História Me Ame SENPAI!! - Capítulo 2


Escrita por: ~, ~FujoshiGirl e ~Im_a_usagi

Postado
Categorias Inazuma Eleven (Super Onze)
Personagens Afuro Terumi (Aphrodi), Atsuya Fubuki, Endou Mamoru, Fideo Ardena, Fudou Akio, Fuyuka Kudou, Genda "Genou" Koujirou, Haruna Otonashi, Hijikata Raiden, Ichinose Kazuya, Kabeyama Heigorou, Kazemaru Ichirouta, Kia Hiroto, Kidou Yuuto, Kogure Yuuya, Midorikawa Ryuuji, Nagumo Haruya (Burn), Natsumi Endo, Personagens Originais, Shirou Fubuki, Shuuya Goenji, Someoka Ryuugo, Suzuno Fuusuke, Tachimukai Yuuki, Tsunami Jousuke, Utsunomiya Toramaru
Tags Midorikawa X Hiroto, Suzuno X Nagumo
Exibições 38
Palavras 1.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ESCOLHI UM TÍTULO! FINALMENTE!

Bunny: Tenho certeza de que poderia ter um nome melhor.

Poderia, mas eu não consegui pensar em nada que não ficasse muito grande.

Boa leitura Tortinhas de Morango.

Capítulo 2 - Ela Não é Tão Assustadora


→Fubuki←

Ela estava me acompanhando até em casa, eu disse que não precisava, porém ela insistiu, e eu não pude ir contra, ela falava a todo momento que sempre me amou, e que sempre tirou fotos minhas, fico pensando se ela não tem uma foto minha sem roupa, acho que ela não teria coragem para fazer isso.

“Continue com esse pensamento…”

— Bem, chegamos. — Falei um pouco aliviado, ela falando a todo o momento que me amava, isso me deixava um pouco nervoso.

— Oh! Está bem. — Ela parecia um triste.

— Até amanhã. — Falei dando um breve aceno

— Até. — Ela falou sorrindo.

Eu entrei dentro de casa, e a ficha logo caiu, ela pode vir aqui amanhã, eu não deveria ter dito aquilo, mas o melhor a se fazer agora é relaxar, e tomar um remédio para dor de cabeça, é claro. Fui a procura do remédio, e pra minha sorte -percebam o saracasmo- não encontrei o remédio em comprimido, minha única opção é tomar o líquido, que tem um gosto horrível.

— O.k… 1, 2… 2,5... 2, 75... 3! — Falei bebendo o remédio. — Odeio essa coisa!

O remédio acabou deixando um gosto ruim na minha boca, e eu corri para a geladeira á procura de algo doce, e achei sorvete, como esse sorvete foi parar aí?

“E isso lá importa, é sorvete!”

Peguei uma colher, e segui em direção a sala, liguei a televisão, estava passando algum filme que eu não pude identificar qual o nome, estava em uma parte que a menina estava chorando.

— Ele terminou comigo por mensagem. — Ela falou abraçando um travesseiro.

— Ele é um babaca! — Exclamou uma garota que parecia ser amiga da personagem.

Eu continuei vendo o filme, e continuei acabando com o meu sorvete ao mesmo tempo, até o filme chegar em uma parte estranha.

— Lindsei, não pule eu te amo ! — Um cara até então desconhecido -que nem havia aparecido no filme- falou para a garota.

— Oh ! Honey pularmos juntos, e nosso sangue… Será vendido á  vampiros altamente aleatórios !— Ela parecia estar lendo alguma coisa.

— Não, prefiro ficar com a Julie, Se vira aí.— Ele falou saindo do terraço.

— Vou jogar o marquinhos então.— Ela falou pegando uma pessoa -QUE APARECEU DO NADA- e jogando de cima do prédio.

— O que eu acabei de ver? — Perguntei um pouco confuso.

— Você acabou de ver "Esse é o filme mais mal desenvolvido da história"! — Falou algum apresentador da televisão.

— Isso… Foi estranho. — Falei dando uma colherada no sorvete.

Levantei e fui em direção ao banheiro, precisava urgentemente de um banho, precisava pensar, e o melhor momento para isso é no banho.

