História Maria Mercedes - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela, A Madrasta, Cuidado com o Anjo, Maria do Bairro, Teresa, Thalía
Personagens Thalía
Tags Amor, Drama, Romance
Exibições 11
Palavras 1.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lá vai mais um capítulo. Coitada da Maria Mercedes!



O comentário de vocês são muito importantes para a autora.

Capítulo 16 - Delegacia


Fanfic / Fanfiction Maria Mercedes - Capítulo 16 - Delegacia

Malvina gritava histérica na delegacia:

-Prendam essa bilheteira imunda!

O delegado Montenegro se levanta da cadeira e diz irritado:

-Quem a senhora pensa que é para me dá ordens?

Maria Mercedes sendo contida pelos policias, ri e diz irônica:

-Toma! Engula essa jararaca de batom.

Malvina furiosa diz:

-Uh! Maldita bilheteira. –ela olha fuzilando com ira para Maria Mercedes. –E o senhor Delegado não está falando com uma pessoa qualquer, eu sou Malvina del Olmo. –disse orgulhosa olhando para o delegado.

Maria Mercedes diz com desdém:

-Grande coisa.

O delegado Montenegro fala:

-Senhora Malvina pouco me importa quem a senhora é e que fiquem bem claro que nessa delegacia quem manda sou eu! –disse irritado. – E a senhora não pode me dá ordens!

Malvina engoliu aquelas palavras do delegado a seco e diz cautelosa:

-Peço desculpas, senhor delegado, mas o fato dessa bilheteira ter envenenado meu sobrinho Santiago e ele está morrendo no hospital me deixou fora de mim.

Maria Mercedes chora desesperada dizendo:

-Eu juro seu delegado que não fui eu que envenenei o Santiago, eu juro! Eu sou inocente! Inocente!

Malvina grita:

-Mentirosa! Bilheteira mentirosa!

Maria Mercedes furiosa tentou partir para cima de Malvina, mas era contida pelos policiais e grita:

-Venha aqui que eu te mostro quem é a mentirosa! Sua bruxa velha!

Logo, o delegado irritado grita:

-Silêncio! Se continuarem com essa gritaria eu vou mandar prender as duas!

Maria Mercedes e Malvina se encaram.

 

Na vila, seu Manuel jogava as roupas de Rosário no pátio e dizia nervoso:

-Eu não quero mais nada dessa perdida na minha casa!

Rosário pegava as coisas do chão, chorava e olhou para os vizinhos que cochichavam e a olhavam com reprovação e disse brava:

-O que foi? Perdeu alguma coisa aqui bando de fofoqueiros! Sai daqui! Sai! –ela empurrava os vizinhos e os afugentavam de perto dela.

 

Na delegacia Maria Mercedes dava o seu depoimento para o delegado que a interrogava sem a presença de Malvina.

O delegado Montenegro sentado à mesa diz:

-Então, senhora Maria Mercedes se declara inocente e que quem lhe deu o remédio do senhor Santiago, foi o mordomo Aurélio?

Maria Mercedes aflita diz:

-Sim, seu delegado. O Aurélio me deu um frasco dizendo que era o remédio do Santiago e me pediu para eu colocar todo no copo de água e entregar para ao Santi.

O delegado Montenegro pergunta:

-Mas pelo que você me falou no inicio. O mordomo Aurélio é responsável pelos medicamentos do seu marido, mas porque hoje foi diferente? Porque ele pediu que você medicasse Santiago?

Maria Mercedes nervosa diz:

 -Eu não sei, seu delegado. Eu só sei que eu dei o remédio para o Santi e ele começou a passar mal e desmaiou. –ela começou a chorar. –Eu não sabia, eu juro pela virgenzinha.

O delegado Montenegro é direto com a Maria Mercedes e a fala:

-Senhora Maria Mercedes infelizmente terei que detê-la na delegacia.

Maria Mercedes assustada o pergunta:

-O quê tá pegando?

O delegado se levanta e diz:

-A senhora Maria Mercedes está presa.

Maria Mercedes grita aos prantos:

-Não! Não! Presa não! –enquanto isso os policiais a seguravam até a cela.

 

Maria Mercedes é colocada na cela, estava descontrolada e segurava nas grades e gritava:

-Socorro! Santi! Me tira daqui! Eu sou inocente!

Na sala do delegado, Jorge Luis e Malvina conversava com o delegado Montenegro.

Jorge Luis pergunta:

-Era mesmo necessário prender Maria Mercedes?

O delegado o responde:

-Sim, a senhora Maria Mercedes é a principal suspeita do crime, mas digo que todos que estavam na mansão del Olmo são suspeitos. –ele encara Jorge Luis e Malvina. –eu disse todos.

 

No hospital, Dina estava sentada no sofá na recepção enquanto Aurélio andava pelo recinto e demonstrava está inquieto e sua atitude a deixou suspeitar.

Dina pensava observando Aurélio:

-Aurélio tá muito estranho. Será que Maria Mercedes está falando a verdade? Será que Aurélio tem algo haver com o envenenamento do Santiago?

 

Na mansão del Olmo, Lurdes estava no quarto de Santiago e dizia nervosa:

-Espero que seu Santiago esteja bem. A menina Maria Mercedes não vai suportar se algo de ruim acontecer. –ela arrumava a penteadeira até que algo lhe chama atenção. –Eu já vir esse frasco em algum lugar, mas aonde? –ela ficou pensativa.

