História Me conquiste de novo - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel
Tags Amor Doce, Castiel
Exibições 739
Palavras 3.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fiz um cap maior? Siiiiiiiim, pra compensar o anterior que teve mais música do que história mesmo kkkk
Então espero que gostem e boa leitura ^^,

Capítulo 22 - O que isso significou?


Fanfic / Fanfiction Me conquiste de novo - Capítulo 22 - O que isso significou?

Seus dedos mergulharam sobre a minha pele por baixo da blusa fina que eu estava usando apertando a minha cintura de forma delicada porém firme, não doía, mas eu tinha plena certeza de que a força que ele estava aplicando sobre o local ia deixar marcas mais tarde. Seu toque era tão forte e ao mesmo tempo tão macio que fazia com que o meu corpo inteiro tremesse de excitação e meu coração pulasse dentro do meu peito de ansiedade, eu quase tinha certeza de que ele poderia escutar perfeitamente. Meus dedos se enroscaram um pouco em alguns fios de cabelo curto na sua nuca brincando com eles ali, por Deus, como eu sentia falta disso, falta de cada pequeno momento é detalhe. Eu não queria me importar agora com o que nós realmente tínhamos ou com o que íamos ter, eu sentia tanta falta dele que chegava a ser como uma necessidade a ser suprida pra mim, então por esse mesmo motivo eu afastei todo e qualquer pensamento que pudesse colocar as dúvidas na minha cabeça no momento, isso me daria liberdade o suficiente para apenas aproveitar o momento e eu precisava disso, tanto quanto ele na verdade. Sua língua acariciava a minha, mas delicadeza não era nem uma palavra conhecida no momento pra descrever aquele beijo, ele era no mínimo intenso, tanto que conseguia me fazer ficar cada vez sentindo mais calor e como se tudo estivesse girando, eu conseguia sentir isso mesmo de olhos fechados, provavelmente pela falta de ar momentânea e também pelo beijo, a falta de oxigenação poderia ser o motivo da minha tontura, mas ainda assim eu não queria parar. Nós estávamos tão perto que era possível sentir e escutar o seu coração bater tão alto quanto o meu no momento e isso me dava mais certeza ainda de que eu queria mesmo continuar com isso. Mesmo com todas as dúvidas e mesmo que eu me arrependesse depois, mas desse momento com ele eu não ia me arrepender.

O senti sugar a minha língua e morder os meus lábios levemente terminando o beijo e só então eu pude respirar e perceber que eu realmente precisava muito. Arfei fechando os olhos quando senti os seus lábios tocarem a pele do meu pescoço deixando uma leve pressão ali que eu deduzi por ser um chupão, um arrepio gostoso percorreu por todo o meu corpo me fazendo ficar ainda mais molhada do que eu já estava. Aquela roupa que eu usava chegava a ser um grande incômodo pra mim assim como a dele também, virei levemente o pescoço lhe dando mais acesso livre a ele deslizando as mãos da sua nuca para os seus ombros os apertando um pouco ao sentir mais um chupão seguido pela sensação da sua língua passando por cima do local e sendo soprada, causando uma pequena sensação de choque térmico pela diferença de temperatura e isso acabou me fazendo gemer baixo em seu ouvido. Talvez eu estivesse um pouco desesperada e sensível demais por ser ele, mas tudo aquilo era incrivelmente bom e erótico, me fazia querer fazer com que as coisas demorassem ainda mais pra que não acabasse tão cedo e ao mesmo tempo eu queria apressar logo pra ter a sensação de sentir ele dentro de mim, só com esse pensamento eu já sentia minha intimidade se contrair e ficar ainda mais quente. Passei as mãos pelo colarinho da sua camisa chegando até o primeiro botão o desabotoando, logo eu senti os dedos dele deslizarem sobre o meu rosto até o meu queixo me olhando diretamente nos meus olhos, ele me puxou novamente me dando um beijo. Um por um eu fui desabotoando os botões, com os olhos fechados retribuindo aquele beijo calmo que ele estava me dando. Logo a sua camisa estava completamente aberta, subi as minhas mãos novamente passando pelo seu abdômen e suspirei durante o beijo ao senti-lo na ponta dos meus dedos, ao chegar ao seu ombro a puxei pra trás dele a retirando sentindo ele me soltar e acabar de retirar a camisa por conta própria.

