História Marota - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry, Potter, Romance, Sirius
Exibições 66
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Segundo capitulo do dia! Isso mesmo :O
Pessoal, eu me diverti muito com esse capitulo
Espero que gostem tbm *-*

Capítulo 7 - Casa de campo do tio Alphard


A casa de campo era grande e linda, em tons de marrom e marfim e fomos recebidos pelo tio de Sirius que foi muito legal conosco. Ele disse que iria vender a propriedade depois que visitássemos, pois pouca gente ia até lá e riu quando disse que provavelmente Walburga queimaria seu nome da árvore genealógica dos Black, chamando-a de maluca, achei ele bem legal.

- Vão, vão se acomodar nos quartos.

Lene e eu combinamos de ficar no mesmo quarto, porque eles eram enormes e tinham camas de casal.

- Aqui é incrível, né? – A loira disse me chamando para pular em cima da cama com ela, Lily entrou no quarto e se juntou a nós. – Acho que James te pede em namoro nessas férias.

Lene e eu soltamos gritinhos.

- Parem com isso! – Pediu Lily corada.

No dia seguinte, percebemos que teríamos um grande problema, tio Alphard não estava muito disposto a arrumar as coisas para o natal, nem a ceia, nem nada, então teria que ficar tudo por nossa conta, o que na verdade foi um pouco divertido, dividimos as tarefas sob o comando de Lily que colocou ordem em tudo.

- Ok. Vamos lá! Remus, Dorcas, Lene limpam a casa, Emme, Frank e Alice, vocês me ajudam a preparar a comida. Certo? – Perguntou Lily arregaçando as mangas do suéter.

- E o que a gente faz? – Perguntei, me referindo a James, Sirius, Peter e eu. Lily suspirou, seu olhar dizia “tentem não fazer bagunça” e ela pareceu pensativa.

- Vão montar os enfeites!

- Vem galera, vamos ver o que o meu tio tem no porão. – Sirius nos chamou e nós os seguimos, vi uma cena bonitinha entre James e Lily, ele a abraçou.

- James você quer ajudar na cozinha?

- Claro! Você ainda vai me amar se eu queimar toda a comida?

- A gente pode pedir uma pizza.

- Pizza?

Eu segui Peter e Sirius para o porão e pegamos todos os enfeites que encontramos, eram muitos, teríamos bastante trabalho e agora sem James, mas foi bem divertido. Colocamos os enfeites do lado de fora e depois montamos a árvore.

- Acabaram os enfeites, eu vou ver se acho mais alguma coisa no porão. – Eu disse, já era de tardezinha.

- Vê se acha no armário de vassouras, nos fundos, Dana. – Falou Sirius.

Fui procurar o armário de vassouras nos fundos, mas a casa era enorme e eu demorei bastante para achar, quando achei os enfeites extras estavam em uma coluna no alto e eu não alcançava, tive que caçar uma escada, encontrei e estava tentando subir quando ouvi a voz de Sirius.

- Você foi pegar os enfeites ou fazer eles? – Ele veio reclamando.

- Sai pra lá reclamão, estou tendo o maior trabalho aqui.

- Deixa comigo. – Ele disse entrando no armário de vassouras, eu desci da escada para deixar ele subir.

- Uhmmm, o que vocês estão fazendo aí? – Frank apareceu do lado de fora. Ótimo, Frank é o único no 7º Ano, ele pode pegar a caixa com magia.

- Frank, amigão, pega esse negócio pra gente. – Pediu Sirius começando a descer da escada.

- Temos uma idéia melhor na verdade. – Disse Alice surgindo do nada. – Já temos enfeites o suficiente, por que vocês não passam um tempo juntos? – Ela perguntou e fechou a porta do armário de vassouras. Ouvimos a porta se trancar com magia, eu bati na porta.

- Ei Alice, isso não tem graça, deixa a gente sair daqui! – Grito batendo na porta. Podíamos ouvir a risada dos dois se distanciando.

- Eles... Fizeram o que eu to pensando que eles fizeram? – Perguntou Sirius sentado em um dos degraus da escada de três degraus.

- Fizeram Sirius, eles nos trancaram numa droga de um armário. Idiotas! Vai ter volta! – Gritei, mesmo sabendo que eles não estavam mais lá.

- Por que eles fizeram isso? – Perguntou Sirius confuso.

- Acho que... – Eu pigarreei me encostando à porta. – Eles querem que a gente... Você sabe.

- Bom, já que estamos aqui, vamos aproveitar. – Ele disse com um sorriso malicioso, arregalei os olhos e abri a boca, mas não saiu nenhuma palavra, ele riu, idiota. – Sabe que eu estou brincando, Dana.

- Idiota. – Digo e dou um tapa em seu braço.

- Você não negou. – Ele me provocou. – Acho que está caidinha por mim.

- Humpf, nem vem. – Minto, orgulhosa.  – Você não está com aquele seu canivete que abre portas?

