História Marido de aluguel - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Holland Roden, Justin Bieber
Personagens Holland Roden, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Casamento, Comedia, Drama, Romance, Sexo
Exibições 1.061
Palavras 2.816
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, com vocês estão sabendo que ele é o ULTIMO CAPÍTULO? SOCORRO!

Eu nem sei por onde começar, de verdade. Tenho tanto pra agradecer a vocês, mas vou deixar isso pras notas final. Não ficou muito grande, pq não tinha muito o que colocar.

Espero que gostem do final, beijos.

Boa leitura <3

Capítulo 30 - Amor se paga com amor


Fanfic / Fanfiction Marido de aluguel - Capítulo 30 - Amor se paga com amor

Eu sou feita pro amor das cabeças ao pés, e não faço outra do que me doar.
 

                             Lauren Miller P.O.V


Estou dois dias sem falar com o Justin, isso mesmo. Depois de sair da casa dele e ir pro restaurante da minha mãe, eu estava decidida a dar um chance a ele, ao amor. Porque minha mãe está certa, devemos amar as pessoas. Quando cheguei em casa, meu desespero de acontecer novamente tomou conta de mim e, quando eu vi eu já tinha mandado uma mensagem pra ele dizendo que eu precisava de mais um pouco de tempo, pra pensar melhor em mim mesma. Não se trata mais de nos dois, se trata apenas de mim. Eu comigo mesma. Ele parecer entender, e mesmo se não entendesse eu não ligaria, pois como eu disse, se trata de mim. Eu preciso olhar pra dentro e vê o que eu realmente preciso e não o que eu quero.

Esses últimos dois dias tenho andado distraída, impaciente e intensiva, as vezes confusa. Mas hoje, hoje é diferente acordei tranquila, na paz, sabe? Estou leve e feliz. Acho que tudo dentro de mim está se resolvendo. Principalmente a parte do amor, há ..amor, o que fazemos quando ele está guardado dentro de nos louco pra pular do peito?

O amor acontece em todas as pequenas felicidades do meu dia. Principalmente quando eu penso nele, é nele mesmo.

A coisas que chegam em nossas vidas fazendo um grande barulho, Justin foi uma delas. Ele chegou fazendo um grande terremoto, deixando tudo de cabeça pra baixo, mudando meu conceito, pensamentos, ele deixou tudo bagunçado e nem ficou aqui pra arrumar toda essa bagunça, que claro, eu mesma deixei ele fazer. Mas não, eu não me arrependi de deixar o Justin entrar, mas demorou um pouco pra eu arrumar toda essa bagunça. Agora está tudo bem, está tudo no seu lugar e o lugar do Justin, esse sim está no mesmo lugar de sempre.

Acho que sempre está no mesmo lugar.

Não tem como deletar o que a gente sente. Tem vezes que tudo o que queríamos é que o botão “não sentir” pudesse ser apertado, mas a opção nunca está disponível. Os sentimentos apenas vêm, abalando tudo, rompendo fronteiras e destruindo velhas opiniões: parecem pulsar por dentro, enchendo a cabeça de ideias e preenchendo o peito de afeição. Não tem como deletar o que a gente sente. Tem vezes que tudo o que queríamos é que o botão “não sentir” pudesse ser apertado, mas a opção nunca está disponível. Os sentimentos apenas vêm, abalando tudo, rompendo fronteiras e destruindo velhas opiniões: parecem pulsar por dentro, enchendo a cabeça de ideias e preenchendo o peito de afeição ou amor.

Eu só sei dizer que amo.

Não consigo explicar exatamente de onde veio isso, como o sentimento se instalou sozinho, sem nenhum outro precedente, ou a razão para ele se manter por aqui, passando a impressão de que nunca para de crescer. Só sei que, se continuar assim, daqui a pouco não passará da porta nem do quintal: a minha intuição diz que o que eu sinto deve ultrapassar o tamanho do mundo. Será ainda maior do que este universo todinho e todos os outros que existirem.

Se é exagero? Bom, faz parte, me disseram que o amor também tem dessas manias de grandeza. É bem verdade! Para ele, tudo é enorme e não há corpo sozinho que aguente. Por isso que a gente transmite um pouco para o outro, pra compartilhar a mesma alma sendo dividida com outro alguém.

E eu acho que amor é isso, a gente vai sentindo. Assim como a paz no fim de tarde quando estamos vendo as ondas, lá longe, quebrando enquanto o sol vai descendo. Com o coração acelerado de quem acabou de correr uma maratona e com a ansiedade de quem tem algo a falar a qualquer momento. São os dois lados da moeda numa única perspectiva.

