História Maybe Worth It - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Kris Wu, Lu Han
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 21
Palavras 4.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Acharam que eu não ia postar hoje, né?
Desculpa o atraso, a escola ta puxando toda a minha vida (e energia), desculpa mesmo
Logo vocês irão entender o porquê da imagem ser o Heechul oppa com o Baekkie oppa.
Vou parar de falar
Se puderem ler o capítulo ouvindo All Of Me do John Legend, melhor

Só pra avisar que hoje tem chanbaek

Boa Leitura!

Capítulo 4 - All Of Me


Fanfic / Fanfiction Maybe Worth It - Capítulo 4 - All Of Me

 Eu, Do Kyungsoo, pela primeira vez em anos, senti uma felicidade imensa.

É clichê? Sim, muito na verdade.

"A menininha depressiva que conhece o cara perfeito e de repente sua vida se torna feliz enquanto eles vivem um romance"

Mas nem tudo são flores. Aprendi isso da pior forma.

Jongin, após uma noite conversando, rindo, comendo doces e etc, me levou para o apartamento de Minseok e Jongdae, onde eu cheguei logo sendo esbarrado por um monte de perguntas bestas, do tipo: "quem foi o ativo da noite?", "foi bom?", "usaram camisinha?".

Pois é, eles tem sorte de serem praticamente meus pais adotivos, porque quase mandei se foder.

Fui para meu quarto - com muito esforço já que não queriam me deixar sair da sala - e logo senti meu celular vibrar.

Uma mensagem.

E não era o Baekhyun.

Fiquei com certo receio, mas, a curiosidade tomou conta e eu abri.


"Seu bastardo, venha para casa amanhã, quero ver esta sua carinha, se não vier, vou ligar para polícia denunciando um desaparecimento, você não é ninguém, é um inútil, viado de merda, é uma desonra para a família, venha para cá que pelo menos desconto minhas frustrações em você, sabe as consequências, então, apenas venha"


E naquela mensagem, eu tive um lapso de consciência, embora já soubesse de quem se tratava.

Eu realmente era um inútil, nem minha família me amava, o que eu deveria fazer? Meus amigos provavelmente me aguentavam, um depressivo de merda que não faz nada, por pena, eu só traria mais despesas para o Minseok Hyung e para Jongdae, decepcionaria Jongin por ser tão ridículo, sem graça, inútil e indesejável, nem meus irmãos ligavam para mim, diziam que sempre seriam meus amigos e me abandonaram assim que tiveram chance, a vida de todo mundo que se envolvia comigo era um inferno, eu só trazia desgraça... Por que eu existo? Por que eu simplesmente não nasci? Por que eu nasci? Por que eu não sou ninguém? Por que ninguém me ama de verdade?

Perguntas sem respostas rondavam a minha mente.

Resolvi esvazia-la.

Fui em direção ao banheiro, olhei no espelho pensando em quão ridículo eu era. Logo soquei o espelho, descontei uma pequena parte da minha raiva quebrando-o, nem senti a dor em minha mão.

Observei os cacos ao meu redor, peguei um deles e raspei sobre meu ante-braço, fazendo um pequeno risco de sangue, fiz linhas retas e profundas, uma mais lenta que a outra, por todo meu braço, inútil.

Tirei minha calça e camiseta, cortando profundamente minhas coxas, eu era feio, tinha um corpo ridículo, isso era insuportável, fiz isso por toda a perna, gemendo alto de dor.

Logo ouvi barulhos apressados adentrarem o quarto, nesse momento eu já me encontrava no chão, chorando com o chão inundado pelo sangue.

Minseok e Jongdae apareceram assustados na porta do banheiro. Os olhos de Minseok marejaram.

-"Liga pro hospital Jongdae, AGORA!"-ordenou Minseok vindo até mim-"Meu deus Kyungsoo... Pequeno... Não faz assim, fique consciente, okay? Fica comigo"-falou ao ver meus olhos fecharem e abirem lentamente-"isso... Por favor, fique assim... Okay?"-indagou encorajando-me a continuar parado, não me mexer como tentei.

