História Me Apaixonei... - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Iris, Kentin, Kim, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Senhora Shermansky
Tags Amor Doce, Castiel, Drama, Lysandre, Romance
Visualizações 238
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


MEUSZAMOR <3
110 FAVORITOS? COMASSIN BRAZEL?
Sério, muito obrigada! Eu amo o comentário de vocês me ajuda muitoo, amo ler eles s2
BEIJÃAAAAAAAO DA AMANDA >.<

Capítulo 21 - ''Relembrando...''


Fanfic / Fanfiction Me Apaixonei... - Capítulo 21 - ''Relembrando...''

''Ela não sabia o quanto era forte até precisar ser.''

- L-lizzie.

Me virei e vi que era o Kentin, escondi meus desenhos em seguida.

- Olá Kentin! 

- N-não precisa esconder estavam bem bonitos, aliás – Ele fala com um pacote de biscoito em suas mãos acompanhado de um sorriso torto. – Quer ?

Apenas assenti com a cabeça e peguei um...

- Você estava ai há muito tempo? – Perguntei envergonhada.

- Não necessariamente, mas eu vi um desenho seu. Era você e seu pai?

- S-sim era... – Abaixei a cabeça com os olhos marejados ao relembrar do acontecido.

Flashback On

Uma aglomeração de pessoas se formou em torno do acidente que ocorreu naquela noite chuvosa, de um lado um caminhão tombado e do outro um carro completamente destruído. Gritos e mais gritos podiam ser ouvidos.

E eu? Bem eu estava jogada no meio da estrada, com a cabeça literalmente explodindo de dor juntamente de meu corpo. Eu não me lembrarei de nada, exceto que:

- Mam.....ãe, Pa..paai... – Minha cabeça estava pesada, e minha visão meio turva, mas aos poucos foi focalizando.

- Mãe? P-paai? – Tentei falar, mas minha garganta doía, engoli em seco.

Fiquei ali alguns minutos depois de recuperar forças o suficiente para me levantar, eu estava fraca com o corpo todo machucado, mas eu precisava ver meus pais, eles estavam precisando de minha ajuda...

O Papai e a mamãe estavam um pouco perto de mim, jogados no meio da estrada também. Estavam muitos machucados, e sangrando muito, o que me fez ficar desesperada.

- Soc-orroooooo! Ajudaaaaa. – Tentei gritar, mas foi em vão, eu estava chorando desesperadamente ao ver a cena mais horrível da minha vida.

- Filhaa... – O Papai suspirou com dificuldade, apertando minhas mãos e completou – Não se esquece de que a mamãe e o papai te amam tudo vai ficar bem... – Ele falava tudo devagar, tentava falar.

Eu apenas estava observando eles, estava chovendo muito. Ainda podia ouvir o papai respirar. Eu me aliviei, ouvi sirenes de ambulância. Eu comecei a ficar mais fraca, meu corpo pedia conforto.

Mas vi papai suspirar pela última vez:

- Pai? Papaii? Acorda, vai tudo ficar bem, papai não me abandona... – Falei em meio a soluços.

- Mamãe? Não me abandonem vocês prometeram. Lembram? Vocês nunca iriam me abandonar!

Eu esperei alguma resposta, mas me dei conta que aquela era a ultima vez que falei com eles, vinheram assim a óbito.

- NÃAAAAAAAAAAAAAAAO! PAPAAAAAAI MAMÃAE. – Eu gritei o mais forte que podia, chorando muito, seguido de soluços.

A ambulância tinha chegado, até ai. É tudo que me lembro...

‘’Hoje morreu um sonho, que eles descansem em paz’’

Flashback Off

Não me dei conta, mas eu estava chorando. O Kentin olhava pra mim com preocupação, e confuso ao mesmo tempo.

- K-kentin, perdi meus pais com apenas seis anos, e eu vi tudo, aquela foi a cena mais horrível que uma criança poderia ver. Seus pais horrivelmente machucados e sangrando... Eles me prometeram não me abandonar. – Eu limpava meus olhos, mas não adiantava de nada. Só começava a chorar mais e mais.

Ele me puxou para mais perto, me dando assim um abraço apertado e aconchegante. Eu estava deitada em seu ombro chorando, e ficamos ali algum tempo.

Até que a dor do meu peito foi se desfazendo pouco a pouco, me deixando mais calma.

- O-obrigada, eu precisava disso. – Falei com um sorriso no rosto.

- Sinto muito... – Ele retribuiu o sorriso.

