História Matter Of Choice - Capítulo 33


Escrita por: ~ e ~madugsx

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Hailey Baldwin, Jeremy Bieber, Kylie Jenner, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Criminal, Romance
Exibições 118
Palavras 1.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa a demora, é que eu tava de castigo por não ter ido pra escola *revirando os olhos* mas agora tá de boa e eu voltei com mais um capítulo, não sei se ficou bom, pois eu estou com várias ideias e não consigo coloca-las em ordem, desculpa.


Boa Leitura.

Capítulo 33 - Selfish


Acordei com o peso de Justin me incomodando, me mexi pra que ele me soltasse e levantei, abri as cortinas com rapidez dando de cara com um dia maravilhoso.

- Bom dia sol, bom dia céu, bom dia bichinhos que eu tenho medo! - gritei na janela. Justin logo olhou pra minha cara sem entender.

- Tá ficando louca amor? - Justin disse todo risonho. Ai meu deus, me segura!

- Não, só acordei animada! - sorri. - Vou tomar banho. - disse e fui em direção ao banheiro. Tomei banho e fiz minhas outras higienes, quando acabei coloquei uma toalha nos cabelos e a outra prendi ao meu corpo, saí do banheiro e logo Justin entrou.

   Fui pro closet procurar algo que me agradasse. Abri todas as portas e fiquei observando as roupas de todos estilos, tamanhos, cores pra qualquer ocasião, das mais sofisticadas e elegantes as mais simples e leves.

- JUSTIN NÓS VAMOS SAIR? - gritei do closet.

- TALVEZ, PORQUE? - ele gritou de volta.

- PORQUE EU PRECISO ESCOLHER UMA ROUPA, ESTOU PELADA! - gritei.

- ESCOLHA QUALQUER UMA, SE QUISER ATÉ UMA MINHA. - ele gritou de novo. Ok.

     Vesti meu sutiã e calcinha e fui procurar uma roupa. Optei vestir uma calça preta da adidas e uma blusa da mesma cor também da adidas. Sai do quarto encontrando Justin que vestia uma calça azul rasgada e uma camiseta vermelha. Que delicia, que homem maravilhoso, obrigado Deus por ter feito ele me escolher. Continuei a observar aquela obra divina até que ele me notou.

- Nossa, que gótica trevosa. - Justin disse arrumando o cabelo.

- Querido, isso foi um ótimo elogio. - disse beijando os lábios dele. - Justin o que aconteceu com o restaurante?

- Nada, ele continua do mesmo jeito, com funcionários e empregados, só que agora o Ryan é o gerente. É estranho um criminoso ser gerente de um restaurante. - ele riu.

- O Trevor ainda está lá? - perguntei por curiosidade.

- Pra que você quer saber? - o encarei e ele bufou. - Sim, ele ainda está lá, mas depois dessa não por muito tempo.

- Justin, eu só perguntei por curiosidade. - sentei na cama e cruzei os braços. Peguei o celular dele e comecei ver as fotos.

- A Ashley falou com você? - ele perguntou sentando ao meu lado. O encarei na hora. Que caralhos é Ashley?

- Justin, quem é essa? - ele me encarou com cara de safado.

- Ela trabalha lá no restaurante, achei que vocês se conheciam, porque esses dias eu fui lá e ela mandou um beijo. - disse.

- Eu não quero beijo dessa piriga não, se eu não lembro dela, uma pessoa boa essa Ashley não deve ser. - disse. - Pode demitir ela, não quero intimidade entre vocês.

- Calma, ela é uma ótima amiga. - ele deu um sorriso sapeca.

- Justin, a única mulher que eu quero que seja sua amiga é a Candice porque ela também é minha amiga, vá se foder pra lá! - hoje eu tô atacada.

- Calma amor, eu te amo, e você sabe que é insubstituível. - ele falou beijando meu pescoço.

 (...)