Ele me empurrou levemente me fazendo deitar no sofá e ficando por cima de mim com um sorriso malicioso brincando nos lábios, seus braços passaram pelos meus percorrendo todo o comprimento dele até chegar as minhas mãos, assim os levantando por cima da minha cabeça e os mantendo presos ali, sem perder o contato visual comigo nem por um segundo. Talvez eu devesse ficar envergonhada, afinal já tinha um bom tempo que nós não tínhamos absolutamente nada, mas convenhamos que nós não precisamos disso, não apenas pelo fato de termos filhos juntos, mas saber como ele estava tão interessado me deixava tão mais excitada que eu simplesmente não ligava. Ele segurou na barra da minha blusa com a mão que estava livre, enquanto a outra ainda me prendia, ele a levantou lentamente até a retirar por completo deixando agora apenas o sutiã à mostra. O sorriso no seu rosto aumentou ainda mais um pouco, acho que ele não estava muito confiante antes de que eu realmente queria, então estava um pouco receoso com a minha possível reação contrária a tudo isso, mas agora ele tinha plena certeza do que eu queria e do que eu estava pensando quando ele me olhava dessa maneira. Ele soltou as minhas mãos e direcionou as suas até a minha cintura mais firme dessa vez pressionando os dedos sobre a minha pele e seus lábios foram novamente em direção ao meu pescoço me fazendo fechar os olhos e gemer alto dessa vez sentindo a sensação no chupão que ele deixou no local com a sua intimidade sendo empurrada contra a minha causando uma fricção, isso me fez sentir o quão duro ele já estava, não que eu não tivesse percebido nitidamente o grande volume dentro das suas calças, mas mesmo assim senti-lo dessa forma estava acabando comigo, eu queria ainda mais.

Ali - Você tinha razão. (Eu disse com a boca entreaberta, tentando respirar direito enquanto ofegava incessantemente anda com os olhos fechados.)

Cast - Sobre o que? (A voz rouca e baixa dele soou pelos meus ouvidos fazendo com que eu me arrepiasse, estávamos tão perigosamente perto um do outro que era possível sentir o seu hálito bater contra o meu rosto, o cheiro de hortelã invadindo as minhas narinas deixava claro duas opções, ou ele tinha evitado fumar hoje por minha causa, ou realmente tinha parado, caso contrário eu sentiria o cheiro do tabaco. Abri os olhos o vendo olhar diretamente pra mim, sorrindo e curioso sobre o que eu queria falar.)

Ali - Só você mesmo consegue me deixar tão excitada dessa maneira. (Eu disse em um fio de voz ainda tentando respirar normalmente, mas a temperatura daquela sala e do meu corpo junto ao dele não estava ajudando muito. O empurrei fazendo com que ele se levantasse e eu me sentasse em seu colo sentindo suas mãos na minha cintura me segurando em cima do seu membro que era perfeitamente possível sentir mesmo através da roupa, passei os braços envolta do seu pescoço deixando nossos lábios bem próximos um do outro.) Me faz gozar Cast, do jeito que só você sabe fazer. (Eu sussurrei com os lábios bem próximos aos dele, sendo possível que eles se encostassem quando eu disse.)

