História Marshmallows. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias G-Friend
Personagens Eunha, Yuju
Tags Adaptação, Eunha, Oneshot, Romance, Yuju
Exibições 47
Palavras 2.381
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, FemmeSlash, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi^^

Essa é a primeira vez que tento fazer uma One Shot. É bem mais dificil do que imaginei.
Sei que não ficou muito bom, mas espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Marshmallows. - Capítulo 1 - Capítulo Único

Consigo ouvir o sinal da escola, mesmo estando tão distante. Isso quer dizer que só falta 30 minutos para o fim da aula..., e o que diabos estou fazendo aqui?!

Está tão quente, e para piorar meus óculos quebrou. Me pergunto, como isso foi acabar assim?

 

[25 minutos atrás]

Com o festival cultural chegando, os preparativos já estavam quase no fim e eu ainda tinha que me apressar. Depois que eu terminasse de organizar tudo, teria que sair correndo para minha aula particular.

Que chato.

Minha única tarefa era organizar e fechar umas caixas— de flores artificiais— no deposito. Parece simples, mas...

— Aish...isso é muito estúpido! — Reclamei, terminando de carregar a penúltima caixa e a deixando ao lado das outras. Não consigo entender, quem iria roubar uma coisa dessas? E também ninguém iria perder tempo em destruí-las. Essa escola é tão entediante.

Sem falar naquele diretor...

“ Por questão de segurança, as portas serão substituídas por portas antifurtos. Então lembre-se de não perder a chave. ”

Quanto desperdício. Tudo isso por causa de sua paranoia...

Tudo bem, eu sei que ter segurança é importante, mas, isso — que o diretor fez— é totalmente desnecessário.

— Choi Yu Na!

Ouso alguém me chamar e rapidamente me viro para saber quem é....

 

Jung Eun Bi?!

 

Estudamos na mesma classe e somos parceiras em algumas matérias, como: Química e Literatura. E não, não somos amigas. Não sei nada sobre ela, e, ela não sabe nada sobre mim.

Ela até tentou se aproximar de mim na primeira vez que nos vimos, mas algo aconteceu, e não sei dizer ao certo o que. Na verdade, eu acho que sei...

Tenho o horrível costume de ignorar as pessoas ao meu redor com o meu “belíssimo” humor. Eu ignorei a garota pela qual me apaixonei. Lindo, não?

Não sei se ainda sinto algo por ela, afinal, faz tanto tempo que mantenho esse sentimento trancado. Bom, isso não importa agora.

— Que bom que está aqui! — Seus olhos transbordavam vida. Eu não sei, há algo diferente nela. Não são as roupas e nem o cabelo, é como se ela estivesse realmente feliz em me ver. — Acabei de terminar a placa de boas-vindas. O que você acha? — Jung segurava a placa em uma das mãos, até que estava bom, porém, muito fofo para o meu gosto, e para os demais garotos da turma.

Quando eu estava prestes a dizer algo, Jung bate à porta com tudo. E foi aí que eu percebi... Ok, Yuju, mantenha a calma. Respira fundo...

— Ah... minha bolsa...estava na porta — Falei tentando não ficar nervosa.

— Oh, me desculpe, eu quase tropecei nela e por isso coloquei no lado de fora. Vou pegar agora mesmo...— Jung girou a maçaneta, e como eu temia, a porta não abriu. — Ué? Por quê? Isso não quer abrir.

Não, não, não..., isso só pode ser brincadeira. Não pode ser....

“Lembre-se de não perder a chave” A voz daquele diretor estúpido gritava na minha mente. E tudo porque...

A CHAVE ESTAVA NA BOLSA!!

[...]

Sim, estou trancada no deposito por causa dessa idiota. Sabe o que ela fez durante os 25 minutos que estamos pressas? Dormiu. Como ela pode dormir tão tranquilamente?!

— EunHa, acorde! — Ela abriu os olhos lentamente e se sentou próximo a mim. Bocejou e esfregou a mão e um dos olhos. Parece uma gatinha...

Tudo bem, isso foi muito fofo, mas ainda estou furiosa!

