História Marinette e Plagg - Um amor não tão impossível (Hiatus) - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~DaLoRi

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrinette, Marichat, Marinette, Plagg, Revelaçoes
Exibições 451
Palavras 1.789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Escolar, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi oi, olha, eu disse que ia escrever ontem mas minha irmã pegou meu celular e ficou vendo fairy tail o dia todo. Me desculpa.

Capítulo 9 - A história de Danielle


          Danielle On

Meu nome é Danielle mas meus amigos me chamavam de Dani, isso mesmo, chamavam porque agora vivo sozinha, não tenho ninguém e tudo por que deixei de acreditar na minha melhor amiga por um instante mas também a culpa é minha, eu achei que ela estava me traindo com minha inimiga mas na verdade ela só estava me defendendo e acabou que a gente brigou. Por causa da briga eu fui me distanciando de tudo e de todos, eu não sorria mais e todos que me viam me chamavam de estranha. Eu vivia com meus pais, mas minha mãe descobriu que ele andava com outra e se mudou da casa dele, andamos dias pelas ruas até chegar na casa dos meus tios, que é do outro lado de Tokyo, e no meio desses dias, eu encontrei uma senhora quase sendo atropelada mas eu a salvei.

"Muito obrigada minha jovem, você me salvou"

"De nada" falei de cabeça baixa e desanimada, como sempre.

"Algo errado ?"

"Não mas... *suspiro* eu só queria que alguma coisa de bom acontecesse comigo - olhei pra ela e ela me encarava atentamente - me desculpa por isso, tenho que ir, adeus" não deixei ela responder e sai correndo pro lado da minha mãe e fomos até a casa dos meus tios.

Chegamos e a primeira coisa que fiz foi ir pro meu quarto, eu tenho um quarto só pra mim na casa deles porque sempre viemos pra cá. Nesse momento eu vi em cima da minha cama uma caixinha preta com detalhes vermelhos, abri e um brilho saiu me obrigando a fechar os olhos e quando a luz cessou eu abri os olhos e vi uma criatura branca com asinhas pequenas, que parecia uma coruja, na minha frente nas não fiz nada, só fiquei à encarando.

"Olá, eu sou Crissement e sou um kwami que te dá poderes de te transformar em heroína"

"Eu ? Por que ? Eu não sirvo pra nada" abaixei a cabeça.

"Não fala assim, se você foi escolhida é por causa de seu coração de ouro" olhei pra ela "agora vamos falar como funcionar: pra se transformar você precisa dizer hora de voar, pra cancelar é só dizer desligar, você terá um poder especial é só dizer asas cortantes que ela vai virar tipo umas facas que poderão cortar qualquer coisa. Você terá apenas 5 minutos pra se transformar de volta quando usar seu poder e claro, você precisa me alimentar pra eu ter energia pra te transformar e eu como fruta qualquer tipo, pronto acho que é só" ela voou até a caixa caída e de dentro tirou um bracelete dourado com azas de anjo no centro. Eu peguei e coloquei "Você só pode se transformar com isso"

"Isso tudo é muito legal e impossível - ela riu - mas... Que bicho é você ?"

"Perdão, eu sou uma coruja da neve"

"Isso significa que você só pode ficar na neve ?"

" *risos* não, eu posso muito bem ficar no calor"

"Ata, então posso me transformar agora ?"

"Claro, mas só uma pergunta, na verdade duas: por que você não ri e por que seu cabelo cobre seu olho lindo ?" fiquei mais desanimada ainda

"Olha, isso eu vou contar só depois agora... Crissement hora de voar" ela foi sugada pelo meu bracelete e minha roupa inteira mudou, agora eu usava um uniforme branco com botas pretas, um cinto que tinha varias penas pretas, ganhei asas enormes e uma marcara branca que no contorno era preto. Agora a pergunta: porque tenho varias coisas pretas se meu kwami era totalmente branco ? Me olhei no espelho e achei a resposta, Meu cabelo, ele é preto e com o uniforme inteiro branco, isso ia ficar estranho, ele sempre fica solto mas quando me transformo ele fica preso em um rabo se cavalo, pelo menos minha franja que cobre meu olho ainda tá aí.

Resolvi ir pro terraço, pra testar minhas asas mas eu realmente estou com medo. Mas isso não mida o fato de eu ainda estar depressiva. Mas vamos lá, fiquei em cima da grade e abri as asas pulei e comecei a desesperar mas me concentrei e bati as asas, consegui controlar e voei pelo céus, era uma ótima sensação. Decidi pegar umas das penas no meu cinto e assim que eu toquei nela ela virou um mini bumerangue joguei e ele foi longe achei que nem ia voltar mas voltou, isso é bem legal e eu estava muito alto, olhei pra baixo e pude ver tudo atentamente, minha visão era mil vezes melhor de quando eu estou na minha forma civil. Usei meu poder especial e como o Criss disse minhas asas viraram tipo umas facas, eu aumentei minha velocidade e fui voando pra baixo, logo avistei uma árvore e com minha asa direita eu a cortei, parei um pouco distante da arvore e fiquei olhando pra ela mas nada aconteceu, não funcionou, estava quase batendo as asas pra ir embora mais a árvore tremeu e BAM caiu, eu fiquei de boca aberta, realmente, isso é demais. Meu bracelete apitou e lembrei que só tinha 5 minutos pra me transformar de volta. Bati as asas e voei pra casa.

