História Maseukeu Dwie - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bipolaridade, Boyband, Ciumes Doentio, Flex, Kookmin, Lemon, Musica, Namjin, Psicopata, Suspense, Tortura, Vhope, Yaoi, Yoonjin
Visualizações 296
Palavras 1.584
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - ! F ! f !


 

N/A: Oi meu leitores maravilhosos, por favor não me ignore! Eu sei que existe uma coisa chamada "notas" mas, sei que muitas pessoas não leem então né. Bom, direto ao assunto. Recentemente o BTS lançou uma mini-série chamada Love Yourself, certo? Então a teoria que está rondando é de que o Jin voltou no tempo e teve um efeito borboleta, certo? Enfim, eu vi algumas pessoas comentando sobre e recebi mensagens perguntando se eu fazia algum pacto com satanás, pois eu postei o capitulo anterior que fala justamente sobre efeito borboleta só que bem antes das séries serem lançadas, que Déjà vu né? Então... Eu não faço pacto com o demônio ok? Bom capitulo! 

 

Maseukeu Dwie

2014

 

Tomo um susto quando sinto a cama ficar pesada, estava com medo porém fingia ainda dormir, a minha respiração estava descompassada e eu tremia enquanto soava frio.

Um vento gélido passa por meu corpo arrepiei-me totalmente e a sensação de formigamento em meu couro cabeludo e meu corpo aumentava, medo, eu estava com muito medo.

- Jiminnie Hyung... -- Quem quer que fosse que estava ao meu lado, sussurrou meu nome e aquilo bastou para que eu ligasse o abajur.

Olhei rapidamente para o lado e deu um grito fino tampando a boca logo em seguida, era Jeon Jungkook, sentado na beirada da minha cama me olhando, seu cabelo estava todo bagunçado e sua cara um pouco amassada.

- Jungkook você me assustou! -- Sussurrei entre dentes para o outro. - Eu devia te bater! Mas, o que você faz aqui a uma hora dessas? 

- Estou com medo Hyung. -- Me sento na cama agora coçando meus olhos olhando no despertador, eram três horas da manhã.

- Medo por quê? Além disso não faz sentido você ter vindo até aqui por causa de medo. Você tem seu colega de quarto e, se estivesse realmente com medo, não teria vindo até aqui sozinho. -- Arqueei uma sobrancelha desconfiado.

- Ah Hyung, eu estou justamente com medo do meu companheiro de quarto! 

- Hã como assim? -- Pergunto confuso.

- Ele é mal! Muito mal! Seu rosto me da medo. Aqueles olhos... -- Ele se gruda em mim me abraçando fortemente.

- Pare de exagerar Jungkook! Não se deve falar assim dos outros.

- Mas é verdade Hyung! Eu posso provar, mas é perigoso! Não quero que se machuque, se algo acontecesse com você eu não sei o que eu faria. -- Ele me apertou mais ainda no abraço e eu apenas revirei  os olhos.

- Para de drama Jeon. Vamos logo ver isso pra você me deixar em paz logo. -- Bufo chutando a coberta de cima de mim e sentando na cama um pouco tonto.

Calço qualquer sapato que estava ali por perto no momento e encaro a cama de Taehyung, ele sequer se mexeu desde essa confusão toda, não dava para vê-lo direito mas sabia que estava ali pelo volume que estava as cobertas.

Levanto-me então agarrando o pulso do Jungkook e o puxando para fora do quarto, mas antes desliguei o abajur. Saio pelo corredor levando o mais novo até que paro pois eu não sabia que caminho seguir, ele pareceu entender e então me guiou até onde supostamente seria o seu quarto. 

Eu já estava ficando cansado de correr aquelas escadas -- já que o elevador estava desligado --, parecia que não tinha mais fim. Depois de algum tempo, eu já estava ficando quase sem ar de tanto correr e ele parou em frente a uma porta. A mesma estava com o número um, o que não fazia o menor sentido pois creio que estávamos no último andar pelo tanto de escada que subimos, apenas ignorei, os números deviam ter caído ou algo assim.

Entrei no cômodo e fiquei confuso, era algo como um sótão velho guardando decorações de Halloween. Havia uns fantasmas de lençol e zumbis robóticos mal feitos, o que me fez rir soprado.

- Jungkook, acho que você se enganou de quarto. -- O castanho fechou a porta atrás de mim e apenas me encarou em silêncio, ele apenas balançou a cabeça negativamente e apontou para a única porta que havia no local além da que entramos.

Encarei a porta estranha de madeira com o número dois, acho que o quarto dele era passando por aquela porta. Apenas dei os ombros e fui passando pelas falsas teias de aranha com um semblante entediado e parei em frente a porta. Girei a maçaneta abrindo aquela porta e logo uma névoa saiu da mesma me fazendo tossir.

