História Marido de Mentirinha - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esposa de Mentirinha, One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Boyxboy, Fanfic, Harry Styles, Harry&louis, Larry, Larry Stylinson, Louis Tomlinson
Exibições 83
Palavras 1.635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hallooo! Como vai? Eu vou muito bem. Essa é a minha primeiríssima fanfic Larry e eu estou muito feliz de estar aqui com vocês.

A ideia para essa fi surgiu quando eu estava assistindo Just Go With It, ou Esposa de Mentirinha, e pensei: Ia ficar muito bom se fosse Larry. Então aqui estou começando uma fanfic baseada nesse filme que eu adoro.

Espero que vocês gostem. Mas não temam puxar minha orelha de vez enquanto. rsrsrsrsrs

Beijinhos doces...

Capítulo 1 - Corno


Fanfic / Fanfiction Marido de Mentirinha - Capítulo 1 - Corno

Long Island - 1999

Mais um belo dia amanheceu na brilhante cidade pacata de Long Island. E aquele era um dia especial, já que o filho mais velho dos Styles estava prestes a se casar com o amor de sua vida, Taylor.

A paixão do jovem Styles por sua noiva era tamanha que se podiam ver brilhos faiscando nos seus olhos quando via a bela garota loira que conheceu ainda no colégio. Ele acreditava que a amava completamente e aquele dia de verão em Long Island estava para se tornar o melhor de toda sua vida.

E sua família compartilhava desse sentimento. Taylor era tão amável. Nunca se importou com o fato de eles serem judeus ou que eles não fossem exemplo de família bonita. Afinal, ele mesmo não era belo. Tinha um corpo muito magro, extremamente comprido, com mãos longas e pés enormes, o rosto era coberto de espinhas vermelhas, o rosto sem um pelo sequer e o cabelo, já tinha desistido de domá-lo. Mas Taylor não se importava, pelo menos era o que ele pensava.

- Que bom que escolheu esse vestido! - Mimi sorriu mostrando todos os dentes perfeitamente brancos.

- Você está linda! - Foi a vez de Kendall elogiar.

- Maravilhosa! - Gemma disse com um sorriso meigo.

- Meninas, eu vou casar! - Taylor disse sorrindo e balançando a saia de tule branco do vestido de noiva.

As outras meninas no quarto sorriram e gritaram entusiasmadas com a felicidade da noiva.

- Espera, onde está o véu Tay? Sem o véu não casa. - Emma disse olhando ao redor do quarto onde estavam.

- Me Deus, não está aqui. Devo ter deixado lá em cima.

- Ah, então vou buscar. Volto já já. - Gemma sorriu para Taylor de forma doce. 

A loira sorriu de volta antes que a Styles mais nova saísse. 

- Mas que menina chatinha, em. - Foi só Gemma dar as costas que Mimi fez careta e retrucou. 

- Eca. - Taylor disse fazendo careta também.

- E muito feinha também. - Foi a vez de Grace falar.

- E tem aquelas orelhas enormes. Parece o Dumbo. - Kendall disse com as mãos imitando orelhas.

- Pois é. E vai virar minha cunhada daqui a pouco. - Taylor reclamou e as outras fizeram sons de enjôo.

- Como é que vai aturar uma coisa dessas? - Kendall perguntou arrumando a saia de Taylor.

- Eu vou logo avisando ao Harry: vamos ver a família maluca dele o mínimo possível. 

- Será que ele vai concordar? -Mimi debochou com uma taça de champanhe na mão.

- Ah, o Harry não sabe dizer não para mim. Acreditem, eu treinei ele muito bem. - Taylor e suas amigas sorriram.

- Agora conta pra gente como é que rolou com o Adam ontem? - Mimi pediu com um sorriso indecente.

- Shiii. - Taylor ralhou e a olhou com repreensão. - Eu disse para ele, que se ele quisesse impedir o casamento que falasse logo ou se calasse para sempre. - Disse quase em um sussurro enquanto suas amigas apenas a olhavam.

- E o que ele disse? - Grace perguntou.

- Que nunca vai se amarrar e que eu devia ir fundo e casar com o Harry. - Disse a loira revirando os olhos inconformada.

- Ahh... - Disse as amigas em uníssono.

- E ele te deu o presente de casamento? - Kendall perguntou fazendo um gesto obsceno.

- Menina assanhada! - Mimi brincou empurrando um ombro da amiga.

Elas riram e Taylor mordeu os lábios com uma cara nem um pouco inocente.

- Pode-se dizer que foi um presentão. - Contou sorrindo e fazendo as outras rirem mais.

- Shiii... Foi a última fez, sério. - Taylor disse ficando séria e tentando convencer as meninas.

- Ah tá bom. - Mimi disse.

- Até parece. - Grace falou.

- Quero até ver. - Kendall revirou os olhos sorrindo da cara de pau da amiga.

- O Harry é tão gentil e atencioso. E ele vai ser cardiologista. - Disse dando de ombros. - Então vou casar com ele. E com a cara pipocada dele. - Fez uma careta.

- E os pais dele são horrorosos também. - Mimi falou.

- Fecha os olhos quando ele estiver com você. - Kendall opinou.

Todas riam e continuavam a conversar com a futura senhora Styles. 

O que nenhuma delas sabia é que havia um rapaz alto, magro e cheio de espinhas muito inchadas pelo rosto atrás da porta de onde a noiva estava. Lágrimas frias escorriam pelo seu rosto e um pequeno soluço conseguiu escapar por sua garganta. 

Harry não era um rapaz como todos os outros. Ele era gentil, educado, carinhoso, romântico e sensível. Na escola, era um verdadeiro cavalheiro com as meninas e muito inteligente. Sempre ajudou cada uma daquelas garotas, que agora riam as suas custas, nas matérias que tinham dificuldade. E Adam, ele sempre pensou que o garoto mais popular e forte da escola fosse seu amigo. 

