História Masterpiece - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Rowan Blanchard, Selena Gomez
Tags Drama, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez
Visualizações 326
Palavras 2.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Peço que olhem as notas finais após ler!
Boa leitura, galera.

Capítulo 7 - Eu estou aqui e é para ficar.


Fanfic / Fanfiction Masterpiece - Capítulo 7 - Eu estou aqui e é para ficar.

Selena Gomez — P.o.V

 

Minhas têmporas são massageadas pelos meus dedos indicadores. Eu respiro fundo antes de saltar da cama. Puxo as cortinas, deixando com que o sol quente de uma hora da tarde de um sábado me aqueça por poucos segundos. Me arrasto até o banheiro, já começando a me despir.

Então eu olho para o espelho.

Não pode ser.

Toco os fios do meu cabelo negro, a cor continua a mesma, mas a minha testa está coberta por poucos fios separados que fazem, juntos, uma franja.

Eu berro contra o espelho com raiva. Saio de dentro do banheiro indo em direção ao meu telefone. Clico em seu nome e esperei chamar por três toques até que eu ouça a voz dele por trás da linha.

“B-bom dia, Selena. Estava esperando você me li…”

— A última vez que eu chequei, eu não tinha franja, Justin Bieber. Não, eu não tinha. — Minha voz sai com um grunhido no final. Justin suspira.

—“Vou te explicar tudo. Você pode vir pra cá as três?”

— Na sua casa? — Arqueei a sobrancelha enquanto olhava para o enorme espelho corporal que tinha em frente ao meu closet. — Hm, tá.

“Mesmo? Não vai…”

— Justin só me envia o endereço. As vezes eu me questiono porque sequer eu falo com você.

Encerro a chamada, passando a lateral do aparelho nos lábios um tanto pensativa. Meu telefone vibra por meros milissegundos. Justin enviou seu endereço no Brooklyn, longe mas não tanto da minha casa no Upper East Side.

Desço as escadas da minha casa. A mesa do jantar é a minha primeira visão e eu ouço algumas risadas. Quando me aproximo, Sabrina e Rowan param de falar do nada.

— Bom dia, mamãe. Quero dizer, boa tarde. — A morena soa irônica.

— Saí ontem. Estou de ressaca. — Confesso e vou até a cafeteira, enchendo a minha caneca.

— Selena, você cortou a franja?

A loira é a primeira a notar. Seus olhos azuis, parecidos com os de Ashley se arregalam. Rowan semicerra os olhos e faz uma cara espantosa.

— É, eu… Fui ao salão ontem. A cabeleira era uma idosa, ela provavelmente não me ouviu quando eu lhe dei as instruções. — Sou boa em mentir. Isso é um fato. E Rowan parece ter acreditado.

— Mas ficou lindo, eu realmente adorei.

— Você fica bonita de todo jeito. — Minha filha se levanta e sela minha testa com um beijo rápido. — Posso sair hoje? Para a praia?

— Com quem? — Perguntei com certa curiosidade.

— A-ah… Alguns amigos da escola.

— Mas Justin não estará lá. — Deixo escapar. Ela fica confusa.

— Como sabe?

Não posso gaguejar.

— Soou mais como uma pergunta.

É a primeira coisa que me vem à cabeça. Rowan dá de ombros e suspira.

— Ele está de ressaca da festa de ontem. — Justin não bebeu. Ele anda mentindo também. — Mas eu irei com algumas pessoas. De noite estarei em casa, Kendall nos deixará aqui.

Kendall estava na festa de ontem. Eu temia que ela comentasse algo com a Rowan. E ela anda com essas pessoas por conta do Justin, eu temo que ela saiba sobre eu estar mentindo para ela. Odeio isso. Me faz parecer uma criança.

— Lave a louça primeiro.

Ela pula animada, mas sabe que eu não sou o tipo de mãe que costuma proibí-la de sair, ainda mais em um sábado. Rowan e Sabrina somem das minhas vistas adentrando à cozinha. No mesmo minuto, o meu telefone toca e eu o atendo. É a Ashley.

