História Marido de Mentirinha - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esposa de Mentirinha, One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Boyxboy, Fanfic, Harry Styles, Harry&louis, Larry, Larry Stylinson, Louis Tomlinson
Exibições 75
Palavras 1.817
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CHEGAY!!! Capítulo fresquinho! Eu estou muito animada com essa fic. Adoro muito esse filme. 

Sem mais delongas, boa leitura!

Capítulo 2 - Dr. Styles


Fanfic / Fanfiction Marido de Mentirinha - Capítulo 2 - Dr. Styles

Bervely Hills Medical Center - Atualmente.

Louis abriu umas das caixas que o entregador havia acabado de descarregar na recepção do consultório e fechou a cara imediatamente.

- O quê que é isso? - Perguntou ao entregador estendendo uma das próteses de silicone fino com uma substância líquida escura dentro.

- Bumbuns em saquinhos. - O homem disse apertando o material meio gelatinoso, molenga de mais. - As mulheres e os homens colocam nos traseiros para poder virarem... Hum... Bundões.

- Não foram... Esses glúteos que eu pedi. - Louis disse com seus olhos azuis desafiando o pobre funcionário. - O quê que é isso? - Chacoalhou a prótese e o líquido marrom se mexeu lá dentro fazendo um barulho nem um pouco agradável.- Parece um balão cheio de mel. Nem sei o que que é isso. - O funcionário suspirou cansado. Aquele era seu cliente mais difícil de lidar. - Olha só eles... - Louis apertou a própria bunda avantajada para ilustrar o que dizia. - ... Não são iguais a esses.

O funcionário apertou a prótese com a mão.

- Posso... An... - A outra mão do homem ia em direção à bunda de Louis.

- Pode parar! - Louis o advertiu do perigo com um olhar irritado. - Abusado!

- Eu só queria aprender. - Deu a desculpa mais cara de pau da face da Terra.

Louis recolheu a prótese e a colocou de volta na caixa de onde havia tirado.

- Escuta, o doutor Styles não vai acetar essa bunda murcha. Será que dá pra você me trazer o que eu pedi e avisar o Omar que eu quero um desconto pelo descaso?

- Sim senhor. - O homem disse já se retirando com o carrinho onde estavam várias próteses de glúteos.

 - Obrigado Simon. - Louis agradeceu educadamente voltando sua atenção para o notebook que continha a ficha de um dos pacientes da clínica.

Levou as mãos aos cabelos castanhos claros e enrolou uma das mechas lisas no indicador enquanto lia o relatório do caso que devia terminar e arquivar junto à vários outros. Ele realmente trabalhava muito. Ser assistente de um médico tão rigoroso como Styles não fácil. O homem de olhos verdes não exigia nada menos que dedicação total em cada caso.

Mas em compensação, o salário era excelente garantia estabilidade financeira para si e seus filhos. Foi só depois de ser aceito na clínica que sua vida finalmente entrou nos eixos. Ele pode colocar as crianças em boas escolas e comprar o pequeno apartamento onde residiam. 

Ser pai solteiro era dureza. Ainda mais depois que a mulher que os gerou os abandonou sem explicações. Ela nunca mais apareceu. Sumiu do mapa deixando uma menininha de 3 anos e meio e um garotinho de duas semanas para trás nas mãos de um Louis recém formado em enfermagem e desempregado. Foram tempos muito difíceis.

- O cliente das quatro? - Harry apareceu na recepção com uma prancheta em mãos tirando de sua concentração no relatório.

- Tá. Sala um. - Falou conferindo um de seus sticky notes pregados no computador. - Ewan Brade. Não ria. - Louis disse resumidamente como era de seu costume.

Harry já havia se acostumado com o jeito marrento e curto do outro. Na verdade até gostava que seu assistente e melhor amigo fosse assim. Louis vivia jogando inúmeras verdades na cara de Harry, mas, ao mesmo tempo, tinha a capacidade rara de ouvi-lo e compreende-lo. Era o único com quem Harry se abria de verdade. O único para quem nunca tinha mentido.

