História Marriage Contract - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), G-Dragon, Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jae, Jikook, Jimin, Jungkook, Namjin, Vhope
Visualizações 55
Palavras 993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Anotações
Jimin: 17 anos, prestes a fazer 18. Não ser maior de idade era mais um dos motivos que levavam ele a acreditar que não podia se impor ao seu pai.
A história se passa em 2016
Há 15 anos atrás Jimin tinha só 2 anos. Isso foi em 2001, até ai estava tudo bem. Todos felizes. Mudaram as coisas em 2005 , quando ele tinha 6 anos.

Capítulo 5 - Fourth


Fanfic / Fanfiction Marriage Contract - Capítulo 5 - Fourth

Ponto de vista - Narrador


Park Sun Hee era um homem amável há 15 anos atrás, havia conquistado tudo o que sempre sonhara em sua vida e agradecia diariamente por isso. Ele, seu filho - Park Jimin - e sua esposa, eram uma familia considerada por muitos "perfeita". Mas isso começou a partir de 2005. Park Jimin e sua mãe- Sehu- haviam saido para visitar o museu, o menino com apenas 6 anos encontrava-se animado do banco de trás do carro ansioso para que enfim pudessem chegar e ver as caveiras que sua mãe havia lhe prometido mostrar. 


E ele teria visto, eles teriam chegado. Se não fosse por um desvio no destino.


A rota 56 que levava para Seul estava fechada, por isso sua mãe preferiu pegar um atalho, assim não demorariam tanto. O transito fluia bem na ponte "Cheonho", e tudo ocorreu tão rapido que sequer deu-se para notar. 


Ela dirigia com calma pela ponte, e então um caminhão de porte médio veio em direção ao seu carro. Sehu só conseguiu olhar para trás e gritar por Jimin, até seu carro ser arremessado para longe. Park Jimin havia conseguido sobreviver- acredita-se que havia sido um milagre- mas sua mãe não teve o mesmo destino que o seu e veio a falecer.


Depois deste dia Sun Hee nunca foi o mesmo, ele passara a beber e usar drogas ilícitas. Não se importava tanto com Jimin como antes. Para ele, seu filho era uma das causas de sua esposa ter falecido. E toda a sua magoa, raiva e frustração fora descontada no menor. 


Jimin cresceu sem o seu pai por perto, ele estava lá mas ao mesmo tempo não estava. Com 15 anos, se revelou homossexual. E desde então as coisas só haviam piorado. Ele apanhava. Socos, chutes, arranhões, e até mesmo cortes eram o que ele recebia. Era o seu castigo.


Jimin estava sendo castigado por coisas na qual não teve escolha
Sua sexualidade, e por fim a morte de sua mãe.


Com o vicio em bebida aumentando gradativamente, sua conta ficava alta. Era difícil até sustentar a si mesmo. Jimin era mais um fardo o atrapalhando de viver. 


3 semanas antes de Jimin ouvir a conversa de seu pai com o homem engravatado, o senhor Park recebera uma ligação de Jeon bon-hwa - um primo de segundo grau de Sehu- Jeon sabia que Sehu e Park tiveram um filho, e lembrava-se do que havia prometido a Sehu quando ela ainda estava gravida. Ele faria com que Park Jimin fosse feliz caso algo desse errado, ele prometera a mão de sua futura filha a Park Jimin. 


Tudo parecia uma promessa vazia. Até os dias atuais. Jeon Jungkook precisava se casar para assumir o cargo na ONG de seus pais, e ter direito a sua parte da herança. E bem.. Jeon bon-hwa pode não ter tido uma menina, mas sua promessa continuaria válida. Isso então, o levou a procurar por Sun Hee.


Por telefone, explicou toda a situação para o senhor Park. Que assim que entendeu que aquilo afastaria Jimin de sua vida caso assim quisesse, passou a ficar interessado. Mais ainda ao saber que teria uma grande quantia de dinheiro envolvida. 


Era a oportunidade perfeita para ele. 
E então, fechou o acordo.
Park Jimin? Vendido! 


(...) 2 semanas depois


O rapaz de cabelos rosa encara seu reflexo no espelho e sorri brevemente, a situação não merecia um sorriso sequer mas ele estava bonito. Ao menos isso...


Uma semana atrás o pai de Park Jimin finalmente havia o dito, mas não fora como o menino imaginou. Ele ao menos havia se explicado, deixou claro apenas que ele não tinha outra escolha e que deveria se comportar. Ao contrario sofreria consequências. Jimin perguntava-se todos os dias se ele estava realmente entendendo a gravidade da situação, mas a resposta estava clara. Seu pai era ignorante demais, e só pensava em si.


"Apresse isso logo!"- o homem grita atras da porta do quarto de Jimin, que suspira e arruma novamente o seu cabelo antes de por seu celular no bolso e sair do quarto com a cabeça baixa. 


"Não me obrigue a fazer isso... Por favor." - Ele pede novamente, mesmo já tendo perdido as esperanças. E em troca, uma risada lhe é direcionada. 


"Cale a boca. Você me enoja." - Diz por fim. Essa era a deixa para que o menino de lábios carnudos ficasse calado enfim. Ele não podia portar-se contra seu pai, alem de ser menor de idade- totalmente dependente dele- ainda poderia considerar-se covarde;


(...)


Ao ouvir um de seus pais o chamarem, Jeon abre a porta e suspira. Ele não queria ter que fazer isso, estava enojado só de pensar na ideia. 


"Ele chegou, desça e receba Park Jimin com carinho." - O homem vestindo uma camisa social rosa sorri e da um beijo na testa de Jungkook, que não se move mas assente em seguida. 


Depois de uns 3 minutos parado, pensando em alguma forma de escapar dessa situação - o que foi totalmente falho- ele arruma novamente sua roupa e abre a porta de seu quarto, saindo do mesmo em passos lentos. Caminha até a escada e começa a descer os degraus, ele estava nervoso. Era como se em cada degrau que passasse um pouco de ar fosse sendo retirado de seu pulmão. 


E então por fim chegou a sala, observou de longe um rapaz de cabelos rosa claro. Sua postura parecia um tanto desanimada. Ao seu lado um homem de cabelos negros, já aparentando mais velho - e ele ao menos precisou ver seu rosto para saber.


"Com licença." - Diz em alto e bom som, atraindo os olhares para a escada. E quando o menino de cabelos coloridos virou-se, Jungkook paralisou e a raiva tomou conta de si por instantes. O que esse menino estava fazendo aqui?


"Você." - O menino diz levantando sua cabeça pela primeira vez, um pouco confuso. Isso não poderia estar mais estranho.
 


Notas Finais


Ps: Eu tinha repetido o capitulo, desculpem. Ja arrumei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...