   Passamos a tarde inteira juntos, tomamos banho de piscina e depois fomos ao parque. Com certeza esse dia vai pra lista dos melhores. O Justin hoje estava todo brincalhão e carinhoso, preocupado com o bebê que nem sabemos se temos um bebê crescendo na minha barriga. Falando nisso a Dra. Helena marcou outra data pra consulta disse que tinha que ser antes do planejado, agora será amanhã, ela disse que por problemas pessoais teve que mudar a data, eu aceitei de boa.

- Cheguei seus filhos da puta! - Chris gritou fechando a porta. Eu nem tinha percebido que ele tinha saído.

- Fala viado! - Justin o comprimento.

- Oi Chris, tudo bem? - falei e ele deu um beijo na minha bochecha, por um momento, se eu não me engano eu vi fogo sair dos olhos do Justin.

- Estou bem, a "viagem" foi ótima. - ele e o Justin riu. Não entendi.

- Me contem a piada interna! - chamei a atenção deles.

- Não foi bem uma viagem, eu ainda tava nessa rua. - Chris disse indo pra cozinha e nós o acompanhamos. - Na verdade, os pais da Lucy compraram uma casa pra ela aqui.

- Que bom, agora eu tenho com quem vadiar, já que Candice não está! - disse fazendo uma dancinha escrota.

- Você não começa a desandar minha mulher. - Chris disse dando um gole em alguma bebida.

- Saiba que eu cheguei primeiro que você! - rimos.

- E, então? Tudo pronto pra amanhã? - Justin perguntou. Eu fiquei só observando pois eu não sei do que eles estão falando.

- Quase, só vamos esperar o Alfredo voltar, acho que hoje a noite ele já está ai. - Chris logo olhou pra mim.

- Os trajes e as marcaras já chegaram? - Justin perguntou.

- Sim, estão lá no carro, mais tarde eu vou pegar. - Chris respondeu.

- Beleza, eu vou tomar banho. - Justin subiu me deixando sozinha com o Chris.

- É,  Chris? - o chamei.

- Oi Trice. - ele colocou o copo na pia e se virou pra mim.

- Do que vocês estavam falando? - perguntei realmente curiosa.

- Você não sabe? - neguei com a cabeça. - Vamos assaltar o banco central.

- O QUE? - gritei. - E qual são as chances disso dar errado?

- Todas, o banco é grande e cheio de seguranças e câmeras.

- Vocês são loucos? De quem foi essa ideia? - ele abriu a boca e logo fechou, meio receoso em me contar. - FALA PORRA! Foi o Justin?

- Foi, e ele sabe dos riscos, ele já é adulto e sabe muito bem o que faz Beatrice. - ele veio na minha direção. - É só você não se meter! - ele colocou a mão no meu ombro, logo tirou e saiu.

    Porque o Justin vai fazer isso? Temos dinheiro o suficiente pra qualquer coisa. Eu sei que cheguei aqui no meio de uma guerra entre Chaz e Justin mas, eu quero mudar isso.

   Justin tem que entender que isso é passado, até Chaz desistiu, não vemos a cara dele a mais de meses. Agora somos uma família e temos que cuidar um do outro. Eu não quero nem pensar na possibilidade do Justin ser preso, isso seria demais pra mim.

    Vou usar minhas técnicas pra fazê-lo mudar de ideia, ou pelo menos tentar.

Fui pra sala e meu celular começou a tocar, um numero desconhecido

- Alô?

- Oi Trice, é a Amber.

- Oi, aconteceu alguma coisa?

- Não, é que sua mãe acordou e eu preciso ir pra casa.

- Você pode pedir pra alguma enfermeira ficar no quarto dela? É que eu estou muito cansada, passei o dia fora. - sorri lembrando dos meus momentos com o Justin no parque.

- Claro, beijos, até depois! - e ela desligou.

