História Mascote de Um Idiota - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~DMeryt

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Itachi Uchiha, Kaguya Ootsutsuki, Kurama (Kyuubi), Matatabi, Naruto Uzumaki, Rikudou Sennin, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shukaku
Tags Deisaku, Itadei, Itanaru, Itasaso, Kurakagu, Naruto, Rikushu, Sasodei, Sasuke, Sasunaru
Visualizações 261
Palavras 6.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola pessoal, XD espero que gostem desse cap, :D Porque eu amei ele tambem neh non

Capítulo 7 - Capitulo VII


Fanfic / Fanfiction Mascote de Um Idiota - Capítulo 7 - Capitulo VII

 Kurama tinha responsabilidades no mundo dos deuses. Mas no momento ele evitava aquele lugar... irritante, sim, irritante, aquele lugar era praticamente um tedio por inteiro, ele não entendia o porquê de Kaguya gostar tanto de ficar na floresta.

 E de novo ele estava pensando na albina mal-humorada, e a raposa se praguejou com isso, mas esse praguejar seguiu de um riso descontrolado. Quando foi que ele se deixou levar tanto como algo chamado “Amor”?... Esta certo, ele não negava o que sentia, mas a Kyuubi tinha orgulho suficiente para não admitir em voz alta.

 A sensação era tão boa... Mas ao mesmo tempo tão estranha... Amar.

-K-Kyuubi-kun...Kyuubi-sama...Ah.... -Recobrando-se totalmente ao presente, o ruivo abriu lentamente os seus olhos carmesins de modo que pudesse notar a bela humana de madeixas encaracoladas e douradas que rebolava de modo sôfrego em cima de seu membro... Ah sim, ele estava com uma mortal... E ela não era nada mal. – K-Kyuu,, ahhh...- Ela sussurrou em um gemido e caiu ofegante sob seu peitoral.

 A Kaguya... Porque transar é tão difícil? Kurama bufou em seus próprios pensamentos enquanto empurrava o delicado corpo já sonolento da loira na cama. Ele ainda não havia se satisfeito, seu corpo não estava satisfeito, sua libido não estava saciado... E tinha certeza que não conseguiria tal feito com uma humana frágil.

 Deslizou uma mão por seu cabelo avermelhado enquanto varria o quarto do motel com o olhar a procura de suas roupas e sem nenhuma surpresa localizou uma camisinha lacrada jogada perto de sua calça.

-Merda! -Exclamou para si mesmo enquanto vestia a boxe negra, juntamente com a calça e encarou o corpo pálido da mulher que ele não lembrava o nome. -Pelo visto vou ter que cuidar do destino de outro pirralho... Tsc, da próxima lembro de usar essas malditas camisinhas.

 Acabou de vestir a sua camiseta e terminou de afivelar o cinto enquanto olhava para o breu do lado de fora da janela, ainda era noite, não havia se passado nem 1 dia que ele permitiu que Hidan ceifasse a ruiva Uzumaki.

 Oh cara... lembrando disso... -Eu estou muito fodido quando voltar para casa!

 O kitsune por ser o deus Destino, ao permitir a morte de Kushina organizou o futuro que voltava lentamente ao seu curso natural e ... droga... ele iria enfrentar uma lembre assassina... Ela ira corta seu cabelo... ou pior, amarra-lo de cabeça para baixo na piscina de larva do Son Goku... ou... para o seu completo desespero, o castrari...

-Pensando seriamente em não voltar para casa? Kurama-senpai. -Foi tirado de seus pensamentos depressivos por uma voz bastante familiar... e bastante sensual.

-Matatabi. -Os pelos de sua nuca arrepiaram ao perceber a azulada respirando em seu pescoço enquanto o abraçava. Maldita! Ela sabe que esse é o meu ponto fraco. -O que faz aqui na... ah, você vive aqui.

-Hai, esse mundo precisa de mim aqui, precisa de Equilíbrio -Os lábios delicados dela tocaram sua jugular, coisa que o obrigou a empurrá-la com um pouco de delicadeza para não a machucar.

-Então por que está pendurada em meu pescoço como uma sangue suga?- Questionou com o tom de voz mais neutro que pode e olhou ao redor percebendo que ele se encontrava na frente do motel... Tsc, isso as vezes acontecia com ele, ficava tão distraído a ponto de não perceber por onde andava.

-Itai, Kyuubi-sama! -Sua voz se tornou um pouco chorosa, fazendo Destino revirar os olhos e seguir o caminho que levava a boate mais próxima, porém foi seguido por ela que agarrou seu braço direito. -Você nunca muda! Eu acho esse seu jeito arrogante é tão... sexy.

-Aham, e você quer dar... -Disse de modo displicente ignorando o próprio linguajar. O deus era galante quando lhe era conveniente, mas sabia que com Matatabi teria que ser diferente, ou então a mesma criaria mais falsas esperanças. A deusa gato tinha uma boa aparência, seus cabelos eram longos, presos em duas ligas, indo até um pouco abaixo de suas coxas em um tom médio de azul, seus olhos eram bicolores, sendo um dourado como ouro e o outro verde como folha. Ela trajava um vestido purpura simples que modelava o seu corpo e deixava a vista uma bela tatuagem de espirais tribal em sua perna direita... Eh, não podia se jogar fora. -...E eu quero comer.

