História Mas, o fofo dá medo? - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Originais
Personagens Lysandre, Personagens Originais, Rosalya, Thomas, Viktor Chavalier, Violette
Visualizações 9
Palavras 1.265
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieeeeeeeeeeeeee
Eu volteeeeeeeeeeeeeei

Sei que sentiram minha falta ;-)
Acho que já se acostumaram com minha demora toda né hahahhahaha
bom, sorry mas isso não vai mudar tão cedo, é realmente uma pena ;-;

Okay, fiquem com a fic meus marshmallow's

Capítulo 9 - Eu não mereço...


Fanfic / Fanfiction Mas, o fofo dá medo? - Capítulo 9 - Eu não mereço...

Um plano de fuga

- LYSAYA! É simplesmente PERFEITO! – a platinada continuava a gritar

- Mas Rosa, para ‘pra pensar um pouco. O lys ‘ta tentando tirar a pureza da nossa florzinha – ele “sussurrou” para rosa, tapando a boca com a mão perto do ouvido dela e falando em uma voz alta o suficiente para escutarmos, e logo rosa arregalou os olhos e lançou um olhar assassino para lys, que se encolheu um pouco.

Nesse momento eu já havia tirado minha cabeça do peito de lys, e olhava confusa para eles.

- O-oque é um ship? – questionei confusa direcionando meu olhar para a platinada e o azulado que me encaravam como se viesse de outro planeta

- Passou toda sua vida trancada em uma caverna? – Rosalya esbravejou aparentemente irritada

- N-n-não, e-eu acho... – eu realmente não sabia o que fazer nessa situação

- Tudo bem may, é apenas uma expressão bastante usada por adolescentes hoje em dia. Realmente me surpreende que não conheça, mas se citarmos que não a conhecemos propriamente, não acho que deveríamos supor algo sobre seus gostos, não é Rosalya? – Lysandre repreendeu a mesma apenas com um olhar frio

- É verdade lys-fofo, bom logo logo ela se acostuma com nosso modo purpurizado de falar, não é Alexy? – acho que ela está passando a bola para não ficar sozinha nessa bronca

- Claro rosa, ela é uma baby unicorn, ainda tem que aprender muito com a gente! – mas acho que ele se livra bem dessa situações, me pergunto quantas vezes ele já não deu dessas?

Eu e o lys levantamos do gramado e fomos na direção do pessoal, que por sinal ainda estavam lançando-nos olhares maliciosos.

Depois de um tempo conversando com eles (‘tava mais para eles zoando nós dois mas tudo bem né), fomos para a sala que da a entrada para o jardim e nos sentamos no sofá conversando amigavelmente (quer dizer, do Castiel não saiu nada muito amigável, mas ele não xingou ninguém então pelo jeito já é um progresso).

Eu havia chegado lá em um domingo então as aulas só começariam amanhã. Alexy e Rosalya continuavam me tratando como uma bonequinha de cristal que tinham medo de quebrar, os garotos também estava sendo bem legais, mas eu infelizmente não falei muito com as meninas, apesar de que todas parecem legais também. Nesse momento já estava na hora do jantar já que o tempo passou muito rápido, Rosa e Alexy insistiram novamente em arrumar minha roupa, dizendo que iriam me deixar bonita ‘pro “lys-fofo”. Me deram uma saia preta com listras brancas em baixo, um salto branco, um cropped de veludo com um kimono preto com detalhes brancos por cima. Um brinco de coração rosa e um relógio branco com rosa e dourado. Para maquiagem um batom marrom fosco, nos olhos um degradê de preto para o rosa que o Alexy colocou glitter com um delineado gatinho longo, resumindo, novamente lindo e delicado combinando com os cabelos levemente ondulados. Rosa estava com um vestido vermelho tomara que caia decotado com zíper, um blazer azul e branco por cima com um salto de madeira com detalhes vermelhos e pretos. Colocou um colar dourado e um brinco de ouro, como sempre arrasando. Na maquiagem uma sombra dourada esfumando para o vinho com um batom nude e uma pele bem preparada. Deixou os cabelos longos platinados soltos mesmo e alisados com a prancha. Alexy com uma camisa social azul, uma calça Jeans branca e tênis azul, com um relógio preto e vinho combinando com o headphone em seu pescoço da mesma cor. Divando com o mais simples. Como sempre!