O sorriso malicioso e travesso dele tomou conta do seu rosto completamente antes que ele atacasse meus lábios em um beijo selvagem agora, me apertando cada vez mais contra o seu corpo, quase chegava a doer, mas não era algo que eu quisesse reclamar, não era algo nem que eu poderia fazer. Suas mãos desceram deslizando sobre as minhas pernas até as minhas coxas me indicando que ele queria que eu me prendesse mais a ele e foi o que eu fiz, logo o senti apertar as mãos em minhas nádegas e se levantar do sofá comigo, eu nem mesmo estava me lembrando desse detalhe de estarmos quase transando na sala, estava tão perdida em êxtase e tão inebriada com o cheiro e os toques dele que estava simplesmente me entregando de corpo e alma. Ele andou comigo em seu colo subindo as escadas ainda sem parar de me beijar, foi um tanto quanto difícil chegar até o quarto dessa maneira, mas percebi que já tínhamos chegado quando ele me jogou em cima da cama fazendo com que as minhas costas se chocassem contra o colchão macio embaixo de mim me fazendo rir com a empolgação dele vindo pra cima de mim rapidamente. Suas mãos eram rápidas e logo eu conseguia senti-las nas minhas costas sobre o fecho do sutiã o desabotoando rapidamente, em um minuto ele estava em mim e no outro estava jogado em qualquer lugar no chão daquele quarto.

Cast - Você continua sendo tão linda. (Ele disse baixinho no meu ouvido.)

Ele me beijou com urgência e logo eu senti uma de suas mãos no meu seio direito, ele começou a massageá-lo o apertando levemente me fazendo suspirar pesadamente durante o beijo. Seus lábios foram escorregando através do meu pescoço, passando pelo meu colo até chegar aos meus seios deixando uma trilha de beijos molhados pelo caminho. Ele não fez nenhuma cerimônia antes de abocanhar o livre e começar a chupar e a mordiscar me arrancando gemidos. Aquilo era bom, muito bom por sinal, ele massageava um enquanto ocupava o outro com a sua boca revezando um com o outro. Eu conseguia sentir perfeitamente a pressão dos seus dedos escorregando sobre a minha pele, seus lábios foram descendo ainda mais passando pela minha barriga me causando leves cócegas seguidos de alguns choques térmicos, ele desceu até chegar a barra do meu short e desabotoou lentamente e desceu o fecho o puxando pra baixo retirando o mesmo pelas minhas pernas, levantei o quadril um pouco apenas para ajudá-lo a tirar com mais facilidade. Eu me sentia ensopada de tão molhada que eu estava, minha calcinha provavelmente estava terrivelmente encharcada, senti ele passando dois dedos por cima da minha intimidade ainda sobre o pano e isso me fez gemer alto apertando o lençol na cama com as duas mãos.

Cast - Você está tão molhada e tão pronta pra mim. (Ele disse baixo, sua voz soava rouca e extremamente sexy, apenas gemi novamente em resposta, mas frustrada por essa demora. Ele afastou a minha calcinha pro lado e passou o polegar pelo meu clítoris me fazendo gemer ainda mais alto.) Oh sim, você está extremamente molhada. (Ele disse com um humor sarcástico.)

Ali - Hum… Casti… (Praticamente gemi seu nome implorando para que ele parasse de me torturar dessa maneira.)

Ele soltou uma risada baixa e gostosa de ouvir, se colocou apoiado sobre os próprios joelhos e desabotoou sua calça se livrando dela rapidamente ficando agora apenas com uma box vermelha. Ele me puxou pelas pernas fazendo com que eu ficasse com elas abertas e apoiadas na cama com ele de frente pra mim, seus dedos seguraram a lateral do elástico da minha calcinha a retirando, fazendo ela ter o mesmo destino das outras nossas peças de roupa. Eu já quase não conseguia respirar direito mais, eu senti os seus lábios na parte interna da minha coxa subindo cada vez mais fazendo meus músculos tremerem de ansiedade e logo sua boca já estava perigosamente perto da minha intimidade. Sua língua passou por toda a extensão da minha intimidade me fazendo gemer agudo e fechar os olhos com força apertando ainda mais o lençol. Ele sabia o que estava fazendo perfeitamente e era muito bom no que fazia, ele tinha plena consciência de como me deixava e gostava disso. Eu senti dois de seus dedos mergulhando dentro da minha intimidade ao mesmo momento em que ele colocou certa pressão sobre o meu clítoris o chupando, fechei os olhos com força e gemi ainda mais alto jogando a cabeça pra trás, a essa hora eu já não tinha controle algum da minha própria voz, mesmo que eu tentasse abafá-la mordendo os lábios eu não conseguia, queria gritar e queria que ele soubesse como conseguia me fazer sentir. Eu estava tão molhada que os seus dedos deslizavam dentro de mim de uma maneira tão fácil, logo ele foi aumentando a velocidade e a pressão da sua língua, por Deus aquilo era tão bom que eu já me sentia perdendo as minhas próprias forças. Meus músculos ficaram rígidos e aquele choque percorreu todo o meu corpo me fazendo fechar os olhos fortemente e gemer ainda mais alto e mais agudo quando eu tive o meu orgasmo, ele lambeu e sugou cada gota como se fosse a sua bebida favorita. Minha respiração acelerada e minhas pernas bambas me fizeram ficar parada tentando me recuperar por um tempo, ainda com os olhos fechados eu senti os seus lábios sobre os meus me dando um selinho leve porém um pouco mais demorado.