— Olha só, você fica bonita sem óculos também. Yuju-Ah

Quê? Ah, os óculos, é até estranho ficar sem eles.

— N-Não temos t-tempo para isso. — Não acredito que gaguejei. Por favor que eu não esteja vermelha, não sou boa em receber elogios. Mesmo assim, acho que ela percebeu meu desconforto e sorriu. Droga! — E quem lhe deu permissão para me chamar de “Yuju-Ah”? Não somos tão intimas assim.

— HaHa eu acho fofo. Você é fofa, então combina.

O que está acontecendo aqui afinal?

— Estamos só nós duas aqui, achei que seria mais amigável. — Continuou. —Pode me chamar de EunHa se quiser.

— Por favor, me chame apenas de Yu Na.

— Eh? Por que? Yuju é muito mais legal. “Yuju-Ah” — Não acreditou que ela fez aegyo com meu nome. Essa garota...

Minha paciência é curta. É tão complicado falar com ela!

Não, não vamos perder a paciência com isso. Preciso pensar em um jeito de sair daqui. Pela janela é impossível, a escola tem quatro andares, e estamos no terceiro. Meu celular está na bolsa...

Alô? Oi, SinB-Ah!

EunBi tem um celular..., é isso! Ela pode pedir ajuda!

Você está no shopping com a Dahyun? — Por que ela ainda não pediu ajuda? Vamos logo com isso Jung. — Sim, eu quero ir! Mas eu vou segurar vela...

— Fale para sua amiga nos ajudar. — Sussurrei, e ela fez um sinal com mão para mim esperar.

— Alô? SinB? ... Ops! Ficou sem sinal hehe

— N-Não...

— Não se preocupe. — Ela revira sua mochila e tira um pacote grande de...—Marshmallows! Um garoto do terceiro ano me deu. Acho que é o suficiente para nós duas. Não vamos passar fome!

E-Eu não entendo, essa era a nossa única chance de sair daqui. Mesmo com tudo dando errado, ela continua sorrindo. Enquanto eu enlouqueço.

Senhor! Eu fiz alguma coisa de errado? Isso só pode ser um castigo...só pode ser.

...

A imagem de meus pais veio na minha cabeça, eles também são assim, otimistas e sorridentes. Aposto que EunBi se daria muito bem com eles. Já posso até imaginar, eles conversando, e rindo das fotos de quando eu era bebê.

 

Tudo bem, isso não faz sentido.

 

— Tem certeza que não vai querer? É de morango. — Pela milésima vez, Jung, me oferece marshmallows.

— Absoluta.

Ficamos alguns minutos em silencio, até que...

— Eu acho...— Tava demorando. — que você é uma pessoa muito interessante Yuju-Ah!

— O-QUÊ? O que quer dizer com isso?!

— Eu sempre estive observando você, mesmo que de longe. Você é muito inteligente, porém é muito mal-humorada. Você devia ter visto sua cara quando tentei falar com você no primeiro dia de aula. Foi de dar medo... — Me senti profundamente culpada, será que eu estava tão assustadora assim? Que eu me lembre, no primeiro dia de aula eu estava morrendo de sono, e quando isso acontece, acabo ficando de mal humor. Jung terminou de mastigar um doce e continuou. — Por isso que não tem amigos?

— Yah! Isso não é da sua conta! — EunBi ficou surpresa com minha resposta. Tudo bem, acho que fui um pouco rude. — Quer dizer, eu tenho amigos, só que são poucos. Eu nem deveria estar aqui pra falar a verdade...

Meus pais são formados na grande faculdade de Seul. E meus amigos sempre me diziam o quanto isso era incrível, mas aí veio a dúvida: “ Por que você estuda em escola pública? ”, “ Geralmente os pais ricos colocam os filhos em escola particular”. Óbvio que menti, eu disse que estudava em escola pública porque queria aprender a ser uma pessoa humilde antes de entrar na faculdade. Uma desculpa estúpida, mas eles acreditaram. Na verdade, eu não havia me preparado para os exames. Ao todo fracassei em 3 exames de escolas diferentes. O primeiro: Perdi porque estava doente. O segundo: Marquei as respostas na folha errada. O terceiro: Peguei infecção alimentar.

