História Marry me? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Kaisoo, Mpreg, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 288
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acho que não aguentei esperar até a semana que vem, por quê? por que eu já escrevi kkk
realmente estou ansiosa com essa fic, já falei né?
Eu não tenho muito o que falar, só agradecer pelos favoritos 💙 obrigada 💙 kkkk ok ok
Boa leitura

Capítulo 2 - A boca é de coração mas meu coração não é dele. - Chanyeol.


Fanfic / Fanfiction Marry me? - Capítulo 2 - A boca é de coração mas meu coração não é dele. - Chanyeol.

- Aproveita a noite, Yeol. Só não quero ser titio logo. - Sehun sabia do Baek, mas preferia não comentar sobre, não sei porque. Pra ele é como se o Byun nunca tivesse se relacionado comigo. 

- Pode deixar. - Éramos convidados para todo tipo de festa, Jin-Ah dava as melhores, sempre tendo opções, tanto homens como mulheres, eram todos bonitos. No segundo andar da casa, sempre tinha quartos a disposição para uma transa, era tipo uma boate, mas numa casa. Não sei como ela fazia para limpar depois, ou essa casa é só para festa? Tinha até um barzinho. 

 Sehun vestia uma calça jeans - muito justa por sinal - marcando perfeitamente seu bumbum, uma blusa branca e por cima uma jaqueta de couro preta, seus fios loiros estavam penteados num topete.    Eu vestia apenas uma blusa qualquer por baixo e um moletom - sem bolso - cinza com poucos detalhes, uma calça jeans preta e um relógio de prata. Hoje eu só queria ser eu, nada de coisas chamativas, apenas Park Chanyeol.

Saímos de casa indo a caminho do carro do loiro, ele é o mais novo, no entanto eu não estava afim de dirigir, na verdade, não estava afim de fazer nada. 

 

O caminho não era longe, em cerca de vinte ou trinta minutos já estávamos lá, o percurso até o local mostrava um Sehun eufórico e tagarela que só sabia falar um nome, Luhan. Seu mundinho girava em torno do chinês. Meu amigo e ele se conheceram no segundo ano de faculdade, Luhan era amigo do Baek, o que deu mais chances a Sehun. Ele e Byun eram amigos, não próximos, mas mesmo assim se falavam. Foi um jeito dele se aproximar lentamente de sua presa e logo o capturar, foi questão de paciência, apenas. Eu trocava alguns olhares com Byun mas ele nunca o sustentava, sempre acabava desviando e olhando para outro canto.

A festa seria num bairro chique, como de costume, condomínio fechado e essas coisas. Assim que chegamos, Sehun me deixou na porta e foi estacionar o carro, a música que vinha da casa era alta, se duvidar dava para ouvir na outra rua. Na entrada tinha algumas pessoas sentadas na pequena escada - 5 degraus - que levava até a porta. Eu conhecia a casa de canto a canto, já vim para várias festas aqui.

 Nada me impressionava, achei que fosse encontrar carne nova mas nenhuma me interessou até agora, Sehun já estava se esfregando com o namorado na pista de dança, e isso era meio nojento, eles estavam sóbrio e ele é meu amigo, não tenho que achar fofo algo assim. Fui até o barzinho que havia aos cantos e me sentei pedindo um uísque puro ao bar man. 

 Não demorando para meu pedido chegar, bebi o líquido lentamente, desceu como chamas, respirei fundo ao sentir um corpo se aproximar do meu e virei o copo com o líquido transparente me preparando para dar uma resposta curta. 

- Ora, ora, se não é o Park. - Kyungsoo, um velho amigo nosso, faz tempo desde a última vez que o vi.

- Kyung? 

- Ah Park, estava com saudades de você. Por que não quis mais meu corpo, eu não te satesfiz o suficiente? - Ele já estava perto de mais, o cheiro de álcool estava impregnado em sua roupa. Kyung sempre soube lidar com bebidas, o que aconteceu para ele estar assim? 

- Kyung, que conversa é essa? Isso Já faz quase 10 anos cara, éramos adolescentes. 

 Nunca deu recaída com bebidas, na adolescência Kyung era o que mais ficava sóbrio. Podia beber quanto quisesse, mas ele era o mais consciente entre nós. Ele já foi meu amigo, e o que custa um amigo ajudar o outro? Essa baixinho já me ajudou tanto. 

- Vem, vamos conversar, mas não aqui. 

