História Ma's - Capítulo 81


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Personagens Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Tags A Regra Do Jogo, Alexandre Nero, Giovanna Antonelli, Salve Jorge
Exibições 407
Palavras 984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 81 - Abrindo o apetite


Depois que saiu do hospital Giovanna foi ao shopping com o pequeno ignorou todas as ligações de Alexandre e levou  o filho ao parquinho que havia no centro do primeiro andar, brincou com ele nos brinquedos de monta-monta e depois o levou para a praça de alimentação, comprou um sorvete e uns brinquedos novos para Arthur, que já estava com um novo mordedor na boca.  

Giovanna só precisava se "desestressar", Alexandre havia pegado pesado com ela, ela não havia dado motivos para toda aquela ceninha. Quando Arthur começou a chorar, Gio colocou o pequeno preso no canguru e então foi para o carro... 

Como não pegaram trânsito logo chegaram em casa, Giovanna respirou fundo e então abriu a porta...  

N- Até quem enfim, custava atender o celular? - Levantou num pulo, assim que ouviu a porta ser aberta.  

G- Shhh que ele tá dormindo – Passou direto por ele e levou o pequeno para o quarto. 

G- Eu te amo meu anjinho – Deu um beijo na testa do filho e cuidadosamente o colocou no berço. 

Quando se virou para sair, quase teve um treco no coração.  

G- Se quer me matar, te digo que quase conseguiu – Disse colocando a mão em cima do peito.  

Alexandre sorriu um pouco sem graça.  

N- Desculpa, não foi minha intenção te assustar... Só estava admirando vocês...  

Giovanna quase sorriu, não queria dar liberdade para ele. Saiu do quarto e foi para a cozinha beber água, ee foi atrás.  

N- Comprei pra você - Disse quando Giovanna parou em frente a mesa, onde estavam as orquídeas.  

G- Hmn, legal – Se fez de indiferente, mas na verdade tudo que ela queria era correr e abraça-lo.  

N- Poxa amor, vai ficar me tratando assim, mesmo? Já te pedi desculpa... E outra quem devia estar bravo, deveria ser eu, você saiu e me deixou lá plantado que nem um otário, tudo bem que não tiro sua razão... Onde você foi, em falar disso?- Disse rápido se aproximando.  

G- Fui ver os homens babarem em mim, não é disso que eu gosto – Foi ríspida com ele.  

N- Uou, ok... Mereci essa... Mas, me desculpa vai? - Pediu manso, se aproximando mais ainda dela.  

G- Licença por favor, preciso tomar um banho... - Tentou passar por ele, que lhe segurou pela cintura.  

N- Posso ir junto? - Perguntou cheirando o pescoço dela, Giovanna tentou se conter mas acabou se arrepiando.  

G- Vou sozinha, vaza – O empurrou para o lado e passou.  

Alexandre baixou a cabeça e falou alto para que ela lhe ouvisse.  

N- EU TE AMO  

Giovanna respirou fundo, e começou a se despir para ir tomar um banho.  

Alexandre queria recompensa-la pelas bobagens que ele a obrigou a ouvir, então resolveu fazer o almoço, tudo bem que já se passava das 14h da tarde, mas ele sabia que Giovanna não havia comido nada na rua, conhecia ela o suficiente para saber que tudo o que ela fez foi mimar o filho e comer algum doce.  

Pegou tudo que tinha na geladeira, fez um arroz colorido, e um frango grelhado com creme de milho.. Arrumou a mesa na varanda que não era tão grande, mas era aconchegante, e a temperatura estava agradável, o que já ajudava e muito.  

Alexandre pegou uma jarra de suco e um pequeno balde com gelo, colocou tudo na mesa, olhou no relógio e estranhou a demora de Giovanna, decidiu então ir até ela.  

Chegou na porta do quarto e a encontrou deitada na cama, com o celular no ouvido, Giovanna vestia um shots curto, desses de ficar em casa e uma regata que marcava bem sua pequena barriga de grávida..  

G- Ok, então quinta que vem estarei ai.. Me desculpa de verdade 

.....  

G- Obrigada, tenha uma boa tarde  

Desligou a ligação e sentiu a cama afundar ao seu lado, até então, não havia visto que Alexandre estava no quarto.  

N- Hey, tudo bem? - Perguntou colocando uma mexa de cabelo atrás da orelha dela.  

G- Aham, só liguei para remarcar a consulta – Se jogou na cama e ficou olhando o teto.  

N- Você deve estar com fome, vem, eu fiz o almoço pra gente – Disse fazendo carinho no braço dela.  

G- Não estou com muita fome, mas obrigada  

N- Nem pensar, você precisa comer, se não for por você, coma pela nossa filha – Arqueou uma sobrancelha e Giovanna bufou se levantando da cama.  

G- Você sabe bem como me abrir o apetite – Disse já no corredor e Alexandre gargalhou.  

N- Bom... Se você não quisesse minha cabeça, a de cima como prato principal, talvez eu te abrisse o apetite com a de baixo... Mas, sabe... Só se você quiser  - Disse malicioso e Giovanna rolou os olhos, não conseguindo conter a risada.  

G- Você não presta Nero – Gargalhava  

N- Presto sim, e já provei que presto – Disse malicioso novamente  

G- Vai, vamos logo c... Ué, cadê - Perguntou olhando para a mesa de jantar que estava vazia.  

N- Me acompanhe por favor – Fez uma reverencia e segurando a mão dela, a levou até a varanda...  

G- Ual, demorei tanto assim no banho? - Sorriu quando ele puxou a cadeira para que ela se sentasse. 

N- É... Sim – Riu 

N- Posso te servir? - Perguntou a olhando, ainda de pé.  

G- O que você fez de bom?  

N- Uhm, que tal você mesma olhar – Abriu as panelas e Giovanna começou a salivar.  

G- Uou agora sim eu estou com fome – Entregou seu prato para Alexandre que começou a servi-la.  

N- Suco?  

G- obrigada – Pegou o copo da mão dele e bebericou, esperou até que ele estivesse servido. 

G- Boa apetite – Deu a primeira garfada.  

G- Hmnnn isso aqui está muito bom, mas muito bom mesmo, mas não fique achando que vai me comprar com comida ok? - Disse quando viu um sorrisinho vitorio escapar pelos lábios dele.  

N- Se você está dizendo – Deu de ombros e voltaram a comer... 


Notas Finais


Falei que voltava hahah estão gostando da historia? Comentem, amo ler os coments de vocês... Não fiz a consulta dar certo, porque quero fazer ser em um momento especial... Tipo, mais especial ainda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...