História Mark Of Destiny - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Allybrooke, Camilacabello, Camren, Dinahjane, Fifthharmony, Laurenjauregui, Normanikordei
Exibições 658
Palavras 2.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGUEIIIIIII, ATRASADA MAS ESTOU AQUI!

- Primeiramente FORA TEMER e segundamente VOLTA OBAMA!
- Desculpem-me pela demora, esse capitulo era para ter sido postado domingo. Mas quando fui posta-lo vi que precisava de mais algumas coisa, então tive que reescrever.
- Esse capitulo vai para a ~myllenjauregui e para o amigo dela que não sei o user. Espero que gostem.

BEIJO CAMREN NO CAPITULO

Gente eu não revisei,acabei de reescreve-lo se eu for tentar revisar agora não adiantara de nada.

Capítulo 18 - I don't remember


Fanfic / Fanfiction Mark Of Destiny - Capítulo 18 - I don't remember

Pov Lauren

 

Respirei fundo enquanto levantava, tentei suaviza minha expressão. Ofereci a mão para Camila levanta-se, eu não pretendia ter aquela conversa ali.

- Venha comigo.

Apesar de toda a incerteza, Camila aceitou minha ajuda e me seguiu ate o grande jardim do hospital. Seguimos para um pequeno banco que ficava próximo a uma grande arvore. Varias flores estavam espalhadas pelo ambiente. Camila acomodou-se do meu lado oposto, assim como Alexa estava horas atrás.

- Camila eu preciso de dizer uma coisa.

- O que houve? – Ela levantou-se rapidamente, me fazendo pegar em sua mão.

- Por favor, sente-se.

Ela atendeu meu pedido e, com as mãos tremulas, esperou que eu falasse.

- Meu Deus como é difícil! – Suspirei – Eu nem mesmo sei por onde começa. Sou obrigada a admitir que agora não é o momento apropriado para tocar nesse assunto, mas não posso furtar-me a um deve de consciência. E a minha já esta sobrecarregada demais. Não suportaria mais um peso. Camila, não se culpe pelo que aconteceu a Alexa. A falta foi única e exclusivamente minha.

Ela olhou-me se entender, ao mesmo tempo que o torpor apoderava-se das minhas pernas.

- Como assim?

- A culpa foi minha porque esta tarde, durante a visita de Shawn, encontrei Alexa no meu escritório e lhe disse que não poderia casar-me com ela.

- M-m- mas por quê?

Encarei ela sentindo uma veia saltar da minha testa. Camila continuava à minha frente, chocada, demonstrando ignorar por que de esta contando-lhe isso tudo.

- Eu não posso casar-me com Alexa porque não se deve casar-se com quem não se ama.

- Ma... mas eu o es... escutei af... afirmar que a a... amava.

- Isso foi antes de eu conhece-la, Camila.

- Mas durante o tempo todo, ficou bem claro a sua grande vontade de que Alexa viesse a Miami.

Inclinei-me para frente apertando suas mãos.

- Sei que não poderia existir hora mais inadequada para discutirmos o problema, porém assim que Alexa acordar, ela irá conta-lhe a verdade. Acredite em mim, prefiro que tome conhecimento da verdade pela minha boca. Alexa Saiu sozinha em virtude da conversa que tivemos. Eu contei para ela que não poderia casar-me com ela por que... Estou apaixonada... Pela irmã dela.

Camila continuo sentada por um longo tempo, imóvel. O ritmo sanguíneo que já latejava nas minhas têmporas aumento e tornou-se insuportável. Ela me fitou com uma expressão atoleimeda.

- Não pode estar falando serio.

Apenas assenti com a cabeça.

- Ninguém pode amar-me. Eu sou uma pessoa insignificante.

- Pois está muito enganada. Para mim, representa tudo.

- Por favor, Lauren, os acontecimentos de hoje acabaram por confundi-la. É melhor descansar um pouco.

- Quando Alexa acordar – tornei a falar – ela irá contar-lhe exatamente o que aconteceu entre nós hoje. E fará o possível para transformar-me em uma devassa ou uma conquistadora barata, tanto faz. Alexa irá desprezar-me e odiar-me ainda mais depois do acidente. E eu não a poderei culpar por isso.

Camila cruzava e descruzava as mãos, parecia incapaz de desfitar meu rosto.

