História Maseukeu Dwie ; Kookmin - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bipolaridade, Jeonlous, Jikook, Killerjk, Kookmin, Psicopata, Vhope
Visualizações 73
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus leitores, como sempre, desculpem os erros

Ficou meio curto esse, desculpem

Capítulo 6 - ! E ! e !


Maseukeu Dwie 

2014

Passamos por tantos e tantos lugares, subimos várias escadas --pois eram muitas pessoas para usarem o elevador --, andamos para lá e para cá de sala em sala, estou exausto e minhas pernas doem, ficamos literalmente a tarde toda caminhando.

Durante esse longo dia, uns bons momentos ocorreram, tipo, quando a Seulgi passava por mim e eu podia sentir seu perfume maravilhoso novamente e teve até uma hora em que ela esbarrou sua mão na minha e eu pude sentir o quanto sua pele é macia.

Ouvi algumas batidas na porta me libertando dos meus pensamentos, eu tinha me distraído tanto que nem notei que estava sentado na minha cama encarando a parede branca com aquela TV que parecia ser caríssima. Novamente as batidas e como eu estava morrendo de preguiça de ir até a porta , apenas gritei um "Tá aberta, pode entrar".

Ignorei a presença ali e peguei o livro que estava ao meu lado que eu pretendia ler antes de mergulhar de cabeça em meus pensamentos, coloquei meus óculos redondos que tanto amo e passei a ler da página que eu havia deixado o marcador vermelho. Provavelmente era o Taehyung -- já que ele não estava no quarto ainda --, só não entendi o motivo dele bater na porta já que mesmo se estivesse trancada ele tem a chave.

- Ahm... Jimin? -- Ouço a voz chamar meu nome e estranho, não era Taehyung pois sua voz era extremamente grossa e aquela chegava a ser até um tanto afeminada.

Olhei de relance por cima do livro e arregalei os olhos deixando o livro de lado quando o vi. Ajeitei-me na cama sentando-me com as pernas em formato de "W" tirando rapidamente os óculos e colocando as mãos sobre os joelhos.

- Ah, você... O que faz aqui? -- Pergunto calmo.

- Oh desculpe... Eu estou incomodando sua leitura?  Eu posso sair e...

- Não, não! -- O interrompi antes que prosseguisse - Não está me incomodando, mas, aconteceu alguma coisa?

- Não nada... Eu só pensei que... Ah deixa não é importante. -- Ele mexia a boca ainda fechada, fazendo uns pequenos biquinhos de vez em quando, enquanto olhava fixamente para o chão.

- Ah agora você vai me dizer Jeon Jungkook! -- Me olhou surpreso ficando com uma expressão desentendida. - Eu ouvi seu nome da hora das distribuições de sala ok? Agora me diz logo!

- Bem... Eu só queria saber se você queria ficar comigo no intervalo sabe... Pra gente se conhecer melhor, nos tornamos amigos... Mas só se você quiser é claro não quero te forçar a nada -- Ele parecia um tanto nervoso.

- Hey Jungkook calma! -- Ele parou de falar e pois-se a me encarar - Em que local a gente se encontra? -- Sorri amigavelmente e vi ele fazer o mesmo timidamente, ah aqueles dentes são tão fofos.

 

 

Depois que o Jungkook saiu, não demorou muito para o Taehyung chegar e apesar de curioso sobre onde ele estava até agora, eu apenas continuei a ler o meu livro ignorando totalmente a sua presença ali.

Estava tentando o ignorar mas o infeliz resolveu de trocar de roupa bem na minha frente, era no mínimo um tanto constrangedor.

- Existe algo chamado banheiro, sábia? -- Ergui mais o livro e o aproximei para tapar toda a minha visão.

- Sabia, mas o que é que tem? -- Continuou livrando-se das peças de roupa.

- Vá se trocar lá, não sou obrigado a olhar isso.

Ele simplesmente riu e continuou a se trocar, agora finalmente vestindo a outra roupa. - É só parar de babar em mim. -- Disse brincalhão antes de começar a rir novamente.

Peguei o travesseiro ao meu lado e joguei nele, eu amo fazer isso quando ele me irrita. Mas o que eu não esperava era ele se jogando em cima de mim enquanto me fazia cócegas. 

- S-Sai! S-Sai de cima de mim! -- Eu não conseguia nem falar direito de tanto rir.

- Tell me, Tell me, Te-Te-Tell Me! -- Começou a cantar igual um retardado enquanto fazia cócegas em mim.

- Ch... Aah! C-Chega! -- Eu parecia uma minhoca me contorcendo. - Taehyung! -- Gritei ainda rindo.

Ele parou de fazer cócegas mas continuou sentado em cima de mim rindo fraco e eu podia admirar aquele sorriso quadrado desde a primeira vez que nos vimos, não podia negar, ele era incrivelmente bonito, acho que já disse isso, mas ele e o Jungkook são realmente parecidos. 

- Você deveria sorrir mais vezes Jimin, sua carranca até que é bonitinha mas seu sorriso é maravilhoso. -- Se eu estava constrangido? Ah só... muito.

- Sai de cima de mim. - O empurrei sorrindo fraco.

Ele levantou-se rindo enquanto caminha com aquele sorrisinho vitorioso nos lábios, esse debochado.