Depois de prontos me toquei de uma coisa, estávamos arrumados demais apenas para jantar, com certeza terá algum tipo de evento hoje também. Bom, se não tivesse eu pelo menos havia amado a roupa! Descemos logo e vimos o refeitório todo enfeitado como se fosse ter um restaurante, o que será que vai ter de tão especial essa noite? Não me atreveria a perguntar...

Assim que entramos muitos olhares foram direcionados à nós, o que me deixou um pouco desconfortável e me fez agarrar o braço da rosa que logo olhou para mim com uma carinha de que ia chorar, ela mordeu o lábio como se estivesse se segurando muito para não fazer alguma coisa e depois olhou para Alexy que assim que viu a cena fez um biquinho manhoso.

- Nossa tá bom então melhores amigas, desculpa se sou eu a atrapalhar a seu momento fofinho – ele foi se afastando de nós em direção ao outro canto do salão, então eu tomei coragem e soltei o braço da rosa que já acenava para os meninos em alguma mesa que eu não consegui ver pela multidão de cabeças de pessoas sentadas que impediam minha visão. Eu puxei o a manga da camisa dele e em seguida abracei seu braço com força o fazendo ficar parado. Ele continuou olhando para frente, parecia que estava se forçando a isso e não queria olhar para mim, então eu resolvi apelar para um de meus últimos (e infalíveis) recursos.
Assim chamei o mesmo:

- Lexy-kun, não fica bravo comigo por favor! – carinha fofa somada com vozinha fofa e olhos lacrimejando pode ser apelação, mas eu não quero que ele vá em bora!

Ele finalmente olhou ‘pra mim, seu rosto passou de sério para compaixão em um instante e ele me apertou contra seu peito em um abraço apertado

- AI QUE ÓDIO NÃO DÁ ‘PRA FICAR COM RAIVA DE VOCÊ! –ele provavelmente chamou  a atenção de todo mundo, mas se eu olhar sei que vou me arrepender então é melhor continuar escondidinha aqui.

Alguém tocou meu ombro gentilmente me tirando dos braços do Alexy que soltou um gemido de reprovação (se fosse kentin seria outro tipo de gemido né safado), olhei para quem foi o ser que me tirou dos braços do unicórnio e vejo Lysandre, assim que me viu de frente passou os olhos por mim e corou. Eu reparei que ele havia reparado na roupa logo reparei na sua também.

Como sempre, um estilo vitoriano e elegante, só que dessa vez está com um terno e gravata ao invés do sobretudo com o lenço...
Na verdade fica ainda mais lindo.... Pera! Ei May, nada de ficar gostando dele assim! Você não o merece! E se ficarem e acabar o matando também?

E foi com essa frase que eu sai do transe e foquei em seus olhos, me imaginei na cama com ele... Logo começava a o cortar me dando muito prazer, mas logo já estava em seu enterro chorando sobre o tumulo e recebendo olhares reprovadores de todos que pensei em chamar de amigos, meu (agora) único irmão se afastando de mim por cometer o mesmo erro...

Mal reparei...

Mas já haviam lagrimas em meus olhos...

As pessoas me olhavam curiosas...

Meus amigos assustados e preocupados...

E foi assim que eu corri...

 

Corri para fora do manicômio e fui para a floresta que tinha dentro do mesmo, e alguns minutos de corrida já haviam bastado para eu ter tirado meus saltos e já estar provavelmente no meio dela. Eu então subi em uma arvore e me encolhi em um enorme galho que tinha formato de concha, eu havia realmente achado a arvore perfeita, mas não fazia ideia de como voltaria, apesar que no momento isso não me importava. Eu apenas queria focar em liberar todas as minhas magoas e pensar em como sou um monstro...

Não mereço todas as pessoas maravilhosas que encontrei...

Não mereço todo esse amor...

Sou uma pessoa horrível...

Sou um monstro...

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...