Ele pegou alguns papéis higiênicos tentando parar o sangue que ainda escorria levemente.

-"Liguei, eles vão chegar em no máximo cinco minutos"-falou Jongdae rápido entrando no banheiro, em seguida ajudando Minseok com o que ele estava fazendo.

-"Kyungsoo... Fica com a gente, okay? Tente ficar acordado, vai ficar tudo bem... A gente te ama"-disse Minseok beijando minha testa visto que eu já começava a perder levemente a consciência.

Eu tive uma noite maravilhosa com Jongin... Mas não valeu a pena, ele perdeu tempo comigo.

-"Pequeno... Kyungsoo... Vem cá, levanta só um pouco"-falou Minseok me ajudando a ficar um pouco sentado-"Você ta quente..."-murmurou. Mas eu sentia frio, estava tremendo de frio, na verdade-"febre... Jongdae, como ajuda alguém assim com febre? Aigoo..."-reclamou preocupado beijando minha testa novamente.

Os paramédicos logo chegaram, me colocando em uma maca e me permitindo, finalmente, perder a consciência.


POV's Kai


Uma noite perfeita, ao que eu deveria dizer.

Consegui fazer Kyungsoo rir, mesmo um pouco triste, ele riu, riu de verdade. Vi seus olhos brilharem mais que as estrelas, como eu proferi.

Me pego pensando em Kyungsoo, deitado na cama. Era um pouco frustrante o como Kyungsoo era triste... Ele é tão amável, tão lindo, tão fofo, tem um sorriso lindo, aquele sorriso em forma de coração que deixa qualquer um que o veja encantado, olhos lindos, grandes e expressivos, que ficavam curiosos quando queria saber algo, olhos que brilhavam quando ficava feliz... Pensar que alguém o fazia algum mal me machucava.

Senti meu celular vibrar.

Chanyeol me mandando mensagens a essa hora? Por quê? Isso era estranho. Logo abri a mensagem.

"Jongin, Kyungsoo ta no hospital, vem pra cá agora!"

Dei um pulo da cama, nem de pijama eu estava, então, simplesmente saí correndo, o hospital era quase do lado da minha casa, então não tinha problema.

Por que Kyungsoo estava no hospital? O que aconteceu?

Cheguei totalmente assustado no hospital, vendo na sala de espera, Baekhyun e Minseok em prantos, Jongdae e Chanyeol chorando também, mas apoiando os dois mais nervosos.

-"O que aconteceu?"-fui direto chegando perto deles, Baekhyun me olhou e logo chorou mais... Sinto que fiz algo de errado.

-"Kyungsoo se cortou... Não sabemos o motivo... Ele ainda está inconsciente"-falou Jongdae como um robô abraçando Minseok pela cintura. O mais velho não conseguia parar de chorar e soluçar.

Senti meus olhos marejarem, sentei ao lado de Chanyeol e me permiti chorar.

-"Será que eu fiz algo errado? Deve ser culpa minha..."-murmurei chorando.

-"Não é culpa... Sua"-falou Minseok entre os soluços-"Ele... Adorou a noite... Mas foi tão de repente..."-continuou entre os soluços voltando a chorar desesperadamente.

Senti meu coração apertar ao ouvir aquilo, Kyungsoo havia gostado... Mas então... Por quê?

-"Com licença"-chamou um médico, Dr.Junmyeon, pelo que estava no crachá-"algum de vocês é Kim Jongin? O menino Do pediu para falar com ele"-falou e eu gelei, demorei alguns segundos mas consegui me levantar-"Ótimo, venha comigo"-falou e me guiou por alguns corredores do hospital até chegar em um quarto específico-"pode entrar"-falou abrindo a porta permitindo minha entrada-"Vou deixa-los a sós"-ditou e se retirou do quarto.

Olhei para Kyungsoo sentindo um nó se formar em minha garganta, o choro engasgou, senti meus olhos se encherem d'água, mas nada saiu.

