História Margaridas para você. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT), Wanna One
Personagens Daehwi, Doyoung, Guanlin, Hansol, Jaehyun, Jihoon, Jinyoung, Johnny, Kang Daniel, Kun, Personagens Originais, Seongwoo, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Hyungseob, Jaeyong, Johnten, Ongniel, P101, Produce101, Samhwi, Samuel, Seonho, Seonlin, Winkdeep, Winkun, Yaoi, Yusol
Visualizações 27
Palavras 3.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Reslou amiguinhas.
Vou deixar para papear nas notas finais, MAS ANTES!!!!!!!!
No prólogo, eu não consegui agradecer a uma pessoinhas que me ajudou muito nessa fanfic, bem, eu nunca havia assistido p101 (e ainda nem terminei), porém eu me apaixonei por esses meninos, criei um amor enorme, mas graças a tia que fazia o jaehyun em um rpg texting hehehe ~Daehwii
Ela me ajudou nas curiosidades sobre eles, personalidade de cada um, enfim, me ajudou por completo.
Por isso, muito obrigada tia que fazia o Jaehyun no RPG, te amo nega sz


Agora vamos ler he he he
Desculpa se tiver algum erro, eu fiz uma rápida correção, mas as vezes surge um errinho ou outro. Boa leitura!!!

Capítulo 2 - Brigas de irmãos.



Taeyong olhava pela janela de seu quarto o céu cinza, e por algum motivo achando aquela paisagem linda, ao seu ponto de vista o tempo nublado era o melhor, aquele friozinho gostoso, ah! Ele não poderia estar melhor, quero dizer, poderia sim, se Jaehyun estivesse naquele momento com si seria perfeito, mas infelizmente jaehyun não estava. Uma viajem de última hora para a casa de seus avós havia estragado tudo, pelo que Taeyong havia entendido, era aniversário de uma prima do Jung, o que não era lá muito agradável para o rosado.

Não era ciumento, okay, talvez fosse um pouquinho, mas nada berrante entende? Ele só tinha medo que jaehyun achasse alguém melhor, o que na opinião do Lee era o mais provável, aliás, jaehyun era jovem, bonito e simpático, além de ser inteligente, as possibilidades que uma loira de farmácia o roubasse eram grandes, por isso tinha um certo medo.

Sacudiu a cabeça de um lado e outro tentando esvair esses pensamentos e se levantou da cadeira em frente a grande janela, foi andando com os pés descalços até sua cozinha pegando uma maçã e a mordendo, estava com tanta fome, mas a preguiça de preparar algo era enorme, se contentando com uma maçã, já voltava para seu quarto quando a campainha tocou, achou estranho pelo fato de ninguém o visitar, ainda mais que era feriado e nenhum de seus amigos estavam em casa.

Foi até a porta, abrindo somente uma pequena fresta, mas o que não imaginava era que jaehyun estivesse ali, viu o mesmo abrir a boca para o cumprimentar mas assim fechou a porta em sua cara.

- Eu estou horrível, ele não pode me ver assim! - pensou rápido antes de sair correndo para seu quarto.

Jogou uma água na cara e colocou uma roupa mais descente -- ao seu ponto de vista -- não precisava de muita coisa, somente tirar aquelas olheiras e o inchaço de seu rosto, causados pela choradeira que o Lee havia feito horas antes do Jung bater em sua porta. Caminhou em passos apressados e abriu novamente, vendo Jaehyun com uma cara de cú bem visível.

- O-oi amor - tentou dar seu melhor sorriso. - O que faz aqui? Você não ia viajar hoje?

- Sim, mas preferi ficar com você, por acaso tem algum problema? - arqueou uma de suas sobrancelhas, desconfiado.

- Não é nada não, eu só não estava esperando essa surpresa - Acabou sorrindo largo dando espaço para Jung entrar.

- Estava com saudades, ficar longe de você me deixa triste - voltou a atenção ao Lee, envolvendo seus braços na cintura fina.

