História MAZE of DEATH! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Chansoo, Demonios, Exo, Hunhan, Kaisoo Xiuchen, Poderes, Sebaek, Terror, Universo Alternativo, Zumbis
Exibições 46
Palavras 1.665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei mais cedo, espero que gostem do capítulo! Boa leitura!

Capítulo 2 - Overdose!


Fanfic / Fanfiction MAZE of DEATH! - Capítulo 2 - Overdose!

Madrugada de sexta-feira, numa vizinha requisitada de Seoul, onde você podia andar por todas aquelas rua e não ouvirá nenhum barulho, não virá uma luz de alguma casa acessa através das janelas - não por que as janelas estariam fechadas. Mas você poderia passar por uma única rua e uma única casa estaria fazendo barulho e com as luzes acessas e em algum quarto ainda - por ser no segundo andar.

Essa casa tinha como morador Byun Baekhyun, 17 anos, iria se formar o ensino médio dali a uma semana - assim como todos seus 11 melhores amigos - pretendia ser ator, até fez curso de teatro encenação, mas isso não vale a pena discutir já que nem energia no mundo terá mais.

Baekhyun estaria no seus quinto sono se ele e o seu namorado Chanyeol - também 17 anos, pretendia ser músico - não tivessem brigado naquela tarde. Como Baekhyun era difícil de lidar, eles não se falaram durante o restante do dia, por isso Chanyeol está ali, ele pediu para os pais de Baek o deixar entrar durante a noite para conversarem, claro que os senhores Byun toparam o acordo, até por que, se eles não deixassem, Baek ficaria revoltado até se reconciliarem e ele já ficou três meses revoltado por esse motivo - quando ele fica revoltado, você nem chama o padre, invoca Jesus ali que talvez só Jesus daria conta!

A questão era, Baekhyun não fica puto à toa, quando eles ficaram três meses separados, foi por que Chanyeol deu crise de ciúmes e partiu pra cima de um de seus melhores amigos, Sehun - o segundo mais novos da turma dos 12, tem 17 anos e queria ser escritor de drama, dramático é seu sobrenome: Oh Sehun - viu os dois abraçados dançando numa festa. Baekhyun achou isso estúpido e afins, e decidiu dar um tempo.

O motivo da briga agora era por que Chanyeol foi flagrado por Baek beijando outro de seus amigos Kyungsoo - também 17 anos, fotógrafo se o mundo não tivesse virado o inferno e tem o apelido de D.O. Porque? Por que Kyungsoo está sempre de olho, D.O.

- Você é tão hipócrita! - Jogar palavras na cara de Chanyeol era seu esporte favorito. - Você só faltou enfiar uma faca no Sehun só por a gente está dançando, coisas que amigos fazem quando o seu namorado esquece que você existe, e agora está reclamando por eu estar puto da vida por ver você BEIJANDO o D.O? - Ele praticamente grita o "beijando" grita e ainda dar um leve empurrão para sair de frente da porta se ida para o andar de baixo.

- Você pelo menos ouve minha versão, não é isso que está pensando! - Chanyeol se defendia seguindo Baekhyun até a cozinha. - Não foi nada de mais...

- Nada de mais? - Baekhyun bate a porta da geladeira que tinha acabado de abrir. - Não é isso que você está pensando? - Agora se virou para Chanyeol e colocava seu dedo indicador no peitoral dele. - É isso que você a dizer? É sério mesmo que vai usar essas desculpas como argumentos?

- Por que não tem muito a dizer! - Pegou o menor pelos braços e o segurou firme olhando em seu olhos. - Se você tentasse nos ouvir entenderia!

- Não me pegue mais desse jeito! - O pequeno puxa seus braços e o empurra para se afastar. - Eu não quero ouvir nada, não preciso entender nada, até porque não somos mais nada! - Se vira voltando para a geladeira, pega uma jarra de vidro com água e vai para a pia onde tinha copos no seca louça. - E vai embora daqui!

- Como é? - Nunca algo que o Baekhyun disse tinha o machucado como essas que dissesse agora. - Você está terminando comigo?

- Você é surdo por acaso? - Tentava fortemente controlar o timbre de sua voz junto com a vontade de chorar. - A gente não é mais alguma coisa, não somos mais namorados e, provavelmente, não conseguirei voltar a ser seu amigo! - Ele permanecia de costa para Chanyeol, não pretendia olhá-lo isso faria ele chorar e não queria chorar na frente de Chanyeol, não dele

- Baekhyun... - Começa mas é interrompido

- Vai embora daqui! - Sua voz agora estava sobrecargada e elevada.

- Deixa eu me explicar! - Estava quase gritando, sua voz estava marejada ao choro.

- VAI EMBORA DAQUI, CHANYEOL! - Gritou no mesmo instante que atirava um copo em Chanyeol. O copo passou de raspão pelo seu rosto, acertando uma parede. - Vai embora, agora!

Chanyeol ficou um tempo tentando processar o que tinha acontecido ali, olhava para a chão e de relance para Baekhyun que estava soluçando de choro.

- Só me ouvi! - Tentou dizer.

- Só vai, Chanyeol, não quero lhe acertar essa jarra de vidro em sua cabeça! - Disse ao soluço, sentando no chão com as mãos passando em seu cabelo. O maior ficou um tempo olhando para ele antes de sair correndo para fora da casa.