    Fui pra cozinha pois eu estava morrendo de fome, peguei uma cadeira e coloquei perto do armário pra eu conseguir chegar no topo do mesmo. Peguei uns pacotes de doces e desci colocando a cadeira no lugar logo em seguida. Comi lá na cozinha mesmo.

     Subi pro meu quarto e parei na porta do mesmo, respirei fundo logo entrando. Justin estava deitado na cama conversando com alguém, todo risonho e quando me viu escondeu o celular.

- Justin, precisamos conversar. - disse enquanto eu me despia.

- Sobre? - ele me olhava.

- Sobre o assalto. - disse e ele bufou. - Pra que fazer isso? Não acha que temos dinheiro suficiente?

- Beatrice, dinheiro nunca é de mais e eu quero fazer isso, eu já estava parado a muito tempo. - ele disse e eu me deitei ao lado dele.

- Justin, não precisamos de mais, eu só preciso que você esqueça isso... - fui interrompida.

- Olha, você não vai me fazer mudar de ideia, você apareceu e eu já fazia esse tipo de coisa, então pra que brigar agora? Eu quero fazer isso e eu vou, se não quer que eu faça, ótimo, isso só vai me fazer querer concluir o plano. - ele ficou de costas pra mim.

- Justin, não fale como se eu não fosse importante pra você, somos um casal e temos que tomar decisões juntos!

- Casal? Que tipo de casal somos? Porque quando você sai daqui eu sempre te aceito de volta. - ele me olhou triste. - Eu só preciso fazer isso e você não vai impedir.

- Mas amanhã é o dia do meu ultrassom, e eu preciso de você lá comigo. - ele me olhou irritado.

- Beatrice! Por favor, pelo menos uma vez, me deixa fazer o que eu quero. O mundo não gira em torno de você. Sempre que você quer alguma coisa, eu vou lá e te dou. Se quer uma noite de amor eu te dou, mas sempre que o assunto é sobre o que eu quero você tenta me fazer mudar de ideia. Pra que isso? Você mesmo disse que somos um casal e temos que tomar decisões juntos, mas parece que o "casal" é só você. Porque você quer mandar em tudo, tira as próprias conclusões, faz o que quer, me proíbe de fazer qualquer coisa, você não manda em mim, entenda isso de uma vez! Depois não venha me dizer que eu sou um namorado ruim, noivo ruim ou seja lá o que eu for pra você, porque eu sempre faço tudo pra ver você sorrir, faça um esforço pra me ver feliz também. - ele se virou novamente. E eu comecei a chorar.

   Ele tem razão, eu quero mandar em tudo, eu o proíbo de fazer várias coisas e ele só quer me ver feliz. Eu não queria que isso parecesse egoísta, é que eu só quero o bem de todos, principalmente o dele. Mas, agora eu percebi que ele não vai voltar a trás, o único jeito é aceitar. Amanhã será um longo dia, um dos piores eu creio, mas vou fazer de tudo pra nada me colocar mais pra baixo. Amanhã vou ver o meu bebê e isso é tudo o que eu mais quero.

   Justin se virou pra mim e ficou me olhando. Eu achei que ele já tinha dormido.

- Desculpa, eu não devia ter falado com você daquele jeito. - ele acariciou a minha bochecha com o polegar.

- Eu sei, você só falou verdade. Eu que tenho que pedir desculpas por ser tão egoísta. - uma lágrima escorreu.

- Shiii, você não tem culpa. - ele me beijou. Um selinho longo. - Agora vamos dormir que amanha será um longo dia. - completou.

- Eu te amo. - disse.

- Eu te amo Beatrice. - e logo caímos em um sono profundo.


Notas Finais


Eita, ultrassom ta chegando. Eu ainda não escolhi o sexo do bebê então me digam nomes de meninas e meninos, todos americanos sz

Espero que tenham gostado desse capítulo, ficou pequeno mas foi o que eu consegui escrever.

Favoritem, comentem e divulguem. Eu amo vocês. Até o próximo. sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...