christopher sacudiu a cabeça tentando afastar o zumbido que ficou. O carro que explodiu estava destruído com chamas ainda acesas.


__ XERIFE!_ Bryan gritou do lugar onde estava com Angelique e foi nesse momento que o coração de Christopher ameaçou parar.


Angelique estava desacordada com um dos pedaços de estilhaço presos a sua coxa onde um sangue grosso já manchava o chão. Ele olhou em volta da praça ainda consciente do perigo que os envolvia e se aproximou abaixado. 


__ A cabeça dela está sangrando_ Bryan disse vendo a mancha que descia em seu pescoço__ Deve ter batido durante a explosão.


__ Sabe atirar_ viu Bryan afirmar que sim e entregou a arma a ele __ Não tire os olhos da praça.


__ Tudo bem_ Bryan assentiu empunhando a arma.


Christopher rasgou um pedaço da camisa amarrando ao redor da coxa macia evitando ao máximo tocar no pedaço de metal que perfurava o local. Amarrou tentando conter o sangramento. A respiração de Angelique era lenta e os batimentos fracos. Pegou o celular e ligou para a emergência já ouvindo as sirenes dos carros de policia na praça. Pediu a Deus que nada acontecesse a Angelique, pois se ele a perdesse sua vida não teria mais sentido algum.


________________________________



Christopher teve que ficar na praça junto aos seus policiais quando a ambulância chegou e por mais que não gostasse nada da idéia de deixar Bryan ir com ela sabia que Adam já estava rumo ao hospital e ele tinha pouco tempo para achar algo que o leva-se ate o causador dos disparos. Reviraram a praça do avesso e não encontraram nada. Não tinha nenhuma pista de quem era, mas tinha uma idéia clara do perigo que Angelique correu, mas o que mais o incomodou foi saber que todos os tiros foram em sua direção ela quase havia sido atingida quando correu para ele. Não tinha inimigos na cidade e não havia problemas com armas ali há muitos anos. Não conseguia pensar em um motivo.


A contragosto e obrigado por Jeremy fez um curativo no corte da mão e tomou um banho correndo para o hospital em seguida. Queria saber de Angelique vê-la. Ao entrar na sala de recepção a família estava ali e a mãe correu para abraçá-lo.


__ Oh meu filho eu estava tão preocupada_ ela disse chorando__ Você está bem?


__ Estou bem mamãe_ ele disse olhando para Adam__ Como ela está?


__ O medico disse que apesar da pancada forte ela só sofreu uma leve concussão e que os sinais estão estáveis_ Adam disse aliviado__ O corte da perna levou alguns pontos e ela perdeu muito sangue, mas ela vai ficar bem.


Christopher sentiu um peso enorme sair de seus ombros. O medo de perder Angelique o estava sufocando. Viu a mãe se afastar e Julie o abraçar também com lagrimas nos olhos. Todos estavam preocupados e aflitos com o fato dele ter ido atrás do atirador afinal apesar de Christopher ser xerife Quendelly era uma cidade pequena e aquilo nunca tinha ocorrido ali. O médico se aproximou fazendo todos o olharem apreensivos.


__ Se acalmem_ ele os tranquilizou__ Só vim informar que a Angelique está bem. Chegou a acordar por um momento, mas achamos melhor deixá-la medicada para que pudesse dormir essa noite. Então se quiserem ir para casa podem vê-la pela manha.


__ Eu posso vê-la?_ só nesse momento Christopher viu Bryan em um canto da recepção com um curativo em alguns arranhões.


__ Não_ foi à resposta breve de Christopher.


__ Não perguntei a você_ Bryan cuspiu as palavras sem paciência.


__ Mas eu te respondo_ Christopher queria amassar aquele mauricinho__ Você não vai vê-la e acho bom sumir daqui.


__ Christopher_ Selly se assustou com a grosseria do filho.


__ Pois eu não vou a lugar nenhum! 


Christopher deu um passo à frente com Julie e Selly o contendo, mas foi George que resolveu intervir.


__ Podem parar os dois. Estamos em um hospital não em um ringue e muito me admira você Christopher com essa atitude__ George admoestou__ E Bryan agradeço de verdade o que fez pela minha filha, mas agora acho melhor ir para casa. Pode visitá-la amanha.


__ Claro Sr. MacKullen_ ele disse nem um pouco satisfeito__ Boa noite a todos.


Christopher viu Bryan sair satisfeito. Ele não tinha nada que estar ali, não era nada de Angelique. Viu George o olhar e balançou a cabeça em negação.


__ Você sabe que não vou sair daqui_ ele disse firme__ Com todo respeito George.


__ Eu já imaginava_ George disse para surpresa de Christopher__ Vou levar a Selly para casa e imagino que posso confiar em você para ficar com ela essa noite?


__ Com toda certeza_ Christopher não iria sair dali nem arrastado.


__ Então vamos todos para amanha estarmos aqui bem e dispostos para dar bom dia a minha pequena_ George disse já arrastando a família porta a fora, mas antes de sair se virou para Christopher__ Eu a confio a você.


Christopher sabia que aquela era a benção de George. Do jeito dele ele estava dizendo que aceitava Christopher, e que confiava que ele ficasse com a filha. Como foi estúpido anos antes fugindo de Angelique por medo da família. Medo de não ser aceito, quando na verdade todos pareciam esperar que eles ficassem juntos. Estragou sete anos da sua vida por um medo estúpido.  


 


_____________

 


__ Chefe?


Christopher levantou da poltrona ao lado da cama de Angelique e foi até Jeremy na porta do quarto.


__ O que acharam?


__ Nada_ Jeremy entregou o relatório da cena a ele__ Nada da balística, e nada mais que leve ao atirador e ninguém viu nada o que para Quendelly é o mais inacreditável.


__ Ele soube se colocar bem. Pela arma que estava podia estar a uns cem metros de nós três_ Christopher leu o relatório com atenção__ Esse carro que viram no local?


__ E nossa única pista, mas não deu em nada. Estava estacionado no fim da praça ninguém apareceu pra buscar_ ele apostou algo na folha__ Foi alugado, mas o nome e falso assim como os dados e como foi alugado na cidade vizinha tem três dias duvido que lembrem se de algo, mas amanha vou lá.


__ Ele estava no carro_ ele olhou a distancia__ Foi de lá que fez os disparos.


__ Acha mesmo que o alvo era você?_ Jeremy olhou para Angelique na cama__ Por que sabe com a história do Assassino e tudo mais.


__ Não é o modo operante dele, mas algo me diz que isso está ligado a ela de qualquer jeito__ ele olhou para Angelique adormecida e tão indefesa__ Pode ir pra casa Jeremy. Amanha nos vemos na delegacia.


Ele voltou pra poltrona relendo o relatório. Tinha que ter algo ali. Algo o inquietava naquele atentado e ele sabia que tinha que descobrir o que antes que alguém saísse morto.


 


_________________





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...