O moreno de olhos extremamente azuis se levantou e saiu de trás da mesa arrumando os óculos sobre o nariz e agarrando a prancheta onde fazia as anotações para Styles sobre os pacientes. 

- Belo suéter. - O cacheado sorriu divertido olhando a blusa larga e meio desbotada de seu assistente.

- Cala a boca. - Louis rebateu enquanto se encaminhavam até a sala de número um.

Harry

Quando entrei no meu consultório, foi quase impossível não rir da coitada do homem que estava sentado sobre a maca. A criatura tinha um sério problema causado por uma ritidoplastia bem mal feita.

- Então, a minha... Plástica deu errado e eu... Devia ter notado que ele era um charlatão, o consultório dele parecia um armazém. - O senhor de no mínimo quarenta anos disse gesticulando com as mãos enquanto falava tudo um pouco envergonhado pela situação. Quem mandou não me procurar primeiro?

- Sei. Tô entendendo. - Disse compreensivo olhando a ficha que Louis havia me entregado. Como sempre, ele estava bem atrás de mim escorado na pia e com a prancheta abraçada rente ao peito. 

Voltei meu olhar para o cliente e a sobrancelha arqueada quase até os fios de cabelo escuro me fizeram ficar um pouco desconfortável. 

- Perguntas? - Aquele erro cirúrgico parecia até piada. Como ele conseguiu esticar tanto assim ao ponto da sobrancelha está na testa do cara? 

- Não. Não, não. Por favor só me ajude. - Ele disse e eu ouvi Louis se mexendo atrás de mim.

- Fica tranquilo. Geralmente é mais fácil fazer tudo certo da primeira fez, mas... Hm...- Caminhei até estar de frente à Ewan e olhei o estrago que algum idiota comprador de diploma causou.

- Hm... - Ewan soltou um suspiro me olhando curioso.

- O que foi? Parece na dúvida. 

- Hm... Ah, não, não, não. Não. Nenhuma dúvida. Me disseram que o senhor é o melhor. - Disse seguro. 

Ouvi Louis tentando segurar um sorriso atrás de mim.

- Eu não sei se eu sou o melhor mais... - Olhei o meu assistente que prendia o riso com os lábios prensados em uma linha fina. - Eu acho que consigo resolver seu problema. Pera aí...

Encostei de leve minha mão na nuca do homem e passei a analisar seu rosto e o que eu podia fazer para voltar com a sobrancelha para o seu devido lugar. 

- Relaxa... Relaxa, relaxa... - Pedi vendo o cliente fazendo uma pequena careta e trincando os dentes em um sorriso nervoso. - Tá relaxado? - Pedi e ele assentiu. - Hum... Deixa eu só puxar um pouquinho aqui oh... - Puxei a pele abaixo da sobrancelha de Ewan para baixo. - E soltar... - Soltei a pele dele e a sobrancelha subiu dando um pulinho como se seu rosto fosse feito de borracha. - E já vi. Volta direto pro lugar.

Louis soltou o riso que tentava conter e virou o rosto embaraçado. Sorri ao ouvir a reação do meu assistente.

- Desculpa. - Pediu colocando a mãozinha na frente da boca.

- Er...

- Ah, mais desculpar do quê? - Ewan perguntou erguendo ainda mais a sobrancelha defeituosa.

- Eu não acredito. 

- O quê? - Pedi incapaz de deixar meu próprio riso começar a se formar.

Ele sorria ainda mais e tapou sua boca. 

- Desculpa. É que ela volta direto pro mesmo lugar. - Louis falou ainda tentando controlar o riso.

- Tá alta, em? Tá lá no alto. Tem que tomar cuidado pra não embaraçar com o cabelo. - Não aquentei e soltei mais uma das minha piadas horríveis. Mas Louis sempre ria das minhas piadas horríveis. Já Ewan sorriu sem graça.

- Ai, é tão engraçado! - Louis falou tapando a boca ainda e espremendo seus olhos cor de safira.