É uma confusão que nos deixa com o sorriso meio bobo, sem motivo concreto algum para ali estar. Parece que o cereal que caiu do prato representa a beleza da vida, a rotina maçante é incrível até nos momentos mais entediantes e que todos os clichês do mundo deveriam ser mais reconhecidos. Ora, aquele comercial do casal do momento até que não tem um texto tão decorado assim, não é? Eu achei lindo…

E lindo é o mundo de quem ama, da mesma forma que o amor deixa tudo mais bonito. E nos dá a certeza de que isso vale muito a pena.


O Justin vale a pena, eu sei que vale, do jeitinho que ele é, da cabeça aos pés.

Me disseram que a gente tem que entender que as pessoas são como são. Assim, imutáveis em sua essência. Que se, por toda uma vida, alguém foi de determinado jeito, simplesmente está fadado a continuar mantendo os mesmos velhos pensamentos e a mesma forma de agir de sempre.

Que bom que eu não acreditei nisso.

Tá, de certa forma, não completamente. Porque não posso construir um mundo utópico na minha cabeça: sei diferenciar as coisas. Entendo que alguns costumes e jeitos mais ferrenhos eu não conseguiria jamais contornar, mesmo tendo uma vã esperança de mudança e uma dose grande de boas intenções.

Reconheço que não dá para tratar tudo como um grande sonho e pensar que nós, sozinhos, conseguiremos mudar cada coisinha que está errada. Mas, de certa forma, o coração sente quando é possível seguir e continuar insistindo. Ô se sente.

O amor junta com o coração e eles dois juntos tornam um velho senhor teimoso. Pois você pode mudar de país, casar e tem três filhos, isso não vai impedi-lo de colocar você com seu amor. Quando é pra você ficar com alguém, apenas irá ficar, não importa quanto tempo leve, irá ficar com seu amor.

o coração sente, ele avisa, Ô se sente.


Acho que meu celular também sentiu, ele acabou de vibrar ao meu lado. Fecho que era um mensagem da minha operadora, que legal. Por quê sempre esperamos que seja uma mensagem de alguém? Daquele alguém?

Me levantei da cama frustrada por ainda ser 10:30 em um sábado e eu está acordada. Entrei no banheiro pra tomar aquele banho pra despertar, afinal o dia está lindo lá fora. Depois do banho coloquei minha roupa de praia, decidi caminha sentindo o vendo bater no meu cabelo enquanto olho o amar. Gosto bastante disso pra falar a verdade. Então eu fui, passei a manhã toda lá, o sol estava ótimo, ainda mais o meu suco de maracujá, é o meu favorito. E por ser meu favorito fiquei furiosa quando estava indo pro meu carro um rapaz que estava andando de skate esbarrou em mim derrubando todo meu suco, mas logo ele pediu desculpa e comprou outro, pronto minha felicidade estava de volta, entrei no meu carro animada pra voltar pra casa e chamar a Emma pra sair hoje, sem homens, apenas duas amigas em um dar em Los Angeles.

Está bom pra um sábado não é?



[....]

Mais a noite, lá pras 21:00 Emma chegou na minha casa pra irmos pra um bar qualquer. Ela pareceu animada e disse que o Ryan não se importou, ele iria passar o sábado com o Justin. E lá vem ele nos meus pensamentos novamente, há Justin. Eu pedi um tempo pra você, mas não precisava não procurar. Não escute tudo que eu digo, eu sinto sua falta meu idiota. Mas bom, vamos lá apenas sorrir pra ela enquanto pegava minha bolsa pra sairmos logo de casa.

Entramos no táxi que nos esperava, como iriamos beber achamos melhor não ir dirigindo, pra voltar iria ser horrível. Ri pensando nisso quanto olhava pra janela do carro, porra fui pensando no Justin até chegar na merda do bar que estava lotado, mas que droga.

Melhor irmos procurar outro, puxei a mão da Emma pra irmos em outro lugar. Até que achamos, e nos sentamos, pedimos um bebida pra descer queimando.

- Vai com calma ai – disse Emma

- Me deixa curtir!

- Não quero que fique com ressaca amanha! – disse ela

- Por quê disso agora? – pergunto

- Apenas quero que esteja bem amanha, será um ótimo dia. – disse Emma

Mas do essa minha amiga maluca está falando? Há, quer saber? Esquece.