Agora eu acho que entendi, o colega de quarto de Jungkook provavelmente era um drogado maluco, realmente só por essa fumaça eu já senti o medo do mais alto de ficar cara a cara com esse garoto. Mas apenas dei os ombros, já lidei com várias pessoas desse tipo, porém quando entrei no quarto senti alguém tapando minha boca e nariz com um pano, depois disso eu só vi escuro.

 

 

Dou um pulo na cama sentando-me rapidamente na mesma, eu soava frio enquanto hiperventilava. Demorei para me acostumar com o local, minha visão estava embaçada então cocei meus olhos em uma tentativa falha de recuperar a visão.

Sentei-me de lado na cama calçando umas pantufas que o Taehyung havia me emprestado e levantei-me. Minhas pernas tremeram de fraqueza e eu iria esborrachar-me ao chão se não tivesse segurado na mesinha-de-cabeceira. Minha cabeça latejava e parecia que iria explodir a qualquer momento.

Fui tateando tudo o que estava em minha frente para não cair enquanto caminhava em direção ao banheiro. Parei em frente a pia e liguei a torneira jogando a água fria no meu rosto o lavando e para ver se acordava de vez. Me encarei no espelho, minha aparência estava péssima, com olheiras e eu parecia um zumbi, mas o que não saia da minha cabeça no momento era: Foi tudo a porra de um sonho?

Dei os ombros então escovando os dentes, depois enxugando minha mão e rosto na toalha. Fui até o quarto agora caminhando normalmente e avistei o relógio, eram cinco e meia da manhã ainda, até o Taehyung estava dormindo.

Acabei por decidindo arrumar-me e ir comer alguma coisa na cafeteria do prédio, eu soube que tem uma pois passamos por lá ontem na nossa visita, a professora diz que é um local público onde alunos e funcionários podem comer a vontade. Visto-me com uma roupa qualquer e coloco a blusa da Gucci que o Taehyung me deu, eu realmente amei aquela mas não somente pelo fato de ser caríssima.

Arrumei meu cabelo e olhei para o relógio, seis e vinte cinco, eu realmente demoro muito para me arrumar. Saí do quarto fechando a porta com cuidado para não acordar o outro e fui em direção ao elevador entrando no mesmo. Olhei para mim mesmo no espelho do local e fiquei me encarando, estava com uma sensação estranha e acabei por me lembrar do sonho, parecia tão real além de que eu sentia as coisas que estavam acontecendo.

Fui desperto dos meus pensamentos com o barulho do elevador, aquele barulho sempre me trazia uma sensação de Déjà Vu. Saio do elevador chegando a recepção agora indo em direção ao corredor que iria para os fundos onde ficava a tal cafeteria.

Olhei para o pátio grande lá com algumas mesas espalhadas por todo o local e lá atrás estava o meu destino, caminhei até lá empurrando a porta e ouvindo o sininho que simbolizava a entrada de um novo cliente. Estava quase vazio, havia somente um garoto encapuzado sentado em uma mesa no canto, estava de costas para mim então não pude vê-lo.

Fui até a balconista que me atendeu gentilmente e fiz o meu pedido. - Um macchiato de caramelo, por favor.

Ela acenou com a cabeça anotando e então procurei uma mesa boa para sentar, haviam várias e várias cadeiras vagas mas um lugar me chamou a atenção: a frente daquele garoto encapuzado.

Eu sou o tipo de pessoa que tem curiosidade em tudo, algumas conseguem controlar e apenas são curiosas em silêncio, tem as curiosas que exageram nas perguntas e tem eu, o que pode perseguir uma pessoa até o outro lado do mundo para descobrir algo. Eu realmente queria saber quem era ele mesmo que não fosse mudar em nada na minha vida.

Caminhei suavemente em direção aquela mesa, como um felino caça a sua presa. Parei em frente a mesa segurando a cadeira olhando para o rosto da pessoa, mas não foi possível pois ela estava cabisbaixa e o capuz ainda me impedia de vê-lo.

- Com licença? Eu sei que há várias mesas por aqui mas... Posso me sentar com você? -- Apertei as 'costas' da cadeira em minhas mãos, estava nervoso e levemente arrependido. - Mas se for atrapalhar eu posso escolher outro lugar sem problemas.

Ele estendeu a mão para a cadeira sem dizer nada, como se pedisse para eu sentar e eu apenas o fiz agradecendo. - Os seus pedidos senhores. -- A moça coloca os pedidos de cada um na mesa e ambos agradecemos, mas o outro agradece apenas curvando-se.

Eu peguei uma colher pegando um pouco da espuma do Macchiato e levanto até a boca, mas quando ergui meu olhar arregalei tanto os olhos que pareciam que eles iriam sair fora da minha órbita ocular. A pessoa havia tirado o capuz e eu não pude acreditar em quem era, eu devia estar dormindo ainda, alguém me belisca por favor?


Notas Finais


Façam suas aposta em quem é :33

Amo vcs meus chuchu
Nao sejam fantasminhas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...