Kyungsoo estava na cama de hospital tomando soro, seus braços estavam completamente enfaixados, com apenas um pequeno furo para o soro no direito.

-"Soo..."-sussurrei andado lentamente até ele.

-"Oi Jongin"-falou sem expressão, sentei ao seu lado em uma cadeira que havia ao lado da cama de hospital ao qual Kyungsoo se encontrava.

-"Por quê?"-saiu da minha boca em um fio de voz, mas fui ouvido, o quarto estava em completo silêncio se não pelo som do soro caindo.

-"Só causo problemas"-disse e riu sem humor-"queria deixar de existir, eu não seria um peso tão grande para as pessoas... Eu sou tão ridículo"-falou com os olhos fixos em um ponto a frente sem realmente olhar para algo.

-"Não diga isso."-falei sério e ele desviou seus olhos sem vida para mim-"você não é um peso, Kyungsoo, você é um amor, não causa problemas nenhum, as outras pessoas que causam, e você não é ridículo, você é lindo, seus olhos, sua pele, seu cabelo, sua boca, sua personalidade, tudo em você é lindo, okay? Nunca mais diga que quer deixar de existir, nós todos te amamos, Minseok, Jongdae, Baekhyun, Chanyeol e eu te amamos, o Baek e o Min-hyung estão em prantos lá fora porque se importam contigo"-continuei sério sem deixar espaços para o mesmo protestar. Ele olhava fixo no fundo dos meus olhos, logo, seus olhos marejaram e ele comprimiu um soluço.

-"Desculpa... Desculpa... Desculpa, desculpa, desculpa... Eu errei..."-falou e tentou me abraçar, fiquei com medo do soro sair e machuca-lo, então fui até si, lhe abraçando.

-"Tudo bem pequeno... Tudo bem... Está tudo bem agora, okay?"-falei com carinho fazendo cafuné nos fios vermelhos escuros.

-"J-Jongin..."-chamou me afastando de leve para me olhar nos olhos.

-"Sim?"-perguntei nervoso pela proximidade em que nos encontrávamos, afinal, eu gostava dele.

-"Me perdoa?"-pediu com os olhos grandes olhando perdido para os meus.

-"Perdôo"-falei beijando sua testa, ele fechou os olhos-"quer que eu chame os meninos?"-indaguei e ele assentiu.

Me levantei e fui em direção à saída do quarto.

-"Jongin"-chamou Kyungsoo quando eu estava abrindo a porta, me virei para que olha-lo-"muito obrigado... Por tudo"-falou e sorriu fraco, eu sorri de volta e saí do quarto.


POV's Baekhyun


Eu não aguentei.

Quando eu soube o que havia acontecido com Kyungsoo me senti voltando a anos atrás, antes de minha vida virar do avesso. Me senti uma criança novamente.

*Flashback ON*

-"Noona, por que eu tenho que fechar os olhos?"-perguntei confuso.

-"Se não quiser fechar, pode ir para a sala"-disse simples e sorriu.

-"Mas noona..."-falei com um bico nos lábios.

-"Mas nada, príncipe, diga ao Baekbeom que eu o amo quando ele chegar, ok?"-falou e eu sorri assentindo-"Vai lá"-disse me virando, eu estranhei um pouquinho minha noona estar com uma faquinha na mão, mas fui mesmo assim.

Quando cheguei na sala lembrei que esqueci meu boneco, então subi as escadas correndo.

-"Noona, eu esqueci meu bo..."-interrompi minha fala com o que vi.

Minha noona deitada no corredor com os braços cheios de sangue.

Corri até ela.

-"NOONA!"-gritei chegando nela já sentindo meus olhos marejarem-"o que aconteceu noona?"-perguntei já começando a chorar.

-"Não chore, meu príncipe Hyun, a noona só vai dormir, sorria pela noona, ok? Lembre-se de quando eu ficava acordada"-falou sorrindo fraco e abrindo os braços num sinal para mim abraça-la, foi o que eu fiz.

Ela limpou as lágrimas do meu rosto e fez sinal para mim sorrir.

