História Marotos - Capítulo 62


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry Potter
Visualizações 59
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 62 - Primeira noite


Não demorou duas semanas e chegou a tão esperada primeira noite de lua cheia, era 17 de janeiro, um sábado ainda muito frio na Inglaterra, onde havia passado o dia todo sob a neve, o que rendeu é claro muita brincadeira de um ficar tacando bola de neve no outro.

Quando chegava próximo das cinco horas da tarde, como era comum nas noites de Lua Cheia, Remo quando dava essa hora já voltava ao dormitório ficar pronto para a longa e extensa noite, mas essa prometia ser diferente, seria a primeira junto de seus melhores amigos, ele ainda tinha receios de atacar sem pensar os amigos, mas sempre que dizia isso, Thiago afirmava que Lobisomens não atacavam animais.

Mesmo que Peter também tivesse esse mesmo receio que Remo não deixava isso transparecer muito bem, mas os seus verdadeiros amigos viam que o garoto estava preocupado e assustado com a noite.

Quando já dera seis horas da tarde, os três amigos sabiam que provavelmente Remo seria levado até o Salgueiro Lutador por Madame Ponfrey, então eles correram até o Salão Principal, pegaram muitas torradas e colocaram em uma bolsa de Peter e voltaram para fora.

Enquanto eles caminhavam pelos jardins, o trio escutou Slughorn falando:

-Meninos voltem! – Gritou o expert de poções de dentro do castelo – O frio ficará pior!

-Vamos até a cabana do Hagrid professor, gritou Thiago.

-Voltamos daqui uns minutos, nós precisamos mesmo falar com ele. Gritou Sirius mentindo.

Então o professor de poções achou que o trio estava em boas mãos com o guarda caça e ele seguiu seu caminho para o salão principal, o trio se manteve escondido atrás de uma árvore, quando viram Remo e Madame Ponfrey correndo em direção ao Salgueiro Lutador, e a curandeira e o quintanista estavam atrasados, era um risco grande se Remo transformasse ainda nos jardins de Hogwarts.

Madame Ponfrey apertou o botão da árvore sussurrando algo com a varinha fazendo a árvore se bloquear, então ela desejou boa sorte ao garoto, a primeira noite era sempre a mais difícil, então ele entrou na árvore, e quando descia apertou o botão como sempre fazia, isso porque Peter conseguiria apertar o botão com sua forma animaga.

Remo enquanto chegava até a casa dos gritos já se transformou, ele sentiu mesmo que estava atrasado, um pouco mais atrasado teria se transformado junto de Madame Ponfrey, e poderia mata-la. Mas depois que começou a transformação, foi difícil, lenta e dolorida, por sorte a partir de uma parte ele já não sentia tanto.

Quando Thiago, Sirius e Peter há uns quinze metros do salgueiro lutador, escutaram berros vindo da árvore Thiago disse:

-Está se transformando.

-Por isso Slughorn nos chamou, para não escutarmos os gritos. Falou Sirius e Thiago concordou.

Quando os gritos cessaram, Sirius falou:

-Ele já não está mais sentindo a transformação, vamos.

-Rabicho sua vez. Falou Thiago.

O garoto então foi encoberto atrás da árvore pela capa de invisibilidade e se transformou, a dupla via o garoto, agora rato, correr sob a neve em direção ao Salgueiro Lutador.

Thiago sabendo que ele teria que fazer esse trajeto até o buraco sem a capa de invisibilidade, já que precisava deixar a capa em segurança, ele a escondeu atrás da árvore que estavam, e ficou observando se tinha alguém olhando em direção a eles e ao salgueiro, como não tinha fez sinal para Sirius correr até a árvore agora paralisada com Peter e Remo lá dentro.

O batedor grifinório foi correndo até o Salgueiro e se jogou pelo buraco da árvore paralisada e adentrou onde daria a Casa dos Gritos. Depois foi a hora de Thiago ver se ele poderia avançar até a árvore. Quando viu que ninguém via ele avançou até a árvore, assim que entrou desceu pelo “escorregador” e chegando ao chão, e ele viu os dois amigos transformados.

Ele em forma humana disse:

-Rabicho sobe lá para ativar a árvore.

O rato então balançou o seu rabo, sua marca como animago, e subiu o escorregador, enquanto Thiago se transformava em um cervo, ou como Sirius dizia, em um viado.

Assim que Thiago tinha se transformado, Peter chegou logo atrás e Sirius com a cabeça indicou dentro da Casa dos Gritos e os três animais adentraram a sala e encontraram um grande lobisomem, nunca haviam visto o amigo daquele jeito, quando viram o lobisomem sorriu e os animagos começaram a se divertir com ele.

Nessa primeira noite eles ficaram correndo um atrás do outro se divertindo dentro do Salgueiro Lutador, e quando se aproximou das sete horas da manhã o sol começou a raiar e Remo lentamente se transformava novamente em humano, ele transformado, foi o suficiente para o trio se transformar em seguida.

Porém quando eles voltaram à forma normal, Remo acabou desmaiando ele tinha um corte feio no braço quase que no braço inteiro, Thiago pensou em ajuda-lo, mas não podia, tinha que deixar o amigo lá se não Madame Ponfrey iria encher o saco.

Então eles escutaram a curandeira paralisando a árvore então eles se esconderam em um quarto na casa dos gritos e viram Madame Ponfrey conjurando uma maca e levando Remo para cima, assim que eles saíram, Thiago esperou uns dois minutos, tempo suficiente da curandeira levar Remo até o castelo e disse:

-Trave a árvore, e pegue minha capa lá na árvore onde combinamos, por favor.

O rato enquanto fazia isso, Thiago ajudava Sirius que tinha um corte na perna, mesmo que o apanhador tivesse alguns cortes, porém mais rasos que do amigo na barriga, e enquanto Thiago ajudava Sirius ele disse:

-Nós nos machucamos, mas não deixaremos de fazer isso Almofadinhas.

-Claro que continuaremos! – Falou Sirius- Nunca me diverti tanto assim durante a madrugada!

-Assim que se fala maroto! Disse Thiago, mas logo ofuscando as palavras por um grito de Sirius quando o apanhador começou a diminuir o sangue que escorria do amigo.

Logo que Peter voltou com a capa de invisibilidade, ele assim que voltou a forma normal, viu que tinha se cortado nas costas, nada muito feio, então Thiago ajudou o mesmo com um curativo, e depois o apanhador fez curativos em sua própria barriga.

Eles foram terminar se limpar e tampar esses cortes quase oito horas, então Thiago disse:

-Vamos voltar ao salão comunal e ficamos sentados lá por um tempo e depois vamos ao Salão Principal.

-Estou morto de fome Pontas, disse Peter.

-Vai com a capa até a cozinha te encontramos no Salão Comunal então. Falou Thiago entregando a sua capa de invisibilidade a um dos melhores amigos.

-Tá bom, disse Peter pegando a capa.

-Vamos com embaixo da capa até nos separarmos depois achamos um jeito para chegarmos à Grifinória, disse Sirius.

Os três então saíram do Salgueiro Lutador, assim que passaram pelo buraco Peter se transformou e deixou a árvore ativada, e seguiram seus caminhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...