Sou o fracasso em pessoa.

Meus pais não deixaram de me apoiar. Eles estavam lá com suas palavras de incentivo. Me senti grata por isso. Geralmente, os pais, dão uma bronca e colocam os filhos de castigo, ou mandam eles para o exterior. Mas os meu pais são diferentes.

Eu não quero me enturmar, pois, seria o mesmo que admitir minha incompetência. Seria o mesmo que desistir.

Quero que meus pais tenham orgulho de mim...

 Ah, deixe isso para lá, a vida na escola passa rápido. Não tenho tempo para ficar me divertindo por aí...

 

— Tenho certeza que seus pais sentem orgulho de você, Yuju. Você é linda e inteligente...

— Ah... por que está tão perto?! — EunBi estava apenas alguns centímetros de distância de mim. Como foi que eu não percebi? — Eu nem deveria ter falado isso...

— Mas você também é muito azarada, Yuju-Ah! — Ela aproximou seu rosto mais ainda. Podia sentir sua respiração bater em meu rosto, seu hálito com o aroma de morango, seus lábios em um tom rosado. Não desviou o olhar nem por um segundo. Meu deus, meu deus, meu deus...— Como eu não fui capaz de notar isso antes? Você realmente fica bem sem óculos, mas eu ainda prefiro que use eles.

E, para o meu espanto, eu estava sendo beijada. Meus olhos permaneceram abertos durante alguns segundos, queria confirmar se aquilo estava realmente acontecendo.

Fechei meus olhos com o tremendo prazer que senti quando seus lábios começaram a se movimentar sobre os meus.

“Sweeter than sweet”

Seu beijo era doce, sensual, eletrizante. Queria explorar cada traço de seus lábios cheios e rosados. Eu estava fraca, estava totalmente entregue aos seus desejos. Ela me tinha nas mãos. E tudo foi assim, num piscar de olhos.

Deveria dizer que há varias borboletas no meu estômago, mas, na verdade, as borboletas se transformaram em várias bombas nucleares. Explodindo sentimentos, que, até então, eram desconhecidos por mim. Queria fugir, mas, havia algo que me mantinha imóvel, incapaz de reagir.

Como essa garota conseguiu ter esse efeito sobre mim?

Como um alcoólatra que precisa de bebida, eu precisava de mais contato com aquele corpo, aqueles lábios. Maldito seja a embriagues que esses lábios me causavam.

Minhas mãos moveram-se descendo sobre as costas de EunHa, segurei sua cintura com força e a puxei para mim, ela entendeu o que eu queria e sentou sobre o meu colo. Isso foi o estopim para o beijo explodir.

Ela arfou com os lábios entreabertos, aproveitei seu pequeno deslize e invadi sua boca com pressa. Nossas línguas se tocaram, em um movimento lento e doce. Minha calma estava se esvaindo aos poucos, e o desejo de traçar meus dedos por todo corpo de EunHa, veio como uma avalanche.      

Eu estava tentando ser cautelosa, não podia ser apressada demais, não queria perder o controle. Mas EunHa sentia tanto desejo quanto eu, e isso estava me levando a loucura. Acho que seria muito precipitado dizer que ela realmente me desejava.

 “Sweet madness”

Uma de suas mãos arranhava meu pescoço, enquanto a outra estava entrelaçada nos meus cabelos. Dei um leve gemido e EunHa sorriu vitoriosa.

Essa garota consegue mudar da agua para o vinho.

Comecei a ficar sem ar, precisava parar para respirar, precisava pensar em tudo o que estava acontecendo. Felizmente, EunHa também começou a sentir falta do ar. O beijo cessou com uma leve mordida em meu lábio inferior.

EunHa continuou em meu colo, com suas mãos segurando firmemente meus ombros, como se dissesse para mim não sair dali. Eu não iria.

Até porque estávamos trancadas ali.