Baekhyun ficou ali sentado chorando descontroladamente, certamente seus olhos ficariam muito inchados!

Sua mãe apareceu segundos depois que a porta da frente foi batida fortemente, foi até seu filho sentando no chão, ignorando e evitando pisar nos cacos de vidro, ela sentou ao lado e o abraçou.

- Vai passar! - Disse após dar três tapinhas em sua costas.

- Olha, omma, ajudou muito! Olha... - Disse irônico levantando a cabeça e olhando para ela.

- Mas agora é sério, você poderia ter ouvido o lado dele, nada é o que parece quando você não sabe o que realmente ouve! - Ela disse pondo a cabeça dele sobre seu ombro e alisando seu cabelo.

- Mas, omma, eu vi ele beijando o D.O! - Disse. - Não era uma bitoquinha, era um beijo com amasso mesmo, só faltavam se engolir ali e tem mais, se eu não tivesse interrompido, coisas indecentes teriam acontecido.

- Entendo seu ponto de vista! - Disse limpando as lágrimas do rosto de seu filho. - Mas vocês deveriam ter conversado com mais calma, deveria ter buscado ver o lado um do outro.

- Sei lá... As coisas mudaram comigo e o Chan, não é mais como no início... - Dizia fazendo bico.

- Nada permanece como no início, tudo muda, as vezes para melhor outras para pior! - Disse e batidas na porta dos fundos foi ouvida.

- Se a batida é na porta do fundos isso significa que deve ser o Sehun... - Disse Baekhyun saindo do ombro de sua mãe para que ela atendesse a porta.

- Sempre incomum! - Disse ao abrir a porta. - Mas ainda bem que veio!

- Eu ouvi os gritos de Baek aí vim dar força moral para nosso querido revoltado! - Disse se curvando e entrando na casa. - Onde ele estar?

- Aqui no chão! - Disse Baekhyun levantando o braço.

- Bom, eu vou limpar esses cacos de vidro e vou deitar! - Disse a senhora Byun.

- Pode deixar que eu limpo, omma! - Baekhyun disse aceitando o convite para se levantar que Sehun tinha acabado de fazer.

- Tudo bem, então! Boa noite! - Disse indo para seu quarto.

- Boa noite! - Disse em coro.

- Temos duas opções: ficamos conversando sobre isso a madrugada toda; ou irmos dormir abraçados enquanto faço cafune em você! - Disse Sehun encarando o pequeno. - Você que escolhe!

- Como recusar seu cafune? - Disse Baekhyun dando seu sorriso quadrado. - A segunda opção parece a melhor!

- Então vamos! - Disse pegando na mão de Baek.

- Espera, deixa eu limpar essa sujeira que eu fiz. - Disse soltando sua mão e indo pegar a vassoura e a pá.

- Estava bem alterado hoje, hein?! - Sehun comentou e recebeu um olhar de reprovação.

Depois de Baek ter limpado o chão, eles foram deitar. Baekhyun ficou deitado no peitoral de Sehun enquanto o próprio acariciava seu cabelo. Ficaram ali até pegarem no sono.

*

Aquela madrugada foi longa, não só para o ex casal, mas também para a polícia e médicos de plantão.

Foi naquela madrugada onde tudo começou e começou numa balada. Era uma balada exótica, com stripes e gogoboys, altas bebidas com várias misturas loucas e drogas, muitas drogas, eram tantas que entoxisava o lugar e deixa todos muito loucos! No meio dessas drogas, tinha uma nova que tinha sido transportada do Estados Unidos, uma droga sintética, essa droga "transforma" as pessoas que a ingeriram em "zumbis", devorava outras pessoas e tudo mais. As pessoas que foram mordidas por essas pessoas "zumbificadas" não se transformava em zumbi.

Bom, não havia relatos sobre isso até aquela madrugada.

Aquela droga misturada com bebidas alcoólicas fazia uma reação no corpo daquela pessoa: além de transformar a pessoa em zumbi, contaminava o seu sangue, saliva, esperma e afins, fazendo que contaminassem outras pessoas.

Seu sangue se contaminava após três minutos, porém demorava meia hora para que a pessoa se transformasse, em meia hora, numa balada, pode acontecer muita coisa, muitos beijos, muitas relações sexuais.

E assim o alastramento começou!

O lugar era enorme, mais de mil pessoas cabia ali. Algumas pessoas só deram conta do que estava acontecendo uma hora depois, nessa hora, metade da balada estava contaminada. Algumas pessoas conseguiram fugir e ligaram para a polícia, mas foi o mesmo que não ter ligado, as atendentes acreditavam que era trotes e que não mandaria polícia nenhuma - quem acreditaria que estava tendo um ataque zumbi? Depois de muitos ligarem, mandaram uma viatura com dois policiais no lugar, assim que chegaram e saíram do carro, foram devorados.

O lugar estava completamente detonado, sangue e corpos por todo canto.

Pessoas contaminadas correram para o hospital mais próximo deles e lá contaminou mais pessoas! Não tinha nem amanhecido ainda e a situação já estava fora de controle.

Será que pode piorar?


Notas Finais


Gostaram? Opinem! Até a próxima capítulo/semana!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...