-Sempre delicado. -Não havia sarcasmo em sua voz, apenas a rouquidão ronronada de sempre... Nenhum xingamento, ou apelidos estranhos... Matatabi era tão dócil e... -Mas quero tirar esse maldito cheiro de humana que esta impregnado em você, odeio quando se deita com essas mortais. -... tão irritante.

 Ele não sabia em que momento sua costa bateu em um colchão macio... Mas ele sabia que estava na casa da gata, já que o cheiro cítrico dela estava espalhado por todo o quarto de maneira incomum.

 Também não soube quando sua blusa foi novamente arrancada, ou quando a sua calça desapareceu em algum canto do quarto... Mas ele sabia em que momento deixou a azulada de quatro sob os lençóis de seda e a invadiu sem nenhum pudor. Se deitar com uma deusa era diferente de se deitar com uma mortal... Seu instinto selvagem aflorava ao máximo... Destino sabia que não nutria sentimentos pela gata... Na verdade, nutria desejo justamente por Matatabi ser o que ela é, uma gata, e ele um cachorro que queria ter seus desejos saciados... Mas ela apenas poderia saciar momentaneamente o desconforto de seu corpo, porque a única deusa que saciaria o seu coração era a deusa responsável pelo o que ele sentia. Amor.

 Seus movimentos mantinham um ritmo frenético enquanto trazia o quadril da deusa para si a estocando mais fundo, ao contrário da gata que gemia incontrolavelmente Kyuubi grunhia com a sensação de ter seu membro comprimido dentro dela. Selvageria... Uma de suas mãos foram até as madeixas lazulis da mulher sem se importar se isso seria desconfortável para ela, queria se livrar de toda aquela frustração... Porque a deusa coelho simplesmente não o amava, porque ela não...

-K-Kaguya... -Um rosnado sôfrego escapou de seus lábios sentindo-se quase ao limite. Seus olhos estavam cerrados com força, em sua mente ele visualizava a deusa albina no lugar de sua ex... Kaguya... Kaguya... Kaguya...

 A cada gemido ele se aprofundava mais dentro da outra que gemia sentindo o seu orgulho sendo ferido. Ele gemia o nome de outra... Ele gemia o nome da sua rival enquanto a fodia.

 Mas mesmo assim Matatabi gostava de se sentir preenchida pelo ruivo, ah ela amava... Ela podia ter se deitado com outros deuses quando namorava com ele, mas para ela, ele era o melhor.

 (...)

Como Sasuke explicaria algo como aquilo para ele? O moreno não poderia simplesmente chegar e lançar a bomba sobre o Neko-boy! Ou poderia?... Definitivamente não poderia simplesmente chegar e dizer:

 "A Naruto vamos a um enterro, sinto muito mais é o da sua mãe..." Ele surtaria e o moreno acabaria todo arranhado. 

 E muito menos poderia chegar e falar:

 "Naruto, sua mãe morreu" Isso destruiria a luz do loiro.

 Muitas possibilidades rondaram a mente do Uchiha, não que para si fosse novidade, mais essa indecisão fez o moreno perceber um fato imudável. O Uchiha não sabia dar notícias ruins, ou melhor, o Uchiha era um insensível que não sabia dar notícias ruins da maneira correta, porém desconhecia o moreno, que não há maneira correta de anunciar um fato triste, porque o que você faz depois é que torna a maneira correta de dar uma notícia... mas convenhamos, Uchiha Sasuke não tinha a mínima ideia de como consolar alguém.

 Mas por Naruto... Por Naruto ele tinha que aprender, pois Naruto precisaria dele, ele sabia que o loiro não ficaria bem. Suspirou. Uma angustia tomava conta de seu peito, e sem nem se dar conta caminhava de um lado para outro no quarto... tinha um péssimo pressentimento, algo iria acontecer, e não sabia se era bom ou ruim... só sabia que iria mudar sua vida totalmente de cabeça para baixo mais uma vez. Não ignoraria isso de novo, a última vez que teve essa impressão foi a dois meses quando ganhara um gatinho de presente, o melhor presente que já recebera, não que fosse assumir isso aos quatro ventos, não, jamais assumiria que a presença do neko-boy lhe era estimada, que hoje apreciava.

-“ Teme, você está estranho...” - Ouviu soar calmo aquela voz, sorriu. Oh como gostava desse timbre do loiro... preocupação, Naruto se preocupava com sigo. Escondeu o quanto o animal mexia com ele colocando em seu rosto a típica mascara de indiferença. Focou sua visão na pequena bola de pelos felpuda de cor dourada e laranja sentada sobre os lençóis bagunçados de sua cama, desde a noite da balada, nunca mais haviam tocado no assunto. - “... Sabe, você deveria pelo menos me deixar um pouco mais de comida para mim... sério tipo, duas tigelas de lamen com...”- Sasuke havia acabado de voltar do escritório de seu pai, esteve em uma conversa com seus pais, uma conversa que intimamente lhe deixou apreensivo e confuso. Mas por que ele se preocupava com o loiro e em como ele receberia a notícia da morte da mãe? - “... E também, você, como meu dono deveria...”

 Porque ele estava preocupado com o loiro? Logo com ele? Afinal Sasuke não gosta de ninguém além de si, por tanto não se preocupa com ninguém além de si!... Será que estava certo? Será mesmo que não gostava de ninguém?