- É preciso que saiba também que, depois da conversa tempestuosa com Alexa, saí a sua procura. Queria ter a oportunidade de contar-lhe sobre os meus sentimentos, ainda de que sua irmã o fizesse à maneira dela. Camila, eu só quero provar-lhe que sou uma mulher honrada. Não importa o que Alexa diga e nem qual versão acabará por acreditar. Mas eu quero que entenda bem o que vou afirma. Me amor e meu carinho pela sua pessoa vêm crescendo de uma maneira desmedida. Ardente. Profunda.

A fitei da maneira mais profunda antes de continuar.

- Eu lhe juro Camila, dei tudo de mim para lutar contra essa atração. Mas não consegui. Esse fascínio só foi aumentando com o passar dos dias. Acredite em mim, achei que romper com Alexa seria a melhor coisa que eu teria que fazer. Não queria enganar três pessoas, e me incluí na lista, ao mesmo tempo. Se eu pudesse imaginar o que estava para acontecer, asseguro-lhe que teria agido diferente.

Fechei meus olhos ao mesmo tempo que tomava uma grande respiração, abri eles novamente e continue.

- A verdade é a seguinte. Quando fomos juntas para o aeroporto pegar Wesley, eu pretendia enviar um email para Demi assim que chegasse nele eu pediria para não procurar mais Alexa. Queria fazer tudo certo. Assim ficaria livre para a amar, Camila.

- Eu não posso compreender. Quando foi que descobriu isso e por que não me revelou nada antes?

- Meus sentimentos mudaram gradualmente com o tempo. E se não lhe disse nada, é porque eu estava tentando lutar contra eles. E era “comprometida” com Alexa e não poderia apaixonar-me por sua irmã! Ao perceber que nada mais poderia ser feito e que o meu coração lhe pertencia, Camila, mas foi tarde demais. Alexa chegou naquele voou.

Camila cobriu o rosto com as mãos.

- Não consigo acreditar que isso esteja acontecendo. – Tirei suas mãos que estavam no rosto e segurei entre as minhas.

- Perdoe-me, Camila. Jamais tive a intenção de causa-lhe amargura ou dor. Também não queria que Alexa sofresse.

- Mas é o que está acontecendo e eu não tenho ideia do que poderei fazer agora. Nem mesmo sei o que deseja de mim.

- Eu apenas queria que soubesse a verdade.

- E que atitude deveria tomar em vista do que me contou? Não posso sentir-me feliz. Nem aceitar se amor e cair em seus braços como se fosse a coisa mais normal deste mundo. Alexa está ferida. Toda arrebentada. Talvez nem possa mais andar. E agora fico sabendo que também está inconsolável, com o coração partido.

POV CAMILA

Ouvir todo aquilo de Lauren mexeu comigo. Em parte eu desejava esbravejar contra Lauren por ela ter esperado ate aquele momento para relatar tudo! O que eu poderia fazer dali para frente, a não ser sofrer pela tragédia que se abaterá sobre Alexa? Ou então passar a vida lamentando-me pelo que poderia ter sido se os fatos houvessem transcorrido de uma maneira diferente.

-Eu realmente não sei o que dizer Lauren.

- Não diga nada. Se quiser desabafar, grite comigo por eu ter errado tanto nas minhas reflexões o que me faria feliz. Estará muito certa se me considerar uma verdadeira idiota.

Não mais do que eu Lauren. Isso eu posso garantir.

Eu também assumia a culpa pelo que aconteceu, quer Lauren aceitasse ou não essa ideia. Afinal, fora eu quem ajudei a criar essa confusão de sentimentos pelo qual ela passara até decidir-se. Agi como esposa em os sentidos – exceto em um. Dei-lhe apoio, encorajara a intimidade nas conversar. Tomei conta da família dela e cozinhei para todos. E não podia negar que fiz questão de mostrar-me compreensiva e simpática.

Acima de todo isso, eu ainda alimentava ilusões perigosas. Desejava que Alexa não aceitasse vim para Miami, para que eu pudesse sair catando os cacos e concerta seu coração. E também almejava o inverso, que Lauren desistisse de Alexa e, assim, pela primeira vez em minha vida, o patinho feio, pudesse ser escolhida.

- Sinto muito, muito mesmo, Camila. Eu daria a minha vida para que tudo isso não tivesse acontecido. – Lauren disse com sinceridade e suspirou – Será que algum dia eu poderei almejar o seu perdão?

Constatei que as lagrimas marejavam meus olhos, pisquei com força para afasta-las, mas não foi possível. Era horrível pensar que não poderia ficar com Lauren, apesar de ela ter-me declarado seu amor. Eu jamais seria tão cruel e desleal para minha irmã, ainda mais que o futuro de Alexa tornara-se tão incerto. Dei m suspiro trêmulo e procurei as palavras mais sensatas para serem ditas.