E assim eu sorri abraçando minha noona enquanto ela dormia... Eu vou esperar ela acordar... Assim como vou esperar meu appa, minha omma e o meu Hyung chegarem.

1 hora.

2 horas.

3 horas.

4 horas.

5 horas.

6 horas.

7 horas.

Eu estava cansado de ficar naquela posição, me afastei devagar para não acordar minha noona.

Andei pela casa procurando meu appa, minha omma e meu Hyung. Era estranho, eles deviam ter chegado mais cedo... O que aconteceu?

                 *    *    *

Eu estava em um orfanato, eu não sabia o porquê, só sabia que estava lá porque uma Ajhumma* me contou.

Eu estava com muito medo e triste, porque a Ajhumma e o Ajōsshi* disseram que eu não poderia mais ver minha família.

E isso fazia dois meses.

Dois hyungs se aproximaram juntos até mim.

Os olhei curioso.

-"Oi pequeno"-falou um de cabelos cinza.

-"Oi"-respondi meio tímido.

-"Tudo bem?"-perguntou o de cabelo rosa.

-"Nem tudo, e vocês hyungs?"-perguntei virando a cabeça de lado, quase encostando minha orelhinha no meu ombro.

-"Vamos bem"-falou o de cabelos cinza-"Bem, eu sou Kim Kibum e esse é Kim Heechul"-falou o que se apresentou como Kibum.

-"E você, como se chama?"-perguntou Heechul.

-"Byun Baekhyun"-falei levantando a cabeça.

-"Quer uma família nova Baekhyun-ah?"-perguntou Kibum sorrindo doce, eu assenti e ambos sorriram se entreolhando-"vem aqui então"-falou abrindo os braços e me pegando no colo, segurei seu ombro com uma mão ao que eles levantavam e me levavam e direção a uma Noona.

*Flashback Off*


Chorei mais alto com a lembrança vindo a tona. Eu não queria deixar Kyungsoo dormir como minha Noona, eu não podia acreditar que algo assim se repetisse...

Jongin chegou ali e eu o olhei de imediato.

-"Ele pediu para vocês irem"-falou e eu praticamente pulei da cadeira e saí correndo.

Ao chegar no quarto de Kyungsoo, eu entrei assustado observando da porta o menino me olhar.

-"Kyung..."-murmurei e corri para ele, eu o abracei forte como se ele fosse sumir.

-"Baek..."-murmurou de volta me abraçando na mesma intensidade-"Não consigo respirar"-disse por fim e eu me afastei o olhando, olhei para seus braços inteiramente enfaixados, algo me subiu, um pensamento. Me levantei e puxei as cobertas vendo suas pernas no mesmo estado que os braços, uma raiva e tristeza me subiu e eu cerrei o punho o tapando de novo.

-"Por quê?"-perguntei sem olha-lo ainda com os punhos cerrados.

Ele apenas fez um sinal para seu celular e eu peguei, assim que desbloqueei vi ele aberto em uma mensagem. Ao terminar de lê-la larguei o celular com calma tapando o rosto com as mãos.

-"Você deu ou vai dar ouvidos a esse desgraçado?"-perguntei entredentes com raiva, afinal, eu já sabia de quem se tratava.

-"Eu tenho que fazer Baek, não quero criar mais problemas para ninguém"-falou sério.

-"Você é idiota Kyungsoo? Você pode fazer mais denúncias que ele na polícia! Alegar tudo que ele lhe fez mostrando cada cicatriz!"-gritei com raiva, não podia acreditar que Kyungsoo realmente estava caindo naquilo.

-"Baekhyun! Eu não posso fazer isso! Querendo ou não ele é meu pai! Já sou uma vergonha para a família, se eu fizer isso vão me excluir de vez!"-rebateu com raiva e eu o olhei. Nunca vi Kyungsoo daquele jeito...