- Também estava - deitou a cabeça no ombro alheio, sentindo o cheiro amadeirado de Jaehyun.

- Taeyong... você está estranho esses últimos dias, tem algo que precise me contar? - disse ainda abraçados.

E sim, Taeyong ainda não havia contado sobre sua gravidez, infelizmente, o ânimo do rosado havia dado uma recaída, e novamente a ideia que Jung poderia o deixar caso soubesse, o perturbava de tal modo que não conseguia explicar, o medo de ser ignorado e deixado era maior, Lee não podia correr esse risco, ou poderia...

Ficou pensando em tudo, contar? ou não contar? Era a pergunta que mais rondava sua mente naquele momento.

- T-tae... você está chorando? - O maior dos dois se afastou um pouco, somente para ver o rosto do Lee molhado em lágrimas.

- Er..er.. Jaehyun, você me promete que nunca me deixará? Sob qualquer circunstância? - falava ainda entre o choro.

- Claro que sim - segurou os ombros de Taeyong e o trouxe para perto, começando um carinho nas madeixas rosadas.

- E-eu estou grávido... - falou tão baixo, que mesmo Jaehyun estando perto, não conseguiu escutar.

- Ahn.. pode repetir? Não escutei baby.

- Eu estou grávido - voltou a se desmanchar de lágrimas.

Enquanto isso Jaehyun estava estático, não conseguia dizer uma palavra se quer, mas não que estivesse triste, estava feliz, uma alegria que encheu seus olhos de lágrimas, piscou algumas vezes respirando fundo, eu vou ser pai?, pensou enquanto agarrava mais ainda Taeyong, beijou sua testa e deixou um sorriso brotar em seus lábios.

- Eu não acredito - falava sentindo as lágrimas escorrerem pela sua bochecha - Taeyong, a gente vai ter um filho juntos! - se afastou novamente, somente para encarar o outro - Sabe como eu estou feliz? Sabe como eu estou me sentindo nesse exato momento? Esse é o melhor presente que eu poderia ganhar - selou seus lábios rapidamente, antes de se agachar no chão e encarar a barriga do Lee, levantou um pouco a blusa fina e deixou um beijo um pouco acima do umbigo - Oi neném, você consegue escutar o papai? - falava baixinho arrancando algumas risadas de Taeyong.

Jaehyun continuava a conversar com o bebê e Taeyong só observava a cena com um sorriso nos lábios, seus amigos estavam certos, Jung não seria capaz de o deixar por causa de um filho, o coração do mais novo era grande e ele não seria capaz de fazer algo tão horrível.

- Achava que você iria me deixar - falou suspirando recebendo a atenção de Jung, que se levantou e voltou a encarar o rosto do menor.

- Claro que não, meu sonho é ser pai, você não sabe, o tamanho da minha felicidade - já dizia entre lágrimas, puxando o Lee e beijando seus lábios, transmitindo todo o conforto e felicidade que estava sentindo naquele momento.


Queria ao menos continuar pensando nesse dia, ter a paz que eu tinha antigamente, quando tudo era melhor, quando não existia duas criaturas, um adolescente problemático e um quase adulto que ainda vive debaixo do teto dos pais, e se depender de mim, vai continuar...

- LEE DAEHWI É MELHOR VOCÊ VOLTAR AGORA!

- VEM ME PEGAR SEU PUNHETEIRO! - risadas altas e escandalosas.

- DAEHWI SAI DAI MENINO! QUER QUEBRAR UM BRAÇO? - berros de Jaehyun...

Está comprovado, eu não posso ao menos tirar um cochilo, tenho marido pra quê? Pra bonito. Porque Jaehyun depois que entrou de férias, fica 24horas com a bunda no sofá, Daehwi e Daniel colocam fogo na casa e ele nem percebe, alguém tem que tomar uma atitude, e esse alguém sou eu. Lee Taeyong, prazer.