Como Podiam ser tão falsos e cruéis? 

Niall, que estava ao seu lado com a boca aberta de tanta incredulidade apenas o olhou piedosamente.

- Quanta maldade primo. - Os olhos azuis de Niall estavam brilhantes também. 

O loiro podia ser meio inconveniente as vezes, mas era um verdadeiro amigo para Harry. No entanto, o moreno só pode baixar os olhos envergonhado e sair dalí o mais rápido que conseguia. Quando estava no final do corredor ele só pode ouvir Niall tecendo milhares de xingamentos para as moças. Ele adorava um barraco.

É aquela doeu em? Esse sou eu, Harry Styles, à dezessete anos, ridículo né?

Depois daquilo, fui afogar as mágoas na bebida num bar qualquer. Daqueles que você nunca entraria pelo visual de mal frequentado. Mas e daí? Eu tava na fossa e só queria esquecer o enfeite que Taylor colocou na minha cabeça.

Eu já devia estar na quarta garrafa de cerveja quando rolou uma parada interessante. Eu coloquei a maldita aliança que me tornaria casado com aquela vadia loira no dedo e então ouvi alguns marmanjos começarem a assobiar e mandar péssimas cantadas para alguém. Tipo essa...

- Oh, que coisa linda! Você é que nem bala. Doce e gostosa. - Deprimente.

 Eu não dei à minima, estava me sentindo muito merda para dar atenção à qualquer outra coisa que não fosse a minha insignificante existência.

E então o motivo das cantadas de pedreiro resolveu sentar num banco ao meu lado, morena, pernas grossas, cintura fina e um decote que mostrava metade dos peitos generosos... Não que eu estivesse prestando a atenção naquela hora. Ela acabou deixando a bolça cair, o que conseguiu me tirar a atenção da minha autopiedade.

- Sua bolsa caiu. - Avisei olhando o objeto.

- Será que dá para sentar dez segundos sem levar uma cantada? Obrigada. - Ela disse rude. 

- Gente! Eu só ia dizer que deixou cair sua bolsa. - Pequei a bolsa preta e coloquei em cima do balcão com a mão esquerda.

- Ai, desculpe! Eu pensei...

- Tudo bem... tudo bem... - Disse voltando a beber.

- Eu garanto que não conheceu a mulher que te deu esse anel num açougue igual a este. - Disse ela se inclinando no balção um pouco na minha direção.

- Foi no refeitório da escola. - Disse com um sorriso triste.

- Ha quanto tempo é casado? - Olhei para a garota ao meu lado. Ela sorria interessada agora.

Eu ia contar para ela. Eu ia mesmo. Mas eu não queria que ela soubesse que eu era um otário. Então exagerei um pouquinho a verdade.

- Seis anos.

- E onde está sua mulher hoje. - Ela disse passando as mãos no cabelo escuro.

- Parei de fazer essa pergunta à muito tempo sabia. - Dei um suspiro triste.

- Lamentável! - Seus olhos tinham um brilho até então desconhecido por mim.

- Ela diz que eu trabalho demais. Mas é só pra sustentar ela. A compulsão de compras dela... e de crack. 

- Por que não termina com ela? - A morena se inclinou ainda mais no balção olhando diretamente para mim.

- Pelos filhos. Temos catorze filhos. - Dei mancada. Quem em sã consciência teria tantos filhos? Mas agora não dava para voltar atrás. - É que... Eu adoro adotar. E ainda quero adotar mais. - Contornei bem.

- Coitadinho. - Ela me olhou ainda mais intensamente e prendeu o lábio inferior com os dentes antes de tocar na minha aliança com as pontas dos dedos. - Quer ir para um lugar melhor.

E foi assim que eu descobri o poder de uma aliança. E graças ao símbolo da minha humilhação eu voltei pra pista meu querido.

- Você vai sair com esse mané aí?! - Um idiota falou enquanto a morena me puxava para fora do bar. 

Nem dei bola. Continuei indo com ela. Aquela foi a primeira grande transa da minha vida.

Depois daquilo, troquei minha especialização de cardiologia para cirurgião plástico. Fiz um belo tratamento de pele e as espinhas sumiram, assim como as manchas. Deixei meu cabelo crescer e com o tempo, eles aquietaram. 

Ocla Bar - 2005

Fiz da minha aliança minha maior aliada.

- Eu imaginei que depois do casamento ele não ia se prostituir, mas... - Falava com um semblante triste para loiro mega gostoso ao meu lado.

- Precisa botar essa aliança em um bom coração. - Ele sorriu enquanto levava minha mão até suas coxas bem fartas.

Eu sorri de lado e ele retribuiu.

- É uma boa oportunidade. - Disse pegando minha garrafa de cerveja e dando um gole sem tirar a mão da coxa do garoto.

- É. A gente podia aproveitar mais... Em outro lugar. - Piscou um olho. 

- Legal! Vamos lá. - Sorri vitorioso. - Onde é seu quarto?

As vezes eu penso em jogar essa aliança no oceano. Eu sei que o que faço é errado.

Beverly Hills - 2016

Mas não dá. É meu precioso.

Fora que ser casado de mentirinha é o jeito perfeito de nunca mais partirem meu coração.

" Cindy,
A noite foi maravilhosa!
P.S. Obrigado por não me bater
que nem minha mulher."


Notas Finais


Esse foi o primeiro capítulo! Espero que tenha agradado! Logo, logo volto com mais.

Não esqueçam de comentar e dar uma estrelinha!

Beijinhos doces...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...