-"Ele não é sua família! Família não é de sangue! Eles nunca irão merecer você na família porque você é precioso! Deixa de ser egoísta! Nós somos sua família e fazendo isso você vai nos abandonar! Tudo que fizemos por você será em vão!"-gritei para ele, a raiva de ele ser tão egoísta por pensar daquele jeito me consumiu.

-"Eu sou um caso sem solução, Baekhyun, tudo que fazem já é em vão porque foi por mim"-falou com um tom de voz mais baixo-"eu sou uma bomba relógio, não quero vocês perto quando eu explodir porque eu os amo"-falou abaixando o olhar, seus olhos não tinham foco, estavam mais escuros do que o normal.

Ele levou as mãos as orelhas e se encolheu.

-"Eu sempre erro, eu errei"-falou olhando fixamente para frente como se tivesse algo ali-"Baek, me desculpa, mas tira ele daqui"-falou e finalmente os meninos chegaram, estranhando o comportamento de Kyungsoo.

-"Kyung... Não tem ninguém ali"-falei mais calmo me aproximando, mas seus olhos permaneciam fixos para frente-"Kyungsoo..."-chamei baixinho perto de si.

Minseok correu até nós e se sentou de frente para Kyungsoo.

-"O que aconteceu?"-Minseok direncionou a pergunta para mim olhando Kyungsoo com cuidado.

-"Ele ficou assim do nada..."-falei ainda alternando o olhar entre Kyungsoo e o ponto fixo ao qual o mesmo olhava.

-"O que aconteceu Soo?"-foi a vez de Jongdae perguntar para Kyungsoo se aproximando.

-"Ele está aqui..."-falou fechando os olhos com força.

-"Ele quem?"-perguntou Chanyeol se aproximando com Jongin para perto da cama de hospital.

-"Do Woohyun... Meu abōeji*"-falou se respirando fundo ainda de olhos fechados-"façam ele ir embora"-pediu choroso.

-"Soo... Abra os olhos"-pediu Minseok calmo, Kyungsoo abriu os olhos lentamente e arregalou os mesmo-"Não tem ninguém..."-falou baixinho e os cantos dos olhos de Kyungsoo ficaram enfeitados com lágrimas.

-"M-mas eu vi... Foi uma..."-ele não pôde terminar, então eu o fiz.

-"Alucinação"-falei com cuidado observando Kyungsoo se encolher mais, deixando apenas seu braço direito esticado por causa do soro, começando a chorar.

-"Por quê?"-perguntou baixinho para si mesmo.

-"Está tudo bem Kyung, uma hora ou outra você sabia que podia começar..."-falei tentando o reconfortar.

-"Eu não quero..."-falou baixinho olhando perdido para cada um de nós.

-"Kyungsoo... A gente vai ficar com você para te ajudar sempre que isso acontecer"-proclamou Jongdae.

-"Obrigado..."-falou e parou de se encolher um pouco.

O abracei, logo em seguida Minseok fez o mesmo.

-"Abraço em grupo!"-disse Chanyeol e ele e Jongdae se jogaram por cima de nós seguido de um Jongin risonho.

-"Meus deuses"-disse Kyungsoo rindo-"eu amo vocês"-falou e retribuiu o abraço da maneira que pode.

Ficamos naquilo até uma enfermeira entrar e dizer que precisava ver como estava o estado de Kyungsoo agora.

Saímos do quarto com calma, eu estava mais aliviado por Kyungsoo estar bem.

-"Baekhyunnie"-chamou Chanyeol e eu o segui curioso.

-"O que ouve?"-perguntei e ele me olhou, com os olhos grandes me observando eu perdi a concentração, esse era um dos efeitos de Chanyeol sobre mim.

-"Nada, só queria ficar com você"-falou e deu um beijo em minha testa fazendo eu fechar os olhos.

-"Você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida depois do Kyungsoo"-falei o abraçando e escondendo meu rosto corado em seu peito. Senti seu peito tremer quando ele riu baixinho.

-"Você também é a melhor coisa que me aconteceu depois da minha noona"-falou afagando meu cabelo, fechei os olhos pensando em onde eu estaria se não fosse por Chanyeol e Kyungsoo, o último podia ser um pouco depressivo e quieto, mas era meu melhor amigo, e realmente, assim como Chanyeol, me apoiou e me fez rir quando eu precisei.