- Hoje foi um dia terrível, Lauren. Duvido até que saiba a extensão das suas afirmações.

Ela abaixou a cabeça e sacudiu em um gesto negativo.

- Camila, eu sei exatamente o que estou falando.

- Por favor, Lauren, queira desculpar-me – pedi tentando deixar minha voz menos tremula – mas eu preciso ver como Alexa está.

 Retirei minhas mãos que ate então ela segurava e levantei-me.

- Espere, não vá ainda – Lauren implorou – eu preciso saber. Se essa tragédia não houvesse acontecido, haveria lugar em seu coração para mim? Poderia chegar a amar-me como mulher de verdade, e não apenas como amiga?

A fitei sem demostrar nenhum sentimento, enquanto meu coração girava em um caos. Sofria como nunca. Amava Lauren mais que tudo na minha vida e ela não tinha a menor ideia da verdade.

Alexa sofreu um acidente e corre o risco de não andar mais, porém o mundo inteiro desmoronava ao meu redor. O que eu poderia fazer para enfrentar tamanho infortúnio?

- Como pode perguntar-me uma coisa dessas? – indaguei com a voz mais trêmula do que o planejado – Será que não é possível perceber a respostas?

Lauren ficou mais branca que o normal, quanto eu tive que buscar mais coragem para continuar.

- Foi tão difícil assim suspeita que eu a amava, a partir do primeiro instante em que saí do avião? Será que meus esforços para esmagar esse amor foram imperceptíveis nesse tempo todo? Tive de lutar para malograr o que mais desejava no mundo. Precisei impedir a mim mesma de querer o que eu acreditava fosse fruto proibido.

- Camila, eu não poderia jamais imaginar. Nunca vi o menor indicio de amor de sua parte.

- E como poderia demonstrar alguma coisa se eu também estava aprisionada? Havia o seu compromisso com minha irmã e, eu tinha certeza do seu amor por ela.

Lauren aproximou-se lentamente, levando sua mão ate o meu rosto começando um carinho.

- Camila... – Senti meu coração acelerar com toda a proximidade e como meu nome suava bem em sua voz – Não me diga que jamais poderá haver qualquer coisa entre nós.

Pisquei varias vezes para tentar raciocinar, ainda imersa em um mar verde.

Deixei escapar um pequeno gemido quando Lauren encostou os lábios nos meus em um beijo delicado e suave. Timidamente entreabri a boca e Lauren invadiu-a com sua língua em busca da minha, ambas encontraram-se começando uma dança lenta, poderia ouvir facilmente meu coração acelerado as mil borboletas no meu estomago estavam lá. Levei minhas mãos ate sua nuca quanto às dela estavam no meu rosto, fomos parando o beijo gradativamente, finalizando com vários selinhos antes de encostar sua testa na minha.

- Por favor – Ela sussurrou – diga que poderemos vencer essa situação.

Dei um passo para trás e abaixei o olhar, suspirando. Lauren esticou seu braço para tocar o meu, mas afastei, eu já havia passado dos limites.

- Eu não sei quais são as suas intenções a respeito de Alexa – declarei com tranquilidade apenas aparente. – Isso é um assunto que ambas deverão resolver. Só posso dizer-lhe que nada mais será possível entre nós. Não poderei trair minha irmã para ficarmos juntas, não depois do que aconteceu com ela. Como eu seria capaz de fazer uma coisa dessas Lauren? Alexa ainda a ama! – Com mal-estar coloquei a mão no estomago – Se Alexa quiser voltar para o Brasil eu voltarei com ela.

Tremendo, afastei-me e voltei correndo para dentro do hospital. Encontrei o Medico que estava atendendo Alexa quando cheguei à sala de espera, o mesmo liberou minha entrada ao quarto que ela estava. Afirmando que estava tudo sob controle e que agora ela estava dormindo por conta da anestesia, então só acordaria amanhã. Sentei em uma poltrona que havia ao seu lado e fiquei velando seu sono, até acabar dormindo também.

(...)

Não sei se fora a luz que penetrava através da pequena janela que me acordará. Abri meus olhos e dei-me conta que Alexa gemia baixo ao meu lado. Em um salto segurei sua mão tentando passa-lhe força.

- Alexa, estou aqui. Tudo vai dar certo, pode acreditar. Consegui falar, querida?