- Bom, pelo jeito é melhor deixar assim. Pelo menos diverte as pessoas um pouquinho. - Ewan disse sorrindo e olhando Louis com humor. 

- Olha, só! - Disse olhando meu assistente também.

- Eu acho que eu vou levar você para o aniversário do meu filho. - Louis agora sorriu livremente tirando uma lágrima dos olhos. - Brincadeirinha. 

- Ai já é de mais né. - Sorri para Ewan. - Deixa eu te dar um abraço. É disso que você precisa.

Falei e estendi meus braços circulando o corpo do homem e ele retribuiu com os braços na minha nuca. - Você tá carente. Vem cá. Assim... A gente vai dar um jeito nisso. Não se preocupe. 

Ouvi Louis voltar a rir atrás de mim.

- Oh não, chega! Me dá licença que eu vou sair um instantinho. - Louis saiu do consultório e eu voltei a analisar o caso de Ewan.

Pouco depois terminamos de marcar a data da cirurgia e saímos da sala rumo à recepção.

- Blem Blom! Chagay! - Ouvi a porta do consultório ser aberta e aquele loiro entrando com um grande sorriso.

- Nial chegou! - Louis constatou sem tirar os olhos da minha agenda.

- Oi primo. - Falei olhando a criatura purpurinada invadindo meu espaço.

- Opa. Quê isso? A sobrancelha tá doida em. - Disse olhando para o cara ao meu lado. - Sabia que eu gostei? Já tem compromisso? - Revirei os olhos. As cantadas de Nial eram horríveis.

- Oh, me desculpe é que eu estou meio que namorando. - Ele disse empinando um pouco o nariz.

- Toma. - Falei sorrindo do meu primo trouxa.

- Ih, tomei toco! - Nial disse arregalando os olhos divertido. Bixa inconveniente. - Legal em. Ai, eu não sei quem é teu namorado. Mas seja quem for, ele não tem o charme desse carinha aqui. - Apontou para si próprio e depois para baixo. - Segue os dedos. - Idiota. - Tá ligada? 

- Sai dessa Nial. - Louis disse olhando meu primo entediado.

- An... É verdade. Inclusive fui eu quem implantei. - Informei vendo o homem arregalar os olhos surpreso.

- Como é que é? O senhor fez aumento de pênis? - O meu cliente perguntou.

- Fiz. - Nial disse carrancudo e devia querer atirar em mim.

- Isso existe mesmo! Olha que coisa legal! - Gargalhou e eu sorri debochado do meu primo. Até dia vinte e oito doutor. 

Depois que o cliente se foi eu me permitir mais amplamente da cara do Nial.

- Styles! Tem que sair espalhando sobre a minha cirurgia para todo mundo! - Nial xingou e cruzou dos braços me olhando de forma repreensiva.

- Por que? Não entendi, algum segredo, você acha que o Louis não sabe? - Apontei meu assistente enquanto o mesmo anotava datas em seu celular. - Ele tava na sala quando eu implantei. Até segurou a lupa pra mim caramba. 

- Segurei. A pinça também. - Louis disse com aquele leve toque de deboche e ironia na voz. Sorri divertido. Meu assistente era incrível.

- Valeu mesmo em. - Nial reclamou indignado.

- Já conseguiu inaugurar o pinto? - Perguntei.

- Ah... Já. Eu já tive a chance de trocar o olho algumas vezes. Ele tá assadinho. - Nial sorriu e Louis fez careta.

- Inaugurou? - Perguntei não levando muita fé no meu primo.

- É, só que foi com um striper. - Constatou perdendo o sorriso e Louis tapou os ouvidos.

- Que horror! - Sorri debochando do meu primo.

- Ainda vou achar meu príncipe encantado Styles.

- Uhum, pago pra ver loiro tingido. - Zombei.

- Poste. - Retrucou.

- Maria Purpurina.

- Ve...

- Já chega! - Louis gritou nos censurando com os olhos agudos. - Parecem duas crianças de seis anos. - Voltou a se sentar, mas continuou nos olhando repreensivo.


Notas Finais


Por hoje é só pessoal!

Beijinhos doces...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...