-"Baekhyun"-chamou.

-"Sim?"-perguntei.

-"Eu amo você"-falou me apertando e soltando para me olhar.

-"Eu também"-falei sorrindo.

-"Também se ama ou me ama?"-indagou debochado.

-"Os dois"-falei e lhe dei um selinho aproveitando que o mais alto estava curvado-"agora vamos antes que achem que a gente foi fazer alguma coisa aqui no hospital"-falei rindo e puxando Chanyeol comigo.

-"A gente nunca fez..."-murmurou e eu corei lembrando de um detalhe que apenas Kyungsoo sabia.

-"Chegamos"-falei quando nos aproximamos dos meninos, diante daquela fala de Chanyeol eu não consegui dizer nada.

-"Até que foi rápido, achei que iriam demorar mais"-comentou Jongdae risonho, um que não perdia oportunidade para caçoar de nós desde que era do "trio dinâmico".

-"Deixa eles"-falou Minseok nos olhando de uma maneira que deixava claro que ele também pensou naquilo.

-"Eles não parecem ter tanto fogo"-falou Jongin, acho que nunca percebi o quão descarado Jongin era até começar a falar com ele.

-"Como assim nem tanto? Nem fogo a gente tem"-disse Chanyeol fingindo uma falsa indignação, ainda sorrindo.

-"Juro que tento acreditar em vocês, mas o barulho de cama batendo quando vocês dormiram lá em casa não deixa"-falou Minseok e eu lembrei o porquê daqueles barulhos.

Eu e Chanyeol começamos uma brincadeira idiota de se cutucar, quando caímos na cama continuamos com isso, até a gente se cansar e dormir abraçado. Foi louco.

-"A gente só estava brincando"-explicou Chanyeol, eu acho que ele nem se tocou de o quanto aquilo soou errado.

-"Disso a gente sabe"-Jongdae zombou e eu ri.

-"Vocês não prestam, a gente não estava fazendo nada, os safados são vocês"-falei rindo e eles me acompanharam.

-"Olá"-disse uma enfermeira chegando perto de nós, notei que era a mesma do quarto de Kyungsoo-"o menino Do só poderá ter UM acompanhante durante a noite"-esclareceu calma.

Nos entreolhamos. Eu achei melhor não ficar, eu bem que me estressaria, e naquela situação o que Kyungsoo menos precisava era de alguém estressado com ele.

-"Eu fico?"-disse Minseok em tom de pergunta me olhando, na verdade, todos me olhavam por eu conhecer Kyungsoo a mais tempo, apenas assenti diante daquilo.

-"Certo, o turno já acabou, quem for ficar tem de ir agora, me acompanhe"-falou a enfermeira e Minseok se despediu de nós indo com ela.

-"Querem dormir lá em casa?"-perguntou Jongdae, notei que sem Kyungsoo e Minseok ele ficaria sozinho.

-"Claro, Chanyeol, Jongin, vocês topam?"-perguntei já criando algo na minha mente.

-"Eu vou onde você for"-falou Chanyeol sorrindo.

-"Eu vou sim"-disse Jongin se animando um pouco, não tinha notado, mas ele estava um pouco quieto.

Ignorei.

-"Então vamos!"-Jongdae animado e todos nós seguimos ele para onde ficava os apartamentos, que não ficava tão longe do hospital.

-"Não vamos ter que ir até em casa para pegar roupas?"-perguntei confuso.

-"Não"-respondeu Jongdae negando com a cabeça-"tem vários pijamas de bichinhos lá"-explicou e assentimos.

-"Tem do meu tamanho e do Jongin?"-perguntou Chanyeol e eu sorri olhando ele, Chanyeol era tão fofo embora não aparentasse quando quisesse, como quando nos conhecemos.