Ficamos em silêncio por alguns minutos, ouvindo a respiração pesada de cada uma. Meu coração batia descontroladamente, parecia querer sair pela boca. Aos poucos, minha respiração voltou ao normal.

Por que tudo aconteceu tão rápido? Até alguns minutos atrás, essa garota era apenas minha colega de classe, colega pela qual me apaixonei, mas que também ignorei mesmo que sem querer. Tão confuso.

Fui surpreendida quando EunHa se levantou e sentou ao meu lado. Por um momento achei que ela iria se afastar de mim...

— Sabe, Yuju, ...— Sua voz saiu baixa, mas podia ouvi-la perfeitamente. EunHa segurou minha mão e deitou sua cabeça em meu ombro. Odiava admitir, mas, estava amando ter ela ao meu lado. Amando ter esse contato. — quando o ensino médio acabar, não vou continuar com os estudos.

 Parar os estudos.... Como assim?

— Minha família é muito grande. Tenho 4 irmãos, 3 deles ainda são muito pequenos. O que significa que sou a mais velha. Meu pai ainda está procurando emprego e minha mãe trabalha como vendedora em uma loja de roupas. Assim que eu terminar os estudos, vou procurar emprego. Por isso fiz vários amigos, e várias coisas legais. Terei lembranças boas quando sair daqui, e com certeza você será a melhor delas. Então, talvez você não goste disso, Yuju-Ah.

Isso não faz sentido. Minha boca abria e fechava tentando dizer algo, mas, sinceramente, não sabia o que dizer.

Nunca imaginei que..., nossa como eu sou idiota. Fazendo o papel da “pobre menina rica”, enquanto tem outras pessoas com problemas maiores.

Virei meu rosto apenas para encara-la, e me surpreendi com o sorriso que estampava sua pequena e delicada face. Posso ver que não é um sorriso forçado, mas sinto uma certa tristeza. Senti um aperto no coração, ao imaginar EunHa enfrentando todos esses problemas...

Jung EunBi, você é incrível.

— Hm....certo. Me dê um marshmallows. — Estendi minha mão e ela olhou confusa. — Que foi? Achei que tivesse me oferecido.

Ela rapidamente foi pegar o pacote que estava próximo aos nossos pés, e, depois voltou a ficar sentada do meu lado na mesma posição de antes.

— Aqui está. — Abriu um sorriso e me deu o pacote. Eu estava começando a amar aquele sorriso.

Peguei um e comi.

— Tem gosto ruim. — Fiz careta.

— Não tem não. — Falou fazendo bico. — Você não achou ruim quando estava me beijando.

Imediatamente comecei a tossir. Ela tinha que falar desse jeito?

— Você fica tão fofa quando está envergonhada! — EunHa apertou levemente minha bochecha.

 

Eu poderia ter continuado com aquele assunto, poderia ter feito várias perguntas e tentar convencê-la do contrário, de não desistir dos estudos. Não por mim, mas, sim, por ela. Mas, por enquanto, apenas por enquanto, esquecerei esse assunto. Quero aproveitar esse novo clima que se instalou. Afinal, eu não sei o que vai acontecer quando sairmos daqui. Mas eu sei que as coisas não serão como antes.

O sinal da campainha tocou. Isso quer dizer que falta cinco minutos para fecharem os portões. E hoje pela primeira vez, não reclamei sobre o horário, eu estava verdadeiramente feliz por estar aqui. O meu azar, me trouxe essa garota de sorte.

— Será que vamos ficar pressas aqui? Estou ficando com sede...— Disse EunHa, enquanto brincava com meus óculos nas mãos.

— Não se preocupe, com certeza alguém sentir nossa falta e irá nos procurar. — Tentei passar confiança em minhas palavras. É estranho, esse sentimento de querer protegê-la.

— Se você diz...— Deu um beijo no meu rosto e voltou a brincar.

 

Cinco minutos, talvez essa seja a contagem regressiva para a felicidade.

 

 

 


Notas Finais


E acabou.
Talvez, só talvez, eu faça long fic dessa história.

Obrigado por ter lido até aqui^^
bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...