 Será que toda sua inquietação se deriva ao fato de estar apegado ao bichano? Ou simples e puramente por que estava afeiçoado ao ser tagarela à sua frente?

 Kushina estava morta, não havia o que fazer e porque se preocupar, não poderia adiar essa notícia.

 Com tudo isso, esses problemas e preocupações, lhe veio à mente aquela imagem, uma imagem que a muito não lhe atormentava.

 Naruto esparramado no asfalto, ralado, quebrado, todo ensanguentado... A ruiva havia sido internada após ter conhecimentos do acidente do filho... Um acidente, que de fato para o moreno, não poderia ser considerado uma fatalidade, havia sido sua culpa.

 Sua...

 Somente sua...

 Ele havia matado Naruto e consequentemente Kushina, seu coração disparou, estava entrando em desespero. 

 O que ele havia feito para os deuses lhe serem tão cruéis? O que havia aprontado para irrita-los tanto?... Deuses? Desde quando o moreno acreditava em deuses? Certamente a companhia e as histórias da louca da Sabaku Uzumaki Karin estavam lhe afetando.

  Era loucura de mais achar que era retaliação do sobrenatural... Tsc... O que eles haviam feito por si? Nunca os havia visto, eles eram prepotentes de mais vivendo em sua magnificência, para se importarem em castigar alguém como ele... Tsc quanta prepotência. 

 Amor? Destino? Equilibro? Ladainha inventada para controlar uma grande massa devota e seres presos a crenças primitivas.

 Talvez fosse por argumento assim que Kaguya, Purinsesurabu¹, tenha lhe aplicado um belo castigo.

-"TEMEEE!!?”- O gato já estava impaciente, era até engraçado a cena do pequenino batendo a patinha de cor branca no colchão com um tic no olho direito. Estava irritado. Afinal o "teme" o havia ignorado até esse momento.

-O que é?!- O moreno retorquiu com os olhos semicerrados, e uma clara veia salta na testa pálida... aquele "dobe" tinha capacidade de despertar em si sentimentos tão controversos.

-“Ouviu alguma coisa que eu disse?” -O gato o olhou com um olhar sério, tombando a cabeça para o lado. Tinha um quê de preocupação explicito ali, e esse sentimento identificado no olhar oceânico do animal fez o interior do Uchiha se contrair.

-Sim. - Mentiu, não havia se quer prestado atenção as palavras do gato, mas também com razão o assunto sobre ração não ser um alimento aceitável, não era tão atrativo quanto as divagações sobre como contar para o gato que a mãe dele havia falecido naquela noite de morte cerebral. Evitou encara-lo temia que o gato visse em seus olhos a confusão que estava em sua mente. - Vou tomar banho, vamos a um enterro...

-“Enterro?” - O animal franziu a testa dourada, unindo momentaneamente o musculo de suas sobrancelhas. A calda peluda que antes balançava animadamente de um lado ao outro, se abaixou momentaneamente. - “ Quem morreu?” - Os olhos se arregalaram, o gato apesar de muito inteligente as vezes também era muito idiota, e como comprovação dessa ideia, temo o fato da teoria que se formou na mente do neko-boy. - “A dona Mikoto está bem?” 

-Sim... - O moreno sussurrou retirando sua camisa, e olhando o gato que o seguia pelo quarto, seria uma cena cômica se não fosse o que viria a ser dito a seguir.
A tenção sobre o corpo do mais velho se intensificou ao constatar que o loiro estava preocupado com sua mãe, porém não podia simplesmente leva-lo escondido sem lhe dizer quem era a falecida. – Naruto...- Ele começou sua voz falhava. - É... a senhora Kushina... e-ela... ela faleceu.- Olhou para o gato que estarrecido, parou, em choque a calda abaixada os olhos dobrados.

-"Diz..." - O loiro começou, porém sua voz estava tremula. - "Diz que é uma brincadeira!" - Antes se Sasuke tinha alguma dúvida se gatos choravam. Essa dúvida fora sanada ao ver os olhos marejados do animal.

-Eu sinto muito! - Ele murmurou se aproximando do animal com cuidado e o pegando em seu colo. Caminhou até o banheiro, ele estava estático, nem se opôs ao ver o moreno pôr a banheira para encher.

 O choque era forte, não pode estar com sua mãe, e pior nem havia pensado em como ela deveria estar sem sua presença nesses últimos 60 dias. Bom agora ele sabia... ela estava morta.

 Sua visão se tornou turva, e ela sabia o porquê, pode sentir seus pelos do rosto se encharcando e a umidade em seus bigodes... estava chorando, quem diria que gatos choram.

 Não sentia mais nada, porém o calor do corpo do moreno o envolvia de tal forma que era um consolo saber, que, pelo menos no momento não estava sozinho, mesmo que o moreno fosse lhe obrigar a tomar banho, já não ligava para nenhum de seus traumas de espécie, afinal estava desolado de mais para afasta-lo. Naruto deveria ser sincero e admitir que assim como Sasuke, ele também apreciava o contato corporal, e o calor que o outro o envolvia, os carinhos em suas orelhas, tudo era bom era consolador.

{...}

 

 O carro estava bastante silencioso, o sol aos poucos ia perdendo sua intensidade a ser coberto pelas nuvens tempestuosas, o céu parecia se compadecer da dor do animal encolhido no colo do Uchiha caçula.