Me levantei da cama, me espreguicei, fiz as mesmas coisas que sempre faço após acordar, nessas incluía: Escovar os dentes, limpar a cara, pentear o cabelo, tomar um banho, colocar uma roupinha nova, passar desodorante, perfume e ai sim, depois de todo esse ritual eu saia daquele quarto, para dar de cara com duas criaturas, uma em cima da outra se estapeando enquanto Yunoh tá vendo jogo de basquete. Não mereço.

- Vamos parar com essa palhaçada agora! E eu não preciso repetir, Lee Daehwi solta o cabelo do teu irmão - falei passando entre os dois.

Vamos ver o que temos para hoje, a empregada não veio, por tanto a faxina diária será feita por Daniel e Daehwi, aliás, pra que outra utilidade eles teriam a não ser limpar a casa e serem meus escravos?

Pra isso que filhos servem meus amigos, somente para isso.

- Omma, tenho uma pergunta - Daehwi surgiu do meu lado.

- Diga.

- Você ficaria bravo comigo, caso eu já tivesse perdido a virgindade? - ele encarou o chão, e quando eu vi Jaehyun se levantar do sofá e começar a andar em nossa direção com uma cara de cú bem notável, cheguei na conclusão que:

- Teu appa escutou, prepara teu lombo - disse entre sussurros vendo meu filhote ficar branco, deu até dózinha 

- Como assim Lee Daehwi, repete isso, que eu devo estar surdo. Você perdeu a virgindade? - só fiquei observando, nesse momento, Daniel que estava viajando no mundo da lua se juntou a mim na mesa e ficamos esperando o circo pegar fogo.

- Appa eu po-

- Não, você não pode me explicar, como é o nome do filho da mãe? Usou camisinha? Quantos anos? Mora aonde? Estuda? Qual ano? Você conhece esse garoto a quanto tempo? Ele é intelig-

- APPA PELA 'MOR DE DEUS DEIXA EU FALAR! - cheguei a arregalar os olhos aqui - Eu não perdi a virgindade, só perguntei por curiosidade, não se preocupa que eu ainda sou virgem.

- Bom mesmo, não quero me tornar avô tão cedo - Jaehyun já relaxava os ombros.

- Bem appa... só não se esqueça que eu não sou seu único filho - Daehwi soltou a bomba e saiu correndo.

Nesse exato momento, tanto eu, quanto Jaehyun olhamos 'pra Daniel, ele comia - pra variar ele estava comendo - e só foi se tocar que o assunto tinha parado nele, quando Jaehyun deu um tapinha na sua nuca. Agora quem tá puto sou eu!

- Qual é, vão dar ouvidos pro que o Daehwi fala? - ele disse com pouco interesse - É sério omma e appa, eu não tenho filho, e nem estou esperando, eu e Seongwoo sempre usamos preservativos sem contar que ele toma remédio pra... - ele parou de falar engolindo em seco, ótimo, agora sabemos a origem dos gemidos toda vez que esse Seongwoo vem dormir aqui.

- E eu achando que você era um virjão - a única coisa que Jaehyun falou antes de sair da cozinha e voltar a se sentar no sofá.

- Então você e seu melhor amigo mantém uma relação sexual? - encarei Daniel boquiaberto - Não acredito... a quanto tempo isso filho?

- Uns dois meses? - disse meio incerto, ele não olhava nos meus olhos, parecia bem nervoso.

- Mas vocês são namorados?

- Não - suspirou.

- Por quê?

- Por motivos pessoais omma - se levantou e saiu da cozinha.

Eu fiquei magoado, poxa, bem que ele podia me contar, aliás, eu sou sua omma tenho direito de saber, mesmo que Daniel tenha seus 18 anos, eu ainda o trato como se tivesse seus nove e vou continuar, por sorte Daniel é um amor e nunca me deu trabalho, na adolescência mesmo era cada elogio que eu recebia pelo filho nota dez que tinha, mas infelizmente Daniel é mais chegado no pai, enquanto eu sou no Daehwi, que é completamente o contrário de Daniel, ele é um menino inteligente e tudo mais o problema é que aquela criaturinha é uma matraca ambulante, ele não cala a boca um segundo, sem dizer que meu filho é uma najinha, adora discórdia e vive se metendo em confusão no Colégio.