Levantei-me também pois já estava cansado de ficar lendo -- sim, cansado de ficar sentado ali sem fazer nada, apenas ler -- , fui em direção ao meu guarda-roupas e peguei um pijama parecido com aquele outro e também a roupa de baixo e fui para o meu banheiro para tomar um banho pela segunda vez naquele dia e me livrar do cansaço que predominava o meu corpo.

Sai do banheiro já vestido com meu pijama. Secava meus cabelos ainda úmidos com a toalha quando fui surpreendido pelo barulho da televisão, tiro a toalha da frente e a jogo no cesto se roupas sujas -- que havia no canto do quarto próximo ao banheiro -- e passo a encarar a TV gigante ali na parede em frente as camas.

Não entendo muito bem e então me jogo na minha cama cobrindo-me com aquelas cobertas quentinhas, não estava tão frio mas o ar estava meio gélido. Taehyung me perguntou se poderia desligar as luzes e eu confirmei, em seguida assim ele o fez.

- Não se incomoda com a TV ligada, não é? Eu posso desligar se quiser. -- Disse já segurando o controle em mãos.

- Não, não, não! Tá tudo bem eu quero assistir com você. Mas eu não entendi sobre o que é. -- Me ajeitei na cama de uma maneira confortável e vi o outro fazendo o mesmo.

- Oh, é um filme sobre suspense, casos policiais, crimes, essas coisas. Eu amo muito esse gênero, em que você meio que tem que adivinhar o que vai acontecer. Eu sempre quis ser detetive, acho que em alguma outra linha temporal eu sou um detetive ou algo parecido.

- Que diferença grande de detetive para músico. -- Ri baixinho. - Sabe, eu sempre quis ser cantor, mas no fundo eu queria ser um secretário de um detetive ou delegado, devia ser demais! Por esse motivo eu me empenhei em aprender sobre a tecnologia e essas coisas. Mas acho que esse negócio que você disse sobre linha temporal não existe.

Começamos a debater sobre o assunto que até tínhamos esquecido completamente do filme. Quando terminou eu fiquei morrendo de raiva do Taehyung pois ele acertou quem tinha assassinado sei lá quem, eu sequer pensei naquela personagem, e olha que eu escolho os mais improváveis, pois é sempre assim nesses tipos de filme, o assassino sempre é quem você menos suspeita.

Ele desligou a TV e o quarto ficou totalmente escuro, porém ambos continuamos a conversar sobre o assunto de "outra linha temporal".

- Mas, isso não faz o menor sentido. Como eu posso estar aqui e em outro local, outra década, outro mundo ao mesmo tempo? 

- Olha Jimin, um exemplo é " O Juízo Final" , ele tenta nos transmitir as ideias acerca de dois distintos universos paralelos coexistentes, sendo eles: O Universo Físico e O Espiritual. Você já deve ter ouvido falar de "Efeito Borboleta", que é chamada a ideia de que um simples bater das asas de uma borboleta pode, por mais simples que isso possa parecer, provocar um tornado em uma parte do mundo. A outra linha do tempo uma realidade auto-contida em separado, coexistindo com a nossa própria. Esta realidade em separado pode variar em tamanho de uma pequena região geográfica até um novo e completo universo, ou vários universos formando um multiverso. O  termo "universo paralelo" implica outra dimensão que pode ser parecida com a nossa, com possibilidade de existir outras pessoas iguais a existentes neste universo. Conceitualmente podem existir infinitos "universos paralelos", sendo que em cada um desse universo paralelo, as pessoas podem ter uma vida muito parecida ou muito diferente do que estamos acostumados no universo que habitamos. Por exemplo, se eu voltasse ao passado e talvez sei lá, não tivesse chutado aquela pedrinha na rua, eu não estivesse falando contigo agora.

Eu estava sem argumentos, na verdade estava sem palavras, apesar de não acreditar muito nessas coisa e ter ficado um pouco confuso, Taehyung me convenceu um pouco de que isso existe, se ele explicasse que há coelhos na lua da mesma forma que ele explicou isso eu acreditaria sem pensar duas vezes.

- Queria ser inteligente como você... -- Apenas suspirei desviando um pouco do assunto e virei-me para o outro lado tentando achar uma posição confortável para dormir.

- É tudo uma questão de estudo Jimin, e eu nem sou tão inteligente assim, apenas gosto de ler uns bons livros. Se você fizer o mesmo também vai ser inteligente, como você diz que eu sou.

- É... Talvez. Taehyung. -- Chamei-o.

- Quantos anos você tem? -- Mudo totalmente de assunto.

- Vinte e você? -- Apenas resolveu entrar no assunto.

- Sério? Eu também! Achei que você fosse meu Hyung por ser mais alto. -- Estava incrédulo.

Ele deu um risinho. - Todo mundo é mais alto que você, hyung, até o Jungkook que tem só dezoito anos.

- Ah...

- Boa noite ChimChim Hyung. -- Senti minhas bochechas ficarem mais quentes por causa do apelido, minha mãe era a única que costumava a me chamar assim.

- Boa noite Taehyung.

Depois disso um silêncio se fez presente no quarto, apenas o barulho da cama se mexendo, provavelmente ele estava se ajeitando também. Fechei meus olhos pensando em toda aquela história e acabei ficando sonolento, amanha será um grande dia também.

 


Notas Finais


Referencia? Talvez rsrs
Ai ai.. Queria tanto que algumas pessoas superarem Dope e passassem a ler essa </3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...