“E quando está prestes a dormir.”

Você estava demorando para aparecer, já estava começando a achar estranho.
Me despi, e coloquei a água na temperatura mais gelada, água quente não me agrada muito, entrei debaixo do chuveiro, e deixei aquela água gelada escorrer pelo meu corpo causando-me arrepios, e também uma sensação de relaxamento.
Comecei a pensar naquela garota de mais cedo, à… Qual nome dela mesmo?

“Ela te acompanhou até em casa, e você não sabe o nome dela?”

Eu estava tentando entender o por que dela ficar tirando fotos de mim, e eu nunca ter percebido!

“Hoje pela madrugada você ouviu um barulho, poderia ser da câmera.”

Agora que eu parei pra pensar, como ela teve coragem de sair de madrugada, apenas para tirar um foto minha, ela podia ter se machucado, ou ter sido sequestrada, ou pior ainda!

“O melhor a se fazer agora é terminar o seu banho, e ir dormir, ou melhor tentar, já que ela pode te observar dormindo, e isso tiraria o sono de muitas pessoas.”

Eu nem conheço ela direito, mas já sei que ela é estranha
Me enrolei em uma toalha, e sai do banheiro, indo em direção ao meu quarto, olhei pra janela, só pra garantir que ela não estava ali, não havia sinal de que ela estava ali, mas só para garantir eu fechei janela, e puxei as cortinas, apenas para garantir, eu não tô com nenhum tipo de medo dela ficar tirando fotos minhas sem roupa!

“Claro, que não...”

Para com o sarcasmo, por favor?!

Vesti meu pijama, e entrei debaixo dos cobertores, espero que ela não fique me observando, ou que fique tirando fotos minhas, ou... Senti meus olhos pesarem, e logo eu adormeci.

(…)

Acordei com um barulho, parecia que alguém estava batendo em algo de vidro, olhei em volta e me surpreendi ao ver à… Eu preciso mesmo perguntar o nome dela! Fui em direção a janela, me perguntando se ela estava realmente ali, percebi que ela fazia sinais para eu abrir a janela, a abri e ela entrou logo me abraçando.

— Ohayo Senpai!

— Ohayo… O que você está fazendo aqui?

— Você falou até amanhã, então eu entendi que podia vir aqui amanhã! ou melhor hoje. — Ela falou apertando mais o abraço. Se ela apertar mais um pouco, eu perco todo o meu ar.

— Entendi…  Quer comer alguma coisa? — Perguntei desviando os olhos dela. Sei que isso podia fazer ela ficar mais tempo, mas não queria parecer mal-educado.

— Não, obrigada. — Ela falou -finalmente- me soltando. — Eu posso te pedir um coisa?

— Claro. — Falei com um pouco de medo do que poderia vir.

— Posso pentear seu cabelo, por favor. — Ela falou brincando com seus dedos.

— Pode. — Falei um pouco mais calmo, eu achei que ela pediria algo completamente absurdo, mas pentear o meu cabelo é algo bom.

“Safrado…”

Calada!

Ela pegou uma escova que estava em cima da cômoda -que eu nunca havia visto no meu quarto- e começou a escovar lentamente o meu cabelo, é uma sensação até um pouco prazerosa, e dá até um pouco de sono… Muito sono na verdade. Eu já estava quase dormindo de novo.

— Acabei!

— O-o que?

— Eu já terminei de arrumar o seu cabelo. — Ela falou levantando e pegando um espelho -que eu não sabia que tinha no meu quarto-e logo me entregando.

— I-isso… Isso é?

— Sim! São marias-chiquinhas, acho que combina com você! — Ela falou sorrindo.

— Tá… — Desviei os olhos dela parando no relógio que se eencontrava na cômoda. — Já está quase na hora de me arrumar, pra ir á escola.

— Tá, nos vemos daqui à… Uma hora! — Ela falou indo até a janela.

— Não é mais prático ir pela porta?

— Sim, é mais prático, porém ir pela janela é mais divertido. — Ela falou saltando pela janela, acabei olhando pra baixo para verificar se estava tudo bem.