Continuei insistindo para minha irmã recobrar a consciência. Ao ver que as pálpebras se descerraram, gritei de alegria e abracei ela.

- Graças a Deus!

- Onde estou? – Alexa perguntou, atordoada, confusa e com irritação – não me sinto bem.

Apressei-me a pegar o pequeno cesto de lixo ao lado da cama, Alexa não conteve a ânsia de vômito e continuo a gemer, impaciente pelo desconforto e pela dor.

- Minha perna... Oh senhor, que martírio! A minha cabeça... O que aconteceu? – Alexa tentou sentar-se, mas a dor a forçou a deita-se novamente. E de repente ela gritou. O grito foi agudo, esganiçado, cheio de agonia e fúria. – O QUE ACONTECEU COMIGO?

- Você tem que ficar calma, vou chamar o medico e ele lhe explicará o que aconteceu! – falei enquanto me afastava, mas fui surpreendida por mais um grito.

- NÃO QUERO SABER DE MEDICO NENHUM, QUERO QUE VOCÊ ME DIGA O QUE ACONTECEU COMIGO AGORA!

Voltei para seu lado e acaricie sua testa, tentado passar tranquilidade.

- Foi um acidente. Houve uma tempestade e você bateu o carro. Por sorte Lauren e eu estávamos te procurando e chamamos uma ambulância. Agora esta salva.

- Salva? – Alexa afastou minhas mãos bruscamente com um tapa – chama isso – Falou apontando para si mesma – de “salva”? Minha perna! AI!

- Vou chamar o medico! Você passou por uma cirurgia grave por isso as dores.

Alexa contorcia-se na cama, entre gemidos e lamentos. Aproveitei a oportunidade para sair do quarto e chamar o medico.

Andei apressadamente ate o final do corredor, onde avistei Lauren sentada em uma cadeira, quase dormindo.

- Alexa acordou e esta sentindo muitas dores.

Lauren ergueu-se rapidamente quando ouvimos mais um grito vindo do quarto de Alexa. Corremos de volta para o quarto, para encontrar uma Alexa chorando de soluçar na cama. Entrei rapidamente e fui para o seu lado segurar sua mão, Lauren que vinha logo atrás de mim também entrou no quarto no mesmo instante,  que Alexa virou a cabeça no travesseiro. Ao vê-la começou a gritar.

- LAUREN! ESTOU FERIDA! MINHA PERNA ESTA QUEBRADA!

Testemunhei a angustia e o sentimento de culpa no olhar de Lauren. Enquanto se aproximava da cama.

 - Eu sei. Vou chamar o medico. Ele vai ajuda-la.

Lauren afastou-se e seus passos ligeiros ecoaram pelo corredor quase vazio. Alexa cerrou os dentes por causa da dor e apertou minha mão.

- Como foi acontecer uma coisa dessas?

- Por causa da tempestade. Foi muito repentino e a situação piorou rápido demais.

- Eu não lembro de nenhuma tempestade.

- Estava chovendo com violência. Foi por isso, minha querida. Você não é acostumada a dirigir em pista molhada.

Enquanto eu falava, Alexa sacudia a cabeça como se não acreditasse em nada que eu estava contando.

- Não, não. Eu não me lembro de nada – ela repetiu – Eu jamais sairia na chuva.

Desconsolada, fitei minha irmã. Precisava desperta-lhe a memoria, embora um acidente que posso ter lhe tirado os movimento das pernas não fosse uma das coisas mais agradáveis a serem lembradas.

- Mas o fato é que você saiu de carro sozinha.

- Sozinha? Por que eu faria uma coisa dessas?

Fiquei alarmada ao ouvir isso.

- Não se lembra do que aconteceu ontem? – Perguntei devagar e com cuidado.

Alexa pareceu concentrar-se no esforço de tentar lembra-se do que aconteceu. Depois de alguns instantes, começou a tremer e sacudir a cabeça.

- Eu... Eu não tenho certeza. Só me recordo de ter comido biscoito e geleia de maçã no desjejum. – Alexa apertou minha mão e começou a soluçar mais uma vez – Não sei o que ouve depois disso. Camila, o que aconteceu comigo? Eu não me lembro! EU NÃO ME LEMBRO. 


Notas Finais


Vão querem me matar não né?
O que vai acontecer com a Camila? e com a Lauren? Alexa desmemoriada sera que vai dar certo? Tudo isso e muito mais sexta no globo reporte.

Quero muito comentários dessa vez, por favorzinho.

bjus, ate qualquer hora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...