Mas tirando esses defeitos, Daehwi é uma criança boa, ele sabe o limite de parar e por sorte não é TÃO mimado, por mim ele não seria nem mimado, mas Jaehyun não colabora nesse quesito, ele vive fazendo as vontades do Daehwi, eu tento maneirar um pouco já que com Daniel as coisas não foram assim, Daniel nunca foi mimado pelo Jaehyun, quero dizer, ele já foi, mas comparado com Daehwi é quase nada, Jaehyun é o tipo de pai caro, que adora fazer as vontades dos filhos, ele tentava com Daniel, mas felizmente meu menino nunca gostou de gastar - somente com comida, livros e jogos.

Me levantei da cadeira e fui a luta, peguei o avental e uma faca dentro da gaveta, as cenouras já estavam sobre a tábua, lavei os dois vegetais e comecei a cortar em rodelas pequenas, até...

- Amor - levei um susto quando senti os braços de jaehyun envolver a minha cintura - O que você acha de irmos ao cinema com os meninos?

- Acho uma boa ideia, faz tempo desde que não saímos em família, digo, todo mundo junto.

- Vou falar com eles depois, sabe o que eu gostaria de fazer agora? - larguei a faca que estava na mão e fiquei aproveitando os beijinhos que Jaehyun depositava por toda a extensão do meu pescoço.

- O que você quer fazer, hum? - me rendi por completo, virando meu corpo e ficando de frente para Jung, que continuava com as mãos firmes na minha cintura.

- Você já vai descobrir - aquele sorrisinho malicioso já dizia tudo, mas infelizmente, a única coisa que podíamos fazer naquele momento era trocar carícias e beijinhos, malditos e amados filhos que tive.

- Er... j-jae a-aqui não - era difícil dizer com aquele homem maltratando meu pescoço daquela forma, respirei fundo, você tem que mostrar exemplo para os seus filhos Lee Taeyong! – me auto repreendi.

Levei as duas mãos até seu peitoral e empurrei o maior para trás, eu queria ficar mais tempo ali aproveitando dos seus carinhos, mas vai que Daehwi acaba vendo o que não deve, ou escuta algum gemido, Deus me livre, meu bebê ainda é santo. Yunoh acabou aceitando e se contentando com o pouco que tivemos.

- De noite eu te recompenso, agora tira esse biquinho da cara - falei rindo com a careta emburrada que fazia.

Fiquei observando Jaehyun sair da cozinha e voltar para o sofá - eu disse que ele fica 24hs na frente da TV - e então voltei a cortar o resto das cenouras, as coloquei em um pote fundo e levei para a geladeira, já que Jaehyun inventou de ir ao cinema, não vai ser preciso fazer a janta, amém.

Meu dia seguiu do mesmo jeito chato e monótono, hoje em dia eu não saiu de casa com tanta frequência, antes eu trabalhava mas agora com essa tecnologia toda, tudo que tenho de fazer é digitar, é um pouco chato? É, mas pelo menos sempre estou em casa, Jaehyun que vez ou outra some, meu grandão é pediatra agora, então as vezes é obrigado a cobrir turnos noturnos, mesmo tendo trabalhado o dia todo, é o serviço no final das contas, mas no momento Jaehyun se encontra jogado no sofá, ele entrou em férias faz umas duas semanas e desde então ele tenta de todas as formas possíveis sair com todo mundo junto, para terem uma noção, só essa semana saímos sete vezes, sempre lugares diferentes, Daehwi também está de férias e Daniel já terminou o colegial, as únicas coisas que faz da vida é seu cursinho de informática - que já está chegando ao fim -, seu curso de inglês - que também está acabando - e por fim seu curso de fotografia.

