História Matilha - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Adultos, Lobisomens, Lobos, Romance, Violencia
Visualizações 14
Palavras 1.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction Matilha - Capítulo 2 - Capítulo II


3 anos depois...

 

O que você sabe sobre lobos? Certamente, não o bastante para entendê-los. Eu sou um exemplo fiel de que os lobos podem mudar de humor em segundos quando são contrariados. 


- Quer a faca? Quer né amorzinho? - disse o gordo miserável e rídiculo, que ainda não tinha se transformado, balançando o punhal de prata na sua mão. 


- De qualquer jeito, você vai morrer! - respondi me levantando do chão.

O homem que segurava a faca era um lobisomem e um dos mais procurados em toda a América. Ele tinha matado inúmeros humanos sem se preocupar com algum castigo. As vítimas eram dilaçeradas e seus corações ia parar no estômago do verme que estava a minha frente.

- Uma loba que caça lobos? Essa é a coisa mais rídicula que eu já ouvi! - resmungou irônicamente.

- E talvez seja a última! - parti pra cima dele e fui ferida no braço. Um leve corte apareceu sob a pele e começou a queimar instantaneamente. Catei a arma do chão e antes que ele enfiasse o punhal em mim, atirei.

Um tiro perfeito. Fez ele se contorcer no chão enquanto seu sangue formava uma enorme poça. Juntei a faca e saí do barraco que ele morava.

Não queria admitir mas ele tinha razão em uma coisa, uma loba matando lobos, não era normal.

Depois de toda a situação com Bennet, passei a odiar os lobisomens, mesmo sendo uma. Mas dentro de mim, eu não era uma loba completa. Graças ao desgraçado, perdi minha alma lupina, aquela consciência básica da espécie.

Então, eu era mais humana do que loba.

Quando cheguei a Nova Orleans, Joseph,o único lobo que eu empunho respeito nessa vida, me ajudou e explicou tudo que eu precisava saber sobre o mundo sobrenatural.

Com o tempo, fui adquirindo mais força que os próprios lobos dele. Foi quando surgiu a proposta.

Nova Orleans era enorme. E muitos lobos não tinham Matilha ou Alcatéia. A maioria deles se sentia superior aos humanos, e os matava. Infringindo a maior lei Lupina. Em qualquer outra cidade com um Alpha, o lobo seria executado por tal ato. Mas como Nova Orleans era imensa e a Alcatéia de Joseph minúscula -sério mesmo. Era pequena. Tipo, só seis pessoas - ficava dificil castigar os lobos-maus.

Entrei na cafeteria que fazia esquina com duas ruas. Minha amiga Audrey, ou a Senhora Maravilhosa, como ela se auto-intitula, estava me esperando.

- Que demora Emi. Estava matando quem pra demorar tanto? - perguntou minha amiga neurótica.

- Victor Rosling. - respondi me referindo a aquele verme. Audrey colocou a mão na testa e balançou a cabeça em um "Não".

- Você tem merda na cabeça? Isso é perigoso Emilly. E se algum lobo descobre o que você faz? - revirei os olhos. Tudo bem que podia ser perigoso, principalmente por serem mais fortes do que eu, mas valia a pena se arriscar.

Com esse questionamento de Audrey, me lembrei de um dos treinamentos com Joseph. Eu tinha acabado de aceitar a proposta dele. Estavamos em uma área do prédio onde ficava a alcatéia. Eles usavam o lugar para treinos e atividades físicas, já que Orleans não possuía florestas para correr livremente, apenas pequenos bosques.

- Com mais força Emilly. Quer que eles te dominem por trás? - gritou Joseph, me tirando de um golpe de Jiu Jitsu. 

- Eu vou ter que usar uma máscara quando for matar algum deles? Eu tinha pensado em uma do Darth Vader ou do V de Vingança. Já assistiu esse filme? É muito bom! - como sempre, eu estava bem falante. A presença de Joe me relaxava e tranquilizava. Ele era quase que um segundo pai. 

- Não precisa de máscara. Se fizer direitinho tudo que eu ensinei, você será o último rosto que eles verão. E como o inferno os aguarda, vamos deixar eles verem um anjo pela última vez. 

- Só se for Anjo da Morte! - começei a rir e aproveitando a distração de Joseph, o soquei no rosto e ele cambaleou para trás...

- EMILLY! EI! Ta me ouvindo?  - saí do transe e olhei para Audrey que estalava os dedos no meu rosto. 


- Oi. Oi. To sim. - fiz sinal para ela parar com aquilo.

- De onde o Joseph tirou a idéia de te botar como caçadora de lobisomens? Eu devia ir falar com ele e obriga-lo a tirar você dessa história! - disse Audrey colocando um sachê de açucar em seu café.

- Você não vai falar com ele. Eu gosto desse trabalho. É uma coisa que só fica entre eu e ele. E você né. Já que eu te contei. - eu me arrependo amargamente de ter falado para a Audrey sobre os lobos que eu mato.

Confiava muito nela. Mesmo ela sendo humana. Sim. Ela era humana. Adotada na verdade, por dois lobisomens. Robbie e Bob.
O casal gay largou a alcateia para morar em Nova Orleans e quando conheci Audrey, ela já sabia tudo sobre nossa espécie. Eles não moravam juntos á Joseph. Haviam conseguido um trato com o Alpha para morarem na cidade sem pertencerem a alguma matilha. Algo que eu deveria ter feito.

Conversei por mais meia hora com Audrey. Se tinha um coisa que a gente assistia era How Meet You Mother, e sempre havia assunto sobre a série.

Meu telefone tocou bem na hora que eu contava um spoiler sobre a Robin e o Barney.

Era Travis. Um dos lobos de Joseph. O mais timido de todos. Eu quase nunca interagia com meus companheiros de alcatéia, muito menos com Travis. Ele parecia ser legal, mas estava desesperado por uma companheira, então atirava para todos os lados.

- Alô?! - ouvi a respiração acelerada dele. Era estranho Travis ter meu número de celular.

- Emilly?! É você? - ele perguntou e parecia recuperar o folêgo.

- Depende do que você quer. - Audrey riu ao fundo. Ela comia minha torta de morango com nozes. A melhor torta de todas.

- Joseph! Emilly, o Joseph foi atacado. Ele morreu. EMILLY, ELE MORREU E EU NÃO SEI O QUE FAZER!

Continua...


Notas Finais


Perdão a demora. Mas aí está. O capítulo dois de MAT! Se você gostou não esquece de favoritar. E comente também. Beijinhoss ❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...