— Fala, peitão.

“Oi, meu sonho de princesa. Como está a rainha do gelo em uma bela tarde de ressaca?”

— Um porre cômico. Mas ainda sim dá para aguentar. — Suspirei.

“Já almoçou? Quero ir naquele restaurante japonês do centro em Manhattan.”— A loira boceja.

— Acabou de acordar, é?

“Digamos que há muito para nós duas conversarmos. Te vejo lá em vinte minutos?”

Confirmo e desligo a ligação. Aproveitaria para ir de lá até a casa do Bieber, portanto me arrumo para os dois. Visto um vestido social, colado no corpo e um pouco felpudo, mas só em alguns traços. Ele era escuro e cobria até o meu pulso, além de possuir um aberto atrás. Pego a minha bolsa e calço saltos confortáveis e que tinham a coloração bege. Meus cabelos ficaram escorridos, do mesmo jeito que eu acordei e me vi obrigada à pentear e arrumar aquela franja que eu passei à odiar menos. Quando desci, Rowan já não estava lá, então apenas caminhei até o meu carro e dei partida, jogando o endereço no GPs. Quando se tratava de endereços, eu sempre precisava da ajuda tecnológica. Vejo Ashley no segundo andar, portanto apoio minha mão no corrimão e subi as poucas escadas, caminhando até a sua mesa que estava ao ar livre e deixava seus cabelos loiros voarem. Nos cumprimentamos com um forte abraço por parte dela e eu me junto à sua presença.

— Já conheço seus gostos na palma da minha mão, então já pedi. — Ela diz, eu não me importo.

— Tudo bem.

— Então… Como foi ontem? E meu Deus, você está de franjinha!

— As pessoas demoram algum tempinho para perceber, não é? — Soei cínica. — Olha, lembro-me de pouca coisa. Eu entrei, conheci alguns amigos do Justin e a Kendall, a mais velha com sei lá, dezenove anos, começou a conversar comigo e Kylie também. Então depois de alguns corpos eu comecei à dançar e depois eu acordei na minha cama, com a mesma roupa mas com um moletom. — Resumi, ainda tendo flashes da noite anterior.

— “Dona de empresa Topless é encontrada em uma festa adolescente, bêbada e animada. A riquíssima não quis dar entrevistas.” — Ashley zomba. Eu chuto sua canela. — Ai!

— E você?

— Tentei sair com um outro carinha só pra matar aquele otario de ciúmes. Ele se chama Josh e eu nunca saí com alguém tão tedioso. — A loira bufa e revira os olhos. — É possível ter 31 anos e estar me apaixonando por um garoto de 18?

Não sei porque, mas isso me afeta. De alguma forma e de algum jeito. Não quero admitir e não posso confessar o que veio na minha mente. Balanço a cabeça e suspiro.

— O que foi? — Ela pergunta. O garçom chega nesse momento e entrega nossos pedidos. Ashley é quem agradece.

— Vou à casa de Justin hoje, depois deste almoço. — Ocupo minha boca com o primeiro sushi na boca e depois com o líquido do refrigerante.

— Meu Deus, sério? Selena, vocês se beijaram nessa festa? Aposto que sim, nossa, você finalmente vai…

— Vou o que, Ashley? — Me mantenho seria. Ela engole em seco e suspira chateada. — Eu nunca mais vou me apaixonar por alguém, você não entende? Preciso dar um fim nesse lance com o Justin. Você sabe que eu não posso gostar dele, e nem de ninguém.

— Sel, você merece ser feliz. Torço tanto por você.

Ashley acredita que teve parte de culpa por eu ter me envolvido com o Dake. Na minha primeira vez que eu o vi, foi em um almoço. Eu estava agindo como a santificada, com um vestido longo e rosto de boneca, mas o sorriso dele entregava que ele sabia que eu não era isso. E Ash e Dake costumavam ser grandes amigos, então ela incentivava e ajudava o nosso “relacionamento” sempre que podia. E deu no que deu.

— Eu sou feliz, não vê?