E não, Daniel não vai fazer uma faculdade, por quê? Porque ele não quer, meu filho já é adulto e sabe das suas escolhas, se ele acha certo e gosta de fotografar, não vou o impedir, esse é seu sonho, é como Jaehyun sempre diz "Você vive por si mesmo, não pelos outros". Já Daehwi, como falei antes, ainda não terminou o colegial e eu também não faço a mínima ideia de qual profissão ele quer seguir, pra falar a verdade, nem ele sabe, mas ainda tem tempo para pensar.

[...]

- Estão todos prontos?

Terminava de ajeitar a minha roupa quando Jaehyun chegou falando - gritando - na sala, Daehwi estava sentado com a fuça no celular, enquanto Daniel não dava as caras, estranho porque ele não é muito de se arrumar, quero dizer, ele se arruma bem, mas diferente de mim e Daehwi ele consegue fazer tal coisa em tempo recorde.

- Cadê o Daniel? - perguntei me juntando a Daehwi que digitação alguma coisa no celular.

- Ele não vai ir - continuava concentrado.

- Por que não vai?

- Ele e o Seongwoo vão fazer maratona de animes hoje, ai o appa acabou liberando para ele - deu de ombros.

- Seongwoo é o garoto que...

- Sim, bem esse. - olhei para a tela da tv desligada e fiquei analisando tudo, então meu filho é mais esperto do que eu imaginava.

Não demorou muito até Jaehyun chegar na sala, Daniel vinha junto e estava com o rosto corado, com certeza estavam conversando a respeito da vida sexual do meu filhinho, pegamos as últimas coisas que precisávamos.

- Se cuida neném, e usa camisinha - alertei antes de deixar um selar na sua testa e enfim saímos dali.

O passeio até o shopping foi tranquilo, Daehwi tagarelava sobre como Seonho e ele conseguiram queimar a cortina da sala de Química, ou como odiava a garota do primeiro ano por ficar "jogando asinha" pra cima de Donghyun, que eu descobri ser seu amigo, entre outros bafos, diferente de Daniel, Daehwi era mais aberto com a gente, acho que isso é bom, Dani é uma pessoa muito fechada, deveria se abrir mais, antigamente ele contava tudo pra mim, absolutamente tudo, era até mais alegre, mas ai veio Daehwi e ele deu uma desanimada, não sei se é ciúmes, mas eu já expliquei sobre isso sem contar que em nenhum momento deixamos ele de lado, amamos os dois igualmente.

- Chegamos, já decidiram que filme querem ver? - Jaehyun parou o carro e nos encarou.

- Terror! - Daehwi falou animado, recebendo um aceno positivo de jaehyun.

- Ah não, terror não, vamos pegar alguma animação ou algum filme de ação.

- Mas esses filmes não tem graça, eu e o appa queremos terror então vai ser de terror, a maioria venceu. - e é nesses momentos que eu queria Daniel junto conosco, ele ficaria do meu lado, merda.

[...]

POV Seongwoo

Depois de uma longa e chata conversa com meu omma sai daquela casa, precisava ver Daniel e desabafar, estava tanto tempo sem o ver que dava até uma dorzinha do coração, felizmente ou infelizmente, aquele sorriso lindo e aberto que o mesmo me dava cada vez que nos encontrávamos me fazia feliz, digo, eu sou feliz, mas vamos dizer que minha felicidade dava uma pontuação máxima.

Não sei como, ou quando me aproximei de Daniel, acho que no ensino médio, sim, foi no ensino médio de certeza, nunca vou me esquecer dos seus concelhos, abraços quentinhos e beijinhos que depositava por todo o meu rosto, até então na base da amizade, mas mudou muito quando ambos terminamos o terceiro ano, Daniel começou um curso de fotografia e eu... bem eu entrei para a faculdade de Medicina, essa que pretendo me especializar em psiquiatria, meu sonho desde pequeno, mas não está sendo fácil, pra falar a verdade, tá sendo difícil e complicado, sem contar a pressão que meu appa faz em mim, é desesperador e é nessas horas que Daniel entra em ação, ele me aconselha e consegue me deixar menos nervoso.