-"Tem sim, eu e Minseok estávamos planejando fazer algo, e compramos, como ainda não fizemos, está lá"-disse calmo ao que chegamos nos apartamentos. Logo entrando no elevador e subindo ao 12° andar, onde Jongdae, Minseok e - agora - Kyungsoo moravam.

-"De que bichinhos?"-perguntei e ele sorriu malicioso.

-"O seu, Baek, é de gatinho, o do Chanyeol de tigre branco e o Jongin é de urso"-disse Jongdae sorrindo divertido e eu ri mais que ele.

Seria fofo ver o Chanyeol de tigre branco.

                *    *    *

Foi divertido.

Foi uma noite, sem dúvidas, super divertida.

E agora, estávamos indo em direção a um quarto livre, já que Chanyeol disse que queria conversar comigo a sós.

-"Baekhyunnie..."-chamou receoso trancando a porta e indo em direção a cama, ao qual eu já me encontrava.

-"O que ouve pra me chamar tão de repente?"-perguntei e ele me olhou meio sem jeito.

-"Baekhyunnie... Os meninos vivem comentando... E... E-eu pensei que poderíamos dar um próximo passo para o nosso relacionamento..."-disse Chanyeol meio envergonhado, eu não entendi, mas logo liguei os fatos e corei entendendo o que ele queria dizer.

-"Chanyeol..."-chamei baixinho, já estava na hora de ele saber aquilo, eu não poderia dar uma resposta concreta para aquilo, apenas poderia explicar algo.

-"O que ouve? Você ficou meio pálido de repente"-ele me olhou preocupado e eu engoli em seco.

Eu confiava o suficiente em Chanyeol para contar aquilo para ele.

-"Chanyeol... Nós... Eu acho que não posso fazer isso..."-falei baixinho e ele me olhou confuso-"quer dizer... Eu até posso, mas não vou sentir nada"-expliquei observando suas reações.

-"Baekhyun... Você não é gay?"-perguntou confuso e eu ri sem humor.

-"Chanyeol... Eu posso ficar tanto com homem quanto com mulher mas... Co-como vou dizer?... Eu não sinto prazer"-falei olhando para minhas pernas, eu já sentia lágrimas escorrendo de meu rosto, por que era tão difícil? Por que eu não podia simplesmente sentir?

-"Você já..."-ele não terminou a pergunta.

-"Já fiz preliminares... Mas nunca cheguei ao ato em sí por não sentir nada"-expliquei tentando falhamente esconder minha voz de choro.

-"Bebê... Não chora. Tá tudo bem"-pediu Chanyeol me abraçando de lado e eu me debati me soltando.

Ele não iria me amar mais, eu não poderia proporcionar para ele o que qualquer garoto mais interessante que eu poderia, eu não queria deixar ele frustrado, mas não dava...

-"Você não entendeu Chanyeol... Eu não sinto nada!"-eu explodi em lágrimas dizendo aquilo em voz alta-"você pode ir para qualquer garoto mais interessante que eu, ficar com ele, viverem felizes... Porque qualquer um pode dar a você o que eu jamais vou poder"-falei sentindo minhas pernas fraquejarem e eu caí de joelhos-"não vou atrapalhar sua vida com uma coisa assim... Apenas siga em frente como se eu não existisse... Eu nunca vou ser relevante mes..."-parei de falar ao sentir um tapa em minha bochecha, não foi forte.

