História Maybe A Mistake - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Chanbaek, Chansoo, Drama, Exo, Hunhan, Kaisoo, Mpreg, Traição, Yaoi
Visualizações 286
Palavras 1.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg)
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ola pessoas maravilhosas que moram aqui no meu coração. Sentiram saudades de mim? Pois bem, minhas aulas voltam hoje e juntamente a isso, tô trazendo capitulo focado no Sehun, espero que gostem. A partir de agora devo demorar mais para postar capitulos novos (mesmo que sempre poste alguma one shot pequena, vou ate deixar umas novas nas notas finais.) Sem mais delongas, aqui vai o capitulo, espero realmente que gostem.

Capítulo 16 - Maybe a Parent Error


Os dedos de Sehun deslizam suavemente pelas paredes brancas da sala; pendurados ali, estavam as fotos da sua família em uma pequena linha cronológica que mostrava Kyungsoo; desde o primeiro mês, onde a barriga de Luhan ainda não ostentava forma alguma até uma foto tirada meses atrás onde o seu menino sorria feliz por ter passado na faculdade de medicina. Os olhos de Sehun pesavam em lagrimas que ele se recusava a deixar cair; estava exausto psicologicamente e sua mente tentava, ainda que aos poucos, juntar cada recorte solto daquele lençol de retalhos que havia se tornado sua vida; ele não entendia, eram perguntas demais, duvidas demais, medos e angustias que surgiam do nada, corroendo lentamente os seus nervos. Ele estava surtando.

Passaram-se horas desde que botara Kyungsoo para fora de casa; horas que Luhan o havia deixado também; sentia-se inútil e incapaz ao notar que perdera toda sua família, sua vida e as razões de suas alegrias em apenas alguns minutos. Lembrava-se de tudo que passaram, do namoro à descoberta da gravidez, de como as coisas foram difíceis, pois nenhum dos dois tinha estrutura o suficiente para serem pais. Lembrava-se das noites em que Luhan chorara de medo e de como o apoiava dizendo que ninguém nascia sabendo, mesmo que por dentro fosse um misto de felicidade e insegurança.

Para Sehun, Luhan havia sido a luz, mas Kyungsoo era sua pequena fonte de graça, o presente mais precioso que Luhan o dera. Sehun lembrava-se de como havia chorado quando o filho nasceu, mas como não chorar? Em seus braços ele segurava a pequena prova do amor que ele e Luhan sentiam; uma prova de cabelos ralos e negros, olhos grandinhos e uma boca cheinha que chorava a plenos pulmões, o mostrando o quão vivo e forte estava.

Sehun sentia-se mal, talvez ter mandado Kyungsoo embora não fora a melhor das atitudes que tomara; mas ele sentia-se enganado demais para escutar as explicações do filho naquele momento. Sentia seu peito apertar em imaginar o quanto o mais novo estava com medo, afinal uma vida crescia dentro de si; seu instinto protetor mesclava-se ao desapontamento, afinal era um filho de Chanyeol, seu amigo, aquele a quem tanto apoiara, aquele que era como um filho para Luhan e talvez, até mesmo para si. Sua mente martelava o quão ineficiente ele poderia ter sido na educação que dera a Kyungsoo, pois ele nunca o ensinou a enganar, trair ou mentir daquela forma, sempre quis que o menor soubesse que não se devia ferir as pessoas e mesmo assim, lá estava ele, ferido; pensava em Luhan, Jongin e até mesmo em Baekhyun; quantas pessoas foram machucadas nesse pequeno gesto irresponsável; onde aqueles dois estavam com a cabeça.

- Onde eu errei. – Sehun se perguntou baixinho sentando-se no sofá.

As mãos fechadas em punho denunciavam o quão nervoso estava, precisava relaxar a mente para resolver as coisas, mas como faria isso se sua mente o lembrava a cada meio segundo de que ele estava sozinho em casa; de que as duas pessoas mais importantes da sua vida não estavam ali? Seus instintos berravam no seu subconsciente, querendo a todo custo o culpar de tudo aquilo, querendo provar que ele estava naquela situação por que agira de cabeça quente. Sua cabeça doía e escutar a campainha tocar, com toda certeza não estava ajudando em nada, até que uma ideia ridícula passou como um flash em sua mente, e se fosse Luhan? Sehun não se deu tempo de notar que Luhan jamais tocaria a campainha da própria casa e correu para abrir a porta dando de cara com um Chanyeol de cabeça baixa esperando por si. Sehun já estava nervoso demais para lidar com aquilo e decidiu fechar a porta antes que machucasse o outro, mas Chanyeol parecia querer brincar com sua sanidade ao impedi-lo e se colocar para dentro da casa.