Acabei sorrindo vendo ela -provavelmente- correndo para casa, fui em direção ao banheiro ainda pensando nela, pelo pequeno tempo que passei com ela percebi que ela não é assustadora como eu pensava, me olhei no espelho, realmente,  esse penteado combinou comigo.

— Shirou quem era aquela garota? — Atsuya falou aparecendo -do nada- no espelho e cruzando os braços.

— Ela é à… Eu não perguntei o nome dela, de novo! — Falei um pouco irritado comigo mesmo.

— Você não perguntou o nome dela?!

— Eu acabei esquecendo…

— Não importa que é! Apenas livre-se dela, ela atrapalha nossa perfeição!—   falou sumindo sem me dar a chance de responder.

Respirei fundo. Sempre que alguma garota tentava se aproximar de mim, Atsuya dava um jeito de se livrar dela, ele assumia o controle ou me convencia a parar de falar com a garota. Eu espero que isso não ocorra dessa vez, estou considerando aquela garota uma boa amiga.

“Nossa, ela entrou na friendzone.”

Friendzone? O que é isso?

“Friendzone! Zona de amigo! Pior lugar do mundo!”

Esqueci que ela gosta de mim. Mas, por que ela gosta de mim ? Eu realmente não vejo motivos pra ela gostar de mim, ou talvez ela tenho se apaixonado pela personalidade de Atsuya, a maioria das pessoas o preferem, ao invés de mim,  então provavelmente é isso.

“Ou talvez ela jogue futebol,e achou que você é um bom jogador, mas seria mais fácil você perguntar a ela.”

Talvez você esteja certa. O melhor é eu preguntar por qual motivo ela gosta de mim, e perguntar o nome dela, principalmente, já está ficando chato não saber o nome dela. Mas o melhor a se fazer agora é tomar banho, eu sinto que eu estava inventando motivos para não tomar banho.

(…)

Eu já havia tomado banho -com muita preguiça é claro- e agora apenas estava sentado na minha cama jogando algum jogo aleatório para passar o tempo.

— Eu perdi meu bloco de notas, pode me ajudar a procurá-lo? — Falei lendo a fala do Lysandre, uma pessoa mais esquecida que eu. — DE NOVO? Já perdi ás contas de quantas vezes você perdeu essa coisa, e eu tive que procurar!

— Pois é sempre temos que procurar esse bloco de notas, vida de docete é assim…— Falou á… O ser de nome não identificado.

— Quando foi que você… Esquece.— Falei levantando da cama, porém ela me fez sentar de novo.

— Você desfez as marias-chiquinhas? — Ela perguntou me olhando nos olhos.

— Bem... E-eu tive que tomar banho, então eu tive que desfazer as marias-chiquinhas. —Falei com um pouco de medo do olhar dela

Ela suspirou e pegou escova –que eu novamente não sei de onde veio– e voltou a escovar o meu cabelo.

— Nós vamos acabar nos atrasando, e.... — Eu falei um pouco preocupado, afinal não gosto de chegar tarde.

— A Raimon é aqui perto, e a Diamond também, não há com oque se preocupar! — Ela falou com um pouco de tédio na voz.

— Diamond? Você não estuda na Raimon?

— Não, infelizmente as vagas haviam esgotado…

— Que pena...

—Não fique triste Shirou-kun! Eu ainda vou te ver sempre que eu terminar a minha parte da limpeza na escola! —Ela falou me abraçando. — E eu já terminei, não sei como, mas terminei.

— O.k podemos ir agora? — Perguntei levantando –de novo–.

— Claro, vamos!

Nós saímos de casa, pela porta dessa vez, com muito esforço eu consegui convencer ela á sair como uma pessoa normal.
Ela novamente ficou falando o quanto me amava e o quanto estava feliz por me ver de perto, é melhor eu perguntar o nome dela antes que eu me esqueça com esse falatório todo.

— Err... Você poderia me dizer o seu nome? Até agora eu não sei qual é…  — Ela pareceu um pouco surpresa, e abaixou a cabeça, eu logo ouvi um murmuro. — Desculpe, o que disse?


Notas Finais


A gente deixa esse suspense de qual o nome dela e...

Bunny: Você não escolheu um nome pra ela, não foi?

Eu esqueci...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...