Cast - Você é tão docinha. (Ele sussurrou rente aos meus lábios, abri os olhos e o vi sorrindo pra mim, não pude evitar de sorrir de volta e o empurrando trocando as nossas posições rapidamente.)

Eu ainda me sentia fraca, mas mesmo assim ainda não estava satisfeita o suficiente, sem contar que ele precisava se satisfazer também e eu estava bem ansiosa por isso. Eu estava praticamente de quatro em cima dele, o vendo olhar pra mim com tanto desejo que me fazia sentir tão bem. Dedilhei os meus dedos até o volume enorme na sua cueca o apertando levemente o vendo suspirar pesadamente. Segurei a barra da sua box e a puxei pra baixo a retirando fazendo o seu membro saltar pra fora já completamente duro, ok, eu não me lembrava que ele era desse tamanho. Me coloquei sentada sobre as minhas próprias pernas na frente dele assim que ele se ajeitou melhor sentando na cama, o segurei pela base escutando ele suspirar e comecei a movimentar a minha mão pra cima e pra baixo lentamente vendo ele fechar os olhos e ficar ofegante. Vê-lo daquele jeito era extremamente excitante, ver como eu conseguia deixá-lo era satisfatório pra mim, era bom saber que mesmo depois de tanto tempo eu ainda mantinha o seu interesse. Passei a língua por toda a extensão do seu membro sentindo o gosto agridoce do seu pré-gozo e escutando ele gemer o meu nome baixo, sem querer torturá-lo eu logo o coloquei em minha boca escutando ele suspirar ainda mais alto. Movimentava a minha cabeça pra cima e pra baixo o chupando e masturbando o restante do seu membro com uma das minhas mãos, ele murmurava palavras desconexas e alguns palavrões além do meu nome. Eu já conseguia sentir ele endurecendo ainda mais e pulsando em minha boca, suas veias engrossando cada vez mais e dessa forma eu sabia que ele estava muito próximo de gozar. Eu estava realmente certa, abri os olhos o encarando e quase que na mesma hora ele me olhou de volta, parecia querer me ver engolir cada gota do seu gozo, e foi o que eu fiz quando senti alguns jatos fortes e quentes preencherem a minha boca, sem perder o contato visual com ele, tudo dessa maneira ficava ainda mais quente, fazia minha intimidade pulsar. Engoli e o retirei da boca ainda o segurando, passei os dedos da mão livre pelos meus lábios os lambendo logo em seguida afim de limpar um pouco que tinha escorrido pelo meu rosto. Ele sorriu pra mim ainda completamente ofegante e me puxou pela cintura me fazendo sentar em seu colo com uma perna de cada lado me beijando de forma bruta, mas ainda assim muito bom.