1 hora depois:


novamente na movimentada avenida dessa cidade, Os bares estão cheios e as mesas ocupadas. Uma pequena multidão começa a se aglomerar bem em volta e ocupar um pedaço da rua. Todos, depois de uma semana intensa de trabalho ou estudos, parecem estar onde gostariam de estar, menos os garçons, que já exaustos, perambulam para lá e para cá anotando os novos pedidos. Estamos no verão, no mais quente que a cidade já viu, mas naquela madrugada, fazia frio. Não um frio de sair de casa usando casaco. Era um vento tímido, que mais parecia punição para as garotas solitárias que só queriam chamar atenção com seus vestidos decotados e colados. Às vezes, os dois ao mesmo tempo. Sem julgamentos. Conheço várias delas e posso garantir que são ótimas pessoas. Daquelas que você passa a tarde conversando sobre qualquer assunto e nem percebe. Amar as pessoas, isso mesmo devemos amar as pessoas.

Conversa sobre isso com a Emma que ria, mas logo concordava.

- Isso tudo é pra não falar no Justin? – pergunto

- Essas “ pessoas” que estou falando inclui ele, Emma. Tudo é sobre ele ultimamente.

- Então por quê não larga esse orgulho de lado e volta com ele? Ele te ama Lauren, confia em mim, eu sei que ama.

- Eu sei, eu sei disso. Mas o meu medo de dar tudo errado fala mais alto – suspiro

- Vai deixar o medo de dominar desse jeito? – ela diz

- Emma, podemos não falar do Justin?

- Não Lauren, temos que falar sobre o Justin! – ela cruza os braços

Droga, quando ela faz isso é porque realmente quer falar sobre alguma coisa e mostrar que estou errado. Estou vendo que vou ter que jogar bebida na cara dela e sair correndo desse bar. Bom, vou tentar pois esses saltos são realmente altos.

Eu não quero falar do Justin droga, que quero está com o Justin.

A noite vai ser longa..


                                 Justin Bieber P.O.V


A parte da manha passou tão rápido que nem percebi. Meu coração batia tão rápido quando meu pé quando o chão enquanto eu olhava pra televisão que passava qualquer coisa que eu nem está prestando atenção. Minha atenção mesmo estava na Lauren, estava louca pra vê-la e espero que ela não fique surpresa quando olhar pra mim espero de coração que ela entre na onda e mergulho comigo no mundo que de oceanos que é só nosso. Minha linda ruiva.

Como eu disse com a Lauren eu quero tudo natural, orgânico, nada forçado, nada de impressionar, apenas fazer o quero fazer. Por que com amor se paga com amor.

E claro, é isso que eu sinto pela Lauren, amor.

Essa nunca vai ser minha ultima tentativa de dizer que a amo de verdade e, que fui embora por motivo concretos, porque precisavam de mim. Eu sei, eu sei que ela tão precisa de mim, mas de fato eu nunca a deixei. E essa só vai ser mais uma das minhas tentativa de dizer que a amo, pois eu sempre irei dizer que amo, porque simplesmente amo. Eu amo aquela ruiva irritada, que quando está brava faz o chão tremer.

Ainda meio nervoso com tudo o que acontece e o que estou preste a fazer, pego o buque que não era de flores, pois sabemos que ela não gosta. É um buque de chocolate, flores em forma de chocolate e bombom. Eu mandei fazer especialmente pra minha ruiva, eu sei o quando ela ama chocolate.

Vou até o meu lindo carro que vai me ajudar nesse meu plano, ele que vai me levar até ela. Entro colocando o buque com todo cuidado no banco do carona e ligo, saindo dali e indo ao meu destino que tem nome e cabelo ruivo.

o caminho todo eu fui pensando em várias maneira que a Lauren pode tacar o buque em mim, pois ela pediu um tempo, esperei ela entrar em contato comigo, mas cansei de esperar sentado, tenho que mostrar que eu vim pra ficar, que a amo. Atitude fala mais que mil palavras, e eu sei bem disso.

Eu não aguento mais ficar longe dela, longe do meu amor, eu preciso dizer baixinho no seu ouvindo que com tudo o que aconteceu ela continua sendo o meu amor.

principalmente minha ruivinha.


Quando cheguei em frente o restaurante da mão dela, um frio passou pela minha barriga, minha garganta seco, pois eu sabia que a Lauren estava lá dentro, combinei tudo com a mãe dela deis de ontem, na verdade todos sabiam, menos Lauren. O nervosismos tomou conta do meu corpo, travei, realmente travei. Fiquei 10 minutos dentro do carro olhando pro restaurante, até que respirei fundo e tomei coragem. Peguei o buque de chocolate e sai do carro, atravessei a rua e sem pensar duas vezes em entrei no restaurante que estava completamente cheia. Travei quando há vi sentada de costa pra mim conversando com a Emma.

