História Massacre da Escola Gregory Sullivan - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Escola, Horror, Morte, Terror
Exibições 5
Palavras 922
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 2 - Depoimento 02 - Larissa Finch -


A aluna Larissa Finch, do terceiro ano do ensino médio, sobreviveu ao massacre da escola Gregory Sullivan e em depoimento a policia contou com detalhes o que viu.

As próximas palavras foram ditas pela aluna, não houve mudanças no que foi dito. Atenção, o que você vai ler, é algo realmente perturbador, esteja preparado(a)

Larissa Finch

Sabe quando você prescente que algo não está certo? Eu senti isso naquele dia, logo quando acordei. Senti uma presença de alguém ou alguma coisa perto de mim, uma sensação horrível, mas ignorei por completo, o ano estava acabando e eu não queria faltar na escola, era praticamente a última semana de aula e eu queria estar perto dos meus amigos.

Eu trabalhava em uma loja de roupas no centro da cidade, de segunda a sexta, e quando eles chamavam aos fins de semana. Naquele dia, minha chefe pediu para que eu ficasse até mais tarde na loja, pois o aumento de clientes estava grande, porém eu disse que não podia, que precisava ir para a escola.

Quando deu meu horário, fui para casa, tomar banho, jantar e depois partir para a escola, minha mãe me abraçou mais forte nesse dia, não sei se isso é apenas um efeito psicológico, mas eu creio que não. Ela também sentia que algo iria acontecer...

Cheguei na escola cedo, como sempre acontecia, eu e minha melhor amiga Gabriela sempre chegavamos cedo para conversar melhor.

Fomos para a nossa sala, onde já estavam a Nathalie, Victor e Juliane. No momento em que entramos, Victor e Juliane estavam se beijando, eles ficaram envergonhados com isso. Gabriela e Nathalie riram.

Não achei engraçado porque eu ainda achava que Matthew e Juliane estavm juntos...

Gustavo e Erick logo chegaram para se juntarem comigo e com Gabie. Nós quatro éramos inseparáveis.

Quando bateu o sinal, a sala já estava bem cheia, e a professora de socilogia já tinha entrado. Observei Marcelo conversar com a professora sobre alguma coisa que eu não tinha entendido, mas depois da conversa, ela, Marcelo, Matthew, Jhonatan e Gabriel saíram da sala. Nesse momento, quando a sala já estava sem a presença autoritária da professora, Deborah e Lara (duas alunas isoladas da sala) saíram, assim do nada.

A professora voltou para a sala dizendo que não iria passar nada, pois estava ocupada demais e então desapareceu novamente.

Ficamos conversando algum tempo antes de escutarmos o primeiro tiro. Depois o segundo, terceiro e quarto. A sala entrou em pânico e alguns alunos saíram correndo da sala, outros se perguntavam o que estava acontecendo. Laura, Carol e Sophia foram as que saíram, algum tempo depois, Sophia voltou correndo, chorando dizendo que havia corpos pelo chão da escola. Ela fechou a porta e nos trancou dentro da sala.

E então começou um pânico generalizado, quem estava na sala começou a gritar, chorar. Era desesperador, porém, o momento mais deseperador ainda não havia acontecido ainda...

Escutamos um tiro muito forte contra a porta, depois a porta se abriu facilmente, um homem de cabelos cacheados, barba bem feita e olhos verdes entra na sala, armado. Ele está chorando, mas eu garanto que era de raiva. Havia sangue em seu rosto. "Onde está ele?!" o atirador gritava, "Onde está ele?!". Ninguém o respondeu, nem mesmo eu, que era a única que o encarava. Ele me olhou nos olhos e depois em volta e escolheu a sua vitíma.

Disparou a arma contra a barriga de Nathalie que caiu no chão, o atirador se aproximou dela e atirou mais algumas vezes. Foi quando eu percebi que Sophia havia corrido para fora da sala, e eu me toquei que também precisava fazer isso.

Eu, Gabriela, Gustavo e Erick corremos o mais rápido possivel. Juliane e Victor foram os únicos que ficaram na sala com o atirador. Ouvi mais tiros e depois ele veio atrás de nós quatro.

Sophia não estava mentindo quando disse que havia corpos pela a escola. Tinha dois corpos na escadaria, e um pouco mais a frente o corpo de uma garota, escuto mais um tiro e o corpo de Erick caí ao chão. Ele ainda estava atrás de nós.

"Onde está ele?!"

E então ele acertou Gabriela, minha melhor amiga havia sido atingida com um tiro que ela nem viu de onde veio. Senti minhas pernas ficaram fracas e caí ao chão. Pude avistar, a alguns metros a saída da escola, Gustavo conseguiu escapar ileso. Olhei para trás e Gabie estava realmente morta.

O atirador chegou me alcançou e puxou-me pelos cabelos até perto da minha amiga e longe o bastante da saída. "Onde ele esta?!", continuava a gritar.

"Eu não sei" - respondia

"Cadê aquele merda!"

Foi quando ele largou o meu cabelo e eu caí por completo no chão, e então achei que iria morrer nessa hora. Ao lado do corpo de Gabriela... Mas ele me matou. Depois disso eu apaguei.

Larissa Finch foi encontrada pelos policiais desarcordada e sangrando, ela levou um tiro e hoje se encontra em um hospital particular. Os médicos dizem que ela tem poucas chances de voltar a andar. A mãe de Larissa diz que foi um milagre a filha ter sobrevivido. "Foi uma benção de Deus", declarou a mãe.

Após o ataque a Larissa, o atirador subiu a escadaria ao encontro das pessoas que estavam no segundo andar.

O atirador, de acordo com a policia, era Lukas Smith, de 21 anos. E em uma pesquisa rápida por suas redes sociais, descobriu-se que ele era amigo de Matthew Ribeir e Carol Gianjácomo. Ainda não se sabe ao certo o motivo de ato tão cruel e desumano.


Notas Finais


Obrigado por ler mais este capitulo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...