História Me conte mais sobre o outono - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Taegi, Taespringi, Vsuga
Visualizações 67
Palavras 1.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sei que devo explicações e tudo que tenho lhes a dizer é que eu tô doente e internada, então tá realmente difícil... mas vocês não querem saber de mim, e sim da história então vamos lááá

Nada interessante no momento, mas estamos chegando pertoMUITO PERTO DO INTERESSANTE

E LEMBRANDO que essas são as memórias do Yoongi, se ele achou conveniente lembrar dessas aleatoriedades então algo de importante deve ter rs

Ou não
Pode ser tudo besteira mesmo

Capítulo 5 - Quarto Capítulo: verão


3C273, aglomerado de virgem. Gostaria de apresentar a Taehyung algum dia – Yang Mi não entendia bulhufas disso, mas ele também não entendia Júpiter – e quem sabe não tentassem uma competição de quem encontrava o cruzeiro do sul primeiro? Yoongi deixaria Taehyung ganhar, e usaria a desculpa de que estava ficando meio míope. 

Era começo de dezembro, Taehyung quase não dormia mais pelos trabalhos da faculdade, e o pouco tempo que lhe sobrava, usava para conversar com Yoongi durante as madrugadas. Ele não reclamava – só um pouquinho – afinal, sabia um pouco mais sobre Taehyung a cada mensagem de texto trocada, como por exemplo: a) sua avó havia morrido a mais de dois anos por causas naturais b) o garoto era muito apegado a ela c) estava em um período difícil d) era realmente muito apegado a ela.

O ponto era que Taehyung sentia falta de conversar com alguém, sofreu muito com a perda de sua avó e Yoongi não sabe dizer exatamente em que grau que esse evento afetou o Kim de forma com que este lhe falasse assustadoramente “eu precisava cortar laços, e não criá-los.” Certo, Yoongi havia cursado tempo de literatura o suficiente para poder afirmar firmemente que, porra, não importava a droga do gênero textual porque se pudesse nesse exato momento largar todas as suas responsabilidades e ir correndo com toda a sua velocidade – que não era muita – na casa do garoto, o abraçar bem forte e dizer que estava tudo bem ficar triste, ele o faria. Mas não podia.

Hoje era sexta-feira, havia muitos pedidos de pizza para entregar e não queria decepcionar seu chefe, afinal seu pagamento era hoje.

Yang Mi sentava-se desleixadamente no sofá, parecia estar impaciente com algo pois batucava sem parar na mesa; e antes que despertasse curiosidade desnecessária do namorado, o encurralou, sendo a primeira a tocar nesse assunto.

— Faz tempo que não saímos juntos. — Yang Mi era inteligente, o loiro sabia que a frase estava carregada com outras intenções e perspectivas.

Yoongi suspirou, já esperava alguma do tipo e não a culpava. Até Jimin lhe avisava que estava ficando obcecado por ele.

— Eu sei, e me desculpe por isso. As coisas estão um pouco complicadas, muitos trabalhos, entende…?

—Yoongi! — exclamou a garota — Eu sei que tu largou a sua faculdade, e faz tempo já. Arrume outro argumento, por favor. — embora seu tom de voz era chateado, suas feições eram claramente divertidas.

— Eu estou falando da pizzaria, sua debochadinha! — mostrou-lhe a língua — Mas é sério, além de que daqui a pouco já vou ter que ir lá. Hoje é pagamento, e realmente não quero provocar o meu chefe. 

— Ok, ok. — suspirou dando-se por vencida. — Eu só não quero viver uma mentira. De novo. 

Essa última parte pareceu ter lhe escapado, pois logo o rosto bonito enrubesceu-se de culpa por ter falado algo constrangedor do tipo. Ficaram-se olhando, Yoongi estava impactado, não podia deixar de pensar que a garota já tinha se machucado bastante e que agora, Yoongi seria outro canalha que a machucaria. 

Yang Mi pigarreou, antes de prosseguir:

— Sinto muito por lhe aborrecer com, você sabe, essas suas dúvidas. Eu realmente deveria parar de ler sua mente desse jeito. — sorriu triste, Yoongi sempre brincava dizendo que se sentia invadido por sua namorada ser tão boa com especulações — Esqueça isso, Yoongi. A culpa é minha, às vezes eu falo umas coisas tão desnecessárias.