É irônico, pois minha voz sai carregada de tristeza. Nós mudamos de assunto, pois Ashley odeia climas pesados. Começamos à falar de Ryan, o quão estava sendo complicado pra ela se fazer de difícil, já que ele parecia fazer promessas que não estavam em seu alcance próximas de serem compridas.

— Está na minha hora, vou visitar meus pais hoje.

Meus olhos brilham.

— Eu não os vejo há séculos. Na próxima eu vou, prometo.

Deixamos juntas o restaurante e nos despedimos. Suspirei e entrei no meu automóvel. Coloquei o endereço da casa de Justin e comecei a rota. Quando chego em sua casa, são três e quatro. A casa é pequena e muito simples. Há um pequeno portão de grade e uma cerca que deveria ter dez metros de largura. O jardim tem poucas flores mas distintas. É simples, mas bonito. Mando uma mensagem para Justin e ele aparece na sua porta.

— Entre.

Sua voz sai animada. Empurro o portãozinho e entro em sua casa, logo passando pelo seu corpo. As paredes tem tons frios, como azul, lilás e branco. É realmente algo diferente, mas elas estão desgastadas. Tudo está organizado e bem limpo. Justin não era rico mas o fato dele ter algo honesto e ser humilde me deixava… Orgulhosa.

— Vem.

Pelo o que eu vi, sua casa não possuía segundo andar, portanto não demorou para chegar em seu quarto. Estava tudo organizado e tudo era enfeitado com algo relativo ao basquete. Haviam duas cestas de plástico, pôsteres, era cômico essa sua paixão.

Eu analiso tudo com cuidado. Gosto de ser observadora.

— Gostou?

Me viro para ele, agora reparando em como ele estava. Uma bermuda de malha cinza, que deixava a aba da cueca amostra. O peito nu e cheio de pintinhas. O cabelo castanho sem nenhum topete, mas bagunçado e com fios na testa. Mordi o canto dos lábios. Ele era lindo.

— Selena?

— Ah. — Suspirei, voltando à realidade. — Tudo bem, como eu…

— Kendall. Você e ela pegaram uma tesoura e ela cortou os cabelos nos ombros. Ficou bonito, aliás, ela gostou e não está tão curto assim. E você cortou a sua franja, mas eu gostei bastante. Te da uma aparência de menina.

— Essa é o tipo de aparência que eu não gostaria de passar. — Respondo rápido e convicta, jogando a bolsa na sua cama. — E depois você me trouxe em casa e me deitou.

Levanto uma das sobrancelhas. Ele fica nervoso e pareceu tremer.

— Sim. Te vesti com o moletom também e fui embora.

— Algo mais, Justin?

Eu sei que tinha algo à mais porque eu me lembrei. Não era algo de se esquecer.

— Selena…

Dou três passos pra frente. Bieber recua e solta um suspiro.

— Você me contou porque tem depressão

1,2,3.

Minha cabeça dá algumas voltas rápidas.

— Como você sabe que eu tenho… Como…?

— Os remédios. Eu gravei os nomes e… Perguntei em uma farmácia. Minha mãe me explicou melhor, ela é psiquiatra afastada.

Justin fala em um sussurro baixo. Não sei o que sinto no momento. É raiva? Chateação? Indiferença?

— Por que, Bieber? Por que você não guardou isso pra você e deixou pra lá?

— Eu gosto de você, Selena. — Ele toma meu rosto em suas mãos. — Não quero te deixar, você sofreu muito, sofreu cruelmente. Se eu pudesse…

Empurro seu corpo e recuo um passo pra trás.

— Mas não pode, Justin! Ninguém pode me salvar. Eu estou em um poço. Sou um peso constante na vida de todo mundo e é essa a minha realidade.

Minha voz sai mais alta que a encomenda. Ele se assusta mas não se afasta.