Dias se passaram e eu estava salvando a cidade de bandidos e essas coisas e sem meu sorriso no rosto. Uma semana depois minha mãe tinha ido no mercado fazer compras mas ela não voltou, anoiteceu e nada de ela voltar, me transformei e fui a procura dela e quando a encontrei não acreditei, ela estava num beco deitada no chão, desacordada e sangrando, sentei no chão ao seu lado e a peguei em meus braços.

"AAAAAAHHHHHHH" gritei de frustração e com lagrimas nos olhos. Eu vou matar quem fez isso.

Dois dias depois a noticia foi parar na TV, eu estava na sala sentada no sofá com meus tios entre mim. Estavamos assistindo o noticiário.

"Olá, nessa semana encontramos um corpo de uma mulher num beco e ela estava sangrando e totalmente desacordada, a policia encontrou impressões digitais - eu me endireitei no sofá - e descobriram que os culpados foram os famosos bandidos gêmeos, Sting e Steng, eles foram culpados de assassinato e foram executados"

Senti uma alegria no coração quando soube disso, mas também com muita raiva.

"Danielle - minha tia me chamou - seu tio e eu achamos que é muito perigoso pra você ficar aqui, em Tokyo, depois da morte de sua mãe, então ligamos pra sua avó e ela disse que cuidara de você"

"E já que ela mora em Paris, na França, então você terá quer ir pra lá - olhei pra eles tipo "o que ?" - sinto muito"

Nós arrumamos minhas malas, contra a minha vontade, e quando terminamos fomos no aeroporto

"Vamos sentir saudades" disse meus tios me abraçando e chorando

"Eu também" assim que nem eles eu estava chorando e depois de um tempo nos separamos e eu entrei no avião. Fiquei na janela e vi meus tios do lado de fora, acenando e eu fiz o mesmo. Logo o avião decolou e eu parei de acenar e encostei na janela chorando ainda mais.

"Dani, tudo bem, vai dar tudo certo" disse o Criss com a cabeça do lado de fora da minha jaqueta.

"Espero"

Depois de 12 horas de viagem eu chego em Paris e tenho que dizer: Que cidade linda. Saiu do avião e minha avó estava me esperando do lado de fora.

"Oh Dani, que saudades" ela me abraça "Faz anos que não te vejo" ela se separou do abraço e me olhou "Sinto muito por tudo" ela sabe como eu sou e tudo que passei então não liga pro jeito que sou. Eu só assenti e fomos andando até a casa dela " Quando você se acostumar com a cidade você vai para a escola entendido ?" de novo eu só assenti.

Alguns dias se passaram e como eu já avia me acostumado eu fui pra escola, mas eu tava muito nervosa. Encontrei uma garota de cabelos azulados na escada e pedi ajuda e ela parecia legal mas eu não quero ter amigos e acontecer o que aconteceu. Ela me levou até a sala e eu entrei.

"O-Olá eu sou Danielle" me sentei na cadeira em sua frente.

"Oh sim, Danielle, sua avó me falou de você e até já fez sua ficha" ele me mostrou e eu tipo "o que ?" " Seja bem vinda"

"Obrigada" Uma mulher de cabelos alaranjados entra na sala.

"Senhorita Bustier, que bom que está aqui, essa é a Danielle, por favor leve ela para a sala escolhida"

"Sim senhor, vamos Dani" me levantei e acompanhei ela até a sala de aula e quando entrei vi a mesma menina que me ajudou a encontrar a sala fo diretor, Marinette, se não me engano. A professora me apresentou e pediu pra eu sentar mas eu tropecei, uma garota loira começou a implicar comigo e a Marinette me defendeu. Ninguém nunca fez isso por mim, ela me levou até minha mesa e disse uma coisa que me deixou sem reação.

"Não se preocupa, eu vou te defender" meu coração foi a mil, ela foi pro seu lugar e eu a acompanhei com os olhos e quando ela se sentou eu fiz uma coisa que não fazia, literalmente a anos, eu sorri. Peguei uma folha de papel e escrevi - Obrigada, Mari - amassei e joguei na mesa dela. Ela virou pra mim e mexeu a boca dizendo: De nada. Eu só sorri mais e copiei a matéria do quadro.

     ~ Quebra de tempo - fim das aulas ~

Eu estava indo pra minha casa, quando de repente ouço uma explosão. Levei um susto corri pra um beco.

"O que foi isso ?" perguntei desesperada.

"Relaxa, foi só um akuma e com os seus poderes você vai conseguir derrota-lo e alem do mais tem a Ladybug e o Chat Noir"

"O que ?" eu não tava entendendo nada.

"Te explico tudo depois, agora vai"

"Crissement, hora de voar" me transformei e fui a procura desse atakuma e encontrei um suspeito no parque e ele estava prestes a atirar em uma mais menina joaninha e um garoto gato, mas eu peguei minha pena/bumerangue e taquei nele. Os heróis que estavam de olhos fechados abriram, primeiro olharam pro akuma que agora estava estraçalhado no chão e depois pra mim (Luuh: que estava voando)

"Olá vocês dois, eu sou... An... - pensei e tive uma ideia - Angel Dark" (Luuh: Eu sei que Angel Dark significa anjo negro mas pensa bem: a gora tem azas enormes e partes do seu uniforme e preto então achei que o nome ficaria legal)


Notas Finais


Gente eu sei que se escreve Tóquio mas eu gosto de escrever Tokyo então... Se não tiver problema eu pretendo deixar assim mas se vocês não gostarem eu posso escrever da forma normal. Espero que tenham gostado.
Bjs com Nutella.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...