Sexo com o Castiel sempre foi dessa maneira desde a primeira vez, nós nunca fizemos muita cerimônia e simplesmente eu adorava essa maneira “bruta” dele, eu poderia sair com algumas marcas e dores no dia seguinte, mas com certeza valia a pena. As mãos dele na minha cintura me apertavam de uma forma que eu tinha plena certeza de que depois eu poderia ver perfeitamente a marca dos seus dedos sobre a pele, suas mãos desceram pela minha cintura até chegar as minhas nádegas onde ele as apertou com vontade me fazendo gemer mais uma vez, ele me empurrou levemente pra cima e eu já sabia o que ele queria. Passei as mãos sobre o seu peito descendo até o seu membro o segurando com uma das mãos e o posicionando na entrada da minha intimidade, bastou apenas uma estocada rápida e forte pra que ele entrasse completamente em mim me fazendo praticamente gritar gemendo e agarrando os seus ombros, apertando as unhas sobre a sua pele. Ele começou a se movimentar embaixo de mim, fazendo com que eu cavalgasse em cima do seu membro, mesmo com a facilidade de estar molhada eu sentia minha intimidade apertando todo o comprimento do seu membro dentro de mim. Os únicos barulhos audíveis naquela quarto eram os nossos gemidos e o som dos nossos corpos se chocando um contra o outro juntamente com as nossas respirações desreguladas, aliás, aqueles eram os únicos barulhos audíveis naquela casa inteira, já que eu simplesmente não conseguia controlar o que saía da minha boca e eu quase tinha certeza de que os meus gemidos estavam ecoando. Sinceramente eu não estava me importando nem um pouco se alguém ouviria, eu estava concentrada demais curtindo aquele momento com o Castiel pra me importar com alguma coisa e ele também. Ele segurou mais firmemente em minha cintura me penetrando com mais força e rapidez, fazendo com que o meu orgasmo chegasse bem rápido, minhas pernas pareciam gelatinas e mesmo assim a sensação era boa, mas ele não parou, e como poderia? Ele ainda não tinha gozado. Ele me levantou me colocando agora de quatro e se posicionou atrás de mim, me penetrando rapidamente de novo, mesmo não aguentando muito bem o meu próprio peso sobre as minhas pernas eu fiquei naquela posição.

Cast - Hum Ali… Oh, você sempre foi tão gostosa… (Pela respiração desregulada e os próprios gemidos ele tinha dificuldade para poder falar.) Geme pra mim vai… Eu quero te escutar... (Ele disse em um suspiro.)

Ali - Ah Cast… Hum Castiii… Oh! (Eu faria o que ele quisesse e qualquer coisa que ele pedisse.)

Minha mente estava começando a ficar completamente em branco e eu já tinha perdido a conta de quantos orgasmos ele tinha me feito atingir surrando o meu ponto G várias vezes. O senti pulsar dentro de mim e sabia que dessa vez ele estava chegando ao seu limite, e não foi preciso muito tempo pra isso, ele me fez gozar mais uma vez e gozou junto comigo se derramando dentro de mim. Ambos cansados caímos sobre a cama, meu corpo estava completamente mole e a minha respiração dificultada, parecia não ter ar o suficiente naquele quarto. Ele me puxou me fazendo deitar em seu peito e passando os braços em volta de mim, eu tinha certeza que logo logo estaria dormindo, meus olhos se recusavam a ficarem abertos. Nós dois ficamos um tempo em silêncio até as nossas respirações se normalizarem e acho que ambos estávamos pensando bem no que tinha realmente acontecido aqui.

Cast - O que… Isso significou? (Ele perguntou depois desse grande período de silêncio, ele estava claramente tão confuso quanto eu, enquanto deslizava os dedos pelo meu cabelo carinhosamente.)

Ali - Por favor Cast, não me pergunte isso agora. Eu não vou saber te responder. (Eu disse sendo sincera e me aninhando mais em seu peito.)

Cast - Tudo bem. (Ele murmurou baixo.) Vamos descansar um pouco. (Ele disse passando os braços pela minha cintura de forma confortável.)

Eu realmente não sabia, mas sei que uma hora ou outra nós íamos ter que falar abertamente sobre isso, mas no momento a única coisa que eu conseguia fazer era dormir ali, aconchegada nos braços dele. Sinceramente eu estava bem, muito bem pra falar a verdade, eu estava… Confiando nele de novo.


Notas Finais


Até o próximo kkk XD beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...