— Você sabe como eu me sinto? — As lágrimas caem compulsivamente. Não sei em que momento eu comecei a chorar, mas meu coração queima dolorosamente. — Dói tudo. Eu suspiro e isso se torna doloroso. Eu convivo com as pessoas e faço a mesma rotina todos os dias. É monótono e dói como ser queimado no inferno. Você tenta conviver no meio de todas as pessoas e se tornar normal, mas não consegue. O mundo se torna preto e branco e o que é fácil paras as pessoas e costumava ser prazeroso, passa à ser temporário e difícil. Então eu tento, eu tento! Durmo três horas por dia, fumo um cigarro antes de começar o dia, eu tomo banho e começo a chorar e gritar no chuveiro. Então eu choro de novo quando vejo o retrato dos meus pais e do meu ex noivo. Meus pais mortos por minha culpa. Eles morreram por minha causa, e me deixaram sozinha. Grávida. Sem nada.

O ar me falta quando eu o puxo fortemente. É assim que acontece. Você guarda por tanto tempo, acumulando e então há uma hora que você precisa dizer. E dói bastante. Meu coração bate como um martelo contra o vento. Eu puxo meus cabelos para trás e choro, choro muito.

— Eu não sou feliz, não mereço ou preciso estar aqui. Ninguém nunca me amou, eu não preciso viver mais.

Quem vive de depressão em estágio avançado sabe que por uma máscara de que tudo está tudo bem é muito fácil. Mas em uma hora, no meio de pessoas, você sorri e quando está no seu quarto, você chora. E eu busco ajuda, mas tudo o que sinto é que sou uma máquina que ingere remédios pra se manter sã, se não, eu fico como um vegetal. Parada, sem sentimentos, sinais de alma. Porque dói. E eu não sei como colorir isso pois sou perfeitamente incompleta.

Justin chora também, chocado e perplexo. Ele toma meu corpo pra si e me abraça com tanto carinho. Eu soluço alto, gemidos de frustração e tristeza escapam da minha boca molhada e perco o equilíbrio das pernas. Fico ajoelhada, abraçada por Justin que está na mesma posição que eu. Molho seu ombro sem abraçá-lo de volta, pelo contrário, eu mantenho minhas mãos me abraçando.

— Eu tento viver pela a minha filha, mas toda vez que eu olho pra ela eu tenho vontade de morrer.

É a condição mais cruel e sincera que eu já fiz, mas é verdade.

— Selena, Shh. — É a primeira vez que ele fala. — Eu nunca vou te deixar, te prometo isso com todas as minhas forças. Estou aqui e eu irei demonstrar que você tem algum pelo qual pode lutar. Não se deixe ir.

Quantas vezes eu já pensei em suicídio? Eu não sei, honestamente. Uma, duas, cinco ou vinte. É sobre isso que Justin fala. Para eu não me deixar ir.

Ele se afasta e me faz olhá-lo. Algumas lágrimas caem, mas ele limpa algumas com o polegar. Justin segura meu queixo e eu encaro perfeitamente seus olhos cor de mel.

— Eu estou aqui e é para ficar.

Se ele não estivesse para ficar verdadeiramente, eu agradeceria o universo por ter permitido a sua visita.


Notas Finais


Eu estive insegura com esse capítulo. Geralmente minhas histórias acontecem lentamente, mas o meu objetivo é principalmente acabá-las antes do capítulo 20, pois nenhuma história me parece promissora o suficiente para se estender, e Masterpiece não é diferente. Eu a amo, está no meu top 5 de fics mais criativas que eu já pensei/comecei, portanto as coisas vão andar mais acelerados sim. Selena também irá contar sobre ela, exatamente tudo e vocês terão muitos flashbacks.
Eu também queria dizer o que me deixa um pouco chateada que basicamente é a falta de comentários. A fic continuará com ou sem eles, mas a história é importante para mim e eu queria pedir de coração que me dissessem o que estão achando, assim eu poderei melhorar ou continuar do mesmo jeito se estiver bom.
O capítulo foi bem dramático mas diz muito. E como vocês viram, a Rowan se embolou ao dizer com quem ela iria sair, imaginam porque? Foi meio explicado no capítulo passado, dá pra fazer uma conexão hahaha
Bem, não direi mais nada, amo vocês e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...