História Me apaixonei pelo meu sequestrador(Namjin) - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7
Personagens G-Dragon, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Sequestro
Visualizações 249
Palavras 1.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ESPERO QUE GOSTEM
BJUSS!!!!

Capítulo 48 - Deu positivo!


Fanfic / Fanfiction Me apaixonei pelo meu sequestrador(Namjin) - Capítulo 48 - Deu positivo!

-... lançou a pouco tempo. Dizem que a vista é ótima e a comida magnífica! -Explicou Namjoon.

Namjoon falou, falou e falou e não me contou onde era. Decidi parar de me estressar.

-Adoro novidades! -Afirmei.

Namjoon apenas sorriu.

Passamos em frente a uma loja de roupas onde eu costumava comprar roupas com minhas amigas. Me senti triste por lembrar deles. Eles acham que eu e Jimin saímos juntos na noite da festa do pijama, pois recebi a noticia da doença do meu pai e não estava em clima de festa. Mas, é tudo mentira. Então decidi: Hoje, depois que Namjoon me deixar em casa, vou conversar com Jimin e resolver nossa situação.

-Chegamos! -Disse Namjoon apontando para um dos restaurantes mais bonitos da cidade.

-Vou ficar mal acostumado... -Comentei enquanto Namjoon entrava com o carro nos estacionamento.

-Eu gosto de te mimar! -Afirmou parando o carro para o manobrista estacionar e jogou uma piscadinha para mim.

Saímos do carro e cumprimentamos os manobristas.

Namjoon tomou minha mão delicadamente e subiu comigo pelas escadarias.

-Por que não me contou que era aqui? -Perguntei o olhando, porém ele olhava para frente.

-Era surpresa. -Explicou

Eu ri.

Esse restaurante imita o modo de servir e o cardápio dos restaurantes da Torre Eiffel e ainda conta com uma decoração que é de tirar o fôlego.

Nos recebem com a maior alegria do mundo e nos fazem sentirmos especiais.

-É totalmente magnífico... -Comentei feliz.

-Quem bom que gostou! -Afirmou Namjoon puxando a cadeira para mim.

-Obrigado! -Agradeci assim que me sentei.

-Eu queria te levar para Paris, pois sei que você adora aquele lugar. -Desabafou Namjoon sobre sua vontade se sentando.

-Como sabe que eu adoro? -Perguntei.

-Suas redes sociais...-Falou e pegou o cardápio para olhar.

Namjoon andava com o olhar pelo cardápio enquanto eu me achava invadido.

-Não acredito que você ficou fuxicando minhas redes sociais sem eu saber... -Comentei.

Ele riu.

-Não tinha nada para se envergonhar! Está lindo em todas fotos. -Elogiou e eu ri.

-Obrigado! -Agradeci. -Paris é o meu lugar preferido,e depois vem Dallas... -Expliquei.

-Por que Dallas? -Perguntou curioso.

Eu sorri.

-Uma longa história... -Falei.

-Adoro suas histórias! -Afirmou Namjoon e sorriu.

-E eu adoro você. –Informei com um sorriso doce.

Eu adorava Namjoon e isso ninguém podia negar.

Ele riu.

-O que vai querer? -Perguntou olhando o cardápio.

-Lasanha! -Brinquei e ri.

Namjoon riu.

-Se eu soubesse que meu namorado tinha um paladar tão simples tinha o levado no barzinho da esquina! -Ironizou Namjoon.

Eu ri.

-Imagina eu, Kim Seokjin no barzinho da esquina... -Comentei e Namjoon riu.

-Seria cômico.-Refletiu Namjoon.

O garçom chegou.

-Os senhores já sabem o que vão pedir? -Perguntou o garçom todo elegante.

-Eu quero a entrada dois e o prato cinco . -Falei olhando no cardápio.

-Ótima escolha senhor! -Afirmou o garçom e olhou para Namjoon. -E o senhor?

-Eu quero a entrada seis e o prato um. -Falou Namjoon.

-Ótima escolha senhor! Licença. -Disse o garçom e se afastou.

-Por que os nomes dos pratos são números? -Perguntou Namjoon olhando o cardápio.

-Dizem que é para ser mais fácil o pedido... -Comentei.

-Faz sentido. –Ponderou Namjoon.

Eu pensei como Namjoon se dava bem nesse lugares chiques e como era educado.

-Antes de me conhecer você não costumava frequentar lugares como esse... Certo? -Falei.

-Certo! –Concordou.

O jeito dele se sentar, de comer e de falar não parecia que era novato na elite da sociedade. Ou que só fazia para me agradar.

-Mas como sabe o que pedir e como se comportar?! Sei lá, você sempre foi educado comigo e nunca falou palavrão e nem nada do tipo. -Eu disse lembrando de alguns momentos.

-Minha mãe me mandou para um internato onde eu fiquei até os meus dez anos. Tínhamos aulas de etiqueta e comíamos as comidas mais finas do mundo... -Explicou Namjoon.

Arregalei os olhos.

-Meu Deus! -Exclamei.

-E terça era meu dia preferido, pois comíamos comida brasileira. -Concluiu Namjoon.

Eu ri.

Namjoon sempre simples e requintado. Eu conhecia esse colégio.

-Não acredito que você estudou nesse colégio! -Afirmei.

-Eu não falei o nome do colégio, mas sim estudei... –Contou Namjoon.

-É o Colégio Main Stan. -Falei.

O sonho da minha mãe era me mandar para lá.

-Como você sabe? -Me questionou.

É um colégio famoso na elite.

-Eu ia estudar lá... -Expliquei.