Vai Justin, não seja covarde, vá logo até lá.

Gelei quando senti uma mão no meu ombro, olho pra trás e vejo a mão da Lauren sorriso pra mim, ai sim eu me aliviei.

- Querido vai até lá, pode ir ela não morde – ela riu

- Não tenho tanta certeza disso! – ri

- Eu sei que está nervoso, normal! Mas vai se arrepender o resto da vida se não for lá. Porque vai ficar com aquela duvida na sua cabeça pensando como teria sido se você tivesse ido até lá. – disse ela

- A senhora está certo!

Ela se afasta voltando a fazer o que estava fazendo antes de me vê chegar. Respiro fundo e caminho até a Lauren bem de vagar, Emma quando me viu falou alguma coisa pra Lauren e saiu. Bom, ela não falou que era eu, pois a minha linda ruiva não virou pra trás. Parei atrás dela sentindo seu delicioso perfume que tanto amo.

meu amor..

- Licença, eu só queria saber em qual rua minha vida vai encostar na sua

Falo e caminho sentando de frente pra ela no lugar da Emma, Lauren ri assim que me vê.

- O que você está fazendo aqui? – riu

-  Eu só quero saber em qual rua minha vida vai encostar na sua! – falo novamente

- Justin ..

- Eu só quero saber em qual rua minha vida vai encostar na sua! – falo novamente

- Quando você chamar meu nome! – ela diz


Sorri percebendo que ela lembrou da nosso música, da música que eu cantava pra ela. Entrego o buque de chocolate e vejo ela abrir um grande sorriso, e isso me alegrou completamente. Isso foi o meu combustível pra tomar coragem e me levantar da cadeira. Me ajoelhei perto dela vendo ela arregalar os olhos me fazendo ri

- Justin você não vai mesmo me pedir em casam

- Cala a boca Lauren, não vou te pedir em casamento! – ri

- Mas ..

- Nos dois simplesmente aconteceu, não da mais pra negar você e eu. Então, quer ser minha melhor amiga? Quer ser minha companheira? Quer namorar comigo Lauren? Começar do zero?

Ela mordeu os lábios e ficou me olhando, porra ruiva.

- Vai dizer sim ou vou te que pagar você pra isso? – ri

- Levanta dai seu idiota ! – ela ri

Me levanto segurando a mão dela fazendo ela levantar junto.  Ela segura o meu rosto e faz um carinho. Eu nem ligava mais pra pessoas que estavam nos olhando, eu só queria saber da sua resposta.

- Sim! – ela sorri

segurei seu rosto juntando nosso lábios e logo isso se tornou um beijo cheio de saudade e amor, há amor. Esse lugar está trasbordando amor, muito amor. Nos afastamos quando a falta de ar começou, ela riu olhando pra pessoas em volta e dar um mordido no seu buque de chocolate.

- Nossa, isso está muito bom! – ela riu

- Vai ainda está procurando um marido de aluguel? Porque já que estamos namorando, fique sabendo que não vou te dividir com ninguém. – perguntei rindo

- Não mais, meu amor! – ela junta nosso lábios novamente


Não importa o que acontece, eu sempre serei o marido de aluguel de Lauren Miller, que hoje se tornou meu amor. E sabe o que esse amo me ensinou? Que podemos comprar tudo, menos sentimentos, menos o amor. Porque quando ele vem, ele vem derrubando todas as barreiras, principalmente aquelas que você tentou comprar.

Não sei se isso vai dar certo, se vou ficar com a Lauren pra sempre ou um mês, mas de uma coisa eu sei:

                   Amor se paga com amor.





 


Notas Finais


Gente, primeiramente quero agradecer a todos vocês, de verdade. Eu nunca pensei que tantas pessoas iriam ler essa fanfic. Vou sentir muito saudade da Lauren e do Justin, eu gostei muito de escrever a historia dele e espero que também também tenho gostado de ler. Obrigado a todo mundo que lei pelo carinho, por lerem a historia, por comentarem sempre. Obrigada por tudo, eu sempre serei grata a vocês. Marido de aluguel tem tantas visualizações que eu nem sei explicar, mas você tornaram isso possível, vocês tornaram essas fanfic possível. Obrigada por tudo, vocês são demais mesmo.

Eu vou senti MUITA SAUDADE de Marido de Aluguel e de vocês, mas espero que você acompanhe minhas outras fanfic.

Obrigada gente, obrigada <3

P.S.: Gostaram do final? ( queria que não acabasse :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...