 Itachi admirava a conexão que fora adquirida, analisou o Uchiha mais novo... ele parecia diferente, não alheio ou entediado como de costume, ele parecia compadecido pela dor da perda. 

 E o gato no colo dele, esse parecia imerso em uma bolha depressiva o que era bem incomum visto que o animal dificilmente calava a boca, miava quase o dia inteiro, aturdindo as orelhas do primogênito, que considerava jogar o animal na rua quando o caçula não estivesse vendo, porém isso era bem difícil, levando em conta que até mesmo para a escola o gato ia junto com Sasuke-escondido na mochila, claro. As regras da escola deixavam bem claro ser estritamente proibido qualquer animal nas dependências da academia.

 Sasuke portava sua comum máscara inexpressiva, porém que o conhecia, via em seus olhos um brilho melancólico. A verdade era que desde que notificara Naruto sobre a morte de sua mãe, o gato perdera a vida, parecia um pequeno boneco imergido em suas próprias dores.

 O templo estava muito bem decorado, fora oferecido propriamente para ser realizado a cerimônia de despedida, seguindo o ritual para o enterro. 

 Respirou fundo abrindo a porta do carro, viu sua mãe seu pai tomar a frente, sua mãe portava um vestido de busto justo e saia rodada um salto fino de altura media, negro, um óculos Prada estilo gatinho dégradé que ia do preto na parte superior ao vinho na inferior, com armação fina de acrílico negra talhada com detalhes em dourados, e seu inseparável chapéu negro. Seu pai que acompanhava sua mãe portava um terno de Qiviuk de Alexander Amosu, e um óculos Aviator 55 Black armação em ouro 18 quilates. Seu pai de fato era um maldito playboy ostensivo.

 Seu irmão não ficava para menos, portando uma calça social justa de cor grafite, um sapato social estilo italiano marrom café de bico fino, uma camisa social branca de seda legitima com botões de perola, produzida sob encomenda. E colete que fazia parte do terno, de coloração igual à da calça.

 Realmente eram uma familia que não media esforços para ostentar.

 Sasuke fitou seu irmão ao seu lado vendo o recolher o Ray ban Aviator espelhado, que estava preso a camisa. E ocultar os olhos que apenas expressavam frieza.

 Sasuke suspirou, se sentia todo engomado portando aquela roupa, um verdadeiro pinguim. Agradecia não ter sido obrigado a vestir algo igual o patriarca e seu irmão. Pois em comparação aos outros três membros da familia Uchiha o mais novo era o único que não estava de social.

 O de tez pálida trajava um jeans justo negro com os joelhos rasgados, o coturno negro, uma blusa creme, acompanhada de um sobretudo, igualmente negro. E como de praxe, assim como os outros Uchiha’s Sasuke também utilizava um óculos, um Ray Bam aviador RB 3026. O moreno estava parecendo um daqueles membros de cultos góticos. 

 Um real vampiro.

 Um príncipe da sedução... Que carregava dentro do casaco fechado o animal depressivo.

 O Uchiha apesar de gostar de atenção, em nada apreciou os olhares que atraíram ao entrar no templo. Era um local ricamente ornamentado, nas paredes tinham muitas retratações de uma grande raposa de caldas, vermelha como fogo, cruel impiedosa, e sem amor, Destino... Sim Sasuke reconhecia aquele templo, lembrara que ouvira algo de Karin uma vez sobre Destino e Amor viverem uma relação de cão e gato... oh isso lhe lembrava um certo alguém.

 Apertou levemente os braços cruzados, somente para sinalizar ao animal que estava ali com ele.

-Olá Sasuke!- O Uchiha que até então mantinha-se alheio a tudo e todos, focado apenas no leve tremor do gato em seu peito, olhou em direção a voz que o chamava encontrando as madeixas ruivas de Karin acompanhada do oxigenado Suigetsu

-Hum!- Murmurou sem dirigir a total atenção ao casal ao seu lado.

-Quem diria que Sasuke Uchiha viria.- Suigetsu disse com um sorriso de canto.

 Sasuke focou seus olhos mais a frente encontrando Sakura, que era amparada por Deidara, próxima ao caixão talhado em madeira polida de cor marrom café. Viu seu irmão encarando os dois descaradamente, em um canto Sabaku Uzumaki Saraía, chorava enquanto era abraçada carinhosamente por seu marido. Perder a irmã caçula não deveria ser algo agradável, ainda mais sendo ela tão jovem, de fato a familia Uzumaki estava passando por grandes problemas. 

-Mais é claro que ele viria...- Karin deu uma cotovelada no abdome do namorado.- Afinal Mikoto-san trabalhava no hospital junto com Kushina-oba-san!- Completou seria e focou seus olhos no alheio Sasuke, de fato o moreno não ouvia nada do que lhe era dito, não que antes ouvisse, afinal Sasuke Uchiha de fato não era lá conhecido por prestar atenção no que as pessoas diziam.

 Suspirou. Ultimamente andava suspirando de mais. Tinham tantos estranhos ali, muitos que provavelmente ele deveria conhecer do colégio, porém ele nunca guardava nomes mesmo.

 Em mais uma volta pelo ambiente do templo seu olhar focou nos olhos verdes esmeraldas irados que caminhava em sua direção feito um búfalo. Seus olhos dobraram mau deu tempo de proteger o gato quando sentiu um murro ser desferido em seu estomago. Sentiu todo seu almoço voltar. Não que tivesse comido muito.

