História Me Ache! - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hopev, Menção Hopekook, Menção Jihope, Menção Namgi, Menção Yoonjin, Seoktae, Taeseok, Top!taehyung, Vampiro!au, Vhope
Visualizações 87
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei? Sempre pedindo desculpas >..<

Capítulo 13 - Eu sou completamente seu, você sabe...


Fanfic / Fanfiction Me Ache! - Capítulo 13 - Eu sou completamente seu, você sabe...

HoSeok demorou a acordar, o que era estranho, já que ele não era de “dormir”, sua cabeça girava de uma forma que nunca havia girado antes, aliás, parecia ser vítima de uma enxaqueca forte, o que lhe causou um leve desespero. Desde que se transformara nenhuma doença humana o atingira e aquela sensação não era boa, nem de longe uma das suas mais adoradas. Queria rir de sí mesmo, estava deplorável. Parecia que algo bem pesado e duro havia o atingido e que ele, por sorte, havia sobrevivido. O que seria um sonho para ele, seria até uma dádiva não estar mais nesse mundo caso sua preocupação com TaeHyung não fosse a sua maior prioridade assim como o desejo de beijá-lo e tomá-lo para si. E outra coisa que ainda o deixava inquieto, ele não tinha noção de onde estava. Só sabia que estava ali por causa de Park Jimin e Jeon JungKook, de uma flor estranha e de uma armadilha bem planejada. Mas em seu íntimo sabia que a mensagem havia chegado para o Min e que eles tinham algo em comum que ninguém poderia lhes tirar, a tatuagem guia. Ele o encontraria e disso HoSeok tinha certeza.

Então o que lhe preocupava era outra coisa. Jimin era forte, um dos mais fortes que ele conhecia, mas ainda assim não era páreo para YoonGi, contudo ele era apenas um e não conseguiria derrotar Jimin aliado a JungKook. O Jeon já tinha força além da medida como humano, como vampiro então era um perigo, ainda mais recém transformado. Seu melhor amigo não conseguiria o tirar dali e por mais que ele desejasse, parecia que algo lhe enfraquecia. Seria a flor que os “mais novos” usaram em sí? Tsc… se sentiu tão inútil que quis achar uma estaca que perfurasse sua pele, músculos, ossos e coração.

– Acordou hyung… – uma voz baixa ecoou por seus ouvidos. Reconheceria aquela voz de longe e sabia bem de quem se tratava. – Está desconfortável? Quer que eu afofe seus travesseiros para você?

– Você sabe o que eu quero, mas antes que o faça, preciso que me explique como conseguiram me capturar. – JungKook crispou os lábios e não quis fazer aquilo que seu hyung estava pedindo, mas era HoSeok ali e ele não negaria nada a ele, já havia feito coisas demais que ele não queria.

– Uma flor hyung. Uma flor que tem um alto poder sedativo. O Jimin hyung descobriu ela por acaso em um mercado que ele não me disse aonde. – o moreno dizia baixinho enquanto acariciava a fronte do mais velho. – Me desculpe por isso. Eu não queria te trazer assim. – o vampiro “mais novo” estava sendo sincero. Por ele as coisas não seriam como estavam sendo. Ele não queria sequestrar HoSeok para obrigá-lo a viver aquele amor a três. Para JungKook a aceitação era mais importante do que qualquer coisa e ele sentiu que não estava caminhando em direção a tal queria aceitação. O Jung estava preso ali e provavelmente lhe odiando intensamente.

O Jung procurou em sua mente algo que desse veracidade à aquela informação. De fato tinha sim conhecimento de algumas plantas que tinham um certo efeito sobre eles e que as encontraria espalhadas pelo globo, assim como encontrou o homem que fizera sua tatuagem em conjunto com a de YoonGi. E pelo visto Jimin havia encontrado a pessoa que vendia tais produtos. Então, depois de olhar ao redor, reparou que havia uma quantidade considerável da tal planta perto de si, mas o que não entendia era porque JungKook não estava sendo submetido aos seus efeitos.

– Se isso é verdade, porque então você não está sobre o efeito dela? – JungKook se remexeu sobre a cama e tirou um vidro do bolso, parecia um extrato de algo.