-E porque não estudou? –Perguntou Namjoon e me fez lembrar das inúmeras visitas que fizemos aos diretores do colégio, após eu jogar uma torta de morango na cara da filha do presidente da Coréia. Eu sempre sou justo. Ela tinha falado que meu cabelo era feio e então eu deixei a cara dela que já não era tão bonita, horrível.

Obviamente não contei toda essa historia para Namjoon.

-Não me aprovaram pelo meu jeito de ser. -Contei.

Ele riu.

-Tinha que ser... -Falou rindo.

Eu ri.

-Eu fui uma criança bonzinha tá! –Afirmei irônico.

-Ah claro que foi! -Ironizou.

Ainda bem que Namjoon sabia a verdade.

-Eu ainda não to acreditando que você estudou lá. -Comentei balançando a cabeça.

-Era o modo que minha mãe achou de me proteger... -Desabafou.

-Ela sempre te protegendo... –Comentei.

-Sim! -Ele falou e sorriu ao lembrar dela.

-Amor de mãe...-Falei. -Pena que a minha mãe não tem dentro de si esse amor.

-Ela te ama! -Afirmou Namjoon.

Neguei com a cabeça.

-Ela nunca cuidou de mim, nem ligou se eu estava ou não estava. E quando voltei do sequestro, depois que você e eu brigamos, ela virou um grude, mas eu já estou grande não preciso mais dela... -Falei um tanto irritado. -E para mim mais parecia culpa e remorso do que amor! -Conclui.

Namjoon pensou antes de responder.

-Talvez, ela não saiba demonstrar o seu amor... Mas isso não quer dizer que ela não te ame. -Explicou Namjoon.

-Tomara que você tenha razão. -Afirmei mais para mudar de assunto do que com esperança. -Mudando de assunto... -Comecei sem dar tempo dele continuar o outro assunto. -Não vou poder passar a tarde com você hoje, tenho que resolver um assunto com Jimin. -Expliquei.

-Ok! Já que não tem outro dia para se resolverem né... -Falou Namjoon.

-Ai amor, é que eu vou na casa dela falar com ele... Com calma sem outras pessoas por perto. -Expliquei.

-Entendi. –Concluiu Namjoon se sentindo trocado.

-Não fica bravo! –Pedi.

Ele riu.

-Não estou bravo... Só queria passar a tarde com a meu namorado! -Desabafou.

-Se eu não conversar e resolver as coisas com Jimin você vai acabar com um namorado depressivo!-Brinquei.

Ele riu.

Logo a comida chegou, primeiro as entradas e depois o prato principal. Estava tudo delicioso e assim que acabamos fomos embora.

-Eu adorei a surpresa! -Afirmei.

-Eu disse que iria adorar! –Lembrou Namjoon.

Ele tinha falado mesmo, mas eu não sei confiar tanto assim nas palavras das outras pessoas.

-Você sempre tem razão. -Falei.

-Obrigado! -Rimos.

-Quer que eu te deixe na casa de Jimin? -Perguntou.

-Pode ser! -Falei.

Conversar com Jimin,uma boa escolha ou uma péssima escolha? O que falar? O que fazer? Nem sei ao certo o porquê estamos brigados. Ele não gosta do meu namoro com Namjoon, mas nem por isso precisava ficar sem falar comigo.

-Ok!

Fui falando o caminho até chegarmos no portão do condomínio que Jimin mora.

-É aqui! -Afirmei apontando para o enorme edifício.

Namjoon estacionou o carro.

Tirei o cinto e o olhei.

-Eu te amo!

Ele me puxou pela nuca e me beijou.

Um beijo cheio de paixão, mas não deixava de ser doce.

Parei e o olhei nos olhos. Sorri antes de me despedir.

-Tchau Jonnie! -Me despedi e o dei um selinho.

-Tchau Jinnie! -Falou e eu sai do carro.

Fui até a portaria e interfonei para casa de Jimin,onde a Amora a empregada da casa atendeu e me deixou subir.

O apartamento da família de Jimin é extremamente decorado e sempre segue a moda, cheio de pinturas de arte nas paredes. No térreo fica as salas, cozinha, quintal, lavanderia e hidromassagem, enquanto no primeiro andar fica as suítes.

Quando entrei.

-Oi! -Eu disse sorrindo a Amora.

-Olá senhor Seokjin! O Jimin está no quarto... Pode subir. -Disse Amora fechando a porta.

-Ok! Obrigado. -Falei e então subi para os quartos.

Fui até o quarto de Jimin e bati na porta.

-Não quero falar com você Amora! -Falou Jimin aos prantos.

Engoli seco e abri a porta, por sorte estava destrancada e então eu entrei.

Ele estava sentado na cama chorando com um teste de gravidez na mão.

Levantou o olhar para me ver.

-O que você está fazendo aqui? -Perguntou Jimin secando as lágrimas.

-Eu precisa te ver... -Falei caminhando até ele depois de fechar a porta lentamente.

-Eu não quero ver ninguém. -Afirmou.

Dei de ombros e me sentei ao lado dele na cama.

-Posso ver? -Perguntei apontando para o teste de gravidez, pela sua reação já pude imaginar que tinha dado positivo.

Ele fez que sim com a cabeça e me entregou o teste.

Soltei um suspiro ao ver o positivo.

-Deu positivo! -Ele afirmou chorando ainda mais.

-Eu estou aqui! -Falei com lágrimas nos olhos e o abracei.

-Que droga viu! -Ele falou chorando.

Algumas lágrimas de meus olhos escorreram.Meu melhor amigo esta grávido, e em alguns meses sua vida estará transformada por uma criança.

-Não fica assim! Crianças são bênçãos... -Eu disse tentando consolá-lo.

Eu tentava consolar ele, mas sabia que não tinha consolo.

-Eu não quero essa criança, não quero! -Negou Jimin decidido.

Soltei um suspiro de dor no coração.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...