Yang Mi despediu-se com um selar breve em sua testa.

E lá estava ele sem fazer o mínimo de esforço. Taehyung lhe invadia por inteiro, chegava e se acomodava em algum dos muitos espaços vazios de Min Yoongi sem nem pedir licença. E sinceramente… Yoongi não dava a mínima para boas maneiras nesses momentos; sentindo a vibração de mil máquinas de café trabalhando, se permitiu entrar em transe. Também não se incomodou quando o vento soprou tão forte que abriu a janela. Era outono ou inverno? Bah! Não importava, estava frio de qualquer forma, o que importava era que…

O que importava? 

Antes que entrasse em transe novamente – dessa vez pelo tictac irritante que os relógios têm – seu celular tocou. Um número desconhecido que ligava, mas que diabos?, pensou.

— Alô?

Alô, Min Yoongi?

— Quem fala?

É o diretor da instituição académica de Kim Taehyung. Ele passou mal e desmaiou, você é o primeiro contato da lista telefônica do celular dele, então resolvemos ligar para o senhor de um telefone dist..

— Eu estou indo! — gritou, céus, o tal diretor falava.

 

""

 

Passado quarenta minutos, finalmente chegou no campus da faculdade. Yoongi quase chorou por ter enfrentado o trânsito – quem era o engraçadinho que fazia um tráfego horroroso às onze da manhã? O pique era uma hora da tarde, oras. 

Enquanto corria para achar a enfermaria daquele imenso lugar, não poderia deixar de pensar: ele era o primeiro contato do celular dele. Isso fazia Yoongi tão feliz! Certo, foco, avistou uma porta no final do corredor, com uma enorme e vermelha cruz pregada ali. Era a enfermaria, finalmente.

Ao contrário do que se pensou, Taehyung não estava em uma maca prestes a ser internado, ele estava bem relaxado até. Sentando em uma cama, bebendo um copo d’água. Quase derrubou o copo quando Yoongi chegou de mansinho e lhe cutucou a cintura.

— Oi.

— Hum… oi — bebeu mais um gole de água antes de prosseguir  — você não deveria ter vindo, desculpa te atrapalhar.

— Relaxa, o que te aconteceu?

— Eu acho que tive uma queda de pressão. — mentiu, e Yoongi sabia que o mais novo mentia.

— E você não quer que eu te leve ao médico? 

Taehyung negou, o mais velho ficou emburrado, já pensava em algo para o convence-lo a suspender suas aulas só por hoje, mas foi interrompido de seus pensamentos quando a enfermeira finalmente se pronunciou:

— Taehyung está dispensado por hoje, sem mais. Pode ir embora.

Taehyung respirou fundo, e quase quis bater em Yoongi por ter saído de lá saltitante. Parou de repente, e dirigiu-se a Taehyung com uma feição assustada, cara de quem tinha feito algo de errado.

— Tae? — “hum” respondeu o mais novo. — Você gosta de pizza? — o outro apenas o assentiu. — Ótimo, vamos para uma pizzaria!

— Que? Por que?

— Oras, você deve estar com fome…

— Eu estou mas… ah, esquece. 

Os dois desataram-se a rir – apesar de Yoongi estar chorando por dentro – porque com Taehyung era assim, colorido e cheio de risos fáceis. Com Taehyung tudo parecia tão mais fácil que chegava a ser injusto.

— Tae… outra coisa.

— O que? — perguntou, enquanto colocava o cinto de segurança no carro.

— Vamos ir ver estrelas algum dia desses.

— Eu adoraria — disse sorrindo, mais pelo novo apelido do que pelo convite.


Notas Finais


ISSO TÁ TÃO FOFO QUE DEVERIA SER PROIBIDO FALEM AÍ

OI
QUERIA dizer a vocês que eu estou lendo todos os comentários, repetindo, TODOS OS COMENTÁRIOS EU LEIO mas não tô conseguindo responder. Então quando eu puder, juro que responderei. Vocês são os melhores leitores do mundo, eu não os troco por nadinha nadinha nadinha nesse mundo. Amo vocês ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...