Eu sabia que o velho Yeol estava aí, em algum lugar, mas estava. - O baixinho se aproximou e me puxou pelo pulso prendendo seus braços em meu pescoço. - 

 Os olhos grandes de corujinha capturaram algo que o fez ficar estático, palavra que descreveu o garoto naquele momento. Quando me virei e segui seus olhos, pude perceber para quem ele tanto olhava. Eu não estava entendendo nada, a pouco segundos atrás Do estava quase me beijando, agora está paralisado vendo duas pessoas se beijarem.

- Ei Kyung, o que foi? - Passei a mão por seus olhos e vi os mesmo com um brilho diferente, as pequenas lágrimas brotaram e escorreram silenciosamente de um jeito doloroso. 

 Eu nem percebi quando ele saiu do meu lado, quando me dei conta o baixinho de olhos grandes já estava fora da casa, eu só consegui o acompanhar porque corri. 

- Chanyeol, o que você quer? - Oras, mas o que eu quero, o que você começou.

 

 Aquele momento não era um dos melhores para fazer isso, mas o que eu posso fazer? Eu simplesmente quero e ele atiçou também. Puxei seu pulso e olhei diretamente em seus olhos, eles pareciam triste. Levei uma mão até seu rosto e acaricie a área rósea de sua bochecha, era tão macia, me lembra o Baek. Merda! A boca do Soo parecia um coração, o coração que eu estou afim de beijar. Ele percebeu a minha aproximação e não se afastou.

Nossos lábios se encontraram e ficamos aproveitando do pequeno contato sem envolver línguas ou mãos bobas. Estava sendo bom, mas eu queria mais. Deslizei a mão até sua cintura e o puxei colando nossos corpos, o ósculo não era tão calmo quanto antes, nossas línguas já dançavam nunca perfeita sincronia, e a boca de Kyung tinha rastros de álcool mas continuava sendo doce, era incrivelmente saborosa. Um gosto quase inesquecível.

- Chan... não, por favor, hoje não. Eu só preciso de colo, você se disponibiliza? - Fiz errado, fiz muito errado, merda! Não era pra’ ser assim.

- Claro Soo, vou cuidar de você, pequena coruja. 

 Passei meu braço por sua cintura e o fiz deitar a cabeça em meu ombro, ele estava triste, qualquer pessoa perceberia isso. Fomos andando até a casa que eu dividia com Sehun, não era grande mas era confortável. Levei Kyung até meu quarto e o deitei lá, ele precisava de um banho e um dos bons. Comecei a tirar suas roupas lentamente, seu olhar naquele momento foi de reprovação, mas eu o acalmei e tentei mostra que minha intenção era a melhor. Depois de um banho gelado, ele vestiu uma das minhas cuecas e uma blusa, que ficou parecendo uma camisola. 

- Chan... deita comigo? - Parecia um gatinho, todo encolhidinho.

- Só vou me trocar, Soo. - Tirei o reloigo e deixei meu celular no criado-mudo ao lado da cama. Continuei com a blusa que estava embaixo e vesti uma bermuda confortável, me deitei ao lado do moreno e nos cobri. 

- Eu estava me envolvendo com aquele rapaz, nós brigamos ontem e ele disse que eu fui apenas mais um. Eu fui assim pra você também, não é Chan? - Por que agora? Droga, estou me sentindo horrível, por que tive que fazer isso com essas pessoas, argh, agora sinto a dor de ser usado, quando o único que usou, foi eu. 

- Claro que não, eu descobri que tinha atração por garotos com você Soo, você foi o primeiro que experimentei, lembra? Eu não te usei, eu só era.. e sempre fui um babaca, mas eu estou começando a pagar pelo pecado. - Eu não queria conversar isso com ele, já estava mal o suficiente e eu queria o distrair e não contar meus problemas.

- Por quê? - Aqueles olhos grandes pareciam me julgar. 

- Eu acho que estou apaixonado, Soo.

Kyung não teve tempo de argumentar nada, meu celular começou a tocar eu já sabia quem era, e eu não queria atender.

- Chan, não vai atender?

- É o Sehun, ele deve querer saber aonde eu estou.

- Ou não, pode ter acontecido algo, não é?

 Ele pode ter razão, por que Sehun me ligaria se está curtindo com seu namorado? Assim que peguei o telefone observei no visor que era desconhecido. Isso me assustou um pouco, a primeira pessoa que passou na minha cabeça foi meu amigo. Não hesite mais e atendi.

- Alô? 

- Oi Channie. 

- B-Baekhyun?

 

 

 

 

 

 

   CONTINUA.... 


Notas Finais


Ai gente, por favooor se expressem, gostaram?
Beijinhoooos 🐣


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...