-Tu... Ta... Louca?- Fitou a rosada meio encurvado.

-O que você faz aqui desgraçado?!- A rosada tinha o rosto mais vermelho que do próprio irmão. Sasuke sentiu as garras do gato cravar em sua camisa, perfurando o tecido e arranhando sua pele.

 Naruto havia se assustado com o movimento repentino. Porém o susto logo se dissipou ao ouvir a voz de sua rosada, ela parecia irritada.

-"Você tesa bem Sasuke?"- Naruto perguntou, sabia que Sakura poderia ser assustadora e deveras forte. Sabia que o moreno não responderia, afinal não poderia parecer maluco, mesmo que Sasuke se sentisse assim. 

-Você não tinha o direito de vir aqui!- A rosada esbravejou.- Não depois do que fez!- Os olhos dela marejaram, e Sasuke pode premeditar um golpe que voaria se esquivando, ocasionando em mais alguns arranhões do gato que tentava se manter seguro.

-E o que eu fiz?- Rebateu o moreno no mesmo tom, sua voz era rouca, e seus olhos pareciam em brasas, não bateria no Bakemono cor de rosa, afinal, apesar de não parecer-devido ao temperamento e a falta de peitos- Sakura era uma mulher... bastante irritante, grosseira e bruta, porém uma mulher.

-Você...- Ela apontou o dedo fino com as unhas pintadas de azul celeste.- Você matou ela!- Apontou para o caixão onde jazia a morta.- Por sua culpa Naruto está em coma sem previsão de acorda. Por sua culpa meu melhor amigo esta vegetando em uma cama de hospital, por sua culpa Namikaze Uzumaki Kushina esta dentro daquele caixão, fria como um cubo de gelo... morta! - Sussurrou a última palavra de cabeça baixa. Para logo depois se recompor e levantar a cabeça determinada. - Morta, você a matou...

 Sasuke sentiu seu peito se contrair deu dois passos para trás, era culpa sua!

 Não que não soubesse antes, porém ser acusado disso era como ter esse fato esfregado em sua cara.

-Não surta Sakura! - Karin disse seria, e Sakura a fitou com ódio.

-O que aconteceu foi uma fatalidade, uma terrível fatalidade! -Suigetsu falou.

-Não!- Sasuke se apôs aos amigos.- Ela está certa!- Ele olhou para a rosada, retirou os óculos escuros revelando os olhos negros e com um brilho vazio... opacos e as marcas em baixo dos olhos.- Eu não deveria estar aqui!- Falou dando as costas para uma atônica rosada, para os parentes fofoqueiros, que ansiavam por uma fofoca para espalhar, e para os surpresos pais, Sasuke nunca deixará nada assim, nunca havia recuado, nunca havia dado para trás, nem que seja para uma mulher, Mikoto quase chorou... seu bebê havia agito de forma tão madura.

 Itachi tão surpreso quanto os pais, foi atrás do seu irmão. Se tinha alguém que conhecia o mais novo esse alguém era o mais velho, e sabia que toda aquela pose era apenas uma máscara, Sasuke estava quebrado, ele havia se quebrado, quando havia tentado quebrar alguém no qual ele não queria assumir gostar.

  {...}

 Sasuke estava bem mais estranho do que o normal, o moreno havia chegado em casa destruído, se antes já estava mal por se culpar, agora então estava bem pior, havia causado a morte de Kushina, bom tecnicamente era a única coisa que ele prestar a tenção após o soco, nem havia assimilado o fato de seu gatinho Naruto, ter seu verdadeiro corpo adormecido em coma.

 Sasuke era egoísta, não ligava para se Sakura estava sofrendo com a falta do loiro, apesar de o beijo de algumas semanas atrás ter mexido de tal forma com o moreno... e que o fato de o loiro não ter correspondido, ter ferido seu orgulho. Não ligava mais para isso, sentia seu coração se comprimir, somente com a ideia de seu loirinho também lhe culpar.

 Chegou em casa completamente desestabilizado largou Naruto na sala e subiu correndo para seu quarto. Precisava ficar sozinho, precisava entender o que era essa agonia... essa dor no peito, a falta de ar que sentia e a absurda vontade de chorar. 

 Itachi entrou logo depois do irmão e viu o gatinho antipático correr até a escadaria e começar a pular os degraus quem era absurdamente altos para o animal. Seguiu com os olhos a guerra que o loiro travava com a escada e está obviamente ganhava, se Naruto já era pequeno quando normal, quando gato era menor ainda.

 E para piorar sua situação sentia o por do sol já dando sinais de efeitos em seu corpo. Em breve atingiria a transformação e certamente ficaria pelado no meio da escada, e como se não bastasse esse fato, ele tinha plena consciência de ficar extremamente estrupravel- como sua prima Karin o classificava quando menores- por causa das orelhas e calda.

 Como se a guerra contra a escada não tivesse sido deveras complicada e maçante, agora tinha um corredor enorme até o quarto de Sasuke, estava ficando irritado, muito irritado e ai daquele teme se tivesse trancado a porta.

 Dito e feito.

-"Sasuke abre a porta!" - Choramingou do lado de fora. Arranhava a porta desesperado, Sasuke certamente deveria estar no fone de ouvido. 