Ele me fez deitar em seu colo, e começou a mexer me meus cabelos, acariciando os mesmos... O que me fez ficar sonolenta.

[...]

Acordei com alguém forjando uma tosse, que por sinal estava muito mal fingida.

Abri meus olhos e era o Castiel, me retirei do colo do Kentin rapidamente e:

- Faz muito tempo que dormi?

- Uns trinta minutos mais ou menos. – Ele riu da situação

- Desculpa te atrapalhar.

- Que nada!

O Castiel estava apenas observando, o Kentin se levantou e estendeu a mão para me levantar.

O Mesmo me puxou para mais perto de si colocando a mão em meu rosto;

- Você vai ficar bem Liz? – Ele perguntou com um ar preocupado.

Apenas assenti com a cabeça, dei lhe um beijo na bochecha e sai em seguida. Castiel estava na frente com passos levemente fortes e rápidos.

- Eei, Castiel! – Eu falei, mas o mesmo fingiu que não escutou.

- Castiel! Não me diga que ficou com ciúmes? – Puxei na mão dele fazendo assim ficar de frente para mim.

- Você iria gostar se eu estivesse alisando a cabeça de uma garota enquanto ela dorme, e olhasse para ela com um desejo enorme de dar lhe um beijo? – Eu fiquei calada impressionada com o que acabei de escutar. Kentin me olhava com desejo? Não claro que não. O Castiel só estava com ciúmes, fui interrompida dos meus pensamentos:

- Seu silencio me responde. – Ele falou com a cara emburrada segurando em meu braço me puxando em seguida.

- Castiel me solta, tá me machucando! – Falei tentando me soltar.

Ele apenas continuou andando, me puxando consigo é claro. Mas o mesmo apertava meu braço, o que estava doendo...

- Castieel, me soltaaa! Está doendo, por favor. – Falei ‘’manhosa’’, ele soltou meu braço e virou para mim novamente esperando uma resposta, pelo menos deduzi pelo seu olhar.

- Eu não iria ligar se essa garota estivesse fazendo um desenho de seu pai, e em seguida chegasse você e visse-a fazendo esse desenho, e a mesma desabafar com você por estar sentindo uma dor enorme – Falei e em seguida passei a mão no meu braço, no local em que ele havia puxado, mas continuei: - Em seu peito por perder seus pais e relembrar de tudo que aconteceu no mesmo dia.

Ele me fitava e continuou em silêncio, mas avançou alguns passos sobre mim me puxando assim para um beijo, um beijo necessitado. Ambos precisavam daquilo, daquele beijo apaixonado e aconchegante.

Nossas línguas se movimentavam em sincronia, sempre no ritmo da outra.

- Desculpa. – Ele falou bem baixinho, mas que deu para ouvir.

- O que? Não escutei. – Me fiz de desentendida.

- DES-CUL-PA – Ele falou devagar, o que me fez rir.

- Castiel pedindo desculpas? Isso é uma miragem?

- O que Lizzie não faz comigo... – Ele falou revirando os olhos.

- Enfim, hoje a Rosa vai dormir no nosso quarto.

- Repete. – Ele falou com um sorriso no rosto.

- Eu esperava um ‘’Ninguém merece’’. – Falei meio óbvia.

- Não é isso, é que você falou ‘’nosso quarto’’. Antes não tinha sentido, agora tem. Nosso quarto, meu e seu assim vai ser quando a gente se casar.

- Ai que gay! Quem é você e o que fez com o Tomate?

- Arhg! Que seja ninguém merece te aturar, mas aturar você e a Rosa é tortura. – O mesmo bufou.

- Ele voltou! – Falei batendo palminhas.

Eu lhe dei um selinho, e sai em seguida.

[...]

- Vacaaa! – Falei gritando ao entrar no quarto da Rosa.

- Oi Cobra.

- Você vai dormir comigo lá no meu quarto hoje porque eu quero e foda-se sua opinião.

- Eu não, vou ficar de vela com você e o Castiel Argh! – Ela fez cara de nojo.

- Não vai não, a gente nem e tão pegado assim... De qualquer forma não aceito não como resposta.

Sai do quarto e nem esperei a Rosa falar alguma coisa.

Fui até o quarto e peguei minhas coisas para um banho. E me despi tomando um banho em seguida. Sai do box e coloquei meu pijama, penteei meus cabelos e deixei os mesmos secarem naturalmente.

Peguei alguns travesseiros e cobertas e arrumei tudo no chão. A Rosa chegou logo depois com seu pijama fofis.

- Oi Gatosa.

- Oi Lindosa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...