- Não. – Os braços de Sirius estavam apoiados nos joelhos, ele estava tão bonito. Merlin! O que íamos ficar fazendo ali? – Quanto tempo acha que eles vão demorar para vir abrir a porta?

- Não sei, Alice é louca e Frank vai na dela.

Passaram-se alguns minutos, eu me sentei no chão, o armário era um cubículo estreito e empoeirado, sem nenhuma ventilação que não fosse a pequena fresta debaixo da porta, estava muito quente ali dentro, decidi tentar dormir e usei a coxa de Sirius como travesseiro, mas ele começou a cantarolar.

- Estou tentando dormir aqui. Você devia tentar também.

- Não consigo dormir. – Ele começou a balançar a perna.

- Você é hiperativo, certo?

- Tá calor aqui, não ta? – Ele disse começando a desabotoar a camisa, mas que diabos ele está fazendo? Por sorte está escuro, assim ele não me vê corada.

- Sirius, você está bem? Você está suando?

- Acho que sou claustrofóbico. – Ele disse respirando com dificuldade.

- Ai meu Merlin! Calma, tenta não ter um troço aqui dentro, por favor. – Eu me levantei, apoiei as mãos em seu ombro e soprei seu rosto. – Respira, ar puro entra, ar sujo sai, vai.

Ele fechou os olhos e fez o que eu mandei, respirando com a boca. Ai aquela boca entreaberta, vermelhinha e sexy. Céus, Jordana! O menino ta passando mal, sua pervertida.

- Melhor? – Pergunto num sussurro, ele assentiu e...

AAAAAH. – Gritei e subi na escada, expulsando Sirius de lá.

- Tem uma barata aqui dentro.

- E você ta fazendo esse escarcéu todo, por isso?

Estou de saia e sinto algo em minha perna, começo a gritar enlouquecida até perceber que era Sirius, pra variar.

- Eu ajudo o ser humano numa crise de asma e o que ele faz...

- É claustrofobia e eu nem sabia que eu tinha, não gosto de ficar trancado.

- Sirius, mata logo isso, pelo amor de Merlin.

- Ta, ta, calma. – Ele matou a barata, pisando nela, eca, nojento, ele tirou os tênis.

Eu também estou suando e decido tirar a trança do cabelo para prender em um coque e é então que tenho a brilhante idéia.

- Sirius! Eu sou uma garota!

- Que bom, Dana, seria uma surpresa depois de todos esses anos descobrir que você é um garoto.

- Não, idiota, eu tenho grampos no cabelo. – Digo tirando do cabelo pelo menos uns três grampos e soltando a trança e entrego a Sirius. – Faça sua mágica.

Sirius pegou os grampos e começou a tentar abrir a porta.

– Eu vou fechar essa escada para termos mais espaço. – Eu tenho a brilhante idéia. Fui fechar a escada e acabei prendendo a saía nela, o que rasgou um pouco o tecido.

- Parabéns. – Disse Sirius.

- Cala a boca.

- AÍ! Essa droga dessa escada me cortou.

- Estou quase lá, quase lá. – Disse Sirius virando grampo.

- UFA! AH! AH QUE MARAVILHA! – Exclamei, ouvir o clic da porta aberta e sentir o ar fresco entrando no armário.

POV Dana off

[...]

POV James

Lily e eu fugimos da cozinha para ir até a parte de trás da casa, era linda e tinha uma piscina e Dana, Sirius e Peter já tinham decorado aquela parte, então as luzes natalinas deixavam tudo com um ar mais romântico, era perfeito para o meu primeiro beijo com a garota mais maravilhosa que já conheci.

- Jay, não podemos deixar a Emme, Lene e Remus sozinhos na cozinha.

- Eles vão sobreviver. – Digo levando-a até o balaústre que separava a grama da piscina. – A decoração ficou linda, não é?

- Ficou sim. – Ela disse olhando para as luzes e eu segurei a mão dela atraindo sua atenção, Lily olhou para mim e desviou os olhos para a minha boca, finalmente, eu tinha conseguido amolecer o coração dela. Nossos lábios estavam a centímetros e distância e...

- AAAAAAH! – Ouvimos um grito que acabou com todo o clima.

- Da onde veio isso? – Perguntou Lily olhando para os lados.

- Parece a voz da Dana. – Digo emburrado, Lily riu de mim.

- Ela deve estar bem. – Disse Lily voltando para o clima, ela colocou sua mão delicada em meu pescoço, nossos narizes se encostaram e...

- AÍ! – Novamente a voz da Dana.

- Ok, talvez ela não esteja bem.

- Estou quase lá, quase lá. – Ouvimos a voz de Sirius, Lily franziu a testa.

- UFA! AH! AH QUE MARAVILHA! – Ouvimos a voz extasiada de Dana e os dois saíram de um armário de vassouras na nossa frente, Sirius estava com a camisa aberta, sem o tênis, Dana com um pedaço da saia rasgada e descabelada, ambos suados.

- SIRIUS BLACK EU VOU TE MATAR!


Notas Finais


Então gostaram?
Mereço reviews?
Até o próximo capitulo
Beijoks ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...