 Ouviu passos no corredor e se desesperou, tinha um medo absurdo de Itachi, aquele endiabrado de cabelos compridos, lhe metia um medo quase tão forte quanto o medo do bicho-papão.

-E ai bichano!- Itachi se aproximou se agachando na frente do animal que se encolheu arrepiando completamente os pelos das costas envergadas, suas garras estavam bem a mostra.

 Um medo bastante irracional, visto que Itachi nunca havia feito nada... já Sasuke, que do contrário já havia aprontado de quase tudo, ele não possuía medo. Por alguma razão misteriosa do destino, Naruto sentia-se seguro ao lado do moreno.

 Ele mal tinha ideia que isso se deriva ao fato de que Amor e Destino estavam envolvidos em tudo que lhe acontecia, e isso se dera ao fato puramente de que o casal havia se metido mais uma vez na linha continua do tempo e destino, e bom isso nunca era bom visto que das últimas duas vezes que fizeram isso aconteceram catástrofes naturais... porém Destino impediria de que algo, como o desastre de Chernobyl e a peste negra acontecesse, ah se impediria, o deus odiava mais trabalhos.

 Itachi olhou irritado para a figura do gato arisco, se perguntando por que ainda tentava, frustrado apenas olhou o bichano.

-É, não é à toa que se dá bem com Sasuke, é tão rabugento quanto ele!- Comentou o moreno como se o animal pudesse entende-lo.

 Naruto o olhou irritado, poxa, não era rabugento como o teme, ou era?

 Viu o maior levar a mão até a maçaneta e gira-la. Destravando a porta e permitindo que o agoniado gato entrasse. Logo fechando a porta e com as mãos no bolso da calça social seguiu para seu quarto, precisava de um banho. Um banho urgente.

 Naruto desesperado correu para o outro lado da cama, estava já no limite.

-Essa foi por pouco!- Suspirou levando as mãos bronzeadas ao rosto, levantou-se pegando a camisa de Sasuke que estava jogada no chão e vestiu-a. Ocultando sua nudez. Sentou a cama, fechou os olhos e se permitiu chorar. Havia perdido sua mãe, e nem pode se despedir direito. Caminhou até a sacada do quarto, escorando-se a mureta olhou a lua. Sentiu as lagrimas transbordarem seus olhos, e deslizar pelo seu rosto alcançando a linha do maxilar e atingindo o chão.

-Desculpa!- Ouviu a voz de Sasuke, e o fitou.

-Desculpar te?- Perguntou confuso, apesar de inteligente e idiota Naruto as vezes era lento, ou apenas desligado mesmo. -Pelo que?- Olhou o Uchiha os olhos negros estavam vazios, as veias estavam a mostra em seus olhos denunciando o choro recente. O nariz acompanhado das bochechas coradas, o Uchiha estava destruído, porém fofo, estranhamente Naruto achou o moreno fofo por aparentar-se tão vulneravel.

-Por te-la matado!- Sua voz era rouca. Mas não um rouco sedutor, era um rouco dolorido.

 Naruto se aproximou rapidamente e sem que o moreno nem percebesse o abraçou... era um abraço carinhoso, que dizia que a culpa de tudo não era dele, e que ele não precisava carregar esse peso que não lhe pertencia. Porém também era um abraço de calor, de amor e afeto, era o abraço que o Uchiha desejava todas as vezes que bateu, xingou ou destratou a figura a sua frente. 

-Eu não te culpo, por algo que não foi sua culpa!- Apesar de o loiro ser quem precisava de consolo e afeto naquele momento, era ele quem o estava fazendo, apesar de parecer forte, inabalável, e imbatível, o loiro sabia que o moreno não o era, e essa atitude só mostrava isso, o verdadeiro eu dele... aquele que ele escondia em baixo das grossas camadas de arrogância, prepotência e cinismo. 

 Esse era o verdadeiro eu de Sasuke, e Naruto o estava conhecendo. 

 Sasuke meio acanhado retribuiu o abraço, envolvendo o corpo diminuto e o acolhendo assim como ele o acolhia.

- Mas foi minha...- O loiro o interrompeu, não permitiria que o moreno continuasse com isso, apesar de ter feito o que fez, Sasuke não era culpado por isso, não por isso.

 O Uchiha ficou estático, arregalou os olhos, isso estava mesmo acontecendo? Sentia uma leve pressão dos lábios macios do menor, contra os seus.

 Naruto...

 Naruto o estava...

 Beijando.

 Meio demorado, quando sentiu aquela pressão calorosa se dissipar, e o calor ameaçar se afastar, o moreno demonstrou reação, segurou a cintura fina do outro e o puxou para si tomando seus lábios com necessidade, em um beijo bruto e com dentes, o que fez o loiro dar uma risadinha, antes de enlaçar o pescoço do maior com carinho e ditar um ritmo mais calmo. Sasuke, levou uma de suas mãos em direção a nuca do loiro, aprofundando o beijo. 

 Sentia seu coração disparado, um frio na barriga, e um formigamento no baixo ventre, estava nas nuvens. Os lábios do loiro se encaixavam suavemente nos seus, pareciam ser feitos sob medida para si, um encaixe gracioso... O sabor, ah o sabor, era tão bom, o doce mais doce que já provara, e o doce mais gostoso que já degustara, e apesar de odiar coisas doces, aqueles lábios, ele amara, e se pudesse jamais pararia de degustar, aquilo que a muito ele desejava.

