História Me Ame Com Vontade - Capítulo 13


Escrita por: ~, ~Crazy00 e ~yuki-ki

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Galinha, leão, Lemon, Lobo, Ovelha, Raposa, Yaoi, Zebra
Exibições 211
Palavras 924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Foto abaixo: Ovelhinha

Obs: Demorou mais graças ao meu celular que tá lotado de vírus e me fez reescrever o cap três vezes. ;_;
Só faltei desistir.

Capítulo 13 - Stalker


Fanfic / Fanfiction Me Ame Com Vontade - Capítulo 13 - Stalker

Wolf Pov's 



Assim que saímos da escola, segurei a mão da Ovelhinha. - Nunca fui a sua casa antes... Onde você mora?

Ovelhinha: Aqui pertinho. - Retruca. Seguidamente sorrir. - Hansol vai nos levar. - Completa.

- Hansol?

Súbito uma limosine pará no meio da rua, em nossa frente. Um cara velho de pálito e gravata desce do carro e corre até a porta traseira do passageiro e abre.

Ovelhinha: Hansol, meu motorista

Hansol: Por favor, entre senhor Ovelha.

- O quê?!... - Fico boquiaberto.

Ovelha me puxa e me guia para o carro. Então entramos.

- Uau... Você é um daqueles riquinhos que são matriculados pelos pais em escolas medianos por castigo? 

Ovelhinha: Não. Eu escolhi minha escola. 

- Com base em que? Se tem condições de estudar em uma melhor.

Ovelhinha: Não tá feliz por eu estar na mesma escola que você? 

- Não é isso... Só estou curioso. 

Súbito o ovelha escondeu seu rosto. 

- O quê foi? Te deixei com vergonha? 

Ovelhinha: Fo-foi por sua causa... 

- Aí meu deus...

Ovelhinha: Eu te vi nos campeonatos e você tava demais. Praticamente em tudo! Então eu me matriculei no mesmo minuto pra poder ficar perto do meu Senpai incrível.

- Nossa... Você realmente é um stalker!

Que estranho e obsessivo! 

Ovelhinha: Me acha maluco, neh... Eu sei que sim! 

- Só um pouquinho... Mas ainda assim, não deixa de ser super fofo. - Falo tentando acalma-lo. E consegui. Ele desceu as mãos do rosto e pude vê-lo. Ele estava com as bochechas super coradas, e até lacrimejava, mas não era de tristeza. Pelo contrário ele estava super feliz.

- Só espero que não seja aqueles tipos de fanáticos, que têm fotos da pessoa que ama coladas na parede fazendo um álbum bizarro de fotografias que tirou escondido. - Falei para fazê-lo rir.

De repente Ovelhinha começa a chorar. - Desculpe, eu tiro as fotos hoje mesmo! Eu juro!

- Quê...? Você tem... Uau. - Fico boquiaberto.

Acho que eu deveria correr agora. Sei lá. Tô morrendo de medo, mas ao mesmo tempo excitado com seu jeitinho fofo tentando esconder o rostinho e chorando de vergonha.

- Calma, para de chorar. Eu sou seu ídolo, neh? É normal você colecionar minhas fotos. As pessoas fazem isso o tempo todo. Não chora, por favor.

Ovelhinha: Tá... Então - falou, enquanto enchugando seu rosto. 

O beijo na boca, dessa vez foi diferente das outras vezes. Pedi passagem com a língua e ele cedeu. Invadi a língua em sua boquinha pequena. Procurei como um louco a reciprocidade de sua língua. Ele enrolou sua língua na minha. Era quentinha e macia.

Súbito sinto sua mãozinha adentrar em minha blusa. Era tão pequena que até fez cossegas. Ele apalpou os gominhos do meu abdômen. Sua mão tava tão fria, era gostoso. 

Me vinguei, desci minha mão para o seu bumbum empinadinho, e apalpei de vagar pra não machuca-lo. Ovelha é diferente de mim. Ele é mais novo e pequeno. Mal tem músculos. Parece uma menina. Por isso tomo cuidado pra não usar muita força.

Ele sobe a mão para meu peito, e toca meu mamilo acariciando. Eu até gostei, só que daí ele beliscou forte meu mamilo sensível. Desfiz o beijo gemendo de dor. - Aaaiiiii

Ovelhinha: Que foi? Eu fiz algo errado? - Questiona entrando em pânico.

- Calma, tá tudo bem. Vem, vamu continuar. - Falo voltando a beija-lo.

O sinto novamente acariciar meu mamilo e seguidamente beliscar. Aguentei firme aquela dor. Se ele quer fazer isso, não tem problema. 

Agarrei seu cabelo e puxei fraquinho pra não doer.

Ele piora a brincadeira! Sinto-o azunhar meu abdômen. 

Desfiz o beijo. - Tá me machucando, sabia? - Questiono tentando não parecer que tou brigando com ele.

De repente o carro parou. 

Ovelhinha: Chegamos! - Fala super alegre e ignorando minha pergunta.

Desço do carro com ele puxando meu braço histéricamente.

Então deparo-me com sua casa. Era enorme! Tipo quatro vezes maior que a minhas, e eu já achava a minha grande!

Havia uma piscina integrada num jardim. A água era tão cristalina que refletiu as rosas e outras flores coloridas que haviam naquele jardim avantajado.

Alguns empregados podavam algumas árvores, como se aquele jardim não pudesse ser mais perfeito.

- Uau! Que incrível! Você é tipo... Super rico?!

Ovelhinha: Pará! Isso tudo é dos meus pais!

- Tá, e o que eles fazem exatamente? Você tá fazendo suspense desde que nos conhecemos..

Ovelhinha: As empresas dos meus pais são as maiores patrocinadores do mundo de esportistas do mundo. Eles trabalham com esportistas recordistas em diversas áreas, tipo tênis, tênis de mesa, ginástica rítmica, futebol, basquete, skate, surf e outros esportes que são difíceis de pronunciar. Inclusive eles estam no Havai assistindo algumas competições de surf.

Uau... Os pais da Ovelha são incríveis! Aposto que ele deve conhecer vários esportistas olímpicos famosos!

O que me faz pensar...

- Porque me escolheu? Poderia ter qualquer um sendo tão rico e uma gracinha.

Ovelhinha: Eu não gosto de esportistas! Eles são todos superficiais e narcisistas! Não sabem conversar sobre outra coisa que não seja o seus músculos perfeitos e definidos.

- Uau, então o que tá fazendo comigo?

Ovelhinha: Eu já te achava incrível antes e agora te conhecendo... Você é diferente dos outros. Você fala de sentimentos, dos seus amigos e família. Eu gosto de te ouvir e até me faz rir com seus momentos engraçados com seus irmãos. 

Abracei o Ovelhinha com força. E até o ergui do chão. - Obrigado por ser tão sincero.

Ovelhinha: Você só precisa acreditar em si mesmo, Senpai. Eu acredito. E até ergui um altar pra você no meu quarto. Rezo todos os dias pra você nunca deixar de ser incrível.

- Altar?...

Ovelhinha: É lindo. Quer ver?

Puts... Ele me dá muito medo!


Notas Finais


Próximo cap: O que será que a Ovelhinha está planejando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...