- Sehun, eu. – O mais novo até tentou falar, mas alguns poucos segundos foram o suficiente para que ele estivesse calado com umas das mãos em cima de um corte nos lábios. Sehun o havia esmurrado. – Se sente melhor agora? – Chanyeol perguntou contorcendo o rosto em uma careta estranha devido a dor.

- Para falar a verdade, não. – Sehun observava o outro parado a sua frente. – Sai daqui Chanyeol.

- Por favor Sehun, por favor, por todo nosso passado, me deixa ao menos te explicar o que aconteceu. – Sehun iria negar, mas ao ver as lagrimas que se formavam nos olhos do outro mexeu com seus instintos protetores, então ele apenas se calou e deixou que o outro explicasse.

A cada palavra proferida Sehun se sentia capaz de preencher as lacunas daquela história maluca demais, no fim, ambos já choravam novamente; Sehun entendia o que havia acontecido, mas ele não se sentia no direito de aceitar aquilo cegamente, eles haviam errado, haviam machucado pessoas demais mesmo que não tivessem a intenção e agora seriam responsáveis por uma vida, vida essa que não tinha culpa nenhuma dos pais irresponsáveis.

- Vocês são duas crianças idiotas. – Foi tudo que Sehun disse, ele não deixaria Kyungsoo voltar para casa, não voltaria atrás naquilo, aqueles dois pirralhos iam crescer e ser pais e ele os daria a chance de lidar com isso, ninguém poderia assumir o erro deles.

- Não queríamos... – Chanyeol balbuciou, parando para ver uma porta que se abria atrás de si. Era Luhan, que voltava de cabeça baixa e corpo tremulo.

- Sehun... – Luhan tentou falar, mas foi calado quando Sehun o envolveu forte demais em um abraço terno. – Me desculpe Hunnie... – Luhan choramingou e de alguma forma Sehun sabia que as desculpas eram por não ter conversado, por não ter postos limites e por tê-lo deixado.

- Me desculpe Hannie... – Sehun imitou o gesto, sabia que ao menos isso deveria fazer e sabia também que o outro saberia pelo que se desculpava, eram anos juntos afinal.

Chanyeol observava a cena e se perguntava se algum dia encontraria alguém para si, alguém com quem pudesse dividir a vida, com quem tivesse tamanha cumplicidade.

- Sehun, Luhan... – Chanyeol chamou novamente. – Me desculpem por tudo. – Pediu e viu ambos assentirem.

- Vocês irão aprender juntos. – Sehun disse e Luhan o encarou. – Eles vão morar juntos Luhan, vão aprender e amadurecer, assumindo as responsabilidades dos erros deles. Quero que eles decidam o próprio futuro.

- Você não vai falar com o nosso filho Sehun? – Luhan perguntou calmo, sabia que Kyungsoo tinha medo de ser odiado pelo pai e sabia que ainda tinha muito o que conversar com o marido.

- Me dê um tempo, tempo para que eu possa digerir isso tudo, para que eu possa ser sincero. – Falou e voltou seu olhar para Chanyeol. – Nós nunca viraremos as costas para vocês, mas vocês erraram e vão ter que lidar com isso.

Chanyeol apenas assentiu antes de sair, sabia que Sehun estava ferido, que Luhan estava magoado e sabia que ele e Kyungsoo haviam errado, mas aquilo era um começo; eles teriam sim que lidar com os próprios erros e não tinham outra opção; eram imaturos e teriam que dividir o mesmo teto, Chanyeol se responsabilizaria por Kyungsoo e mesmo que fosse difícil, eles chegariam a um acordo sobre tudo. Afinal, estariam ligados para sempre, teriam uma vida para cuidar e teriam que no mínimo se darem bem.


Notas Finais


Então é isso, agora falta o capitulo do Baek e o do Jongin para podermos entrar em uma fase convivência Chansoo. Espero realmente que tenham gostado, acabou passando um pouco de 1k, mas é a vida né. Como sempre, to aqui para qualquer duvida ou no twitter @dassy_muu. Obrigada de verdade por lerem <3

Edit: esqueci as one shots.
SuChen shortfic: https://spiritfanfics.com/historia/innocent-soul-9899217
Meio-termo (de uma anime mas queria que vcs vissem): https://spiritfanfics.com/historia/meio-termo-9901097
KrisBaek: https://spiritfanfics.com/historia/i-kissed-a-boy-9852978


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...