 Seu mundo girava devagar. Como em câmera lenta, um momento magico interrompido pela necessidade de respirar.

 Fitou o menor, tão adorável, tão doce, meigo, nunca pensou que gostaria dessas qualidades que na opinião dele era enjoativa.

 Os olhos azuis brilhavam em expectativa, desejo e algo mais, os lábios vermelhos entreabertos, o adorável tom rosa das bochechas magras, levou a mão, que repousava na cintura do loiro, a bochecha acariciando as marcas adoráveis, e adorou o leve ronronar que escapou pelos lábios sedosos de seu amante.

 Estava encantado pela beleza adorável, se fosse um pouco mais radical diria que aos poucos se descobria apaixonado, apaixonado por Uzumaki Naruto.

 Se aproximou com sutilidade tomando mais uma vez os lábios róseos para si, lá podia ver a lua majestosa no céu e as estreLas de prontidão, entre quatro paredes, com a porta trancada e as luzes desligadas, Sasuke se sentiu tentado a tomar para si o corpo do Uzumaki. Porém não podia, não podia fazer isso quando ele confiava em si, quando havia sido o pivô da morte da mãe dele, não podia simplesmente ignorar os fatos que os levaram até ali, e que o acusava de algo tão cruel, realmente Sasuke estava amando... porém infelizmente ele descobriu isso tarde demais, e talvez não houvesse mais chances para descobrir se era correspondido.

 Sentiu-se ser puxado em direção a cama, estavam nervosos, a única melodia que fazia a trilha sonora daquela noite era a melodia dos corações batendo em união, e ritmo, rápido, e descompassado, como se fossem somente um.

 Roupas jaziam no chão, não que houvesse muitas para se livrar visto que Naruto portava apenas a camisa do moreno, o que ficava bem um vestido no corpo magro agora nu. 

 Suas bochechas marcadas estavam rosadas enquanto era minuciosamente analisado pelo olhar lascivo e penetrante do de tez pálida. Tentou levar suas mãos para esconder sua intimidade, porém foi impedido pelas mão do jogados de basquete.

-Não!- Ordenou calmo.- Deixe me admirá-lo!- Sussurrou vendo o rosto bronzeado tingir-se de cinquenta tons de vermelho diferente. E as orelhas abaixarem em timidez.

 Adorável, completamente adorável era aquela imagem de inocência, era um ser tão pecaminoso por desejar toca-lo e tomar dele a pureza, pelo menos a seu ver.

 Se aproximou do loiro beijando-lhe os lábios um pouco inchados, em seguida o maxilar fino, o pescoço delgado, deixando diversas marcas, não que pudesse ver no dia seguinte, afinal os pelos do animal cobririam.

 Beijou-lhe a clavícula, deixando diversas marcas naquele que ali lhe pertencia.

 Beijou o peito liso e magro, e soprou sobre um dos mamilos róseos, vendo os pelinhos loiros ficarem arrepiados, atacou, sendo agraciado e instigado pelo som dos gemidos baixos, tímidos e contidos do seu gatinho.

 Provou e aproveitou daqueles botões cor de rosa, Naruto estava perdido... havia se esquecido de tudo ao seu redor se concentrando apenas nos lábios finos do mais velho, que lhe davam um prazer indescritível apenas chupando seus mamilos.

 Se arrepiou inteiro ao sentir os dedos longos deslizar por seu falo rijo, doía, como doía, e aquele idiota não fazia nada só ficava admirando o corpo completamente exposto e entregue do mais novo.

 Sasuke apesar de ansioso estava em dúvida, seu membro estava dolorido, e suas veias parecia queimar fogo puro, olha-lo tão de perto tão exposto para si, parecia um sonho, um sonho estranho, mas um sonho. Envolveu o membro do menor em sua palma o masturbando lentamente. Ouvindo a melodia sôfrega que saia dos lábios volumosos do Uzumaki.

- Te-Teme!- Gemeu baixinho.- Vai logo!- Sussurrou de olhos fechados, seu corpo clamava pelo do Uchiha e achava uma tremenda injustiça ele estar nu enquanto o Uchiha ainda portava a calça jeans, mas sabia ele que tudo isso era para se controlar, para não ceder a um desejo primitivo, pois não queria que a primeira vez deles fosse assim.

-Tem certeza?- O moreno o olhou com apreensão em seu olhar, e o corado Uzumaki o fitou com um dos olhos fechados, a mão que lhe masturbava lentamente estava fodidamente gostosa, porém... ele queria mais, mais, mais... mais de Sasuke, seu corpo gritava, clamava e queimava, para se tornar logo um com seu dono, seu anel de pregas piscava em antecipação, por essa razão sem medo ou receio concordou com a cabeça soando mais desesperado do que desejava. 

 Naruto apesar de saber como Sasuke era, confiava nele, e sabia que o moreno cuidaria de si-afinal ele já vinha fazendo isso recentemente- e não lhe machucaria.

 O moreno levou dos de seus dedos a boca do loiro, e sentiu seu membro vibrar ao sentir as sucções dos lábios avermelhados, se demorasse mais acabaria tendo um orgasmo sem nem se tocar.

 Sasuke respirou fundo, e voltou a beija-lo, tomou o falo do loiro em uma de suas mãos, enquanto a outra buscava o anel do Uzumaki.