 

Início do flash black:

Lurdes passava pelo corredor onde ficava os quartos dos empregados quando de repente ela viu a porta do quarto de Aurélio entre aberta. A governanta se aproxima e viu Aurélio colocando algumas gotas do frasco dentro de um copo de água, ela achou a atitude estranha até que de repente Aurélio viu o reflexo dela pelo espelho, tomou um impulso e gritou:

-O que você tá fazendo aqui, sua velha estúpida?!

Lurdes assustada disse:

-Nada, é que eu vi a porta do seu quarto aberta e...

Aurélio se levanta e guarda o frasco no paletó e esbraveja dizendo:

-Fora daqui! Fora! –ele empurra Lurdes e fecha a porta do quarto com força.

Fim do flash black

Lurdes pega o frasco e diz:

-É eu vi esse frasco antes. É do Aurélio, mas o que ele tá fazendo aqui?

 

Na vila, dona Filomena se aproxima de Rosário que chorava sentada no meio do pátio com as roupas espalhadas pelo chão.

Filomena diz:

-Vem menina, vamos para minha casa. Você não pode ficar ai. Deixa que eu cuido dessas feridas. –ela olhava as marcas das pancadas no corpo da jovem. –Caramba, seu pai pegou pesado com você, menina.- disse surpresa.

Rosário se levanta e fala:

-Obrigada, dona Filomena. –ela beija as mãos da senhora. –Que Deus te abençoe e te pague.

Filomena diz:

-Não precisa beijar minhas mãos, eu faço isso pela amizade que tive com sua mãe. Sabe que tenho você e seus irmãos como se fossem meus filhos.

 

Na delegacia, Malvina prestava depoimento ao delegado Montenegro que a diz com ironia:

-Pelo que percebi a senhora quer muito que Maria Mercedes fique presa, mas diga por quê?

Malvina diz:

-Ora, por caso tenho que explicar o porquê? Essa bilheteira imunda e aproveitadora sabe lá quais formas conseguiu seduzir meu sobrinho Santiago um moribundo condenado à morte com o único objetivo de ficar com a herança dele!

O delegado Montenegro a questiona:

-Como pode ter certeza que Maria Mercedes se casou com Santiago por interesse? Será que por trás dessa sua vontade de condenar Maria Mercedes por um crime pode existir o seu interesse pela herança do seu sobrinho?

Malvina se levanta furiosa e grita:

-Como ousa me fazer esse tipo de pergunta?! –ela dá um soco na mesa. –Pois tome cuidado, senhor delegado Montenegro, eu sou uma mulher muito influente e conheço seus superiores e...

O delegado Montenegro se levanta e esbraveja dizendo:

-Não tenho medo de suas ameaças, Malvina. E se a senhora continuar com ameaças eu vou prendê-la por desacato a autoridade!

Malvina ficou em silêncio e olhava com ódio para o delegado Montenegro.

 

No hospital, Dina falava com Lurdes pelo orelhão que ficava dentro da sala da recepção.

Lurdes na sala da mansão del Olmo dizia ao telefone:

-Não acredito que Maria Mercedes tá presa na delegacia. Meu Deus! –disse angustiada.

Dina fala disfarçando para que Aurélio não a perceba que estava falando dele:

-Lurdes, escuta. O Aurélio tá muito estranho. Eu o conheço há anos e sei que ele tá escondendo algo. Será que Mercedes tem razão que ele deu algo para ela oferecer ao Santiago?

Lurdes fala surpresa:

-O frasco! Uma vez eu vi Aurélio com um frasco colocando algumas gotas num copo de água quando ele me viu que eu o observava ficou furioso e me expulsou do quarto dele. Eu achei aquela atitude estranha e agora eu encontrei esse mesmo frasco no quarto do seu Santiago.

Dina fala apreensiva:

-Lurdes, vá a delegacia agora. Quem sabe essa seja a prova que inocente Maria Mercedes e descobrimos a verdade. –ela olha temorosa para Aurélio.

Lurdes fala:

-Sim, eu irei à delegacia agora mesmo, mas toma cuidado com Aurélio, menina Dina.

Dina diz:

-Certo, eu vou te dizer onde fica a delegacia. –ela disfarçava, pois Aurélio a observava desconfiado.

 

Na delegacia, Jorge Luis dava seu depoimento para o delegado Montenegro que diz:

-Então, senhor Jorge Luis realmente acredita que a senhora Maria Mercedes seria capaz de tentar contra a vida do seu primo Santiago o envenenando para ficar com a herança?

Jorge Luis diz:

-Como te disse, delegado. Não acredito que Maria Mercedes seja capaz de cometer um crime. Ela é uma pobre coitada ignorante, mas incapaz de tamanho absurdo. Ela ama o Santiago.

O delegado diz:

-Certo, senhor Jorge Luis, encerramos o seu depoimento. Poderá ser solicitado novamente para mais esclarecimentos.

Jorge Luis se levanta da cadeira e falou:

-Obrigado, senhor delegado Montenegro.

O delegado Montenegro e Jorge Luis saiam da sala quando de repente aparece Lurdes aflita e diz:

-Seu Jorge Luis, graças a Deus que o encontrei.

Jorge Luis surpreso diz:

-Lurdes o que você tá fazendo aqui?

Lurdes olha para o delegado e diz:

-O senhor é o delegado?

O delegado a responde:

-Sim, senhora o que posso ajudar?

Lurdes apreensiva diz:

-Senhor delegado. Eu tenho uma prova que inocenta a menina Maria Mercedes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...