-"Nunca mais diga isso"-disse Chanyeol sério se abaixando a minha frente e me abraçando-"eu te amo muito Byun Baekhyun, não é apenas um desejo carnal, é o desejo de ter você próximo a mim para sempre, é o desejo de acordar todos os dias com você ao meu lado, é o desejo de todos os dias poder ouvir ou causar suas risadas, o desejo de afagar seus cabelos e te abraçar quando você precisar, é o desejo de te abraçar o dia inteiro e dizer que te amo, é o desejo de marcar não sua pele, e sim, seu coração, eu não vou desistir de você por algo assim, não vou procurar outra pessoa porque não existe pessoa mais perfeita para mim do que vocês, Baekkie, seus defeitos só tornam você mais perfeito, entenda Baekhyun, eu amo você do fundo do meu coração"-segredou cada palavra no meu ouvido-"O que eu faria sem sua boca tão fofa? O que eu faria sem sua mentezinha com surtos que deixam você cada vez mais lindo? O que eu faria sem seu sorriso e seu cheiro? Eu amo cada pedacinho seu, seus defeitos, qualidades, curvas, olhos, sua voz... Tudo, você não tem noção de como meu coração fica despedaçado cada vez que vejo você chorar escondido, no banheiro, cada vez que vejo você desejar a própria inexistência"-disse ainda ao pé do meu ouvido, ele sabia? Como?-"você é meu começo e meu fim, Baekhyun, você é tudo que eu preciso para o resto da minha vida, eu sou inteiramente seu, e você é inteiramente meu que eu sei"-senti as lágrimas começarem a cessar a cada palavra de Chanyeol-"eu amo você, você é lindo chorando também, então, Baekhyunnie, nunca mais diga para mim agir como se você não existisse, sem você eu não estaria mais aqui também, você sabe que me ajudou e um momento extremamente importante, então Baekhyun, isso deveria ser um pedido de casamento, mas como ainda estudamos, esse será meu mais leal pedido de namoro, Byun Baekhyun, aceita me acompanhar eternamente?"-pediu e eu me afastei minimamente, olhei no fundo de seus olhos, que se mostravam brilhosos depois de chorar um pouco.

-"Sim, Park Chanyeol, eu aceito acompanhar você eternamente"-respondi colando nossas testas, ele fechou os olhos.

Então, naquele pedido único e silencioso eu o beijei, como se fosse a primeira vez, nós podíamos não estar em um ato, mas éramos inteiramente, de corpo e alma, um do outro.

Ele era meu universo, algo que eu jamais poderia pensar em viver sem, ele era meu tudo, e eu o dele.

Após alguns beijos, deitamos na cama, de frente um para o outro.

Chanyeol dormiu primeiro, ele dormiu me olhando, no caso, de olhos abertos, levei um dígito meu a cada um de seus olhos, fechando-os. O observei dormir calmamente, sorri pensando em como agora aquele rosto tão fofo e bonito era meu, pensando em como eu poderia ter um motivo para querer ficar com ele, não colados que eu não sou meloso, mas apenas na sua presença.

Então, enquanto pensava nisso, eu senti o sono vir enquanto fechava os olhos para dormir, olhei uma última vez para seu rosto angelical dormindo.

Chanyeol valia a pena de um modo que ninguém nunca valeu.


POV's Kyungsoo


A noite que passei com Minseok não consegui dormir, só conseguia pensar em Jongin.

Minha mente era mantida nele e em suas palavras, eu queria dar minha total confiança a ele, mas minha última decepção com isso não me permitia, da última vez, tudo deu errado. Eu nunca pude confiar em mais ninguém além de Minseok e Baekhyun. É claro que eu poderia confiar em Chanyeol e Jongdae, mas eu não conseguia ao todo, porque os conheci depois de tudo.

Me machucava, mas eu queria, eu podia, não tinha certeza disso, mas os dias com ele no hospital, essa noite, o quão sério ele me disse que eu era importante, que me amava, aquilo me quebrou ao que me ajudou.

Pela primeira vez, decidi a mim mesmo que iria quebrar aquela barreira entre mim e as pessoas, eu me permitiria confiar em Jongin.

Porque descobri uma resposta de um dos meus novos "talvez".

 Sim, valia a pena confiar em Jongin.


Notas Finais


Capítulo teve revelações, mas no próximo tem mais.
Foi muito ruim? Ou razoável?

Abōeji = pai
Ajhumma = senhora/tia
Ajōsshi = senhor/tio

Desculpa o pequeno atraso.
Comentem o que acharam do capítulo ou o que acham que vai acontecer no próximo...
Obrigada por lerem, Saranghaeyo!
Beijos de Nutella e arco-íris!
Anneyoung! 😺


Twitter: @dyowings


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...