Um detalhe crucial sobre a Medicina, é que... a faculdade é um tanto quanto cara eu diria, do tipo muito cara, eu queria trabalhar para pagar a mensalidade mas infelizmente eu estudo durante a manhã, a tarde toda e pego uma parte da noite para concluir trabalhos, não está sendo fácil, nem um pouco, é até difícil eu conseguir tempo para Daniel, mas sempre que arrumo uma "folguinha" eu venho o visitar, para assistir séries, animes, desenhos, ou fazer outras coisinhas que prefiro não comentar.

Quando terminei de fazer a senha do portão eletrônico do apartamento, cumprimentei o porteiro e entrei no elevador, tinha duas pessoas dentro do cubículo, eles cochichavam algo sobre gravidez na adolescência, e bem, só em escutar a palavra "gravidez" já fiquei mal, engravidar é uma das coisas que eu mais tenho medo, não que minha vida sexual seja ativa para ter tal medo, mas com Daniel... é difícil as vezes que não nos tocamos, por conta disso eu sempre faço o uso do anticoncepcional e a camisinha sempre está presente, mas mesmo assim aquele medo, vai que o anticoncepcional não dá efeito, ou a camisinha fura.

O barulho da porta abrindo me fez "acordar", o casal que antes estavam já haviam saído, fiquei um tempo parado até perceber que a porta ia se fechar, o andar que iria descer é o próximo, foram questão de segundos até novamente parar, sai daquele cubículo e fui até a porta, apertei a campainha e logo Daniel atendeu, sempre com aquele sorriso no rosto, nos abraçamos e enfim eu entrei, como de costume fui direto para o seu quarto e me joguei na cama que não estava arrumada, Dani fez o mesmo, mas ele optou por apenas se sentar, ficou me encarando esperando que falasse de uma vez.

- Briguei com meu omma de novo - fui ao ponto principal - Meu appa se meteu no meio e no final eles que acabaram brigando - deixei o ar que estava preso sair - Meu appa saiu de casa e sabe se lá pra onde ele foi, estou preocupado.

- Não se preocupa, você sabe que o Tio Kun consegue se virar.

- Não é disso que estou preocupado, tenho medo que eles se separem, meu omma está cada vez mais neurótico dizendo que meu appa está o traindo! Nem eu aguento mais - suspirei voltando a me sentar na cama - Sabe, as vezes eu só queria que fosse como antes as coisas, por que tinha que complicar tanto?

- Seongwoo, é uma fase, logo você vai passar ela - ele se aproximou, engatinhando até mim na cama - E eu vou te ajudar - um selinho.

- Obrigado, eu já disse que te amo? - ele mexeu a cabeça de um lado e outro negando - Então eu te amo.

- Também te amo - deu aquele seu sorriso lindo antes de aproximar novamente nossos rostos...



Notas Finais


Entaum... Nem me lembro mais o que queria falar com vocês heueheuheu mas vou tentar improvisar, possivelmente bem na hora que postar o capítulo eu vou me lembrar, pq isso sempre acontece zzzzz
Mas vamos ao que me lembro: VÃO DAR VIEW EM WANNA ONE QUE TÁ UM DELÍCIA O ÁLBUM!!!!
AMEM YOO SEONHO
okay parei hihi
Aliás, hoje é niver do jaemin, meu bebezinho que estava sumido :'(
Mas que agora está de volta :) falando em nct dream, vocês estão acompanhando os teasers??!?!?!?!?!!

GENTEEEE HOJE SAIU O DO RENJUN FIQUEI FALECIDO, AQUELE ADOLESCENTE TÁ PURO HOMINHO, O QUE A SM FEZ COM ELE???
se bem que o renjun já tinha uma cara meio adultinha, mas nem tanto, ele tá muito diferente, amém pq nct dream, mesmo sendo dream não se trata de crianças, e sim adolescentes, alguns já quase adultos e outro já são adultos!!!!
hehehe acho que é isso, tchauzin amo vocês e tenham ótimos sonhos szsz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...