– Estranhamente o antídoto para o efeito da planta se encontra na própria raiz dela. – ele agitou o vidrinho sobre os olhos de seu hyung. – Jimin hyung e eu tomamos antes de chagar perto da flor. E é por isso que… – a voz do mais novo morreu na garganta assim que uma terceira presença fora sentida no quarto. Indiretamente ele sentiu medo. Era mais forte e mais rápido do que o outro, mas, ainda assim, se sentia intimidado por ele. JungKook tragou em seco e mesmo que não precisasse, respirou fundo.

HoSeok sentiu isso e talvez aquilo fosse a arma de que precisava. Jimin não teria forças para ir de encontro a ele e JungKook juntos. Aproveitando-se de que o Jeon fingia ajustar melhor seu travesseiro o mais velho tratou de plantar algo dentro da mente daquele rapaz. Sabia que ele não era como muitos pensavam. JungKook era inocente ainda e sua maior dor era ver que ele havia se corrompido a ponto de entrar nesse mundo, no qual, ele queria sair. HoSeok queria morrer e um dia ele iria conseguir.

– Você não precisa fazer isso. – sussurrou rente ao ouvido alheio, fazendo com que o mesmo se arrepiasse.

– Mas eu te amo hyung e o Jimin hyung também. Ele está ao meu lado e do seu, entenda. E isso foi preciso para que você entendesse que o seu lugar é ao meu lado. – HoSeok suspirou e elevou um pouco a cabeça, acabando por fazer o que estava querendo, beijar JungKook. Este que o correspondeu com todo o carinho do mundo, mal estava acreditando que em tão pouco tempo seu hyung houvesse o correspondido assim. Estava se iludindo com aquela ideia.

As línguas se enroscaram e os lábios se encaixavam perfeitamente permitindo que o ósculo durasse o tempo necessário para que os barulhos e o filete de saliva que escorrera após as bocas serem separadas fizessem com que JungKook percebesse o quanto estava perdido de amores por aquele hyung de cabelos ruivos. Achara que havia sido uma boa ideia ser transformado, mas aos poucos percebia que outra ideia sua não havia sido tão boa. Isso porque sentiu seu puxado por um Park Jimin enraivecido.

– Ele só quer ajudar a si mesmo, Kook, me escute. – HoSeok teve tempo de dizer antes que o mais novo se afastasse completamente de si.

– Que maldade não ter me convidado HoSeok hyung, Kook-ah. Mas peço que você saia. – Jimin disse olhando para o vampiro mais novo. – Eu preciso conversar seriamente com esse hyung. – JungKook apenas fez que sim, deu uma última olhada para o mais velho e sumiu porta afora. – Agora que estamos a sós eu preciso te ensinar uma coisa…

 

[...]
 

TaeHyung observava a cidade do topo da cobertura do seu prédio, as mãos nos bolsos da calça, o casaco um tanto longo tremulando ao sabor do vento. Vento esse bem fresco lhe batendo no rosto assim como os poucos respingos que começavam a lhe banhar os fios castanhos. Mas ele não tinha porque se incomodar com aquilo, realmente ele não se incomodava. A sensação de poder sentir tudo ao seu redor era boa, bem como o doce gosto que não amargava mais em sua boca. Estava tudo bem agora. Ele sorriu, pela primeira vez naquele dia agoniante, sorriu. Seus olhos foram de encontro as pequenas luzes da cidade que passavam a ser chamuscadas pela chuva em um doce misto de texturas.

– Está tão frio aqui fora. Vai adoecer se continuar ai. – SeokJin lhe interrompera os devaneios com um sorriso pequeno no rosto.

– Adoecer? Sério isso hyung? – retrucou, descendo de onde estava, a beirada do prédio e caminhando lentamente em direção ao Kim mais velho.

– Ah, me desculpe, eu me esqueci. – o acastanhado riu soprado. – Assim como a NamJoon, a partir de agora, doenças humanas não lhes atingem mais. -Taehyung riu, estava tudo bem. O frio não ia mesmo o incomodar. 


Notas Finais


- O que acham que vai acontecer?
- Gostaram do desfecho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...