 Naruto sentiu um tremor e um tensão pairar em seu corpo ao sentir um dos dedos úmidos por sua saliva pressionar um local tão íntimo.

 Agarrou os ombros largos, pálidos e desnudos do Uchiha, cravando neles suas garras, ao sentir o primeiro dedo penetrar lhe, não doía, mais era incomodo, era bem desconfortável, porém tal sensação foi sumida ao sentir os lábios possessivos do Uchiha lhe marcando.

 Sasuke ao sentir o outro mais relaxado em seus braços, adentrou o segundo dedo, acelerando os movimentos no membro do Uzumaki. Naruto sentia seu corpo uma bomba de sensações incomodo, dor, excitação... prazer. Era como estar em uma montanha russa, e queria mais muito mais dela.

 Rebolou nos três dedos que o preparavam, apesar de bom o carinho que recebia dos dedos longos do Uchiha o loiro que mais muito mais...

-Tem certeza?- Sasuke perguntou mais uma vez somente para ter certeza que o outro igual a si desejava por aquilo.

-Sim...- O outro disse convicto.- Eu quero Sasuke, eu te quero dentro de mim!- Murmurou manhoso e o Uchiha suspirou ao sentir o hálito quente contra a pele fria de seu pescoço.

-Fica de quatro!- O moreno ordenou saindo de cima do loiro, que prontamente o atendeu, revelando o anel rosado cheio de pregas, que piscava em ansiedade.

 Sasuke com agilidade removeu o resto de suas roupas, se aproximando do garoto de quatro que balançava a calda com animo, encostou suas coxas nas do mais novo, vendo o soltar um suspiro, coisa que Sasuke havia reprimido, amara sentir a pele do outro em contado com a sua.

 Se posicionou atrás do loiro, umedeceu seu membro com sua saliva e forçou sua entrada...nossa... era apertado como era apertado. O mais velho sentia a cabeça de seu membro se esmagada.

 Aquilo doía, era grande e certamente bem mais grosso que os dedos, sentiu uma mão em seu membro os massageando e aos poucos a extensão adentrando a cavidade anal do loiro. 

 Sasuke suspirou reprimindo fortemente a vontade de se retirar todo e voltar a investir com força, porém não podia ser assim a pessoa a baixo de si não era um qualquer.

 Ficou estagnado dentro do loiro sentindo apenas o envolver firme das paredes de seu dobe, porém, a sutil rebolada que o loiro deu, fez o moreno perder completamente a sanidade, retirou-se quase totalmente voltando com força, e ouvindo um baixo gemido manhoso do loiro. Segurou a cauda felpuda do gato e massageou-a, sentindo o tremer em si e gemer descontrolado, sorriu maliciosamente e voltou a massagear o interior do loiro com seu membro e a calda dourada com suas mãos.

 O loiro sentia espasmos vindo, o duplo estimulo que estava recebendo o estava enlouquecendo, o Uchiha era malditamente bom do que fazia, e o loiro se sentia cada vez mais próximo ao seu orgasmo, levou uma de suas mãos ao seu abandonado falo, porém foi impedido moreno, mais uma vez.

-Você vai gozar somente comigo te fodendo!- Sussurrou malicioso, e o loiro choramingou, queria, não, ele precisava gozar, seu membro clamava, quase teve um surto ao sentir um ponto dentro de si ser acertado. Sua cauda balançou no ar, esfregando-se brevemente ao rosto do Uchiha que segurou com força o quinto membro felpudo que quase o fez espirrar. 

 Aquela pegada com força em um membro tão erógeno, fez o loiro tremer brevemente antes de ter um intenso orgasmo. Que foi anunciado por um longo gemido manhoso.

 Naruto de fato era um gato manhoso...

 Sasuke ao sentir seu membro ser esmagado pelas contrações do loiro gemeu estrangulado.

-E-Eu vo-vou...- Suas palavras estavam incoerentes devido aos gemidos, porém fora o suficiente para o loiro intender que o Uchiha já estava em seu máximo.

-Dentro!- Gemeu o Uzumaki em uma ordem. E o moreno acatou com prazer, ao sentir um espasmo mais forte, e vim em jatos no interior aveludado do seu dobe.

- Eu... acho... que gosto... de você!- Confidenciou o moreno puxando o corpo tremulo e suado do menor para deita-lo em seu peito.

-Eu...- O loiro parecia receoso, e suas bochechas estavam quentes.- Acho que também gosto de você!- Retorquiu olhando os olhos ébanos, que possuíam um sorriso verdadeiro espelhado pela face de tez pálida, que acabou refletindo na face delgada de tez dourada. 

Sasuke com um sorriso concluiu:

-Se estiveres quebrado...- Ele beijou os lábios avermelhado pela ação recente.-... Eu o concertarei!

 E pela primeira vez em anos Sasuke dormiu realmente feliz na mesma cama com alguém que gostava. 

 E pela primeira vez, Sasuke não transou, ele fez amor.

 

 


Notas Finais


Perdoem os erros que passaram, mas XD perceberam o pq de eu ter xonado nesse cap aki? lemonnn, nn so boa em notas finais mesmo u.u. kk mas woo, o kurama eh meio... desatento nn?
#SasuNaru!
#Riyuu-Naym e # DMeryt


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...